O Despertar – 8283 – 12.03.2004

50 %
50 %
Information about O Despertar – 8283 – 12.03.2004

Published on February 29, 2008

Author: dmpa

Source: slideshare.net

Description

Versão integral da edição n.º 8283 do semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Ao tempo dirigido por Artur Almeida e Sousa. Edição que regista a passagem do até então bi-semanário para semanário. Jornal fundado em 1917. 12.03.2004.

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt ,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

70 marcas de excelência à sua disposição. Visite-nos! COBRIAGEM – NIQUELAGEM CROMAGEM – ZINCAGEM SERRALHARIA CIVIL SOLDADURAS A ELECTROGÉNEO AUTOGÉNEO E ALUMÍNIO REPARAÇÃO DE JANTES EM FERRO E ALUMÍNIO Director: Artur Almeida e Sousa INSTALAÇÕES PRÓPRIAS: FUNDADO EM 1917 RELVINHA SEMANÁRIO REPUBLICANO INDEPENDENTE PORTE PAGO Telef. e Fax: 239 825 294 3020-365 COIMBRA Sexta feira • 12 de Março de 2004 • Ano 87 • N.º 8283 – 0,50 Gouveia Monteiro quer Editorial HOJE É O PRIMEIRO DIA “revolucionar” habitação DO RESTO DA NOSSA VIDA “O DESPERTAR” É O NOVO SEMANÁRIO DAS SEXTAS FEIRAS Os jornais de âmbito regional confrontam-se, hoje por hoje, com uma crise sem precedentes, em resultado de um conjunto simultâneo de factores críticos: subida do preço de papel e demais matérias primas; imposição do Porte Pago; decréscimo acentuado de assinantes; e diminuição significativa das receitas publicitárias. Podemos dizer, com verdade e sem demagogia, que “O Despertar”, o mais antigo jornal de Coimbra, não foge às conse- quências da multiplicidade de medidas que, nos últimos anos, têm prejudicado gravemente os Órgãos de Comunicação Social da Imprensa Regional. “António de Sousa (Herdeiros), Limitada”, a empresa pro- prietária de “O Despertar”, sempre soube que a antiguidade não é respeitada, a dignidade não é valorizada, a modéstia não é reconhecida, o serviço prestado a Coimbra - Cidade, Concelho, Distrito e Região - ou é minimizado ou é ignorado. Após 87 anos de existência, “O Despertar” e a sua sobre- vivência estão inequivocamente ameaçados. É que temos rein- cindido no “vermelho”. Por isso e de novo, o Jornal encontra-se nas mãos dos seus assinantes, leitores, anunciantes, colaborado- res e amigos. Contra ventos e marés, temos aguentado o barco. Com honra e com dignidade. Sem esquecermos os princípios orientadores que nos foram legados. Apesar das ondas gigantescas (e ines- peradas) que têm aumentado as nossas dificuldades de marear. Páginas 8 e 9 Mas atingimos, nesta fase, o limite da nossa sobrevivência económico-financeira. Não podemos mais publicar esta voz, tão plural quanto forte, tão republicana quanto independente, duas Olivais Futebol Clube vezes por semana, num total médio de 90 edições por ano. Importa pois adequar os custos globais de produção às receitas globais do Jornal. Sem tergiversar. Que se percam os anéis 69 anos de história mas que se salvem os dedos. Daí que outra solução não nos resta se não passarmos a semanário. A sair às sextas feiras. Com 16 páginas, no mínimo. e tradição desportiva Mantendo o preço da assinatura e a tabela de inserção Página 5 Continua na Última Página

2 COIMBRA Freguesias Mário Nunes assume “chumbo” Necrologia ALBERTO CARV ALHO DA COS- de Sousa Mendes na toponímia TA JANEIRO faleceu com 62 anos. Casado com Maria Adelaide Caldeira, era natural de Ribeira de Frades, contrariando as ordens do ditador e investigador da resistência ao Estado Coimbra, onde residia. O vereador da Cultura da Salazar, salvou da morte 30 mil pessoas, Novo, deu como exemplos D. Luís da ANTÓNIO MARTINS DE AL- Câmara de Coimbra e entre as quais 10 mil judeus perseguidos Cunha (que teve acção determinante na MEIDA faleceu com 87 anos. Solteiro, presidente da Comissão de pelos nazis alemães, durante a II reforma pombalina da Universidade de era natural de Ribeira de Pena e residia Toponímia (CT) assumiu a Guerra Mundial. Coimbra) e Egas Moniz, Prémio Nobel em Ribeira de Frades, Coimbra. A decisão de responder negativa- da Medicina, que viveu na cidade Carlos Clemente responsabilidade pela não mente a Reis Torgal foi tomada pessoal- enquanto estudante da UC e cujo nome ANTÓNIO DAS NEVES SOARES faleceu com 75 anos. Viúvo, era natural atribuição do nome de mente por Mário Nunes, que para o “regressou” no sábado a um