advertisement

O Repertório Dinâmico das Cores na Mídia

50 %
50 %
advertisement
Information about O Repertório Dinâmico das Cores na Mídia
Education

Published on March 5, 2014

Author: Nathal1aGh1lard1

Source: slideshare.net

Description

As cores há muito tempo têm um significado, como vermelho que simbolizaria o amor, o verde a esperança, o azul a tranquilidade e assim por diante. Agora no mundo jornalístico as cores conotam ou denotam, ou seja, abrangem ou indicam e também são usadas para destacar certas informações, fazer com que a percepção do leitor seja mais fácil.
advertisement

Universidade Nove de Julho Junho 2011 Artigo Científico O Repertório Dinâmico das Cores na Mídia Universidade Nove de Julho Junho 2011

Integrantes do grupo CAROLINA ROSA LAILA KUTTNER LYGIA COSTA NATHALIA GHILARDI RENAN PEREIRA

Sumário: 1. SIMBOLOGIA DAS CORES................................................................. 04 2. A COR-INFORMAÇÃO......................................................................... 05 3. AS CORES NAS MÍDIAS ATUAIS ...................................................... 06 4. A COR E AS CULTURAS .................................................................... 07 5. A NATUREZA DINÂMICA ..................................................................... 10

1. SIMBOLOGIA DAS CORES O artigo científico mostra que as cores há muito tempo têm um significado, como vermelho que simbolizaria o amor, o verde a esperança, o azul a tranquilidade e assim por diante, podemos ver que esse simbolismo das cores é usado em muitas simpatias, por exemplo, no Ano-Novo, onde muitas mulheres e homens usam suas peças íntimas ou acessórios com as cores do que eles desejam que o próximo ano traga para eles, sem contar que a cor principalmente séria o branco que traria a paz.utra coisa é que as cores também trariam sensações, ou seja, você olharia para uma cor e ela te faria sentir de alguma forma e muitos decoradores usam isso quando vão pintar as paredes de uma casa, o azul, por exemplo, traria a sensação de tranquilidade e de um lugar mais fresco, o vermelho traria a sensação de calor. Agora no mundo jornalístico as cores conotam ou denotam, ou seja, abrangem ou indicam também são usadas para destacar certas informações, fazer com que a percepção do leitor chega mais fácil, mas como as cores tem seu lado bom, elas também têm seu lado ruim. As cores não incorporam só sensações, também incorporam valores, regras, e códigos, no mundo jornalístico a cor passa a ser, cor-informação, ele ajuda a determinar uma narrativa de um determinado produto da comunicação, podemos reparar que em certos programas que tratam de assunto de violência, podemos ver que as cores que se destacam são o vermelho e o preto, ai vem o lado ruim das cores, o vermelho representar o sangue (até porque é a cor do sangue) e o preto representa a “morte” ou o “luto”, essas sensações, valores que atribuímos as cores acabam passando para as pessoas que as usam, como por exemplo a cor preta.Um grupo social chamado Gótico é conhecido pelas suas roupas pretas e tons escuros de roxo, maquiagens bem pretas, ou como dizem, darks, eles usam essas cores porque representam a morte, a melancolia e os tons escuros de roxo a muito tempo atrás não era usado pois era conhecido como “cor de defunto”. Voltando para a cor-informação, ou seja, cor na mídia, o jornalista acaba tendo uma responsabilidade a mais por causa dos significados que as cores incorpora, a cor e a noticia precisam ter uma correspondência claro que é muito comum não haver essa correspondência, as vezes pode ser intencional esse erro, as vezes também as imagens podem estar em ótima qualidade mas a noticia nem tanto. As cores também antecipam os outros códigos e delimita um número de significados, facilitado a compreensão daquela informação, as cores utilizadas nas noticias acabam passando por vários processos, assim formando as quatro “camadas”.

