advertisement

Novos Media, Nova Aprendizagem

67 %
33 %
advertisement
Information about Novos Media, Nova Aprendizagem
Education

Published on December 21, 2008

Author: adfigueiredoPT

Source: slideshare.net

Description

Apresentação de António Dias de Figueiredo na Conferência “Novo Conhecimento, Nova Aprendizagem”, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 18-19 de Outubro de 2000.
advertisement

Figueiredo, A. D. (2000). Novos Media, Nova Aprendizagem. Apresentação na Conferência “Novo Conhecimento, Nova Aprendizagem”, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 18-19 de Outubro de 2000 Novo Conhecimento / Nova Aprendizagem Novos Media Nova Aprendizagem António Dias de Figueiredo (orador convidado) UNIVERSIDADE DE COIMBRA Fundação Calouste Gulbenkian 18-19 Outubro 2000

Novos media / Nova aprendizagem NOVOS MEDIA / VELHA APRENDIZAGEM MITOS DOS NOVOS MEDIA DESAFIOS DA NOVA APRENDIZAGEM NOVA CULTURA / NOVA APRENDIZAGEM NOVOS MEDIA / NOVA APRENDIZAGEM NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 2

Novos media / Velha aprendizagem Duas caras … … ou uma jarra? NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 3

Novos media / Velha aprendizagem A realidade exterior pode ser vista De formas muito diferentes e incompatíveis … Exactamente o mesmo se pode dizer da Aprendizagem! … NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 4

Novos media / Velha aprendizagem A Educação e a Aprendizagem podem ser vistas, essencialmente, como a “transferência” de CONTEÚDOS … ou podem ser vistas como MUITO MAIS do que isso. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 5

Novos media / Velha aprendizagem A visão da Educação e da Aprendizagem como transferências de CONTEÚDOS data do século XIX Os valores então reinantes eram os de um glorioso mundo mecanizado, de acordo com os princípios do Taylorismo Ser perfeito, nesses tempos, era operar como uma máquina NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 6

Novos media / Velha aprendizagem Assim, as fábricas transformaram-se em máquinas e os trabalhadores em peças dessas máquinas NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 7

Novos media / Velha aprendizagem As escolas seguiram exactamente o mesmo modelo de “perfeição” mecaniscista … … tornando-se nas linhas de montagem na produção massificada de recursos humanos para a Sociedade Industrial filas de carteiras apresentação de conteúdos fora de contextos proliferação de disciplinas artificialmente separadas instrução de ouvir e responder campainhas a tocar de hora a hora memorização e reprodução de textos inertes “aquisição” de saberes sem aplicação visível Isolamento e competição do trabalho escolar currículos nacionais rígidos … resultaram do mesmo paradigma mecanicista NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 8

Novos media / Velha aprendizagem Os professores eram também peças mecanizadas do sistema, na sua função de executarem sem desvios programas oficiais construidos “à prova de professores”. Entretanto as metáforas da linguagem mecanicista reinante transformavam o conhecimento em produto material … – o conhecimento transformava-se em CONTEÚDO Destinado a ser “transferido” para a cabeça do aluno. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 9

Novos media / Velha aprendizagem Agora que os princípios mecanicistas do Taylorismo se tornaram obsoletos no mundo empresarial … … tecnólogos bem intencionados, mas apressadamente transformados em especialistas de educação e aprendizagem, tentam a todo custo promover o seu renascimento. Ignorando mais de cinco décadas de investigação em educação e aprendizagem, procuram construír a Sociedade da Informação com os mesmos princípios com que foi constrída, há duzentos anos, a Sociedade Industrial. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 10

Novos media / Velha aprendizagem Não há dúvida de que parte do futuro da aprendizagem com auxílio dos novos media está nos CONTEÚDOS … … mas uma parte significativa desse futuro – talvez a parte mais significativa – encontra-se nos CONTEXTOS NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 11

Novos media / Velha aprendizagem Vejamos se o seguinte CONTEÚDO de rectas paralelas… … é válido em qualquer CONTEXTO NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 12