arrua- Freguesia de S. Bartolomeu de S. Paulo de Frades e residia em Aristides Sousa Mendes a efeito ouviu apenas a secretária da mento local. Brasfemes, Coimbra. Qual é a sua principal preo- uma rua da cidade. Comissão de Toponímia, funcionária da Os republicanos Miguel Bombarda HORÁCIO GODINHO PIRES fale- cupação enquanto presidente Casa Municipal da Cultura. e Cândido dos Reis são outras das ceu com 56 anos. Solteiro, era natural de da Junta? Ouvido pela agência Lusa, Mário O vereador da Cultura reconheceu figuras históricas sem ligação directa a Aljustrel e residia em Coimbra. A limpeza e a segurança são as minhas Nunes disse que a comissão poderá que o assunto não chegou a ser analisado Coimbra, mas contempladas na topo- ainda rever a decisão, “logo que existam pela comissão, que integra 13 membros nímia da cidade. JOSÉ AUGUSTO SANTA RODRI- grandes preocupações. Já se fez alguma GUES faleceu com 82 anos. Casado com coisa, mas continuam a não estar bem. ruas disponíveis na cidade”. em representação de diferentes insti- Na carta enviada a Reis Torgal a A falta de limpeza é evidente e as Por seu turno, o presidente da tuições. 18 de Fevereiro, Mário Nunes justifi- Cacilda da Silva Simões, era natural de entidades competentes têm que se Câmara, Carlos Encarnação, frisando O vereador deu, assim, razão ao cou a decisão: “Apesar de reconhe- S. Martinho do Bispo, onde também mentalizar que a Baixa não é apenas que a comissão, reactivada no seu advogado Alberto Vilaça, membro da cermos o grande valor humanitário de residia, e sócio das empresas Ruf Centro algumas ruas. A nível de segurança, as mandato, é um “órgão independente e Comissão de Toponímia, que garantiu Aristides Sousa Mendes, a atribuição e Rufeconta. pessoas continuam a sentir-se muito com composição plural”, disse que não à Lusa que o “chumbo” do nome de Sou- do topónimo a uma rua de Coimbra não MANUEL MARIA GONÇAL VES inseguras e penso que esta questão tem pretendia ser envolvido nesta polémica. sa Mendes não foi da responsabilida- é de considerar, atendendo a que se trata faleceu. Casado com Alice Pascoal, era que ser resolvida. A repavimentação e A recusa de Mário Nunes de de daquele órgão. de uma figura com papel pouco prepon- natural de Lamarosa e residia em Casais requalificação da Rua Corpo de Deus atribuir o nome de Aristides Sousa Men- O advogado disse ainda que derante na vida da cidade, onde apenas de V Cruz, Coimbra. era também é uma prioridade e as ruas têm des a uma rua de Coimbra, noticiada apoiaria a consagração do cônsul da se licenciou”, escreveu. MANUEL DE SOUSA faleceu com que ser tratadas todas da mesma forma. na semana passada como decisão do toponímia de Coimbra, caso a proposta Mário Nunes disse na semana 59 anos. Solteiro, era natural de Coimbra colectivo da CT, foi comunicada por fosse apresentada em reunião da CT. passada que a sua decisão, entretanto e residia na Portela da Cobiça. Dos objectivos que no início do escrito ao proponente da homenagem Na sua opinião, a falta de novas criticada por familiares de Aristides mandato gostaria de concreti- MARIA DEOLINDA RODRIGUES ao antigo cônsul de Bordéus, o histo- artérias para “baptizar” constitui uma Sousa Mendes, falecido há 50 anos, “foi GOUVEIA faleceu com 95 anos. zar quais os alcançados? tomada como vereador e não como Penso que dos propostos, 90 por cento riador Luís Reis Torgal, coordenador “afirmação falaciosa”. “Basta percor- Casada, era natural de Oliveira do foram alcançados. Faltam apenas 10 científico do Centro de Estudos Inter- rer as ruas da cidade para ver que a to- presidente da Comissão de Toponímia”. Hospital e residia em Coimbra. por cento, que se prendem com esta falha disciplinares do Século XX (CEIS 20), ponímia não tem consagradas apenas A CT não funcionou durante mais ZULMIRA FERREIRA DE AS- imperdoável na Rua Corpo de Deus. da Universidade de Coimbra (UC). pessoas ligadas a Coimbra”, afirmou. de uma década e foi reactivada pelo actual CENSÃO faleceu com 81 anos. Viúva, O diplomata português, natural de Alberto Vilaça, um dos mais executivo municipal, liderado pelo so- era natural de Portunhos e residia em E os que estão por realizar? Cabanas de Viriato, Carregal do Sal, antigos militantes do PCP de Coimbra cial-democrata Carlos Encarnação. Pena. Com a requalificação da Rua Corpo de