Manual da Gestante

50 %
50 %
Information about Manual da Gestante
Health & Medicine

Published on February 20, 2014

Author: luiscbene

Source: slideshare.net

Description

Unibaby Gestante .....04
Modificações e cuidados com o corpo 04
Exames realizados durante a gestação ..07
Importância da saúde bucal durante a gravidez ........07
Aspectos psicológicos da gravidez, parto e puerpério ....08
Nutrição na gestação: saúde para você e seu bebê ........11
Vamos conhecer os nutrientes e saber o que eles fazem por você e pelo bebê....12
Então, o que é uma dieta equilibrada? .....15
Ganho de peso na gestação .....16
Cuidados especiais com a alimentação..16
Atividade física na gestação .....19
Situações especiais ......30
O bebê nasceu .....31
Aleitamento materno ......31
Segredos da amamentação ....35
Alimentação na amamentação ....36
Cuidados com a saúde do bebê ....37
Conheça os padrões de sono de seu bebê ..38
As cólicas ...39
Soluços .....40
Cuidados com o coto umbilical ..40
Cuidados com o banho .....40
Evacuação...41
Teste do pezinho ...41
Teste da orelhinha ....42
UNIMED, Londrina

Manual da Gestante

ÍNDICE Unibaby Gestante............................................................................................................................................................04 . Modificações e cuidados com o corpo............................................................................................................04 . Exames realizados durante a gestação.............................................................................................................. 07 Importância da saúde bucal durante a gravidez......................................................................................... 07 . Aspectos psicológicos da gravidez, parto e puerpério...........................................................................08 . Nutrição na gestação: saúde para você e seu bebê...................................................................................11 . Vamos conhecer os nutrientes e saber o que eles fazem por você e pelo bebê................. 12 Então, o que é uma dieta equilibrada?................................................................................................................ 15 . Ganho de peso na gestação...................................................................................................................................... 16 Cuidados especiais com a alimentação.............................................................................................................. 16 Atividade física na gestação........................................................................................................................................ 19 Situações especiais.........................................................................................................................................................30 . O bebê nasceu................................................................................................................................................................... 31 . Aleitamento materno...................................................................................................................................................... 31 . Segredos da amamentação.......................................................................................................................................35 Alimentação na amamentação................................................................................................................................36 . Cuidados com a saúde do bebê............................................................................................................................ 37 Conheça os padrões de sono de seu bebê...................................................................................................38 . As cólicas................................................................................................................................................................................39 Soluços...................................................................................................................................................................................40 . Cuidados com o coto umbilical.............................................................................................................................40 . Cuidados com o banho...............................................................................................................................................40 Evacuação............................................................................................................................................................................... 41 Teste do pezinho............................................................................................................................................................... 41 . Teste da orelhinha............................................................................................................................................................42 · 3

Unibaby Gestante Antes existiam planos, sonhos, desejos. Depois da confirmação, fantasias, expectativas e dúvidas norteiam a gestação, em especial quando estamos na primeira experiência. A notícia da gravidez, o processo de gestação, o parto e o puerpério constituem situações muito importantes para os pais e seus familiares. Esta cartilha tem a intenção de fornecer informações que possam ajudar a gestante neste período, pois uma ocasião tão especial requer muitos preparativos. Boa leitura! Modificações e cuidados com o corpo A gestação promove alterações tanto físicas como emocionais. Conhecer e aceitar as mudanças tornará sua experiência rica e prazerosa. Algumas alterações que você poderá sentir durante o período gestacional: 1ª a 8ª semana Após a fecundação, o óvulo chega ao útero ao redor de sete dias, ocorrendo à fixação no útero por volta do 10º dia. Nesta fase, inicia-se a diferenciação celular com a formação do saco amniótico, saco vitelino, placenta e embrião. Inicia-se a formação do sistema nervoso ainda primitivo, esqueleto de cartilagem (dedos da mão e pé se formam). Os vasos sanguíneos principais e a batida do coração já estão presentes. A mulher percebe atraso menstrual, pode começar a sentir cansaço, náuseas matinais, aumento e dor nas mamas, cólicas leves, aumento da sensação de fome, urinar com maior freqüência e apresentar alterações no estado emocional. · 4