2. A COR-INFORMAÇÃO No primário aprendemos as definições de cores. Pode ser cor-quente ou cor-fria, as cores quentes (vermelho, amarelo e azul) se bastavam, mas alguém sem querer misturou o vermelho com amarelo que surgiu o laranja, do vermelho com azul, a cor roxa e do amarelo com azul, o verde. Então foram chamadas de cores frias (laranja, roxo e verde). A partir dessas cores muitas vieram em nossos olhos, mas não apenas em quadros de Monet, Tarsila do Amaral, ou da Vinci. As cores foram viajando pelo tempo e não demos conta do que as cores estavam se manifestando. Afinal, de tempos em tempos cada cor ressurge outra vez como tendência, moda, a cor da estação. Diante disso os meios de comunicação que antes se bastavam da cor preta e do papel branco, hoje estão além de informativo, colorido. Talvez, fosse inevitável já que as décadas foram passando e o ser humano foi descobrindo diferentes cores que se opõem, mas resultam no belo, inusitado. A televisão do meu pai, quando criança era branca e preta. Mas, a televisão do meu quarto e da sala são cheia de cores que saltam em nossos olhos. Depois que as cores ganharam espaço na televisão, elas invadiram de vez o nosso cotidiano. Pouco a pouco apareceu em jornais, revistas, catálogos, anúncios, comerciais de TV, no cinema ou no teatro. Se um jornal trouxer noticias tristes pode ter certeza, que o vermelho, a majestade das cores estará ali escancarada. Porque o avermelhado no papel de jornal, com certeza não nos lembrará de tomates, mas de sangue. Por outro lado se o mesmo jornal tem reportagem sobre os dias dos namorados, o vermelho estará dentro de um coração. E seremos envolvidos, magnetizados pelo vermelho que nos lembra, nesse caso, a paixão e/ou o amor. As cores que informam causam em nós vários sentidos de valores como ser humano, ou seja, a cor está nos manipulando. Existe um jornal de emprego chamado “Amarelinho”, esse jornal é semanal e tem oportunidades de emprego, concurso, curso, informações e dicas do mercado de trabalho. O papel desse jornal é todo amarelo, e

quando alguém está desempregado, ou á procura de um novo emprego, logo diz: “domingo preciso comprar um amarelinho”. A cor-informativa do jornal conduz nossos olhos a ele, pois o amarelo nos remete a fortuna, prosperidade, alegria, nova vida. E o “Amarelinho” tem a sua diferenciação em relação aos outros jornais concorrentes, pois as páginas do jornal atraem os olhos de quem deseja e tem certeza que através daquele jornal todo amarelado, conseguirá um sucesso como pessoa. Com isso, as cores entram cada vez mais em nossas mentes, as cores não são apenas quentes ou frias como era ensinado do primário. Muito diferente no jornalismo, em que as cores são bases influentes quando almeja captar a vibração do seu público, seja na televisão, no jornal, na revista ou na internet. A cor é usada como informação de noticia e dependendo do assunto, cada cor tem a sua intenção de atrair atenção sobre aquele fato, afinal precisa de um reforço a mais para a venda dos impressos, de audiência nas emissoras de TV e rádio, e também de acessos nos sites. As cores deixaram definitivamente de estar em quadros parados, a vista, as criticas dos apreciadores, hoje elas fazem parte do nosso mundo com movimentos, ou seja, ela se tornou a cor-informativa, e pode ir muito além de um gênero para se transformar em um arco-íris – comunicativo. 3. AS CORES NAS MÍDIAS ATUAIS O objetivo do jornalismo atual é chamar atenção para a “embalagem” a escolha das cores são determinadas pelo interesse mercadológico do jornalismo. O telespectador e o leitor recebem primeiro a imagem visual e depois a informação jornalística, ou seja, a revista precisa ter um jogo de cores elaborado para chamara a atenção do leitor em compra-la. Exemplo atual é da revista ÉPOCA, que em março de 2011 fez uma matéria sobre a homofobia e o número de morte contra os homossexuais que cresce a cada ano, na capa estava estampada a bandeira gay e na última tiragem da bandeira que é representado pela cor vermelha, a edição da revista fez uma montagem e colocou sangue que representava o sangue derramado pelas as vitimas do preconceito. A capa era chamativa as cores influenciavam na informação e despertavam a curiosidade do leitor. Editores já afirmaram que revistas vendem mais quando a cor vermelha é predominante, porém depende da matéria que for publicada, no caso de mortes, ataques a cor deve estar sempre adequada a informação transmitida.