Deus, que dá acesso à zona histórica e que está num estado calamitoso, os nha encontraremos uma situação com- gosto que permitiu ter acabado com uma objectivos propostos ficariam concre- Falando de Ceira... e não só! João Baptista pletamente diferente, produto, por certo, lixeira para transformar tudo num local tizados na totalidade. Obviamente que duma gestão adequada em todos os níveis aprazível já que o bom gosto no arranjo depois teríamos todo um trabalho de Grupo Folclórico de actividade. das zonas públicas adjacentes feito a manutenção, mas julgo que se se da Casa do Povo CPT do Sobral Mas em Ceira encontramos um expensas da ‘Terceira” transmite uma resolvesse o problema desta rua tería- Durante as mais de quatro décadas de Está marcada para o próximo dia 28, pelas exemplo, como ainda há alguns felizmente, ideia de arranjo e limpeza que nunca será mos os nossos objectivos cumpridos. vida tem este agrupamento graças ao seu 15 horas, uma assembleia geral ordinária que são oásis neste clima de crise que se de mais registar. inegável valor artístico levado as nossas com a ordem de trabalhos seguinte: vive por Portugal fora. A alma desta empresa é um jovem Porquê? danças e cantares aos mais diversos locais l . Leitura discussão e votação da Estamos a referir-nos à empresa de menos de 40 anos, nascido e criado Penso que ainda não foi conseguido por tanto nacionais como estrangeiros. acta da assembleia anterior. “Ferceira” que há cerca de dez anos iniciou nesta freguesia, que nela tem as suas questões estratégicas municipais. A obra A linha de orientação traçada desde 2. Leitura, discussão e votação do a sua vida comercial dedicando-se espe- origens familiares e que consegue juntar o chegou a estar cabimentada penso que inicio vem-se aperfeiçoando progressiva- relatório e contas de gerência de 2003. cialmente à venda de produtos destinados êxito comercial a um exemplar desejo de com 30 mil euros, em 2003 foi tirada do mente e a sua actividade constitui um im- 3. Informações. à construção civil. contribuir para o alindamento da sua plano de actividades da Câmara e este portante meio de divulgação duma cultura Paulatinamente, passo a passo, terra. ano voltou a ser inserida com mil euros. genuína de que todos os ceirenses se As nossas empresas numa orientação sensata, foi progredindo Quem nos conhece sabe que não nos orgulham. É sobejamente conhecida a crise porque dia a dia e do acanhado compartimento move qualquer intuito ou interesse pu- Qual a principal dificuldade da Dentro deste desejo de manter vivas passa a indústria e o comércio nacionais. inicial dispõe hoje de amplas instalações blicitário neste apontamento. Quem nos sua autarquia? tradições que fizeram parte do dia a dia Factores da mais variada natureza tem num prédio de cinco pisos onde para além conhece sabe que gostamos muito desta Não temos tido grandes dificuldades. dos nossos antepassados este agrupa- levado à falência de empresas por todo o dum magnifico espaço para atendimento terra. Que por ela nos batemos na defesa Não tem sido difícil chegar às pessoas. mento está actualmente a proceder, tal País enchendo os órgãos de comunicação há outros para exposição dos produtos das suas carências. Mas que igualmente Tem havido um bom diálogo e entendi- como já tem feito em anos anteriores, é de noticias alarmantes muito especial- que comercializa, para reuniões sócio não fugimos em deixar nas paginas deste mento com a autarquia. O único ‘senão’ reposição do “ Canto das Almas “, acção mente pelo consequente aumento de culturais abertas a todos os interessados velhinho jornal a referência a tudo aquilo são as situações que vão surgindo, que que se diz originária das terras de desemprego a atingir números assusta- com o fim de discutir e viver os problemas que, por espirito de justiça, nos parece dependem de outras entidades, como Almalaguês , e que tem por objectivo pedir dores. da freguesia, salas para exposições , numa dever ser posto em relevo. a questão do lixo. Nós alertamos a pelas almas do purgatório e obter Vive-se uma crise evidente cujas das quais bem recentemente esteve uma Parabéns José Luís pela devoção e autarquia, que por sua vez alerta a donativos que serão aplicados no paga- origens estarão, possivelmente, numa de arranjos florais que suscitou o interesse pertinácia com que