12ª a 16ª semana No embrião, os músculos começam a funcionar, o sexo já pode ser identificado, os rins já produzem urina. Ao final deste período o embrião possui formas humanas, com cabeça, tronco e membros e com todos os órgãos já formados, porém imaturos. Com 12 semanas o embrião mede em torno de 6,5 centímetros. O fundo uterino começa a sair da pelve materna, a placenta já assume sua função totalmente. Iniciam-se as contrações uterinas de Braxton Hicks que permanecem durante toda a gravidez. As náuseas matinais ainda podem estar presentes, pode ocorrer a retenção de líquidos (inchaços), a vagina fica mais vascularizada, com possível aumento de secreção. 20ª a 24ª semana O embrião agora se chama feto, a pele é mais grossa e formam-se as impressões digitais, os músculos e sistema nervoso trabalham em conjunto. O vérnix cobre o corpo do feto. O feto dorme, chupa o polegar e dá pontapés. O feto parece vermelho e enrugado, devido aos vasos capilares debaixo da pele e à falta de gordura. Na gestante, as auréolas aumentam e escurecem, ocorrem mudanças na pele podendo aparecer estrias, acne, manchas no rosto e a “linha nigra”. Os movimentos do feto podem ser sentidos. Ocorre o crescimento progressivo do útero, diminuição sensível do mal estar e das náuseas. O peso do útero faz com que a coluna vertebral se curve para frente; as articulações pélvicas começam a relaxar para permitir a passagem do bebê ao nascimento. 28ª a 32ª semana O peso do feto passa de 300g para cerca de 1700g; amadurecimento progressivo dos órgãos fetais. A gordura se deposita debaixo da pele. · 5

A gestante tem um ganho maior de peso a cada mês; percebe a movimentação fetal com maior facilidade. Podem ocorrer problemas nas gengivas (sangramento); aparecimento do colostro; dificuldade na digestão, devido ao aumento do útero que comprime os órgãos digestivos. Por causa dos hormônios o tônus muscular do sistema digestivo se afrouxa causando prisão de ventre, azia e má digestão. Aumenta a freqüência urinária pela compressão do útero. Essa pressão do útero pode causar varizes e hemorróidas. 36ª a 40ª semana Acontece o amadurecimento final de todos os órgãos, com a possibilidade do feto sobreviver sem o auxílio de UTI a partir da 37ª semana. O feto tem ganho progressivo de tecido adiposo, ficando cada vez mais gordinho. A movimentação fetal fica mais vigorosa. O peso é em torno de 3200g e o comprimento é de 49cm ao final de 40ª semana. Os anticorpos da mãe são recebidos e o feto se posiciona adequadamente para o parto. A gestante começa a sentir progressiva sensação de pressão e dor em baixo ventre, devido à descida do bebê para a pelve. O sono fica mais leve, acordando várias vezes pelo movimento fetal ou para urinar. As contrações de Braxton Hicks se intensificam à medida que o útero e o colo se preparam para o trabalho de parto. Pode ocorrer piora dos problemas digestivos (azia). · 6

Exames realizados durante a gestação Os exames realizados durante a gestação são de extrema importância. Eles revelam o desenvolvimento do feto e possíveis anormalidades e doenças que podem surgir. Esclareça todas as dúvidas com seu médico. Importância da saúde bucal durante a gravidez O corpo da mãe é a única fonte de nutrição para o crescimento do feto. As condições de saúde e as práticas de alimentação maternas afetam o desenvolvimento dos dentes e das gengivas do feto. Por isso, é muito importante que a gestante tenha um cuidado especial com sua saúde e alimentação. A partir da sexta semana após a concepção, inicia-se a formação dos dentes de leite. Uma alimentação saudável, rica em cálcio e fósforo, é bastante benéfica durante a gravidez, pois aumenta a probabilidade do bebê ter dentes e gengivas saudáveis. Durante a gravidez, os cuidados com a escovação devem ser redobrados, pois as mudanças hormonais nesse período podem aumentar a sensibilidade das gengivas, podendo ocasionar doenças nas mesmas. A visita ao dentista deve manter a periodicidade, porém, no primeiro trimestre, é proibido o uso de raios-x, que devem ser evitados ao máximo em toda a gestação. · 7