Novos media / Velha aprendizagem O CONTEÚDO é o mesmo … … mas será que vemos o mesmo que antes? NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 13

Novos media / Velha aprendizagem Será que o CONTEXTO muda o CONTEÚDO? AUTOMÓVEL DE ALUGUER SEM CONDUTOR Excelente oferta, quilometragem ilimitada, 2000$00/dia NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 14

Novos media / Velha aprendizagem NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 15

Novos media / Velha aprendizagem À medida que a construção de saberes se torna, mais e mais, num processo de exposição a múltiplas oportunidades de aprendizagem, essa exposição torna-se em motivo crescente de sobrecarga cognitiva, e mesmo de perda de referências. Uma das principais funções da cultura é a de operar como filtro altamente selectivo na estruturação de visões do mundo e na protecção contra sobrecargas cognitivas. A solução para superar estas sobrecargas situa-se ao nível dos processos de contextualização fornecidos pela cultura. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 16

Novos media / Velha aprendizagem A compartimentação do saber torna possível compreender uma coisa de cada vez, mas simultaneamente nega contextos. Num oceano imenso de informação, aquilo a que prestamos atenção é aos contextos e, em larga medida, são os contextos que oferecem estrutura. A grande preocupação das escolas mecanicistas tem sido compartimentar o saber, em vez de fornecer contextos que permitam compreender um mundo de diversidade. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 17

Novos media / Velha aprendizagem A reconciliação entre conteúdos e contextos exige que o desenvolvimento curricular se transforme num processo de mudança cultural e afirmação de um novo paradigma. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 18

Novos media / Velha aprendizagem O grande desafio dos novos media é o de construír comunidades ricas de contexto ... … onde a aprendizagem individual e colectiva se constrói … … e onde os aprendentes assumem a responsabilidade, não só da construção do seu próprio saber … … mas também da construção de espaços de pertença onde a aprendizagem colectiva tem lugar. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 19

Mitos dos novos media BALA DE PRATA O ACESSO É TUDO FUTURO ESTÁ NOS CONTEÚDOS EVOLUIR NA CONTINUIDADE DES-ESCOLARIZAR NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 20

Mitos dos novos media BALA DE PRATA BALA DE PRATA Os novos media resolverão os principais O ACESSO É TUDO problemas da educação. FUTURO NOS CONTEÚDOS Não resolvem! Os problemas da nossa educação são EVOLUIR NA CONTINUIDADE profundos e endémicos, como atestam as comparações a DES-ESCOLARIZAR que temos sido sujeitos a nível internacional. Os novos media têm um papel a desempenhar, mas não será graças a eles que será resolvido nenhum dos problemas mais sérios. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 21

Mitos dos novos media O ACESSO É TUDO BALA DE PRATA Bastará assegurar acesso aos novos media O ACESSO É TUDO para garantir que a sua utilização educativa se torna num sucesso. FUTURO NOS CONTEÚDOS EVOLUIR NA CONTINUIDADE Não é! Está provado que o simples acesso a recursos de DES-ESCOLARIZAR informação:   Não garante que eles serão usados.   Muito menos garante que eles serão bem usados. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 22

Mitos dos novos media FUTURO ESTÁ NOS CONTEÚDOS BALA DE PRATA Se produzirmos bons conteúdos O ACESSO É TUDO educativos o sucesso está garantido. FUTURO NOS CONTEÚDOS Não está! A lógica dos conteúdos pelos conteúdos está, há EVOLUIR NA CONTINUIDADE muito, ultrapassada em educação. É a lógica da transmissão DES-ESCOLARIZAR simbólica dos saberes, que não cuida das componentes chave da construção individual e da apropriação social. É também a lógica das “ideias inertes”, contra as quais já Alfred North Whitehead (1929) se insurgia. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 23