lutas pela vida e pelo ERSUC. Ao que me parece, é esta mento da celebração de missas pelas inadequada actividade governamental que de considerável número de pessoas. progresso da tua terra. Que os actuais 15 ligação que não está a funcionar muito mesmas almas. ao longo dos últimos vinte anos não terá Anexo a este edifício moderno existe postos de trabalho possam vir a aumentar bem. Eu sinto essa mágoa, porque me Assim estiveram presentes nos sabido encontrar o antídoto para uma um espaço indispensável para o armaze- o que se traduzirá inevitavelmente no sinto incapaz de resolver este problema, lugares das Lagoas e Tapada no dia 7 e situação progressivamente agravada. namento de materiais mas tudo construído desenvolvimento adequado de que fre- que não depende de nós. estarão no Cabouco no próximo dia 21. Se olharmos para a vizinha Espa- segundo um esquema de flagrante bom guesia de Ceira tanto precisa. Qual a obra mais importante do seu mandato? JESUS CRISTO É O SALVADOR A remodelação da Escola de S. Barto- lomeu foi a obra mais emblemática. Mas devo destacar também a instalação da IMOBILIÁRIA PATROCÍNlO TAVARES, S. A. “Crê no Senhor Jesus Cristo e “Quem crer e for baptizado será Junta e do Jardim de Infância, que não serás salvo, tu e a tua casa”. salvo; Quem não crer será existia. A requalificação da Baixa, – CONSTRUÇÃO CIVIL Actos 16:31 condenado”. nomeadamente do Largo do Romal, – COMPRA, VENDA DE PROPRIEDADES S. Marcos 16:16 conseguida com o apoio da Câmara, Rua da Sofia, 175 C 3000 COIMBRA também foi uma obra muito importante. Tels . 2 39 854 730 Fax 239 854 735 Roga-Lhe - F. R. Santos Redacção e Administração: Denominação Social: Oficinas Gráficas: Rua Pedro Roxa, 7-1.º ANTÓNIO DE SOUSA (HERDEIROS), LDA. Rua Pedro Roxa, 27 a 31 Composição, Montagem e Tel. 239 85 27 10/11/12 - Fax 239 852 719 Contrib. N.º 502 137 258 - Cap. Social: 7.481,97 Euros Tel. 239 85 27 10/11/12 Impressão nas Oficinas SEMANÁRIO Gerência: Gráficas de “O Despertar” Jornalistas: Fax 239 85 27 19 (Sai às sextas feiras) Artur Almeida e Sousa; Lúcia Maria Sousa Correia Tiragem média no mês de Artur Almeida e Sousa - CP n.º TE-628 Fevereiro 21.000 Exemplares Número de Registo 100117 Zilda Monteiro - CP n.º 7937 e José Carlos Antunes Email: despertar@netc.pt 2/03/04

COIMBRA 3 Fausto Correia quer ser Coimbra Polis já mexe no Verão candidato à Câmara Bares e animação mudam O deputado socialista “Respeito demasiado os órgãos do PS para poder di- minuí-los ou menorizá-los”, peu, para o qual espera ser eleito no sufrágio de Junho. No domingo, limitou-se a margem direita do Mondego Fausto Correia disse, para sublinhar que cabe afirmar: “não nos doa a cabeça” Numa plataforma de ma- nação, ao ser questionado sobre reafirmou, no domingo, ao partido aceitar ou não a sua até Outubro de 2005, con- Bares, esplanadas, deira junto ao Rio surgirão um eventual contacto do Minis- candidatura e marcar a data da siderando, no entanto, que todos restaurantes, espaços esplanadas de bares e restau- tério em relação a esta maté- a vontade de concorrer sua apresentação. os “timings” em jogo “são per- de animação cultural, rantes que se vão instalar nos ria. à Câmara de Coimbra, Fausto Correia, número feitamente conciliáveis”. módulos já construídos, e cujo De acordo com o autarca, um recinto para em 2005, embora oito da lista do PS ao Parla- “A palavra ‘derrota’ não concurso público para explo- “do ponto de vista da pro- recusando transformar mento Europeu, acrescentou que figura no meu léxico pessoal e espectáculos e percursos para peões e ração foi aprovado segunda- gramação, as prioridades do a sua candidatura num “a escolha de candidatos autár- político. O meu trabalho político feira pelo executivo camará- Polis mantém-se até ao ano que projecto pessoal à quicos obedece a regras precisas imediato é participar activa- bicicletas prometem rio. vem”. estatutariamente definidas”. mente na pugna eleitoral euro- mudar, a partir do Também a parte superior “Não temos informação. margem dos órgãos Na semana passada, na peia, para que o PS vença a Verão, a margem dos módulos poderá acolher Os projectos estão prontos, as do PS. reunião da Comissão Política coligação de direita (PSD/CDS- PP)”, acentuou. direita do Rio Mondego esplanadas, enquanto uma esca- candidaturas aos fundos comu- Nacional do