Tabela periódica

33 %
67 %
Information about Tabela periódica

Published on February 28, 2014

Author: juxavier

Source: slideshare.net

Tabela Periódica

1 18 IUPAC Periodic Table of the Elements 1 H 2 He helium hydrogen [1.007, 1.009] 2 3 4 Li Be lithium 15 16 17 5 6 7 8 9 10 Symbol 9.012 11 14 atomic number beryllium [6.938, 6.997] 13 B C N O F Ne Key: 4.003 boron carbon nitrogen oxygen fluorine neon [10.80, 10.83] [12.00, 12.02] [14.00, 14.01] [15.99, 16.00] 19.00 20.18 12 13 14 15 16 17 18 Na Mg Al Si P S Cl Ar sodium magnesium 4 5 6 7 8 9 10 11 12 silicon phosphorus sulfur chlorine argon [24.30, 24.31] 3 aluminium 22.99 26.98 [28.08, 28.09] 30.97 [32.05, 32.08] [35.44, 35.46] 39.95 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 K Ca Sc Ti V Cr Mn Fe Co Ni Cu Zn Ga Ge As Se Br Kr potassium calcium scandium titanium vanadium chromium manganese iron cobalt nickel copper zinc gallium germanium arsenic selenium bromine krypton 39.10 40.08 44.96 47.87 50.94 52.00 54.94 55.85 58.93 58.69 63.55 65.38(2) 69.72 72.63 74.92 78.96(3) [79.90, 79.91] 83.80 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 Rb Sr Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe technetium ruthenium rhodium palladium silver cadmium indium tin antimony tellurium iodine xenon 101.1 102.9 106.4 107.9 112.4 114.8 118.7 121.8 127.6 126.9 131.3 name standard atomic weight rubidium strontium yttrium zirconium niobium molybdenum 85.47 87.62 88.91 91.22 92.91 95.96(2) 55 56 57-71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 Cs Ba lanthanoids Hf Ta W Re Os Ir Pt Au Hg Tl Pb Bi Po At Rn caesium barium hafnium tantalum tungsten rhenium osmium iridium platinum gold mercury thallium lead bismuth polonium astatine radon 132.9 137.3 178.5 180.9 183.8 186.2 190.2 192.2 195.1 197.0 200.6 [204.3, 204.4] 207.2 209.0 87 88 89-103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 114 116 Fr Ra actinoids Rf Db Sg Bh Hs Mt Ds Rg Cn Fl Lv francium radium rutherfordium dubnium seaborgium bohrium hassium meitnerium darmstadtium roentgenium copernicium flerovium livermorium 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 La Ce Pr Nd Pm Sm Eu Gd Tb Dy Ho Er Tm Yb Lu lanthanum cerium praseodymium neodymium promethium samarium europium gadolinium terbium dysprosium holmium erbium thulium ytterbium lutetium 138.9 140.1 140.9 144.2 150.4 152.0 157.3 158.9 162.5 164.9 167.3 168.9 173.1 175.0 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 Ac Th Pa U Np Pu Am Cm Bk Cf Es Fm Md No Lr actinium thorium protactinium uranium neptunium plutonium americium curium berkelium californium einsteinium fermium mendelevium nobelium lawrencium 232.0 231.0 238.0 Notes - IUPAC 2011 Standard atomic weights abridged to four significant digits (Table 4 published in Pure Appl. Chem. 85, 1047-1078 (2013); http://dx.doi.org/10.1351/PAC-REP-13-03-02. The uncertainty in the last digit of the standard atomic weight value is listed in parentheses following the value. In the absence of parentheses, the uncertainty is one in that last digit. An interval in square brackets provides the lower and upper bounds of the standard atomic weight for that element. No values are listed for elements which lack isotopes with a characteristic isotopic abundance in natural terrestrial samples. See PAC for more details. INTERNATIONAL UNION OF PURE AND APPLIED CHEMISTRY - “Aluminum” and “cesium” are commonly used alternative spellings for “aluminium” and “caesium.” - Claims for the discovery of all the remaining elements in the last row of the Table, namely elements with atomic numbers 113, 115, 117 and 118, and for which no assignments have yet been made, are being considered by a IUPAC and IUPAP Joint Working Party. For updates to this table, see iupac.org/reports/periodic_table/. This version is dated 1 May 2013. Copyright © 2013 IUPAC, the International Union of Pure and Applied Chemistry.