Mitos dos novos media EVOLUIR NA CONTINUIDADE BALA DE PRATA O recurso aos novos media adapta-se facilmente O ACESSO É TUDO às estratégias vigentes e à cultura que se pratica nas nossas escolas. FUTURO NOS CONTEÚDOS EVOLUIR NA CONTINUIDADE Não adapta! Cumprindo, em larga medida, o modelo DES-ESCOLARIZAR industrial/mecanicista que lhes deu origem, as escolas continuam a comportar-se como repartições estatais de oferta burocrática de educação, onde o saber é fornecido de forma compartimentada, muito pouco conciliável com os contextos que os novos media proporcionam. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 24

Mitos dos novos media DES-ESCOLARIZAR Com a educação entregue ao domicílio as BALA DE PRATA escolas tornar-se-ão desnecessárias. O ACESSO É TUDO FUTURO NOS CONTEÚDOS Pelo contrário! A variedade explosiva da escolha e a EVOLUIR NA CONTINUIDADE agressividade crescente da oferta estão a mergulhar os cidadãos em geral, e as crianças e jovens em particular, na DES-ESCOLARIZAR mais profunda das dissonâncias e ansiedades. As escolas nunca foram tão necessárias para promover os saberes e competências chave para uma autonomia de sucesso, auxiliar a estruturar a grande diversidade das vivências e fornecer as respostas afectivas compensatórias que cada vez faltam mais. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 25

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO LIDERANÇA ESTRATÉGIA AUTONOMIA QUALIDADE ORGANIZAÇÃO MOBILIZAÇÃO NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 26

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS CONTEXTOS REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO Num mundo inundado de informação, aquilo a que LIDERANÇA prestamos atenção não são os conteúdos, mas sim os ESTRATÉGIA contextos. AUTONOMIA Em larga medida, e independentemente da importância dos QUALIDADE conteúdos, são os contextos que oferecem estrutura. ORGANIZAÇÃO MOBILIZAÇÃO Ignorar este desafio, equivale a ficar pelos adornos de modernidade em vez de retirar benefícios efectivos dos novos media. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 27

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS REFLEXÃO REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO (Re-)instilar no corpo docente o gosto pela acção reflexiva e LIDERANÇA pela actividade de investigação/acção em matéria de ESTRATÉGIA educação e desenvolvimento curricular. AUTONOMIA Restaurar iniciativas de reflexão/investigação/acção que, no QUALIDADE contexto de processos de mobilização colectiva, uniram ORGANIZAÇÃO escolas e instituições de ensino superior em projectos com aplicação directa na realidade educativa e relevância MOBILIZAÇÃO internacional. Estender ao sector empresarial e à comunidade em geral. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 28

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS INVESTIGAÇÃO REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO Que contextos criar? Como criá-los e gerí-los? Como LIDERANÇA estruturar os conteúdos? Que repositórios? Como estrutruturá-los e gerí-los? Que parcerias? Que referências, ESTRATÉGIA para a actividade escolar, da Investigação Educacional, da AUTONOMIA Psicologia, da Sociologia, da Antopologia? Que modelos QUALIDADE organizacionais? Que abordagens para a Gestão da ORGANIZAÇÃO Qualidade? Que arquitecturas de Informação? Que modelos, ferramentas e técnicas para a concepção e gestão MOBILIZAÇÃO das respectivas estruturas? Que avaliações da aprendizagem? NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 29

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS LIDERANÇA REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO É essencial estimular o surgimento de lideranças, a todos LIDERANÇA os níveis do processo. ESTRATÉGIA Liderança entendida como capacidade para imprimir AUTONOMIA direcções estratégicas, mobilizar vontades, promover a QUALIDADE mudança e instilar uma cultura e uma ética. ORGANIZAÇÃO MOBILIZAÇÃO NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 30

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS ESTRATÉGIA REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO É indispensável que as iniciativas chave decorram de LIDERANÇA visões mobilizadoras e sustentáveis no tempo, da ESTRATÉGIA identificação de missões, do reconhecimento de objectivos, da consideração de factores críticos de sucesso e do AUTONOMIA esclarecimento das competências chave a reunir. QUALIDADE ORGANIZAÇÃO Construír uma visão do que será a Educação em Portugal MOBILIZAÇÃO no novo milénio. Reconhecer os grandes objectivos, afirmar uma intencionalidade estratégica. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 31