PS, aquele dirigente, “Ninguém pode fazer de de acordo com outros membros Além de deputado à As- em Coimbra, no âmbito daria ao fundo do parque Dr. nitários feitas podem ser lan- uma candidatura do PS a uma daquele órgão do partido, disse sembleia da República, Fausto do programa Polis. Manuel Braga se encontra apta çados”, adiantou o vereador qualquer autarquia um acto ter já assumido o “compromisso” Correia é presidente da As- a funcionar como um anfiteatro João Rebelo. isolado”, declarou Fausto Cor- interno de voltar a ser candidato sembleia Municipal de Miranda Estes equipamentos inte- para espectáculos. Este autarca revelou que reia à agência Lusa, frisando que pelo Círculo de Coimbra às do Corvo, cujo mandato pre- gram a terceira fase do Projecto Percursos pedonais e ciclo- está pronto o lançamento da o seu projecto para conquistar legislativas de 2006, caso não tende concluir, em coabitação de Reabilitação e Requalificação vias articulam-se com a alameda primeira e da segunda fase do a presidência da Câmara de vencesse as autárquicas de 2005. com um executivo presidido pela Urbana (Polis) de Coimbra, central do parque, enquanto Polis, bem como da ponte pedonal Coimbra “está apenas, ainda, no Abandonaria, então, em social-democrata Fátima Ra- apresentada na terça feira pontões sobre o leito do Rio que ligará as duas margens do domínio das intenções”. definitivo o Parlamento Euro- mos. durante uma visita ao local e que permitem a prática da pesca. Mondego. deverá estar concluída no Ve- Representando um inves- Ambas na margem esquer- rão. timento da ordem dos 3,9 milhões da, estas fases da obra consis- Águas de Coimbra O espaço abrangido por de euros, esta é a fase mais tem, respectivamente, em inter- esta fase situa-se entre o Parque avançada do Polis de Coim- venções na Praça da Canção e Dr. Manuel Braga e o Pavilhão bra. na localização de equipamentos Centro de Portugal e encontra- O presidente da Câmara de de apoio aos desportos náuticos e sindicato assinam acordo Embora mantendo o vínculo no saneamento ou em condutas se “praticamente concluído”, prevendo-se que abra logo que os vários relvados se encontrem Coimbra, Carlos Encarnação, disse aos jornalistas desco- nhecer se o adiamento do Polis e a visitantes ocasionais. Um parecer do Instituto da Água pedindo esclarecimentos à administração pública local, os de água, recebem mais 10 ou cinco consolidados, afirmou aos jor- em alguns concelhos - anunciado sobre os cálculos do projecto da O Sindicato dos segunda-feira pelo ministro do ponte para pões numa situação cerca de 380 trabalhadores da por cento. nalistas o vereador da Câmara Trabalhadores da de Coimbra, João Rebelo, du- Ambiente - inclui ou não o seu de cheia foi desdramatizado por Águas de Coimbra, juridicamente Com a assinatura deste Administração Pública requisitados à Câmara Muni- acordo da empresa, a massa glo- rante uma deslocação que ante- município. João Rebelo, que adiantou que (SINTAP) e a Águas de cipal, passam a sujeitar-se a um bal dos salários sofre um agra- cedeu a reunião da Comissão “Não faço ideia nenhuma, os projectistas “têm respostas Coimbra assinaram, na novo regime, que ambas as partes vamento (aumento) de cerca de Local de Acompanhamento do ninguém falou comigo sobre para as questões” levantadas pelo terça feira, um acordo classificaram de bom. 10 por cento, um montante a ron- Polis. isso”, afirmou Carlos Encar- INAG. de empresa, o primeiro Segundo Horácio Pina Pra- dar os 400 mil euros, explicou em Portugal subscrito ta, presidente do conselho de Horácio Pina Prata. administração da empresa e vice- Uma particularidade deste Efeméride sacrifícios aos seus munícipes, entre uma empresa presidente da autarquia, entre as acordo de empresa é de que a mas daí até lhe tirar uma re- municipal e uma inovações introduzidas no docu- duração semanal do trabalho é galia que sempre disfrutou há mento destacam-se os subsídios de 40 horas, mas, segundo o A Cidade às escuras organização sindical. uma enorme distância, tanto de insalubridade, flexibilidade, sindicato, só abrangerá aqueles mais por se saber que a Câmara Classificado de “histórico” assiduidade, polivalência e de com contrato individual de tra- compra a energia eléctrica a pelas partes signatárias, o docu- refeição. balho, porque os restantes cum- Está-se tornando