Revista Época sobre a discriminação contra homossexuais. A cor é um componente importante como a imagem e a informação, ela sempre é planejada quando uma matéria jornalística é visualizada, na imagem acima o vermelho representa sangue, algo ruim e em outras ela representa a sedução, o amor e o comunismo, assuntos distintos com a mesma cor, o estudioso no assunto, Luciano Guimarães, justifica que quando uma cor aborda temas diferentes esta relacionado a aspectos culturais. A diretora de arte da revista recreio, Cacau Tyla, diz que as cores da revista e no jornalismo esta sempre comunicando algo. A utilização da cor com a publicação da noticia é responsabilidade do designer e do jornalista na matéria, as cores não podem ser destaques em um noticiário, o jornalista tem a responsabilidade de conhecer as necessidades do seu leitor. 4. A COR E AS CULTURAS Em cada cultura as cores tem um símbolo. A paixão é vermelha, a escuridão/morte é preta em pelo menos 5 culturas diferentes. Mas o vermelho pode também significar raiva, sangue, ódio, assim como o preto pode significar estilo, luto, tristeza, maldade.

Algumas culturas podem fazer escolhas um tanto diferentes, portanto, decidi mostrar aqui uma pesquisa que mostra a escolha das cores em determinadas culturas. Na cultura Ocidental/Americana podemos ver alguns casos como Azul para Liberdade, vermelho para coragem, branco para pureza, preto para luto e azul para tranquilidade. Já na cultura Sul-Americana podemos ver alguns casos bem inusitados, como Lilás para luto, Verde para morte, vermelho para sucesso e azul para problema. Curiosidades de algumas cores e suas culturas : Vermelho - No Japão, crianças com catapora são mantidas em um quarto totalmente vermelho, vestidas com roupas vermelhas para apressar o processo de cura. É também um sinal de ódio e de energia que deu errado e resultou em crueldade, tendo por isto se tornado o símbolo de Satã. Por ser uma cor quente ela não é tão apreciada pela a maioria das pessoas. Pode ser usada em salas de estar, em detalhes ou para valorizar uma parede. Laranja - Em aromaterapia , o perfume da laranja é usado como calmante. Em arquitetura, o tom desperta o apetite e a ajuda a amenizar a dificuldade de comunicação. Traz aconchego, as pessoas que entram num ambiente com tons alaranjados tendem a se sentir acolhidas. Amarelo - Os corpos dos aborígines australianos são pintados com ocre amarelo nas cerimônias funerárias. Na Idade Média tanto Judas como o Diabo eram representados vestidos de amarelo. A amarelo-ouro é o símbolo do Sol, significando o poder e a bondade de Deus, a auréola dos santos é dourada para mostrar a luz da vida eterna. Nos ambientes, o amarelo proporciona concentração, atenção. Verde - Devido ao seu uso nas cerimônias pagãs, o verde foi banido pelos primeiros cristãos. A cor é muito usada nos hospitais com base na crença de que esta cor ajuda o processo de recuperação da saúde. Para os muçulmanos, o verde é sagrado e simboliza a imortalidade. Aplicada nos ambientes, enseja tranquilidade, mas de forma ativa. Também provoca sensação de frescor e limpeza. Azul - No norte da Europa, por volta de 1600, um pano azul era usado no pescoço para evitar doenças. Culturas asiáticas acreditam que vestir ou carregar algo azul afasta o mau olhado. Diferente do verde, nos ambientes a cor azul provoca uma tranquilidade passiva, É um tom altamente calmante.. Leva a uma introspecção profunda sendo ideal para ambientes onde as pessoas pretendem relaxar como quartos, salas de relaxamento e

clínicas. Violeta - Tom especialmente sagrado para as culturas romanas e egípcias nas figuras de Júpiter e Osíris. Associa-se às dimensões sagradas, justiça, diligência, nobreza de espírito, pensamento religioso, idade avançada e inspiração. Suas várias matizes representam sofisticação e denotam espiritualidade. Gráfico das cores e culturas abaixo : Em cada cultura, dependendo de sua religião, sua opinião sobre a politica e a sua interpretação de determinada cor, você será atingido de maneira diferente. Como vimos acima, o que em um cultura significa tranquilidade, na outra significa problema ou perigo. Assim, concluímos que a cor, com a ajuda da noticia, ajuda a persuadir o leitor a ter uma opinião da reportagem no jornal; uma simples mudança de cor pode alterar completamente um ambiente, o humor de uma pessoa ou uma ação.

