Metodologia

50 %
50 %
Information about Metodologia

Published on November 4, 2007

Author: espanto.info

Source: slideshare.net

Description

A metodologia das ciência humanas - I.

Metodologia Da Investigação Científica (aplicada às ciências humanas)

As ciências humanas têm um problema, epistemologicamente decisivo, na sua raiz: A proximidade / identidade entre o objecto de estudo e o sujeito que investiga. O homem estuda o homem

"Sou humano, e nada do que é humano me é estranho“ Terêncio

Esta proximidade entre sujeito e objecto levanta uma série de problemas que pode constituir um sério obstáculo à investigação: Perigo de contaminação dos dados observacionais com elementos “subjectivos”, ou seja, inerentes ao observador e à forma como ele reage emocionalmente ao observado. Possibilidade de adulteração dos dados observacionais com valorações decorrentes de sistemas valorativos inerentes à cultura do observador. Incapacidade do observador se desligar do observado, por viver no mesmo contexto histórico (sócio-cultural).

Perigo de contaminação dos dados observacionais com elementos “subjectivos”, ou seja, inerentes ao observador e à forma como ele reage emocionalmente ao observado.

Possibilidade de adulteração dos dados observacionais com valorações decorrentes de sistemas valorativos inerentes à cultura do observador.

Incapacidade do observador se desligar do observado, por viver no mesmo contexto histórico (sócio-cultural).

Perigo de alteração da situação observada, quando há uma interacção entre o observador e o observado. Dificuldade (ou impossibilidade, ética ou funcional) de comprovar experimentalmente as hipóteses. Dinamicidade das situações observacionais: a realidade humana está em constante transformação. Condicionamento dos comportamentos observados – as pessoas se se souberem objecto de investigação, podem alterar, mesmo que inconscientemente, os seus comportamentos.

Perigo de alteração da situação observada, quando há uma interacção entre o observador e o observado.

Dificuldade (ou impossibilidade, ética ou funcional) de comprovar experimentalmente as hipóteses.

Dinamicidade das situações observacionais: a realidade humana está em constante transformação.

Condicionamento dos comportamentos observados – as pessoas se se souberem objecto de investigação, podem alterar, mesmo que inconscientemente, os seus comportamentos.

A extrema complexidade dos fenómenos humanos (cada homem é, em si mesmo, um universo imenso), torna muito difícil isolar variáveis que permitam uma análise estrutural desses mesmos fenómenos, bem como a formulação de uma explicação (causal) para a sua ocorrência.

A extrema complexidade dos fenómenos humanos (cada homem é, em si mesmo, um universo imenso), torna muito difícil isolar variáveis que permitam uma análise estrutural desses mesmos fenómenos, bem como a formulação de uma explicação (causal) para a sua ocorrência.

As ciências humanas são INTERSUBJECTIVAS

As ciências humanas são

INTERSUBJECTIVAS

Ou seja: O observador e o observado não são independentes: partilham a mesma natureza e são ambos seres dotados duma consciência intencional, estando por isso em constante interacção. O observador e o observado são ambos sujeitos, conscientes e agentes que interagem numa mesma situação, embora assumam papéis diferentes.

Ou seja:

O observador e o observado não são independentes: partilham a mesma natureza e são ambos seres dotados duma consciência intencional, estando por isso em constante interacção.

O observador e o observado são ambos sujeitos, conscientes e agentes que interagem numa mesma situação, embora assumam papéis diferentes.

Assim, A base das ciências naturais é a explicação , enquanto que, nas ciências humanas , é a compreensão .

Assim,

A base das ciências naturais é a explicação ,

enquanto que, nas ciências humanas , é a compreensão .

Explicar é estabelecer nexos causais entre os fenómenos, é responder à questão “Porquê?” – é indicar, para cada conjunto de fenómenos, a causa que os produz e que, por isso, é a sua razão de ser. A generalização é, por esta razão, inerente à explicação: uma vez descoberta a causa de um fenómeno particular, ficamos a conhecer a causa de todos os fenómenos do mesmo tipo (do tipo a que pertence o fenómeno particular cuja causa descobrimos).