bastante veniente o mau piso das cal- pouco mais de 40 centavos e a mento de concertação introduz Se durante o mês o traba- prirão apenas as 35 horas, co- notada a falta de iluminação nas çadas, cheias de covas e buracos, vende ao consumidor à razão diversas inovações, criando cer- lhador não faltar é premiado com muns a qualquer trabalhador da ruas da cidade, principalmente e vejam-se as dificuldades que de 2$50, ou seja um lucro tas obrigações e contrapartidas um suplemento remuneratório de administração pública. nas do Bairro Alto, onde as sofrem os transeuntes com a aproximado de 600 por cento! monetárias, para tornar viável a 10 euros, os que tiverem isenção Nobre dos Santos, secre- lampadas se acendem perto das falta de iluminação pública. transformação de relações labo- de horário ganham mais oito por tário-geral do SINTAP, referiu na 20 horas. Admitimos que a Câmara rais típicas da administração cento do salário, e nos dias em sessão o acordo traz benefícios Junte-se a este incon- se veja na necessidade de impôr 13 de Março de 1935 pública para uma gestão empres- que trabalharem em determi- aos trabalhadores e à entidade arial. nadas condições de insalubridade, empregadora. O que pensa do atraso nas obras da Ponte Europa?... “Sinceramente, não estou bem ao cor- “Penso que é uma consequência do sis- “Acho que deve haver ali algum erro e “O actual estado das obras da ponte “Acho que é um caso complicado. Às rente disso, mas acho que está mesmo tema. Infelizmente as nossas adminis- julgo sinceramente que não deve ser Europa testemunham bem o actual es- vezes são problemas muito compli- muito atrasado. Acho que já devia trações públicas são sempre peritas em muito segura, porque logo no início caíu tado do país. É igual, é o mesmo atraso cados de resolver. Mas julgo que é estar pronto e espero que, com um deixar atrasar tudo, não só por culpa um pouco do tabuleiro. Eu não entendo em tudo.” desta vez que vai tudo correr bem”. bocado de esforço esteja concluída a do empreiteiro mas também por falta muito de obras, mas esta não me deixa tempo do Euro’2004.” de fiscalização atempada”. muito segura.” Teresa Duarte Samuel Leandro Fernanda Cardoso Paulo Santos Palmira Marques 25 anos, Cabeleireira 70 anos, Reformado 27 anos, Emp. Balcão 35 anos, Técn. Segurança 44 anos, Func. Pública 12/03/04

4 REGIONAL Autarquia de Miranda do Corvo homenageia símbolos do concelho Monumento aos viveiristas e à chanfana em Semide Armando Martinez, vai ser implantado económica mais importante na freguesia Até finais do século XIX, todos que já não lhes davam o precioso leite, Um monumento de no centro de Semide, num espaço de Semide. os agricultores e rendeiros eram obriga- nem se reproduziam. Como as freiras homenagem aos viveiristas preparado para o efeito, esperando a A chanfana também tem a sua dos ao pagamento dos foros. não tinham disponibilidade nem meios autarquia que a criatividade do artista origem nesta freguesia, constituindo Assim, o Mosteiro recebia dos para manter tão grande rebanho, desco- e à chanfana vai ser faça “a devida justiça a estes dois pólos importantes deste prato po- moradores do seu couto, os foros a que briram uma fórmula para cozinhar e implantado no centro símbolos do concelho” – a actividade voações como o Senhor da Serra, Chãs, estavam obrigados. Galinhas, vinho, conservar a respectiva carne, apro- de Semide. Com esta viveirista e o mais típico prato gastro- Vale de Colmeias, entre outros. azeite, dias de trabalho, cabras e veitando o vinho que lhes era entregue iniciativa, a Câmara nómico do concelho. Segundo elementos históricos, a ovelhas eram algumas das formas de pelos rendeiros, o louro que tinham na Municipal de Miranda Recorde-se que a actividade chanfana terá surgido no Mosteiro de pagamento. Durante o mês de Agosto e sua quinta, bem como os alhos e demais viveirista é extremamente importante Semide, instituição religiosa pertencente até ao dia de S. Mateus, as freiras de ingredientes. do Corpo pretende “fazer não só ao nível da riqueza criada por actualmente à freguesia de Semide, Semide recebiam as suas “rendas”. A chanfana, os negalhos e a sopa justiça a estes dois símbolos cada um dos viveiristas, mas também generalizando-se o seu consumo após a Muitos dos moradores, porque de casamento acabaram por se trans- do