5. A NATUREZA DINÂMICA Aquilo que se entende por natureza dinâmica diz respeito ao estudo mais profundo no uso das cores em todas as culturas, diferenciando umas das outras por sua insistência em permanecerem “puras”, pois seu objetivo final é a estrutura permanecer intacta ou a miscigenação da cultura, raças e religiões como, por exemplo, o Brasil que por sua vez tem as cores indígenas, barrocas, a língua portuguesa, mas algumas famílias de imigrantes italianos, alemães, espanhóis, japoneses, chineses trouxeram para cá, suas culinárias e linguagem, a religiosidade de nossos colonos, e a cultura africana entre outras, dão o tempero necessário para que o nosso país seja mais um miscigenado. Sem contar que todas essas misturas deram ao Brasil cores novas para suas próprias festas populares e ao nosso mundialmente famoso futebol. A mídia influencia muito nesse aspecto, pois, oferece em suas redes de televisão, em jornais impressos, toda a magia que as cores proporcionam ao espectador e aos leitores, para que chamem a atenção deles para o que é noticiado ou até mesmo nas propagandas. Voltando as festas populares, não há dúvidas que o carnaval é uma das mais belas comemorações brasileiras, que além de ser uma atração para o publico regional (misturando todas as raças, cores, crenças, sexos, faixas etárias, etnias etc.) também abre suas portas para estrangeiros, para que conheçam como o povo brasileiro além de alegre e colorido, é hospitaleiro independentemente de qualquer diferença. As cores muitas vezes participam da construção da notícia; o vermelho mostra o sangue, o preto o luto, o roxo a morte etc. dependendo de como são colocadas, as cores podem dar um sentido contrário do que se imagina. As cores podem, muitas vezes, também representar, no sentido politico, alguns partidos, e qual lado a mídia apoia, esquerda ou direita dependendo muito, também da cultura, pois, por exemplo, a China é em sua maioria, comunista, onde entra por sua vez, a cor vermelha. Quando se trata da mídia em relação ás cores, não há nenhuma dúvida de que há um certo “exagero” em seu uso , mas que no momento certo, elas vem a tona e trazem ás pessoas as informações, os fatos, os lugares e os envolvidos nas notícias.

Add a comment

Related presentations

Related pages

Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em ...

O REPERTÓRIO DINÂMICO DAS CORES NA MÍDIA1 Produção de sentido no jornalismo visual Luciano Guimarães2 ... repertório para uso das cores na mídia.
Read more

DESCRIÇÃO DE UM MODELO PARA ANÁLISE E APLICAÇÃO DAS CORES ...

APLICAÇÃO DAS CORES NA MÍDIA ... o repertório do universo das cores, ... estipula que ele será necessariamente dinâmico, ...
Read more

_>GT Produção de Sentido nas Mídias - unicap.br

O REPERTÓRIO DINÂMICO DAS CORES NA MÍDIA ... das características do modelo teórico elaborado para a análise e produção das cores na mídia.
Read more

Violência e Morte Nas Capas Dos Jornais Agora São Paulo e ...

... artigo tem como meta entender a linguagem das imagens sobre violência e morte na mídia. ... O repertório dinâmico das cores na mídia: ...
Read more

Semiótica – Wikipédia, a enciclopédia livre

Repertório; Ruído; ... Na vertente europeia o signo ... e o objeto dinâmico em si; o signo icónico refere o objecto que denota na medida em que ...
Read more

A COR DO INFINITO E A BELEZA INATINGÍVEL: sobre a função ...

... da religião, da arte, da mídia, dos objetos ... de um repertório ... Como pode ser observado na Tabela 1, o azul frequentemente ...
Read more