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS AUTONOMIA REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO A autonomia é condição indispensável para que a escola se LIDERANÇA desburocratize e se constitua como elemento integral da ESTRATÉGIA realidade em que se inscreve. AUTONOMIA O exercício da autonomia pressupõe a aceitação dos QUALIDADE princípios da Gestão da Qualidade, devidamente auto- ORGANIZAÇÃO avaliada e confirmada. MOBILIZAÇÃO NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 32

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS QUALIDADE REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO É importante que se ponham em prática os princípios da LIDERANÇA Gestão da Qualidade – extensíveis, aliás a todo o processo ESTRATÉGIA educativo – centrados sobre uma cultura de excelência, de melhoria contínua, de racionalidade dos custos, de AUTONOMIA participação de todos os parceiros na configuração de um QUALIDADE projecto de escola e de uma auto-avaliação regular ORGANIZAÇÃO confirmada e aferida por processos de auditoria externa. MOBILIZAÇÃO NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 33

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS ORGANIZAÇÃO REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO A escola está a atingir o limite da sua capacidade para se LIDERANÇA comportar como repatição estatal de fornecimento ESTRATÉGIA burocrático de ensino. AUTONOMIA As organizações mecanicistas e burocráticas são incapazes QUALIDADE de se adaptar a ambientes de mudança. ORGANIZAÇÃO A estrutura organizativa deverá ser ajustada em MOBILIZAÇÃO conformidade com as recomendações resultantes da Gestão da Qualidade e os desafios colocados pela gestão responsável da autonomia. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 34

Desafios da nova aprendizagem CONTEXTOS MOBILIZAÇÃO REFLEXÃO INVESTIGAÇÃO É necessário um Projecto Mobilizador Nacional, integrado e LIDERANÇA coerente, capaz de assegurar o empenhamento colectivo, ESTRATÉGIA animado pela temática agregadora do aperfeiçoamento curricular – nos seus contextos e conteúdos – e de AUTONOMIA reinvenção da organização escolar. QUALIDADE ORGANIZAÇÃO Esse projecto deverá ser aberto a todas as partes MOBILIZAÇÃO interessadas nos processos educativos, incluindo, bem entendido, o sector empresarial. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 35

Nova cultura / Nova aprendizagem A conjugação dos desafios acima enunciados converge no reconhecimento de que uma nova aprendizagem exige uma nova cultura que rompa com os paradigmas mecanicistas que hoje aprisionam os nossos sistemas escolares. Só que, mesmos nos raríssimos casos em que o recurso aos novos media tenta timidamente integrar os conteúdos em contextos apropriados, fá-lo de forma empírica, improvisada e destituída de fundamentações teóricas válidas. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 36

Nova cultura / Nova aprendizagem Dizia Thomas Kuhn, e reforçou Hebert Simon, que um paradigma não morre por estar em decadência. Se está em decadência, continuará a decaír, mas não morre. Um paradigma só morre quando houver outro que o substitua. Para mudar um paradigma, tal como ele é sentido e partilhado por uma comunidade, é necessário, ao nível das ideias, um processo revolucionário. Para lançar um processo revolucionário são necessárias lideranças, estratégias e um sonho – um sonho mobilizador que possa ser partilhado de forma crescente pelos seus actores. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 37

Nova cultura / Nova aprendizagem É importante que o sonho assuma a forma de um grande Projecto Mobilizador Nacional, que promova a visão de um país de sucesso e galvanize aos poucos a vontade colectiva. Medidas de grande mérito – eventualmente retiradas de um sonho que ninguém conhece – soarão a medidas avulsas, inscritas numa tradição mecanicista e burocrata, que marca com a chancela do insucesso todas as inovações que nela se queiram acolher. Há que integrá-las numa mesma visão de ruptura construtiva, num mesmo sonho de renovação organizacional e aperfeiçoamento curricular – uma revolução de culturas – na qual o colectivo se reconheça. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 38