concelho”. pelo facto de se encontrarem na mesma terceira Invasão Francesa, apoiada eram pastores, pagavam com cabras e formar assim nos principais pratos região onde se encontra a maioria dos numa região com tradição na produ- ovelhas. gastronómicos desta região e, pelos seus O monumento escultórico, uma arboricultores do país. ção vinícola e com uma indústria Os foreiros, compreensivelmente, sabores ímpares, continuam ainda hoje obra que vai ser elaborada pelo galego Trata-se talvez da actividade de transformação de barro já ancestral. libertavam-se dos animais mais velhos a fazer as delícias das populações. Montemor-o-Velho Toxicodependência em Poiares Câmara e orizicultores criticam Autarquia aposta Ministério da Agricultura na prevenção local O presidente da Câmara Combater a de Montemor-o-Velho toxicodependência no e o responsável da concelho é uma das Associação de Orizicultores preocupações da autarquia de Portugal criticaram, de Vila Nova de Poiares que, na semana passada, nesse sentido, mantém um a política do Ministério protocolo com o Instituto de da Agricultura para o Droga e da escoamento da produção Toxicodependência. agrícola e pelo atraso do projecto hidro-agrícola Este acordo, com duração até 30 do Baixo Mondego. de Abril mas renovável por mais um ano, traduz-se no Plano Municipal de Os dois responsáveis falavam no Prevenção Primária das Toxicode- encerramento do II Congresso de pendências de Vila Nova de Poiares. Orizicultores do Baixo Mondego, em De acordo com uma nota enviada pela Montemor-o-Velho, que foi presidido autarquia, trata-se de um instrumento dos jovens em situação de abandono pelo secretário de Estado da Agricul- de acção que possibilita a “colaboração, escolar, enquanto que o projecto apoia- tura, Bianchi de Aguiar. articulação, planeamento e execução de do pela CJFA, intitulado “Olhares”, Na intervenção, o presidente da Luís Leal pediu ao secretário de Estado que fosse “mensageiro” da intervenções adequadas aos problemas procura chegar mais ao meio escolar. Associação de Orizicultores de Portugal autarquia sobre a situação da obra hidro-agrícola do Baixo Mondego locais”. No projecto “Asas para voar” são (AOP), Carlos Laranjeira, contestou Para dar resposta a estes pro- desenvolvidas várias actividades que “Se a lei está mal, vamos alterá- Já em resposta às questões le- permitem a dinamização de atelier’s onde a “falta de resposta” do Ministério da la” apelou, ao criticar a inexistência de vantadas por Carlos Laranjeira, o se- blemas, a autarquia tem procurado Agricultura ao problema do escoamento estabelecer parcerias com entidades os jovens podem desenvolver com- um laboratório credenciado para fazer cretário de Estado rejeitou as acusações petências a vários níveis, como com- da produção, que afecta os agricultores análises físicas ao arroz. feitas ao Ministério da Agricultura, locais, de forma a desenvolverem do arroz. projectos capazes de identificar os petências pessoais, parentais, relacio- “O que existe funciona de acordo nomeadamente a de “imobilismo”. namento intrafamiliar e comunitário. “Como é possível demorar meses com as indústrias, que aceitam as Sobre o escoamento da produção, pontos fortes e fracos do fenómeno da para resolver uma situação que demo- toxicodependência a nível local. No âmbito do segundo projecto, análises efectuadas”, disse. divulgou dados que apontam para um está marcada para amanhã a realização raria 15 dias”, questionou. Já o presidente da Câmara, Luís valor total de “nove mil toneladas que Este projecto é coordenado pela “Estamos a 30 dias de voltar a autarquia e incorpora dois projectos de uma acção de formação, subordinada Leal, pediu ao secretário de Estado da não estão comprometidas (não escoa- ao tema “Estratégias de prevenção e semear e não temos a situação de 2003 Agricultura que fosse “mensageiro” da das) 15 por cento das quais, cerca de que, com o apoio da Associação de resolvida”, acrescentou. Desenvolvimento Integrado de Poiares intervenção”. Os atelier’s decorrem nor- autarquia sobre a situação da obra 1.400 toneladas, no Mondego”. malmente às quartas feiras à tarde e O presidente da AOP apelou ainda hidro-agrícola do Baixo Mondego. “Mas o escoamento do produto é (ADIP) e da Comunidade Juvenil de S. a “outro ritmo” do Ministério da Agri- Francisco de Assis (CJF