mentos químicos conhecidos (cerca de 60, na época) em 12 linhas horizontais, em ordem crescente de massas atômicas, tomando o cuidado de colocar na mesma vertical os elementos de propriedaProf. Júlio Xavier des químicas semelhantes. Surgiu, então, a seguinte tabela: Grupo I Série Até o final H 1 do século 1 2 XVIII 4 7 XIX K Na 23 5 Grupo IV Mg 24 83 ? N 14 O 16 112 P 31 V 51 Ti 48 ? 68 ? 72 (Veja a lista completa dos eleZr Rb Sr ? 90 85 87 mentos químicos, no88 início do liIn Sn Ag Cd 7 vro, após108 sumário.) o 113 118 112 Cs 133 Grupo VI Grupo VII Si 28 27,3 44 Zn 65 Cu 63 33 Al 6 8 Grupo V C 12 B 14 11 Ca 40 39 XX Grupo III Grupo VIII Número de elementos químicos conhecidos Be 9,4 Li XVII 3 Grupo II Ba 137 ? 138 ? 180 Ta 182 S 32 Cr 52 Cl 35,5 Mn 55 Nb 94 Mo 96 Sb 122 Co-59 Ru-104 Pd-106 Rh-104 Os-195 Pt-198 Se 78 As 75 Fe-56 Ni-59 Ir-197 Br 80 ? 100 Te 128 I 127 ? 140 ? 178 F 19 9 10 W 184 século XIX obrigou os cientistas a imagiPb Au Hg Tl 11 207 199 reunidos em 204 200 entos ficassem grupos com 12 Th 231 Bi 208 U 240 pou alguns elementos em tríadas, que Duas grandes ousadias de Mendeleyev provaram sua grande intuição científica: . Por exemplo: da linha (série) de número 7. Na seqüência das massas atômicas, o I (127) deveria vir • Veja o final

1 18 IUPAC Periodic Table of the Elements 1 H 2 He helium hydrogen [1.007, 1.009] 2 3 4 Li Be lithium 15 16 17 5 6 7 8 9 10 Symbol 9.012 11 14 atomic number beryllium [6.938, 6.997] 13 B C N O F Ne Key: 4.003 boron carbon nitrogen oxygen fluorine neon [10.80, 10.83] [12.00, 12.02] [14.00, 14.01] [15.99, 16.00] 19.00 20.18 12 13 14 15 16 17 18 Na Mg Al Si P S Cl Ar sodium magnesium 4 5 6 7 8 9 10 11 12 silicon phosphorus sulfur chlorine argon [24.30, 24.31] 3 aluminium 22.99 26.98 [28.08, 28.09] 30.97 [32.05, 32.08] [35.44, 35.46] 39.95 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 K Ca Sc Ti V Cr Mn Fe Co Ni Cu Zn Ga Ge As Se Br Kr potassium calcium scandium titanium vanadium chromium manganese iron cobalt nickel copper zinc gallium germanium arsenic selenium bromine krypton 39.10 40.08 44.96 47.87 50.94 52.00 54.94 55.85 58.93 58.69 63.55 65.38(2) 69.72 72.63 74.92 78.96(3) [79.90, 79.91] 83.80 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 Rb Sr Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe technetium ruthenium rhodium palladium silver cadmium indium tin antimony tellurium iodine xenon 101.1 102.9 106.4 107.9 112.4 114.8 118.7 121.8 127.6 126.9 131.3 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 Os Ir Pt Au Hg Tl Pb Bi Po At Rn osmium iridium platinum gold mercury thallium lead bismuth polonium astatine radon 190.2 192.2 195.1 197.0 200.6 [204.3, 204.4] 207.2 209.0 name standard atomic weight G R U P O S rubidium strontium yttrium zirconium niobium molybdenum 85.47 87.62 88.91 91.22 92.91 95.96(2) 55 56 57-71 72 73 74 75 Cs Ba lanthanoids Hf Ta W Re caesium barium hafnium tantalum tungsten rhenium 132.9 137.3 178.5 180.9 183.8 186.2 PERÍODO 87 88 89-103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 114 116 Fr Ra actinoids Rf Db Sg Bh Hs Mt Ds Rg Cn Fl Lv francium radium rutherfordium dubnium seaborgium bohrium hassium meitnerium darmstadtium roentgenium copernicium flerovium livermorium 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 La Ce Pr Nd Pm Sm Eu Gd Tb Dy Ho Er Tm Yb Lu lanthanum cerium praseodymium neodymium promethium samarium europium gadolinium terbium dysprosium holmium erbium thulium ytterbium lutetium 138.9 140.1 140.9 144.2 150.4 152.0 157.3 158.9 162.5 164.9 167.3 168.9 173.1 175.0 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 Ac Th Pa U Np Pu Am Cm Bk Cf Es Fm Md No Lr actinium thorium protactinium uranium neptunium plutonium americium curium berkelium californium einsteinium fermium mendelevium nobelium lawrencium 232.0 231.0 238.0 INTERNATIONAL UNION OF PURE AND APPLIED CHEMISTRY Notes - IUPAC 2011 Standard atomic weights abridged to four significant digits (Table 4 published in Pure Appl. Chem. 85, 1047-1078 (2013); http://dx.doi.org/10.1351/PAC-REP-13-03-02. The uncertainty in the last digit of the standard atomic weight value is listed in parentheses following the value. In the absence of parentheses, the uncertainty is one in that last digit. An interval in square brackets provides the lower and upper bounds of the standard atomic weight for that element. No values are listed for elements which lack isotopes with a characteristic isotopic abundance in natural terrestrial samples. See PAC for more details. - “Aluminum” and “cesium” are commonly used alternative spellings for “aluminium” and “caesium.” - Claims for the discovery of all the remaining elements in the last row of the Table, namely elements with atomic numbers 113, 115, 117 and 118, and for which no assignments have yet been made, are being considered by a IUPAC and IUPAP Joint Working Party. For updates to this table, see iupac.org/reports/periodic_table/. This version is dated 1 May 2013. Copyright © 2013 IUPAC, the International Union of Pure and Applied Chemistry.