Nova cultura / Nova aprendizagem A escola que herdámos, burocrática, sem sonhos, sem visão, sem a motivação dos seus parceiros e actores, fechada para a comunidade e para o mundo, não servirá para construir a Sociedade do Conhecimento – nem integrará os novos media. A escola do futuro exige, acima de tudo, um sonho colectivo, uma intencionalidade estratégica, uma capacidade para construír um futuro tornado possível pelos progressos tecnológicos, uma libertação de visões estagnadas sobre o que são a Educação e os contextos que ela deve oferecer, uma procura de novos equilíbrios, uma abertura a novos paradigmas. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 39

Novos media / Nova aprendizagem O futuro exige que nos mobilizemos para reinventar a escola. Uma reinvenção que não cabe só à classe política, mas a todos nós, apostados que estamos numa Educação com futuro. Uma reinvenção que se inscreva num Projecto Mobilizador Nacional. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 40

Novos media / Nova aprendizagem Uma reinvenção centrada nos desafios dos conteúdos e contextos educativos - isto é, do desenvolvimento curricular, dos espaços alargados de reflexão, da investigação ao serviço da educação, da liderança, da estratégia, da autonomia, da qualidade, da organização, da mobilização. NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 41

Novos media / Nova aprendizagem NOVO CONHECIMENTO / NOVA APRENDIZAGEM Fundação Calouste Gulbenkian, 8-19 de Outubro de 2000 António Dias de Figueiredo Novos Media / Nova Aprendizagem - 42

Figueiredo, A. D. (2000). Novos Media, Nova Aprendizagem. Apresentação na Conferência “Novo Conhecimento, Nova Aprendizagem”, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 18-19 de Outubro de 2000 Novo Conhecimento / Nova Aprendizagem FIM Novos Media Nova Aprendizagem António Dias de Figueiredo (orador convidado) UNIVERSIDADE DE COIMBRA Fundação Calouste Gulbenkian 18-19 Outubro 2000

Add a comment

Related presentations

Related pages

Aprendizagem Tecnológica | Introdução aos Novos Média

As novas tecnologias são um grande passo para uma nova e melhorada aprendizagem no ensino, assim como, uma maior interacção dos alunos que influência a ...
Read more

Fundação Calouste Gulbenkian Novo Conhecimento / Nova ...

Conferência Internacional "Novo Conhecimento – Nova Aprendizagem Fundação Calouste Gulbenkian, ISBN 972-31-0915-8, Lisboa, Abril de 2001, pp. 71-81
Read more

Novo Conhecimento, Nova Aprendizagem - Congresso: Novo ...

Novo Conhecimento, Nova Aprendizagem . ... António Figueiredo e Seymour Papert centraram as suas alocuções no tema Novos Media e Nova Aprendizagem.
Read more

Moodle – Nova prática pedagógica educacional ...

O conceito de objectos digitais de aprendizagem é relativamente novo e, ... Novas ferramentas digitais para um mais fácil processo de aprendizagem.
Read more

Jogos Eletrônicos - Aprendizagem - Academia.edu - Share ...

A introdução de novos media e a convergência ... permitindo pensar novas abordagens ... Analisamos diferentes situações de aprendizagem por ...
Read more

Aprendizagem - - - Introdução

O carácter intencional da aprendizagem é uma característica particular do ser humano. Este caracteriza-se, simultaneamente, pelo seu dinamismo, ao estar ...
Read more

Inovar a aprendizagem online do Português L2

TICLínguas2010 INOVAR A APRENDIZAGEM ONLINE DO PORTUGUÊS L2 Novos media digitais e o desenvolvimento de tarefas Helena Bárbara & José Bidarra
Read more

O ESPAÇO DE ENSINO-APRENDIZAGEM E AS NOVAS TECNOLOGIAS ...

O ESPAÇO DE ENSINO-APRENDIZAGEM E AS NOVAS TECNOLOGIAS: ... recente introdução desse novo sistema e pela falta de universalidade de capacitação
Read more