Métodos de controle de microrganismos_Agentes químicos (VM)

75 %
25 %
Information about Métodos de controle de microrganismos_Agentes químicos (VM)
Health & Medicine

Published on March 4, 2014

Author: ceciliasoares3998

Source: slideshare.net

Description

Seminário 2 - Agentes químicos (VM).

CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA CURSO: ENFERMAGEM NOME: ANDERSON RODRIGUES DE AQUINO RA: 7024524345 NOME: ANNA CAROLINE DE MELO GOMES RA: 1299478478 NOME: MARCIA CRUZ DOS SANTOS RA: 6494460783 NOME: RODOLFO PINTO FERREIRA RA: 6421291180 NOME: PRISCILA WATANABE RA: 6494460783 MÉTODOS DE CONTROLE DOS MICROORGANISMOS Agentes Quimicos Profª Maria Cecilia Soares MICROBIOLOGIA FEVEREIRO – 2014 SÃO PAULO – SP

Sumário CONTROLE DE MICROORGANISMOS – AGENTES QUIMICOS INTRODUÇÃO TERMINOLOGIAS DO CONTROLE BACTERIANO 4 4 4 a) Desinfecção 4 b) Esterilização 4 c) Antissepsia 5 d) Assepsia 5 e) Degermação 5 f) 5 Germicida ou Biocida g) Sanitização 5 h) Sepse ou septicemia 5 MÉTODOS DE CONTROLE E ELIMINÇÃO MICROBIANA 6 MÉTODOS QUÍMICOS 6 Nível de desinfecção 6 Classificação 7 TIPOS DE AGENTES QUÍMICOS UTILIZADOS NO CONTROLE MICROBIANO 7 Principais Agentes Alquilantes 7 Glutaraldeído 7 Formaldeído 7 Oxido de etileno (ETO) 8 Fenóis 8 Bifenóis 8 Biguanida 8 Halogênios 9 Cloro 9 Iodo 9 Peróxido de Hidrogênio (H2O2): 9 Ácido Paracético 9

3 Ozônio (O3) 9 Alcoóis: 9 Corantes: AGENTES DE SUPERFÍCIE Sabões e Detergente 10 10 10 PRINCIPAIS FATORES QUE PODEM INFLUENCIAR NA AÇÃO DOS DESINFETANTES QUÍMICOS: 10 CONCLUSÃO: 11 BIBLIOGRAFIA: 12

4 CONTROLE DE MICROORGANISMOS – AGENTES QUIMICOS INTRODUÇÃO Pasteur acreditava e levou pesquisadores acreditarem, que as doenças poderiam ser causadas por micróbios. Portanto o controle de crescimento microbiano ocorreu há quase 100 anos atrás. Temos o exemplo de dois médicos, Húngaro Semmelweis e Joseph Lister, que começaram a usar praticas de controle microbiano, como a lavar as mãos e o uso de técnicas assépticas para as cirurgias, antes e durante seus procedimentos. No entanto, a prevenção e o controle de doenças causadas por micróbios, podem ser realizados pela aplicação de agentes químicos e físicos sobre os microorganismos. Sendo assim, é preciso saber que agente vai ser utilizado se é químico ou físico, para cada tipo especifico, para conseguir alcançar o grau de eliminação adequado, ou até uma destruição completa de todos os microorganismos presentes no local. Esses procedimentos podem ser utilizados sobre a água, sobre a pele ou mucosa, alimentos e objetos em geral. TERMINOLOGIAS DO CONTROLE BACTERIANO a) Desinfecção: São métodos físicos ou químicos, que visam destruir ou inibir microorganismos em objetos, ou seja, superfícies, ou do ambiente. b) Esterilização: É a remoção ou destruição dos microorganismos em todas as formas de vida, de um material ou objeto. Esse processo pode ser feito por métodos físicos ou químicos. O método mais comum para matar os microorganismos é o aquecimento, que incluiu ate os microorganismos mais resistentes, os endoporos.