colocam no A), durante as férias escolares e abordam “Não compreendo que, em algu- um problema do mercado” sustentou. temáticas como a informática, a ele- cultura na resposta às reivindicações mas circunstâncias, haja tanta pressa Quanto à questão das análises terreno diversas acções com o intuito dos orizicultores. de fazer chegar a toda a população ju- ctricidade, a mecânica, o artesanato e a para se conseguir fazer, por exemplo, a laboratoriais ao arroz, Bianchi de cidadania. O projecto “Olhares” prevê “É que não temos ordenado ao fim Expo 98 ou o Euro 2004, e se ande há Aguiar referiu-se apenas a um caso venil os objectivos deste plano de pre- do mês, vivemos só da agricultura”, venção. ainda actividades para as férias da 25 anos para se concluir uma obra”, específico, o de amostras entregues para Páscoa, que irão permitir aos jovens o recordou. lamentou o autarca. análise pela Associação de Orizicul- O projecto desenvolvido pela Além das questões relacionadas ADIP denominado “Asas para voar”, , desenvolvimento de competências Em resposta a Luís Leal, o se- tores de Portugal, “onde se considerou pessoais e em grupos. com o escoamento da produção, o cretário de Estado Bianchi de Aguiar que não havia desconformidade e o procura actuar mais directamente junto presidente da AOP criticou ainda a afirmou compreender a “frustração” processo foi arquivado”. tutela por, alegadamente, deixar entrar devido à falta de celeridade de um O governante admitiu, no entanto, AGÊNCIA FUNERÁRIA em Portugal “arroz sem qualquer projecto de impacto regional. ter havido uma “omissão” dos serviços, análise”. “Não sabemos como é produzido Aos jornalistas, o governante explicou que foram feitos todos os ao não informarem que o processo tinha sido arquivado. ADELINO MARTINS, LDA. e qual a sua origem. Temos arroz agulha estudos “que estavam pendentes”. No final, o secretário de Estado O ORGULHO DE BEM SERVIR DESDE 1940 que é produzido no sul do país e merece Bianchi de Aguiar lembrou, no manifestou-se “empenhado em melhorar FUNERAIS – FLORES – TRASLADAÇÕES ser certificado e identificado, para não entanto, que a área de emparcelamento os mecanismos de comunicação” com ser confundido com o importado”. “é matéria sensível que se faz a um ritmo as entidades envolvidas. “Independen- SERVIÇO PERMANENTE Carlos Laranjeira considerou relativamente lento”. temente de haver motivos de insatisfa- Telefs. 239 824 825 - 239 820 406 ainda a legislação que certifica o arroz “É um trabalho de fundo que não ção, é com diálogo franco que as coisas como “uma aberração”. R. Corpo de Deus, 118-120 3000 COIMBRA se compadece com resultados políticos”. se podem ultrapassar”, concluiu. 2/03/04

REPORTAGEM 5 Vivências do passado recordadas nas memórias do presente Orgulha-se também do salto qualitativo que o clube tem vindo a dar desde há Olivais F. Clube: 69 anos a marcar alguns anos. “Este ano, as nossas equipas de formação – iniciados, cadetes e juniores – já começaram a ter resultados positivos. Hoje estamos a formar a história do desporto e da cidade atletas mas também estamos a ganhar. Criámos também uma equipa de ju- niores A, porque parecia-nos im- possível que atletas com alguma qua- lidade, mas acima de tudo com vontade Sessenta e nove anos de história, tradição, inovação, “garra” e muita dedicação. São estes no aumento significativo do número de de praticar desporto, não tivessem onde praticantes já que, segundo Carlos o fazer. Curiosamente fomos campeões alguns dos marcos que fazem com que o Olivais Futebol Clube não seja apenas mais um Gonçalves, cerca de 90 crianças fre- regionais e estamos a disputar a taça e, clube de basquetebol. Lado a lado com a vertente desportiva, com a competição saudável quentam actualmente o mini-basquete, se calhar, podemos até trazer alguma e com a força de vencer, caminharam, durante todo o percurso, outros valores que fazem o que começa a levantar já problemas a surpresa para Coimbra. Fizemos um deste um clube único, onde os marcos e as memórias do passado se entrecruzam com as nível do espaço e que comprova a investimento nos jovens basquete- urgência da ampliação das actuais bolistas e acabámos por ser recom- vitórias e lutas do presente. instalações. Carlos Gonçalves lamenta pensados por isso” – sublinha Carlos

Add a comment

Related presentations