Aspectos Psicológicos da Gravidez, Parto e Puerpério A gestação é um evento complexo, com mudanças em diversas esferas da vida da gestante. Primeiro Trimestre: Nesta fase, uma das alterações mais comuns é o sentimento de ambivalência, caracterizado pelas preocupações e dúvidas da gestante sobre sua capacidade de exercer a maternidade e ao mesmo tempo, de lidar com as mudanças que ocorrerão em sua rotina. O mesmo acontece para o homem em relação à paternidade. Esse fenômeno é absolutamente natural e caracteriza todos os relacionamentos interpessoais significativos. Também são frequentes as oscilações de humor, geralmente, sem causas aparentes. Além disso, são comuns queixas relacionadas à hipersonia e à hiperatividade, embora em um grupo menor de mulheres. Segundo Trimestre: O segundo trimestre é considerado o mais estável do ponto de vista emocional. Conhece-se o sexo, escolhe-se o nome, sente-se o alívio com os movimentos do bebê, aumenta a curtição do pai e outras pessoas que passam a perceber a presença do bebê de forma mais concreta. É nesta fase que os sentimentos de personificação do feto começam a aparecer, acontecendo até atribuições de certas características pessoais do bebê, pela família. Terceiro Trimestre: Agora a preocupação maior é com o parto. Trata-se se uma “ansiedade antecipatória” frente ao que poderá acontecer. Aumentam-se as preocupações relacionadas à chegada do bebê e mudanças na rotina familiar. Além disso, estão mais presentes as queixas físicas, aumentando as fontes de estresse. · 8

Em relação às alterações nas diferentes fases da gestação, é importante salientar que em cada trimestre da gestação promove transformações que serão vivenciadas de forma muito peculiar por cada um. O que in luenciará a forma como cada gestante experimentará a gravidez tem a ver com: • Como o organismo está se comportando em termos de alterações físicas? Os hormônios sexuais exercem efeitos definidos no comportamento, sugerindo que as grandes mudanças nos níveis de estrogênio e progesterona podem in luir enormemente no comportamento da gestante. • Como a história de vida da gestante a ensinou a lidar com “novidades”, como é sua personalidade, como aprendeu a expressar suas emoções; se aprendeu a ser paciente, enfim, que comportamento ela aprendeu durante a vida que poderão ser úteis na gestação? • Como as condições sociais lhe ensinaram a lidar com a gravidez? Se teve um planejamento para ser mãe; como são suas condições financeiras; como é o seu relacionamento com o parceiro; se tem apoio familiar; se é uma criança desejada, o que sua cultura costuma afirmar ser uma boa mãe ou que tipos de exigências ela tem sofrido? Todos esses fatores, somados, determinarão quais serão o comportamento da gestante, durante a gravidez, parto e puerpério. É comum que a gestante viva situações de tensão, ansiedades, medos e preocupações, durante a gestação, o que em quantidades moderadas são necessárias e naturais. Excessos de preocupações, contudo, devem ser evitados, para preservar a saúde da mulher e desenvolvimento do bebê. Por isso, é importante que a gestante: · 9

• estabeleça prioridades e divida as responsabilidades no lar e no trabalho • aprenda a dizer não a novos projetos ou atividades, antes de se sobrecarregar • inclua em sua agenda momentos de lazer, relaxamento, meditação ou quaisquer atividades que lhe proporcionem bem-estar • pratique atividades físicas sob orientação de seu médico • desfrute bons momentos com o parceiro e/ou familiares • valorize cada oportunidade de curtir seu bebê, conversando, contando histórias, cantando, acariciando sua barriga ou até mesmo arrumando o quartinho • compartilhe seus sentimentos, esteja aberta ao diálogo com seu parceiro, apoiando-se mutuamente. Lembre-se que as mudanças físicas (fadiga, náuseas, seios doloridos) e emocionais (con litos conjugais, depressão, antecedentes de abortamento espontâneo, medo de prejudicar o bebê) presentes na gestação podem afetar o desejo sexual. Porém, exceto por recomendação médica, as relações sexuais não precisam ser interrompidas. Novas posições, sensações e descobertas podem ser apreciadas, o que requer apenas que o casal esteja atento aos seus sentimentos e procurem orientações em caso de medos ou preocupações. E quando o bebê nascer? Lembrem-se que a participação do pai é fundamental nesta fase: nos cuidados com o recém-nascido, na amamentação, na divisão de tarefas e no apoio emocional. O bebê, até então idealizado, agora torna-se real e sua chegada desperta muitas ansiedades. Sintomas depressivos nas mamães podem ser comuns. Se ocorrerem em freqüência e intensidade elevadas, é preciso procurar ajuda especializada. Mamães também se lembrem de encorajar a participação dos papais e dar-lhes apoio emocional. No fim, tudo dará certo. · 10