5 c) Antissepsia: Causa a destruição ou inativação dos microorganismos,ou seja, desinfecção química da mucosa, da pele , e outros tecidos vivos de animais ou humanos. d) Assepsia: Conjunto de procedimentos que evitam a infecção dos tecidos durante as intervenções cirúrgicas. e) Degermação: Retira os microorganismos da pelo uso de antissépticos ou remoção mecânica. f) Germicida ou Biocida: São agentes químicos que matam os microorganismos. Como Bacteriostático e fungiostático , que tem a propriedade de inibir o crescimento e a multiplicação das bactérias e fungos. Enquanto o virustático, tem que ser usado em medicamentos. g) Sanitização: É um tratamento que ocorre em indústrias, levando à dimunuição a população microbiana nos alimentos, tanto nos não processados, quanto nos utensílios para a manipulação de tais alimentos, até que chegue a um padrão seguro para a saúde publica. h) Sepse ou septicemia: É o que indica contaminação bacteriana grave do organismo, causada por micróbios patogênicos.

6 MÉTODOS DE CONTROLE E ELIMINÇÃO MICROBIANA Os métodos de controle e eliminação de microorganismos diferem conforme a natureza do micróbio, e com o que tal vai ser higienizado, seja em objetos, ambientes, superfícies corporal ou alimentos. Os microorganismos são muito variados quanto à sua sensibilidade e aos métodos que devem ser utilizados para a eliminação e controle dos mesmos. Portanto o termo “controle”, é ao que se refere reduzir a população microbiana em quantidades toleráveis ou utilizar de estratégias que impedem de tal população crescer alem dos limites adequados, ou seja, aceitáveis. Enquanto o termo “eliminação”, diz respeito ao extermínio total de microorganismos em determinado local. MÉTODOS QUÍMICOS São substâncias químicas usadas para eliminar e /ou reduzir a o crescimento dos micro-organismo em tecido vivo e objetos inanimados. Para escolha do agente é importante saber a Natureza do Material a ser tratado, o Tipo de Micro-organismo e as Condições ambientais. Entretanto, para qual tipo de tecido vivo e objeto existe um método de esterilização, pois nenhum desinfetante será apropriado para todas as circunstâncias. Para eliminação de micro-organismo dependendo da superfície, pode-se precisar ser esfregada e lavada antes da aplicação do produto, e deixar o desinfetante em contato com a superfície por várias horas. Nível de desinfecção Pode ser alcançado por determinado produto.

7 Classificação: Nível alto – destrói todos os microrganismos, exceto os esporos bacterianos. Nível intermediário – inativação das formas vegetativas de bactérias, da maioria dos vírus e maioria dos fungos. Nível baixo – destrói a maioria das bactérias, alguns vírus e fungos, mas não o Mycobacterium tuberculosis ou esporos bacterianos. TIPOS DE AGENTES MICROBIANO QUÍMICOS UTILIZADOS NO CONTROLE Principais Agentes Alquilantes Glutaraldeído: Ação germicida, alteração do RNA, DNA e síntese proteica. Serve para a desinfecção de alto nível e para a esterilização, dependendo da concentração e do tempo de exposição. Possui grande poder de desinfecção em diversos equipamentos cirúrgicos, odontológicos, além de não ser corrosivo. Tem como desvantagens o vapor irritante para as vias aéreas, ocular e cutânea para quem manipula e carcinogênico. Um possível substituto do glutaraldeído é o orto-fitalaldeído (OFA) que além de mais efetivo contra a maioria dos microorganismos, mostra-se pouco irritante. Formaldeído: Atua como desinfetante ou esterilizante, possuindo ótimo efeito sobre bactérias gram-positivas e gram-negativas, além de vírus, fungos, micobactérias e endósporos. Obtem-se a esterilização através da solução alcoólica de formaldeído a 8% ou aquosa a 10%, com exposição mínima de 18 horas. Pode ser usado em instrumental cirúrgico e em acrílicos, mas não deve