Prof. Júlio Xavier v  Ordem crescente de Número Atômico (Z): 17 Z = n° de prótons = n° e- Cl 35,5 A = massa atômica (média ponderada)

Prof. Júlio Xavier Classificação dos Elementos: São conhecidos hoje 114 elementos químicos, dos quais 88 são naturais e 26 artificiais. Estes últimos podem ser classificados em: H Cisurânicos 1 U Transurânicos 92 Pm, Tc, At e Fr Lv 116

B, 7B, 8B, 1B e 2B constituem os chamados elementos de Prof. Júlio Xavier oluna 8B é uma coluna tripla. Elementos representativos 1A 8A 2A 3A 4A 5A 6A 7A Elementos de transição 3B 4B 5B 6B 7B 8B 1B 2B na Classificação Periódica, é a que divide os elementos em

aração importante, existente na Classificação Periódica, é a que divide o Prof. Júlio Xavier ão-metais (ou ametais), semimetais e gases nobres, como podemo 1A H 8A 2A 3A 4A 5A 6A 7A Semimetais 3B 4B 5B 6B 7B 8B B 1B 2B Si Não-metais Ge As Sb Metais Te Po Série dos lantanídios Metais Série dos actinídios Metais G a s e s N o b r e s

Prof. Júlio Xavier Os Estados Físicos Gasosos: H2, N2, O2, F2, Cl2 e os gases nobres. Líquidos: Br2 e Hg Sólidos: demais

GARCIA-P GARCIA-PELAYO / CID RTANTES Prof. Júlio Xavier o Metais alcalinos o pode ser cortado com uma faca. é a Pedaço de sódio conservado em benzeno. J. GUTIERREZ SANCHEZ/CID O magnésio é um sólido leve, ERROSOS (COLUNA 2A) prateado e maleável. Ele existe na água do mar e em vários minerais, como magnesita (MgCO3), dolomita (CaCO3 z MgCO3) e ia 1 Cl2 z MgCl2 z 6 H2O). destacam-se, primeiramente, o cálcio e, depois, o magnésio. carnalita (KCl É usado em ligas metálicas leves para aviação, em rodas “de magnésio” para automóveis, em reações da extremamente ser cortado com uma faca. ÉQuímica Orgânica, em fogos de artifício, e usado também como metal de sacrifício (ligadoser 2 Na2O), devendo, por isso, a cascos de navios, tubulaO2 ções de aço etc., ele sofre corrosão, evitando a corrosão do aço). O hidróxido eno. Chega a explodir quando em contato de magnésio, Mg(OH)2, é conhecido como “leite de magnésia” e é usado para nição doaH2 liberado. Nunca devemos pegácombater acidez estomacal (azia). pois provoca fortes queimaduras na pele. perfumes, medicamentos etc.); na produção Pequena tira de magnésio pegando fogo. namole, de cor branco-prateada e atômitransferência de calor em reatores e, trólise Ca 1 Cl2 biológica, pois está presente nos animais etc. Seus compostos são Erlenmeyers contendo, da esquerda para a direita: cloro (gasoso), bromo (líquido) e iodo (sólido). de fevereiro de 1998. usão GARCIA-PELAYO / CID nte pela eletrólise do CaCl2, fundido: Halogênios EDUARDO SANTALIESTRA OS HALOGÊNIOS (COLUNA 7A) e na natureza. Existe na água do Os formamais importantes são o cloro, o bromo e o iodo. de vários minerais: calcita ém o calcário, o mármore etc.), aSO4 z 2 H2O, que é o gesso natu- ESGUEVA / CID Metais alcalinos-terrosos

