Modelagem de Sistemas

50 %
50 %
Information about Modelagem de Sistemas
Education

Published on November 26, 2008

Author: afmedina

Source: slideshare.net

Description

Apresentação do material do Capítulo 3 do livro: Modelagem e Simulação de Eventos Discretos, de Chwif e Medina, 2006.

www.livrosimulacao.eng.br.

Criação do Modelo Conceitual Capítulo 3 Páginas 53-78 Este material é disponibilizado para uso exclusivo de docentes que adotam o livro Modelagem e Simulação de Eventos Discretos em suas disciplinas. O material pode (e deve) ser editado pelo professor. Pedimos apenas que seja sempre citada a fonte original de consulta. Verifique sempre a atualização deste material no site www.livrosimulacao.eng.br Divirta-se! Prof. Afonso C. Medina Prof. Leonardo Chwif Versão 0.1 24/04/06 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 1

O Processo de Simulação Problema do Mundo Real Modelo Abstrato Modelo Conceitual Modelo Computacional Modelo Operacional Resultados Experimentais Conclusões Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 2

Técnicas de Modelagem: Vantagens Entendimento Facilitar Criação do Modelo Computacional Melhorar Validação do Modelo Meio de Comunicação Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 3

Mas, na prática... Analistas “pulam” a fase de modelagem conceitual indo diretamente para o modelo computacional: Falha de comunicação do modelo entre as pessoas – obrigação de “consertar” após implementar o modelo Inviabiliza a participação de muitas pessoas no processo de modelagem Causa um maior esforço na validação do modelo Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 4

ACD - “Activity Cycle Diagrams” Baseado na idéia de TOCHTER [63] das “Engrenagens Estocásticas” Simples: constituído de 2 símbolos básicos Indica explicitamente as interações entre os objetos do sistema e seus fluxos Fácil de entender e utilizar Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 5

ACD – Simbologia Básica Fila Atividade Entidade = qualquer componente no modelo que retém sua identidade ao longo do tempo Fila = elemento passivo do ACD (uma fila para cada tipo de entidade) Atividade = elemento ativo do ACD, possível cooperação entre diferentes entidades. Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 6

Exemplo 3.1: Os Filósofos famintos Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 7

Exemplo 3.1: Os Filósofos famintos Espera Pensa Filósofos Come Espera Garfos Espera Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 8

Simulação Manual Importante para o analista aumentar sua sensibilidade em relação a execução da simulação. Uma ferramenta de verificação se a lógica do modelo está coerente. Permite estabelecimento de prioridades onde existem. Promove um melhor entendimento do mecanismo de simulação Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 9

Método das Três Fases “A”: Checar o tempo de todas as atividades em progresso. Determinar a que ocorre primeiro. Avançar o relógio de simulação. “B”: Para as atividades que terminaram, mover as entidades para as respectivas filas. “C”: Procurar as atividades em uma ordem determinada e iniciar as que tem condição de começar. Mover as entidades das filas para a atividade. Amostrar e calcular o tempo de término da atividade. Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 10

Método das Três Fases: Fluxograma Início Inicialização Varredura de Tempo Fase A Executar eventos B (terminaram) Fase B Tentar executar Fase C possíveis eventos C Fim do Não período de simulação? Sim Gerar relatório Fim Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 11

Método das Três Fases: Exemplo A B C − checar o tempo − determinar as atividades − Procurar as entidades e iniciar as que tem de todas atividades que TERMINARAM e condição de COMEÇAR − determinar quem mover as entidades para − Mover as entidades das filas para ATIVIDADES ocorre primeiro as respectivas FILAS − Amostrar e calcular o tempo de TÉRMINO da − avançar o atividade relógio 0 -x- chegada começa, termina em 1 1 termina chegada chegada começa, termina em 1+20=21 encher começa (N=4), termina em 1+5=6 6 termina encher beber começa, termina em 6+7=13 13 termina beber beber começa, termina em 13+7=20 lavar começa, termina em 13+5=18 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 12

Animação do ACD Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 13

Animação do ACD Fase: A T=00 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 14

Animação do ACD Fase: C B T=00 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 15

Animação do ACD Fase: B A C T=03 T=00 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 16

Animação do ACD Fase: C T=03 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 17

Animação do ACD Fase: B A T=06 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 18

Animação do ACD Fase: C T=06 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 19

Animação do ACD Fase: C B A T=07 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 20

Animação do ACD Fase: A T=09 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 21

Animação do ACD Fase: B T=09 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 22

Animação do ACD Fase: C T=09 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 23

Animação do ACD Fase: C B A T=10 T=07 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 24

Animação do ACD Fase: B A T=12 Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 25

Animação do ACD Fase: C T=12 Hic ! Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 26

Animação do Bêbado Fazer os exercícios do Capítulo 3!!! Modelagem e Simulação de Eventos Discretos – Chwif e Medina (2006) Slide 27

Add a comment

Related presentations

Related pages

Modelagem de Sistemas de Informação (Portuguese Edition ...

Modelagem de Sistemas de Informação (Portuguese Edition) eBook: Geraldo Xexéo: Amazon.de: Kindle-Shop
Read more

Modelagem – Wikipédia, a enciclopédia livre

Modelagem de software é a atividade de construir modelos que expliquem as características ou o ... Análise de Requisitos · Análise de sistemas ...
Read more

Modelagem de Sistemas Dinâmicos 02 - YouTube

Standard YouTube License; Source videos View attributions; ... Revisão Matemática para Modelagem de Sistemas Dinâmicos - Duration: 27:26.
Read more

Fundamentos de Modelagem de Sistemas - DCA | FEEC

Fundamentos de Modelagem de Sistemas IA 881 Otimização Linear ProfFernandoGomide DCA-FEEC-Unicamp
Read more

Modelagem de Sistemas - modelagem-de-sistemas

Baixe grátis o arquivo Modelagem de Sistemas enviado para a disciplina de modelagem-de-sistemas Categoria: Aulas - 16874060
Read more

Modelagem de Sistemas de Informação - pt.scribd.com

Modelagem de Sistemas de Informação. Da análise de requisitos ao modelo de interface Geraldo Xexéo Edição Jan/2007 Modelagem de Sistemas de ...
Read more

Modelagem de Sistemas de Informações - Sistemas FAFRAM 2011

1 Modelagem de Sistemas de Informações Da Análise de Requisitos ao Modelo de Interface Incluindo: Modelagem de Negócios Modelagem Conceitual de Dados
Read more

Revisão Matemática para Modelagem de Sistemas Dinâmicos ...

Apenas uma breve revisão de conceitos matemáticos necessários para o desenvolvimento da disciplina de Modelagem de Sistemas Dinâmicos.
Read more

Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant’Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Aula 10 - UML.doc 7/21 - Generalização / Especificação (Figura 8)
Read more

Modelagem Matemática de Sistemas Eletromecânicos

Modelagem Matemática de Sistemas Eletromecânicos 2 Consideremos, agora, um elemento de fio condutor de comprimento dl, posicionado dentro de um campo
Read more