8 ser utilizado em alumínio e em borrachas. Apresenta alto poder carcinogênico, e deve ser manuseado usando-se equipamentos de proteção individual (EPIs). Oxido de etileno (ETO): Gás esterilizante muito eficiente, tóxico e inflamável. Utilizado principalmente para materiais como as sondas para laparoscopia e artroscopia. Possuí alto poder de penetração, é carcinogênico. Para manusea-lo precisa de treinamento pessoal, uso de EPIs e exames bioquímicos de saúde periódicos. Fenóis: O fenol e seus derivados alteram a estrutura das proteínas, serve como antimicrobiano. Atualmente, os compostos fenólicos são pouco utilizados, pois irritam a pele e apresentam odor desagradável. Possuem efeitos carcinogênicos, com acentuada toxicidade em felinos e crianças. Um dos compostos fenólicos mais utilizados deriva do alcatrão e são denominadas cresóis. Os cresóis são ótimos desinfetantes de superfície. Bifenóis: São derivados do fenol que possuem dois grupos fenólicos ligados por uma ponte. Um bifenol, o hexaclorofeno é muito utilizado em procedimentos de controle microbiano cirúrgico e hospitalar, e o triclosano, um dos componentes presentes em sabonetes antibacterianos e pastas de dentes. Biguanida: Mais conhecida como clorhexidina é ativa contra diversas bactérias gram-positivas e gram-negativas, e outros microrganismos. É muito usada na preparação cirúrgica, antissepsia de mãos e para o combate de micro-organismos indesejáveis da pele e mucosas. Por possuir ótimo efeito bactericida e ser efetiva contra fungos e vírus, é tida como excelente antisséptico, embora não tenha efeito esporocida. Atua como bom desinfetante de superfícies e materiais diversos e se demonstra eficaz mesmo na presença de matéria orgânica. A alexidina é uma biguanida similar à clorexidina, apresentando, porém, ação mais rápida.

9 Halogênios: Iodo e o cloro são considerados halogênios. Ambos são eficazes. Podem ser compostos orgânicos inorgânicos ou também isoladamente. Cloro: São utilizados na desinfecção doméstica, industrial, alimentícia e até na área hospitalar. Serve para combater vírus, bactérias Gram positivas, Gram negativas e fungos. O cloro também tem suas desvantagens, pode ter seu efeito corrosivo em metais e o efeito descolorante. Iodo: É o antisséptico mais conhecido por ser muito eficaz. Ele age contra todos os tipos de bactérias, vírus e fungos. É utilizado na desinfecção de equipamentos e superfícies. A solução à base de iodo, geralmente são alcoólicas, água, ou emulsões em detergentes. As emulsões são utilizadas para antissepsia das mãos, campo operatório, e superfícies. Peróxido de Hidrogênio (H2O2): É a água oxigenada. É usada em indústria de alimentos como desinfetante de filtros e tubulações. Também é usada como antisséptico de feridas. Ácido Paracético: Sua característica é o cheiro de vinagre. Ótimo para desinfecção de materiais e instrumentos. Atua bem em temperaturas entre 10° à 40°. Ozônio (O3): É composto derivado de oxigênio, usado para desinfecção de água. Não apresenta toxidade no homem e animais. Alcoóis: Agem contra fungos, bactérias. Os dois álcoois mais utilizados são etanol (70%) e o isopropanol (90%). As vantagens são de agir e evaporar rapidamente, não deixa resíduo. Existem vantagens do álcool em gel sobre o líquido. Entre elas são: maior tempo de ação protege a pele do ressecamento, menos inflamável, assim, evita acidentes.