Nutrição na gestação: saúde para você e seu bebê Uma gestação tranquila está diretamente relacionada ao cuidado no planejamento alimentar. Desta maneira, ocorrerão menos complicações durante o parto e intercorrências como intoxicações, diabetes, hipertensão e outros. O que você come é agora duas vezes mais importante! É importante que você aumente a qualidade do que come, pois as necessidades de vitaminas e minerais são dobradas na gestação, mas a necessidade de calorias não. Assim, os alimentos devem ser sempre os mais nutritivos possíveis. As proteínas, calorias, vitaminas, minerais e água são essenciais para o desenvolvimento de um bebê saudável, mantendo a saúde da mãe. Na falta desses nutrientes, o desenvolvimento das células não é perfeito e o bebê pode nascer com baixo peso. Por outro lado, quando ocorre ingestão de calorias em excesso, a mãe ganha peso além do aconselhável e podem ocorrer complicações. · 11

Vamos conhecer os nutrientes e saber o que eles fazem por você e pelo bebê Carboidrato: É a principal fonte de energia, e deve ser fornecido em várias pequenas porções ao longo do dia. Não deve ser retirado e nem diminuído na dieta, por ser combustível para o cérebro e para o desenvolvimento do bebê. Na sua falta ocorre formação de corpos cetônicos, que pode ser tóxico para o bebê. Os açúcares (carboidratos) complexos (farinhas, cereais, tubérculos) são mais adequados por fornecer energia por tempo mais longo. Quando utilizamos os carboidratos integrais, estes por serem ricos em fibras reforçam ainda mais esta propriedade. Fontes: arroz, arroz integral, batata, milho, mandioca, pães, pães integrais, farinhas, cereais (aveia, farelo de trigo, cereais matinais sem açúcar), grãos, frutas, doces. Proteína: Matéria-prima essencial para a formação do bebê: tecidos, músculos, ossos, sangue, hormônios, enzimas e neurotransmissores entre outros. Varia muito de qualidade, sendo que as melhores fontes de proteínas são os alimentos de origem animal ou grãos associados à cereais. Fontes: carnes em geral, leite e derivados, ovos, feijão, soja, grão de bico, lentilha, ervilha, nozes, castanhas. · 12

Lipídios ou gorduras: Fornecem energia, especialmente de reserva para a produção de leite, formam a parede das células, transportam vitaminas e formam hormônios. As melhores gorduras são as provenientes de óleos vegetais, castanhas e nozes e peixes de águas frias (atum, sardinha e salmão, por exemplo). Deve-se evitar excesso, especialmente das gorduras saturadas. A ingestão de alimentos ricos em gorduras também pode aumentar os sintomas de ref uxo e azia. Exemplo de gorduras saturadas: frituras, manteiga, creme de leite, carnes gordas, salgadinhos industrializados, etc. Fontes: óleos, margarinas, nozes, carnes, laticínios, ovos, abacate. Vitaminas e minerais: Regulam todas as reações químicas do organismo, garantindo seu bom funcionamento, inclusive na formação do bebê. Protegem a pele, visão, ossos, dentes, têm ação antioxidante, aumentam a energia e resistência do organismo. As vitaminas são substâncias orgânicas que o nosso corpo não produz. São necessárias em pequenas quantidades e são frágeis. Esses nutrientes fazem parte dos alimentos e serão absorvidos em um contexto harmônico e equilibrado de nutrientes. São substâncias que não fornecem calorias. As relacionadas à gestação são: Ácido Fólico: Relacionado à formação do tubo neural e das células do sangue. É necessário para o feto e placenta; geralmente é suplementado. Fontes: hortaliças de folhas verdes (espinafre, brócolis, aspargo, repolho), carnes, vísceras, leguminosas, ovos, frutas cítricas, germe de trigo, nozes, entre outros. · 13

Vitaminas do Complexo B: As vitaminas B possuem uma necessidade especial durante a gravidez, costumam ser atendidas por uma dieta bem equilibrada que tenha quantidade e qualidade, de modo a fornecer a energia e os nutrientes necessários. O complexo B (B1, B2, B3, B6 e B12) compreende diversas substâncias que têm como característica comum as suas fontes habituais representadas pelo fígado e as leveduras, cereais, legumes, grãos integrais, folhas verdes, gema de ovo, leite e derivados. Vitamina A: Importante para o crescimento normal, o desenvolvimento do feto e de todos os tecidos do corpo, aumentando a resistência às infecções nas mucosas e pele em geral, além da formação dos dentes e do crescimento ósseo normal. È essencial para a saúde dos olhos. Mas seu excesso (só ocorre por suplementação) pode ser tóxico. Fontes: leite e derivados, fígado, ovos, peixes, vegetais e frutas de cor amarelo-alaranjado como cenoura, manga, mamão, abóbora. Ferro: Ajuda a formar células vermelhas do sangue. Na falta dele a deficiência se dará na mãe causando anemia, o que pode dificultar o parto. Fontes: carnes vermelhas, fígado, peixe, frutos do mar, aves, feijões, hortaliças verde-escuras. Vitamina C: Auxilia a absorção do Ferro e Cálcio da dieta, atua na formação do colágeno e tem ação antioxidante. Fontes: todas as frutas (especialmente as cítricas), hortaliças verdes, pimentão, tomate e batata. 14 ·

