Qualidade da Água

50 %
50 %
Information about Qualidade da Água

Published on March 22, 2008

Author: oscarbiologo

Source: slideshare.net

Description

Doenças de Veiculação Hídrica e Qualidade da Água

Doenças de Veiculação Hídrica Febre Amarela, Peste Bubônica e Varíola

Doenças de Veiculação Hídrica

Doenças de Veiculação Hídrica

Doenças de Veiculação Hídrica

Doenças de Veiculação Hídrica

Doenças de Veiculação Hídrica

Doenças de Veiculação Hídrica

Qualidade da água Critérios São requisitos científicos que uma água deve apresentar para ser aplicada a um determinado fim. Os parâmetros serão classificados em níveis (concentração) Padrões São formas de exigências legais dos critérios estudados e fixados através de um dispositivo (legal). Padrões regulam portanto a qualidade da água

Critérios

São requisitos científicos que uma água deve apresentar para ser aplicada a um determinado fim. Os parâmetros serão classificados em níveis (concentração)

Padrões

São formas de exigências legais dos critérios estudados e fixados através de um dispositivo (legal). Padrões regulam portanto a qualidade da água

Qualidade da água Critérios: São requisitos científicos que uma água deve apresentar para ser aplicada a um determinado fim. Parâmetros Cada uso Determina diferentes requisitos Níveis (Concentração) -Diferem de uso para uso -Dependem do uso e variam no número e níveis (conc.) dos parâmetros á serem considerados. Água FIM (uso) Exemplo: Familiar: Doméstico (Bebida, piscina, pesca, recreação) Industrial: limpeza, resfriamento, sistemas de geração de vapor.

Qualidade da água USOS MÚLTIPLOS NAVEGAÇÃO HIDROELETRICIDADE ABASTECIMENTO HUMANO ABASTECIMENTO INDUSTRIAL RECREAÇÃO E TURISMO PESCA E AQUICULTURA CONTROLE DE CHEIA IRRIGAÇÃO

Qualidade da água Exemplos: Rios (classificação) nos EUA – Abastecimento Público Materiais flotáveis, pH, SS Aquecimento, Navegação D OD, pH, SS, Temperatura Industrial, agricultura, Pesca, navegação C Idem (níveis menos rigorosos) Banho, pesca, Recreação B contagem microbiana, cor, turbidez, pH, OD, mat. tóxicos, gosto, odor, temperatura Abastecimento Público A Critérios de Qualidade Uso Classe

Qualidade da água PADRÕES: são formas de exigências legais dos critérios estudados e fixados através de um dispositivo (Legal). Padrões regulam portanto a qualidade da água: - antes de ser usada satisfatoriamente; - depois quando ela deve ser lançada de volta ao ambiente Existem - Padrões de qualidade gerais e específicos - Padrões de aceitação (Resolução 20) - Padrões de utilização (Ex. Potabilidade) - Padrões rígidos e flexíveis - Padrões para todas atividades (Agrícola, Industria, etc.)

Qualidade da água PADRÃO 1 ANÁLISES E EXAMES AMOSTRAGEM CONDICIONAMENTO (TRATAMENTO) ANÁLISES E EXAMES PADRÃO 2 USO FLUXOGRAMA DE UTILIZAÇÃO DA ÁGUA PADRÃO 1: RESOLUÇÃO 20 CONAMA PADRÃO 2: POTABILIDADE MANANCIAL

Qualidade da água Resolução CONAMA n. 20 de 1986 Classificação - Águas Doces Salinidade; igual ou inferior a 0,5‰ - Águas Salobras Salinidade: 0,5% < SAL < 30‰ - Águas Salinas Salinidade: > 30‰ Classes: Função dos usos preponderantes São Classificadas em 9 classes levando-se em conta os usos. Exemplo: Abastecimento: Classe especial, 1,2,3 - As Classes: Especial, 1,2,3 e 4 águas doces - As Classes: 5 e 6 águas salinas - As Classes: 7 e 8 águas salobras