10 Corantes: Os principais corantes antimicrobianos são o azul de metileno e o cristal violeta. Atua na inibição da síntese da parede celular. AGENTES DE SUPERFÍCIE Sabões e Detergente: Sua função na remoção de micro-organismos é importante. O sabão junto com a água tiram os resíduos da pele, células mortas, suor, pó e os micro-organismos. PRINCIPAIS FATORES QUE PODEM INFLUENCIAR NA AÇÃO DOS DESINFETANTES QUÍMICOS:  Diluição do produto - desinfetante muito diluído, não terá a mesma quali dade.  Validade do produto - quando vencido, pode haver pouca ou até nenhum a ação.  Aplicação em ambientes úmidos - depois de lavar, a desinfecção deve ser feita com as instalações ainda úmidas, assim terá boa distribuição.

11 CONCLUSÃO: A segurança biológica dos laboratórios, hospitais e indústrias, dependem do conhecimento básico de desinfecção e esterilização. Sendo assim, impedindo a reprodução de microorganismos e matando as células microbianas.

12 BIBLIOGRAFIA: Referência imagens: Imagem 1, bactérias : http://profabiologia.wordpress.com/page/2/ Imagem, 2 pauster: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro: Louis_Pasteur_by_Pierre_Lamy_Petit.jpg Imagem 3, 4 bacteria na Mao: HTTPS://pequenoscientistassanjoanenses.wordpress.com/2011/06/ Imagem 5: http://bancadapronta.wordpress.com/2013/11/05/tipos-de-esterilizacao/ Imagem 6: http://filosofiaetecnologia.blogspot.com.br/2012/09/como-fazer-autohemoterapia-como-vencer.html http://people.ufpr.br/~microgeral/arquivos/pdf/pdf/Esterilizacao.pdf SUGESTÃO DE LEITURA: KAMWA, E.B. Biosseguridade, higiene e profilaxia: abordagem teórico-didática e aplicada. Belo Horizonte:Nandyala, 2010. 104p. TORTORA, G.J., FUNKE, B.R., CASE, C.L. Microbiologia. 10ed. Porto Alegre: Artmed, 2012, 934P. Site: http://www.eq.ufrj.br/biose/nukleo/aulas/Microbiol/eqb353_aula_07.pdf Microbiologia; terceira edição; Luis Trabulsi, Flávio Alterthum, Olga Gompertz, José Alberto Candeia; editora Atheneu;1999 Microbiologia médica; décima oitava edição; Ernest Jawetz,George Brooks, Joseph Melnick,Janet Butel,Edward Adelberg, L. Nicholas Ornston; editora guanabara koogan

Add a comment

Related presentations

Related pages

Métodos Químicos de Controle de Microorganismos - InfoEscola

Métodos Químicos de Controle de Microorganismos. Compartilhar no Whatsapp. Por Fabiana Santos Gonçalves. Os agentes químicos utilizados para essa ...
Read more

controle de microorganismos - , agentes fisicos e quimicos

... controle de microorganismos ... os processos físicos e os agentes químicos destinados ao controle dos ... MÉTODOS DE CONTROLE DE ...
Read more

Controle de microrganismos - O controle dos ...

CONTROLE DE MICRORGANISMOS. Agentes ... Métodos Físicos de controle: ... Métodos Químicos de controle . Os agentes químicos são apresentados ...
Read more

Métodos Físicos de Controle de Microorganismos - InfoEscola

Artigo sobre os métodos físicos de controle de ... quais são esses métodos e técnicas de ... feito através de métodos físicos e métodos químicos.
Read more

Bacteriologia Geral - Controle Microbiano: Métodos ...

... pode impedir a ação dos antimicrobianos químicos. Ações dos agentes de controle microbiano ... Métodos físicos de controle microbiano ...
Read more

Controle da população microbiana

microrganismos Agentes físicos Agentes químicos ... –Pode utilizar métodos físicos ... Agentes químicos usados no controle microbiano
Read more

Controle da população microbiana

microrganismos Agentes físicos Agentes químicos ... MÉTODOS E SOLUÇÕES GERMICIDAS ... AGENTES QUÍMICOS UTILIZADOS NO CONTROLE DE POPULAÇÃO MICROBIANA
Read more