Propriedades Periódicas

Raio Atômico

Prof. Júlio Xavier Como se calcula o raio? que o o auxío raio zemos nuclear starem r d r d 2

1A H 2A 3A 4A 5A 6A 7A H 8A He Prof. Júlio Xavier 32 32 50 B Sentido de crescimento dos raios atômicos Sentido de crescimento dos raios atômicos Li Li Be Be B 98 C C 91 N N 92 O O 73 152 112 112 98 91 92 Na Na Mg Mg Al Al Si Si P P 186 186 160 160 143 143 132 132 128 128 127127 KK Ca Ga Ga Ge Ge As As Se Se 227 227 197 197 135 135 137 137 139 139 140140 Rb Sr 152 Rb Sr 215 Kr Bi 222 171 175 170 Tl 171 Pb 175 Bi 170 160 Po 164 164 Raios atômicos medidos em picômetros (símbolo pm), que é um submúltiplo do metro (1 pm = 10–12 m). Raios atômicos medidos em picômetros (símbolo pm), que é um submúltiplo Br 114 114 112 112 At Pb 265 Kr Po Tl 222 Br 133 166 Ba 265 98 160 159 70 98 159 Te 70 Ne Ar 162 162 Te 72 Ne Ar 166 Sb F 50 Cl Cl 99 99 Sb Sn Cs Ba S S 72 Sn In 215 Cs 73 F In 248 248 He I 142 I 133 At 142 Xe 131 Rn 140 Xe 131 Rn 140

Prof. Júlio Xavier

eqüentemente, o raio do ânion é sempre é sempre o rai enor e, conseqüentemente, o raio do ânionmaior que maio so do no caso do cloreto de sódio (esquema Prof. Júlio Xavier cores-fantasia) mplo, cloreto de sódio (esquema com uso decom uso de cor leo passa a atrair mais a atrair mais intensamente os e trons, o núcleo passa intensamente os elétrons restan 190 sempre é sempre menor que ou raio do181 o oédo cátionmenor que 99 diâmetro o diâmetro áto ou 99 95 95 ebe elétrons, a carga total da eletrosfera (negativa) to m átomo recebe elétrons, a carga total da eletrosfera ; desse modo, a atração do atração do o conjunto eo (positiva); desse modo, anúcleo sobrenúcleo sobr 0 0 0 Átomo Cl 0 CátionmaiorCátion Na+ raio Na+ do átomo or Átomo raio o do ânion do ânion é Cl que o maior mente, oNa é sempre Átomo sempre raio que oÂnion C o (esquema com uso de cores-fantasia): reto de sódio (esquema com uso de cores-fantasia):i Raios atômicos Raios atômicos Raios iônicos Raios (Raios atômicos(Raios atômicos eem picômetros em picômetros10212 m) pm 5 1 e iônicos dados iônicos dados (pm); 1 pm 5 (pm); 1 95 99 95 181 181 es mostram outras comparações entre raios atômicos e atôm cos seguintes mostram outras comparações entre raios iônic is alcalinos Metais alcalinos Átomo Cl Cs 0 Halogênios Cátion Na+ Cs – Raio + Ânion Cl Raio Cátion Na ( pm) (pm) H Ânion Cl –

rá diminuindo na proporção em que a carga positiva do núcleo for superando a c Prof. Júlio Xavier osfera. Por exemplo: O 2– Íons Número atômico (carga positiva do núcleo) Número total de elétrons (carga negativa da eletrosfera) Número de camadas eletrônicas Raio iônico (pm) 140 F– Na+ Mg2+ Al 3+ 8 9 11 12 13 10 10 10 10 10 2 2 2 2 2 140 136 95 65 50 Aumenta Diminui 29/5/05, 19:16

