advertisement

Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particularmente a alemã.” (pag. 23-38). IN: A Ideologia Alemã, 1984.

33 %
67 %
advertisement
Information about Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e...
Books

Published on February 20, 2014

Author: jamaralgeo

Source: slideshare.net

advertisement

Jessica Amaral. FCT UNESP 1º semestre do curso de Geografia 2012. Disciplina de Sociologia Docente Nivaldo Correia MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particularmente a alemã.” (pag. 23-38). IN: A Ideologia Alemã, 1984. A ideologia alemã é uma polêmica dirigida contra os neo-hegelianos, analisando e satirizando as suas idéias de reforma moral da humanidade. A essas fantasias de uma pequena-burguesia sonhadora, Marx e Engels opõem a pesquisa de método histórico e crítico, apóia-se sobre as relações sociais, no estudo da vida prática em sociedade. O estilo satírico se mistura a uma refinada argumentação histórica a filosófica, e na defesa de um projeto de emancipação real da humanidade. O idealismo filosófico alemão reduz o mundo à sua representação intelectual (idealismo objetivo) nos sistemas ideológicos como a religião, o Direito, a ciência, etc. Reduz toda a evolução histórica a estes ideais, que são considerados pelos idealistas não apenas como independentes dos fatores e agentes da realidade social, mas como efetivos criadores desta última. Acrescentam a este historicismo idealista um tempero místico e hermético, fazendo com que ele adquira um sabor transcendente. A escravização da vida pelos ideais transcendentes é um axioma deste idealismo, seja na sua versão cristã, panteísta ou atéia. Em radical oposição a este pensamento, Marx e Engels defendem a pesquisa da história material dos homens, suas relações entre si e suas relações com o meio natural, para, então, desvendar as formas de ideologias, pois é da vida material que surge as ilusões ou verdades do espírito.As relações a serem investigadas são o Verkehr (intercâmbio) entre as pessoas, o que manifesta uma diferença radical com as concepções organicistas da sociedade. Propõem o estudo das relações empíricas entre os indivíduos, entre os países, classes, regiões, etc. em unidade com a interpretação conceitual destas relações empíricas.O fundamental, nestas investigações, é o processo de desenvolvimento da sociedade. Marx e Engels acreditavam que a História e a Economia Política forneceriam os elementos factuais e conceituais necessários para o adequado estudo da realidade social, desde que estas ciências fossem submetidas a uma rigorosa crítica de um ponto de vista teórico específico, que seria chamado posteriormente de materialismo dialético. Este estudo forneceria a chave para o mistério da ideologia. Os filósofos não tinham como finalidade o estabelecimento das propriedades formais da ideologia em si mesma, de forma semelhante ao que fazem os matemáticos na geometria euclidiana. A ideologia é um sistema de idéias através das quais as relações sociais assumem uma forma mistificada na consciência: religião, metafísica, Direito, moral, etc. A ideologia inverte a realidade histórica, ao invés de representá-la racionalmente.

A formas de representação coletivas devem ser estudadas a partir da sua base na vida cotidiana, nas relações sociais, cuja totalidade constitui a sociedade. E mesmo essas representações coletivas surgem, primeiro, como linguagem, e não como "Espírito". A linguagem é chamada, pelos autores, de "consciência prática".Marx e Engels também criticaram o materialismo "vulgar" de Feuerbach, que abstrai a existência histórica do ser humano, definindo-o como um ser passivo, isolado e dominado pela sensibilidade imediata. É necessário, pelo contrário, partir da sensibilidade ativa e prática do homem na sua realização histórica efetiva, que é, em primeiro lugar, o trabalho. Na sociedade moderna, por exemplo, a divisão social do trabalho estabelece a submissão do indivíduo ao seu trabalho, em um processo relacionado recíprocamente com a dominação coercitiva de classe e a dominação persuasiva ideológica. Na evolução histórica, surge o Estado de um conflito entre o interesse individual e o coletivo, produto da divisão do trabalho e da estratificação social. Alienação e subordinação do indivíduo à coletividade, que é percebida como uma força incompreensível e externa, que domina a vida humana. Da mesma forma que a sociedade subjuga o indivíduo, uma parte da sociedade domina a outra parte. Surge o paradoxo, segundo o qual o poder coletivo que oprime a individualidade é o instrumento através do qual a coletividade é submetida a uma parte da sociedade. E a luta de classes. A ideologia apresenta o interesse particular de uma classe como se fosse o interesse geral da sociedade. É no conflito entre classes de interesses antagônicos que a história atravessa os diferentes estágios. "Os indivíduos, isoladamente, só formam uma classe na medida em que têm que empreender uma luta contra outra classe". A produção de ideologia está ligado à própria produção material. Os fatores que determinam a formação de uma ideologia são: a dominação de uma parte da sociedade sobre as outras; a divisão entre o trabalho manual e o trabalho intelectual; separação da teoria e da prática; a centralização dos meios de produção espiritual (eles não especificam o que sejam, mas suponhamos as escolas, igrejas, impressoras, etc.); a divisão entre os formadores de opiniões e os seus receptores passivos; dependência política e econômica dos ideólogos para com a classe materialmente mais poderosa. Os ideólogos são os representantes culturais da classe dominante, apresentando os interesses particulares dos seus representados como interesses gerais, ideais elevados, etc. É interessante comparar essa posição de Marx nesse escrito com a posição anterior, nos Manuscritos econômico-filosóficos, e a posição posterior, em O capital, no qual cria o conceito de fetichismo de mercadoria.

Add a comment

Related presentations

Related pages

O Manifesto Comunista - Friedrich Engels e Karl Marx

O Manifesto Comunista - Friedrich Engels e Karl Marx Author: Friedrich Engels e Kar Marx Subject: História;Política;Ciências Sociais Keywords
Read more

Friedrich Engels – Wikipédia, a enciclopédia livre

Friedrich Engels (/ˈfʁiːdʁɪç ... Karl Marx · Friedrich Engels. Karl Kautsky ... A Ideologia Alemã - em parceria com Marx - ; (No Brasil: ...
Read more

Karl Marx - Wikipedia, la enciclopedia libre

Friedrich Engels y Karl Marx ; con sus hijas Laura, Eleanor y Jenny (en junio de 1864). ... ↑ Anthony Brewer; Karl Marx (1984). A guide to Marx's Capital.
Read more

1º EM – Durkheim e a Sociologia do Trabalho. No século ...

Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particularmente a alemã.” (pag. 23-38). IN: A Ideologia Alemã, 1984.
Read more

Ludwig Feuerbach e o Fim da Filosofia Clássica Alemã ...

Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particularmente a alemã.” (pag. 23-38). IN: A Ideologia Alemã, 1984.
Read more

Ideología - Wikipedia, la enciclopedia libre

... el concepto se dota de un contenido epistemológico por Karl Marx, ... ideologia. Filosofia e storia in Marx ... Marx, Karl y Engels, Friederich, ...
Read more

Arquivo Marxista na Internet - Marxists Internet Archive

Engels, Friedrich (1820-1895) Fundador ... do círculo de estudos de O Capital de Karl Marx, ... criador da corrente política e ideologia chamada ...
Read more

Introduccion General a La Critica de La Economia Politica

94 [Karl Marx-Friedrich Engels, Corre.l'jJondetlcia, Buenos Aires, Cartago, 1973. pp ... Critica deU'ideologia contemporanea, Roma, 1967; ...
Read more

Georg Lukács - História e consciência de classe ...

... aos textos de Marx e Engels foram organizadas pela primeira vez de acordo com a edicao Karl Marx und Friedrich Engels, ... ideologia do movimento ...
Read more