Explicar é estabelecer nexos causais entre os fenómenos, é responder à questão “Porquê?” – é indicar, para cada conjunto de fenómenos, a causa que os produz e que, por isso, é a sua razão de ser.

A generalização é, por esta razão, inerente à explicação: uma vez descoberta a causa de um fenómeno particular, ficamos a conhecer a causa de todos os fenómenos do mesmo tipo (do tipo a que pertence o fenómeno particular cuja causa descobrimos).

Compreender é ser capaz de estabelecer nexos significativos entre os fenómenos humanos (que são sempre culturais) e entre estes e o observador, sem anular a singularidade, mas antes, procurando iluminá-la a partir dum contexto que permita interpretá-la sem a deturpar e sem a reduzir.

Compreender é ser capaz de estabelecer nexos significativos entre os fenómenos humanos (que são sempre culturais) e entre estes e o observador, sem anular a singularidade, mas antes, procurando iluminá-la a partir dum contexto que permita interpretá-la sem a deturpar e sem a reduzir.

Procura-se assim encontrar formas de enquadrar a singularidade num quadro geral, sem que se perca de vista a riqueza e a complexidade dos fenómenos humanos.

Procura-se assim encontrar formas de enquadrar a singularidade num quadro geral, sem que se perca de vista a riqueza e a complexidade dos fenómenos humanos.

Os actos humanos, sendo intencionais, não têm apenas um « porquê?» , mas também, um «para quê?» ( e, muitas vezes um «para quem?» ), não podendo ser explicados, como se explicam os fenómenos naturais…

Por isso, As ciências humanas recorrem a uma ampla gama de métodos de investigação e de intervenção…

Add a comment

Related presentations

Related pages

Metodología - Wikipedia, la enciclopedia libre

Como metodología científica, la heurística es aplicable a cualquier ciencia e incluye la elaboración de medios auxiliares, principios, reglas ...
Read more

Definición de metodología - Qué es, Significado y Concepto

Metodología es un vocablo generado a partir de tres palabras de origen griego:metà (“más allá”), odòs (“camino”) y logos (“estudio”).
Read more

Metodologia – Wikipedia, wolna encyklopedia

Metodologia jest to nauka o metodach badań naukowych, ich skuteczności i wartości poznawczej. Klasycznie wyróżnia się metodologie: nauk ścisłych
Read more

Metodologia – Wikipédia, a enciclopédia livre

A Metodologia é o estudo dos métodos. As etapas a seguir num determinado processo. Tem como objetivo captar e analisar as características dos vários ...
Read more

metodologia - Deutsch-Übersetzung - bab.la Italienisch ...

'metodologia' auf Italienisch heißt 'Methodologie'. Diese und viele weitere Übersetzungen mit Beispielsätzen im kostenlosen Deutsch-Italienisch ...
Read more

Metodologia – Wikipedia

Metodologia (< kreik. μεθοδολογία) eli menetelmäoppi on tieteenfilosofian osa-alue, joka tutkii tieteellistä menetelmää. Metodologia ...
Read more

Metodología - significado de metodología diccionario

metodologia; metodología; metodologías; metodológica; metodológicas; metodológico; metodológicos; métodos; metol; metolazona; metomanía ...
Read more

metodologia - Deutsch-Übersetzung - bab.la Spanisch ...

Übersetzung für 'metodologia' im kostenlosen Spanisch-Deutsch Wörterbuch und viele weitere Deutsch-Übersetzungen.
Read more

Metodologia (@Metodolog) | Twitter

The latest Tweets from Metodologia (@Metodolog). O mais completo blog de Metodologia da Pesquisa, mantido pelo professor José Artur T. Gonçalves, Doutor ...
Read more