Potencial de Ionização

Li Be 152 112 98 91 K Na Al Ca Mg Si Ga Al P Si SGe 143 186 227 132 160 197 128 143135 127 132 137 18698 91 160 143 92 132 73 128 Prof. Júlio Xavier 12 72 70 92 73 P ClAs S Ar Se 98 12899 139 127 14 K Gafácil Ge um As Br Se Kr espécie Ga De qualCa Ge é mais As retirarSe elétron? Rb Sr In Sn Sb Te 139 140 135 137 114 112 139 140 135 137 197 227 16 162 159 166 215 248 Rb Cs In 248 166 265 Cs Sr Sn Ba 215 162 222 Ba In Sb 166 Tl 159 171 Sn Te 162 Pb 160 175 Pb Sb I Te Xe Bi 160 Po 133 131 170 16 159 Bi Po

Prof. Júlio Xavier Definição É a energia necessária para se retirar um elétron da última camada de um átomo no estado gasoso.

Exercício resolvido 45 (F. F. O. Diamantina-MG) Damos, a seguir, os 1o, 2o, 3o e 4o potenciais de ionização do Mg (Z 5 12), B (Z 5 5) e K (Z 5 19). Esses elementos, na tabela, serão representados por família) pertence A qual grupo (ouX, Y, W, mas não necessariamente na mesma ordem. X 7,6 cada um dos elementos? W 8,3 1o Y Prof. Júlio Xavier 4,3 Potenciais 2o de ionização o (em volts) 3 25 15 32 38 80 46 4o 259 109 61 Marque a alternativa em que há uma correspondência correta entre Mg, B, K e as letras X, Y, W. •  Mg (g) + 7,6 eV → Mg+ X Y W a) B K Mg b) B Mg K c) K Mg B + 1 e- (1ª E.I.) •  Mg+ (g) + 14,9 eV → Mg2+ + 1 e- (2ª E.I.) •  Mg2+(g) + 79,7 eV → Mg3+ + 1 e- (3ª E.I.)

Afinidade Eletrônica

Prof. Júlio Xavier Conceitos gerais amos considerar a reação entre o sódio e o cloro, produzindo-se o cloreto de s Na 1 Cl NaCl Energia (P.I.) Energia (A.E.) etronicamente, essa reação é explicada esquematicamente, com cores-fantasia, d Após a reação Antes da reação Átomo de sódio (Na0) (2-8-1 elétrons) Definição Átomo de cloro (Cl0) (2-8-7 elétrons) Cátion sódio (Na+) (2-8 elétrons) Ânion clor (2-8-8 elé Eletrosfera igual Eletrosfe É a energia envolvida quando um elétron é adicionado a um átomo neutro à do neônio à do argô no estado gasoso. Nesse exemplo, o átomo de sódio cede definitivamente 1 elétron ao átom 1 2

ergia liberada quando um elétron é Prof. Júlio Xavier a é também expressa, em geral, em 127

Eletronegatividade

artilhado para o seu lado. É o que acontece, por exemplo, na molécula HCl: ndo-se em medidas experimentais, o cientista Linus Pauling criou uma escala de eletrone xx e representamos a seguir num esquema da Tabela Periódica (essesProf. Júlio Xavier valores não têm unida H x Cl x x xx cloro atrai o par eletrônico compartilhado para si. Nesse caso, dizemos que o cloro é mais Aumento de eletronegatividade negativo que o hidrogênio e que a ligação covalente está polarizada, ou seja, é uma ligação nte polar.1A comum representar-se esse fato também da seguinte maneira: É 8A Aumento de eletronegatividade H 2,1 Li 2A Be d1 H d2 Cl 3A B 4A C 5A N 6A O 7A F 2,0 2,5 3,0 3,5 He 4,0 — Ne — esta representação, a flecha cortada indica o sentido de deslocaS P Na Mg o do par eletrônico; 3B sinal d2 representa a região da molécula Al Si 2,1 2,5 Cl Ar 1,8 3,0 1,2 0,9 — 4B 5B 6B 7B 8B 1B 2B 1,5 maior densidadeCa Sc Ti e oVsinal d1, a regiãoCo Ni Cu den- Ga Ge As Se Br Kr eletrônica, com menor Zn Cr Mn Fe K eletrônica.0,8 molécula se comporta então 1,8 1,9 um dipolo elé- 1,6 1,8 H2,0 2,4 2,8 — A 1,0 1,3 1,5 1,6 1,6 1,5 como 1,9 1,9 1,6 Cl Y Rb Sr apresentando o que1,2 convencionou Tc Ru de cargasAg Cd In Sn Sb Te 2,5 Xe se Zr Nb Mo chamar Rh Pd 1,9 1,7 1,7 1,8 1,9 2,1 I parciais 0,8 1,6 1,8 1,0 1,9 1,4 2,2 2,2 2,2 — itiva (d1) eCs Ba La-Lu Hf A maior densidade eletrônica Au redor Tl Pb Bi Po At Rn negativa (d2). Ta W Re Os Ir Pt ao Hg 0,7 1,0 1,2 1,5 1,7 0,9 1,9 1,3 2,2 2,2 ro é também representada espacialmente, como na 2,2 2,4 1,9 1,8 1,9 1,9 2,0 2,2 — figura. Fr Ra Ac-Lr Rf Db Sg Bh Hs Mt videntemente, quando os dois átomos são iguais, comoDs Rg nas moléculas H2 e Cl2, não há razão acontece 0,7 0,9 m átomo atrair o par eletrônico mais do que o outro. Teremos, então, uma ligação covalente apolar. onseqüentemente, podemos definir: 1,0 1,5 Eletronegatividade é a capacidade que valor, mas de sinais opostos, à pequena distância uma tituído por duas cargas elétricas puntiformes de mesmo um átomo tem de atrair para si o par eletrônico da que ele compartilha com outro átomo em uma ligação covalente. aseando-se em medidas experimentais, o cientista Linus Pauling criou uma escala de eletronegati, que representamos a seguir num esquema da Tabela Periódica (esses valores não têm unidades):