Resolução CONAMA n. 20 de 1986

Qualidade da água Revisão Resolução CONAMA n. 20 de 1986 Das Classes de Qualidade Águas doces Classe Especial – abastecimento para consumo humano Justificativa: compatibilizar com a portaria 1469/2000 Classes 1 a 4 – águas que podem ser destinadas a determinados usos Justificativa: compatibilizar o enquadramento com a outorga; é a outorga o instrumento de definição dos usos a serem autorizados num determinado corpo hídrico

Revisão Resolução CONAMA n. 20 de 1986

Das Classes de Qualidade

Águas doces

Classe Especial – abastecimento para consumo humano

Justificativa: compatibilizar com a portaria 1469/2000

Classes 1 a 4 – águas que podem ser destinadas a determinados usos

Justificativa: compatibilizar o enquadramento com a outorga; é a outorga o instrumento de definição dos usos a serem autorizados num determinado corpo hídrico

Qualidade da água Revisão Resolução CONAMA n. 20 de 1986 _ Águas salinas Novo sistema de classes: Classe Especial, 1 , 2 e 3 Águas salobras Novo sistema de classes: Classe Especial, 1 , 2 e 3 Inclusão do uso para abastecimento após tratamento avançado Justificativa: possibilitar uso doméstico após dessalinização

Revisão Resolução CONAMA n. 20 de 1986

_ Águas salinas

Novo sistema de classes: Classe Especial, 1 , 2 e 3

Águas salobras

Novo sistema de classes: Classe Especial, 1 , 2 e 3

Inclusão do uso para abastecimento após tratamento avançado

Justificativa: possibilitar uso doméstico após dessalinização

Qualidade da água Revisão Resolução CONAMA n. 20 de 1986 ENQUADRAMENTO Compatibilização com a Resolução n. 12 do CNRH Aumento do número de parâmetros e alteração de valores Vazão de referência Metas progressivas intermediárias e finais Rios intermitentes CONTROLE Zona de mistura Compatibilização com as metas intermediárias e finais Vazão de referência: efeitos tóxicos agudos

Revisão Resolução CONAMA n. 20 de 1986

ENQUADRAMENTO

Compatibilização com a Resolução n. 12 do CNRH

Aumento do número de parâmetros e alteração de valores

Vazão de referência

Metas progressivas intermediárias e finais

Rios intermitentes

CONTROLE

Zona de mistura

Compatibilização com as metas intermediárias e finais

Vazão de referência: efeitos tóxicos agudos

Decreto n.º 79.367, de 09 de março de 1977: Estabelece a competência do Ministério da Saúde sobre o controle da qualidade de água para consumo humano. Portaria nº 036, de 19 de janeiro de 1990: Aprova normas e o padrão de potabilidade da água destinada ao consumo humano. Portaria n.º 1469, de 29 de dezembro de 2000: Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Portaria n.º 518, de 25 de março de 2004: Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Marco Legal

Decreto n.º 79.367, de 09 de março de 1977: Estabelece a competência do Ministério da Saúde sobre o controle da qualidade de água para consumo humano.

Portaria nº 036, de 19 de janeiro de 1990: Aprova normas e o padrão de potabilidade da água destinada ao consumo humano.

Portaria n.º 1469, de 29 de dezembro de 2000: Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

Portaria n.º 518, de 25 de março de 2004: Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências.

Revogação da Portaria MS Nº 1469/2000 Portaria MS Nº 518, de 25 de março de 2004 O que foi alterado: mudança de competência, anteriormente atribuída à FUNASA/CENEPI, para SVS/MS - Decreto nº. 4726, de 9/6/2003; prorrogação dos prazos para adequações referentes ao tratamento por filtração de água para consumo humano suprida por manancial superficial e distribuída por meio de canalização e à obrigatoriedade do monitoramento de cianobactérias e cianotoxinas.

Portaria MS Nº 518, de 25 de março de 2004

O que foi alterado:

mudança de competência, anteriormente atribuída à FUNASA/CENEPI, para SVS/MS - Decreto nº. 4726, de 9/6/2003;

prorrogação dos prazos para adequações referentes ao tratamento por filtração de água para consumo humano suprida por manancial superficial e distribuída por meio de canalização e à obrigatoriedade do monitoramento de cianobactérias e cianotoxinas.