Prof. Júlio Xavier Ligações Polares H Cl Par de elétrons mais próximo do cloro

Prof. Júlio Xavier Ligações Apolares FF Obs: Substância simples tem NOX igual a zero. Par de elétrons não foi deslocado.

Reatividade Química

Prof. Júlio Xavier Reatividade Química indica a capacidade de combinação do elemento químico. Cu F Ag Fr Pt Au Hg

Volume e Densidade

m- o ne- Prof. Júlio Xavier Densidade

80 90 Número atômico Prof. Júlio Xavier riodicamente com o aumento do númeVolume atômico tracejada, o aumento do volume atômico

Pontos de Fusão e Ebulição

Prof. Júlio Xavier ou em ebulição são, também, funções Pontos de Fusão e Ebulição C

Add a comment

Related presentations

Related pages

Tabela Periódica

Tabela Periódica com imagens, vídeos, história, para imprimir, propriedades, usos, informações, elementos, reações, aplicações, fotos, etc
Read more

Tabela periódica – Wikipédia, a enciclopédia livre

A tabela periódica dos elementos químicos é a disposição sistemática dos elementos, na forma de uma tabela, em função de suas propriedades. É ...
Read more

Tabela Periódica - Android Apps und Tests - AndroidPIT

Aqui está uma tabela periódica totalmente em português. Esta é a minha primeira aplicação, por isso, caso surjam alguns erros, por favor avisem-me. ...
Read more

Tabela Periódica Dinâmica - Dynamic Periodic Table

Tabela periódica interativa Web 2.0, com leiautes dinâmicos mostrando nomes, elétrons, oxidação, tendência de visualização, orbitais, isótopos, busca.
Read more

TABELA PERIÓDICA COMPLETA | A Tabela Periódica Atual

Tabela periódica completa e atualizada: história, elementos químicos, famílias, períodos, propriedades periódicas. Tabela periódica para imprimir.
Read more

Tabela periódica - Química - InfoEscola

Tabela periódica atualizada, informações sobre os elementos químicos, como eles são organizados, sua história, etc.
Read more

Tabela Periódica – Apps para Android no Google Play

Aqui está uma tabela periódica totalmente em português. Esta é a minha primeira aplicação, por isso, caso surjam alguns erros, por favor avisem-me.
Read more

Tabela Periódica

Tabela Periódica da Cerveja Como fazer que a tabela fala cervejaria cevada etc tudo mais química cartesiano italiano alemanha. Upload Sign in Join.
Read more

História da tabela periódica – Wikipédia, a ...

A história da tabela periódica começa em 1817 com a "lei das tríades" de Johann Wolfgang Döbereiner e termina com a disposição sistemática de ...
Read more

Dynamisches Periodensystem - Dynamic Periodic Table

Großes druckbares Periodensystem der Elemente mit den Namen der Elemente zum privaten Gebrauch. Klicke auf ein Element, um eine vollständige Beschreibung ...
Read more