Portaria MS n.° 518/2004 Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade Art. 2° Toda a água destinada ao consumo humano deve obedecer ao padrão de potabilidade e está sujeita à vigilância da qualidade da água.

Portaria MS n.° 518/2004

Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade

Art. 2° Toda a água destinada ao consumo humano deve obedecer ao padrão de potabilidade e está sujeita à vigilância da qualidade da água.

Portaria MS n.° 518/2004

Portaria MS n.° 518/2004

Portaria MS n.° 518/2004

ETA Barragem Rede de distribuição de Água Manancial Cianobacterias N<10.000 células/mL--->Mensal N>10.000 células/mL--->Semanal Físicos e Químicos Semestral Proteção dos mananciais em articulação com o gestores de Recursos Hídricos Rio Portaria MS n° 518/2004

Controle Conjunto de atividades exercidas de forma contínua pelo(s) responsável(is) pela operação de sistema de abastecimento de água para verificar se a água fornecida à população é potável Cumprimento da Norma de Qualidade da Água para Consumo Humano Portaria MS n° 518/2004 (Antiga Portaria MS n° 1469/2000)

Gestão LABORATORIO AMOSTRAS INSPEÇÃO SANITARIA ATUALIZAÇÃO AÇÕES INTRA E INTERSETORAIS RESULTADOS NORMA DE QUALIDADE SISTEMA DE ABASTECIMIENTO VALIDAÇÃO RESULTADOS SOLUÇÃO INDIVIDUAIS LABORATORIO SAUDE PUBLICA CERTIFICADO NORMALIZAÇÃO MEDIDAS CORRETIVAS CONTROLE RESULTADOS EPIDEMIOLOGIA AMOSTRAS AÇÕES DE VILÂNCIA INFORMAÇÃO VIGILÂNICA CONTROLE

 

Add a comment

Related presentations

Related pages

Sabesp » Água » Qualidade da água

A Portaria 2914/11 do Ministério da Saúde estabelece que a água produzida e distribuída para o consumo humano deve ser controlada. A legislação ...
Read more

PI - medindo a qualidade da água - YouTube

Projeto Integrador UNIVESP - A PRODUÇÃO DE EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS PARA LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA - Medindo a qualidade da ...
Read more

Qualidade da água - SEMASA - Serviço Municipal de Água ...

Relatório mensal da qualidade da água. A seguir, são exibidos os resultados do último relatório mensal da qualidade da água disponível para a rede ...
Read more

Autoatendimento da CORSAN - corsan.com.br

Indicadores de Qualidade da Água Distribuída; Laudo de Qualidade Água Distribuída; Consulta de Fornecedores; Certidão Negativa de Débito;
Read more

Qualidade da Água - Águas da Figueira

A garantia constante da qualidade da água que bebemos . é um dos principais objetivos da Águas da Figueira, S.A.. Foram realizadas durante o ano de 2013
Read more

CONTROLE DE QUALIDADE - DAE - Bauru

Controle de Qualidade da Água Tratada DAE - BAURU. Unidade Produtora: Sistema de Produção: CONTROLE: Tratamento Adotado: Sistema Produtor (na saída de ...
Read more

Presidência da República - planalto.gov.br

Estabelece definições e procedimentos sobre o controle de qualidade da água de sistemas de abastecimento e institui mecanismos e instrumentos para ...
Read more

A Qualidade da Água - Só Biologia

A qualidade da água . A vida humana, assim como a de todos os seres vivos depende da água. Mas a nossa dependência da água vai além das necessidades ...
Read more

A Qualidade da Água - Aviagen

A Qualidade da Água A Aviagen continuamente fornece a seus clientes es-pecificações detalhadas de desempenho de seus produ-tos, Manuais de Manejo e
Read more

MINHA ÁGUA | Cesan

Reclamação de qualidade da água. Em caso de anormalidade na qualidade da água, solicite uma verificação. Falta de água. Comunique-nos sobre a falta ...
Read more