Cálcio: Compõe os ossos do feto, forma estoque para a produção do leite e previne a pressão alta e pré-eclampsia na mãe. Caso ocorra, a deficiência se dará na mãe: cãibras nas pernas, cáries dentárias. Fontes: leite e derivados, salmão e sardinhas, figos secos, folhas verde-escuras. Fibras / Água: São dois nutrientes que também não têm calorias, mas são essenciais para uma gestação saudável: ajudam no bom funcionamento do intestino, auxiliam no controle do peso (saciedade), previnem hemorróidas. Então, o que é uma dieta equilibrada? É aquela que contempla: • O que comer: Variedade, proporcionalidade, muitos vegetais, preferindo os integrais, sem restrições, preparada com pouca gordura, sal e açúcar. • Quanto comer: Moderação em alimentos mais calóricos e fartura de vegetais. • Como comer: Mastigar bem, comer com atenção, sempre sentado diante do alimento. • Quando comer: Fracionadamente. Várias (no mínimo 5) pequenas refeições ao longo do dia. · 15

Ganho de peso na gestação Deve ser suficiente para promover o desenvolvimento completo de seu bebê e também para armazenar líquido e gordura para o aleitamento. Lembre-se que algumas mulheres podem perder peso no início da gravidez. Cada mulher tem a sua variação individual de ganho de peso. A média é de 9 a 15Kg. Na gestação múltipla faz-se um acréscimo de ± 4,5kg por bebê. Geralmente considera-se que o ganho de peso deve ser de até 1,8kg no 1º trimestre e de cerca de 400g por semana nos 2º e 3º trimestre. O ganho de peso é maior entre a 20ª e a 34ª semana, tem seu pico em torno da 30ª e 31ª semana e sofre desaceleração na 36ª. Não deve haver perda de peso no final da gestação. Ganho de peso excessivo está ligado ao aparecimento de diabetes, hipertensão e a riscos obstétricos. O peso pré-gestacional é um indicativo muito importante para a avaliação do ganho de peso gestacional. Cuidados especiais com a alimentação Peixes e frutos do mar: Devem ser de excelente procedência, já que são extremamente perecíveis. Não devem ser ingeridos crus ou mal passados, devendo cozinhar 4 minutos por cm de espessura. Durante a gestação, não coma ostras e nem mariscos. Além do cuidado com a conservação e higiene, deve-se evitar alguns tipos de peixe, por seu maior teor de mercúrio: espada, cação e cavala são os mais ricos neste mineral tóxico. Carnes e embutidos: Oferecem maior risco de infecção por alterações do metabolismo: o suco gástrico menos ácido protege menos contra as bactérias presentes nos alimentos. Carnes devem ser comidas · 16

após cozimento completo. Deve-se ter cuidado especial com carnes moídas, lingüiças e salsichas: cozinhar por 10 minutos e comer quente. Ovos: Só comer ovos completamente cozidos: o ovo frito deve ser servido com a gema dura. Não use maionese caseira feita com ovos crus. Fora de casa, alimentos com maior risco de ter ovos crus com alto potencial de intoxicação são musses, pavês, bolos cobertos, maionese. Quando fizer claras em neve para doces cremosos, bata-as em banho-maria. Laticínios: Evitar leite não-pasteurizado. Só usar queijos com carimbo de inspeção. Caso use leite de fazenda, ferver por 30 segundos antes de usar. Não usar o leite como alívio para a azia (queimação), pois este possui um efeito rebote. Bebidas: Bebidas com cafeína devem ser limitadas a 200mg/dia da substância. Estes são valores médios de algumas: bebida tipo cola ±40mg/copo, café ± 100mg/xícara, chá mate/preto ± 60mg/xícara. Chás de ervas devem ser tomados com cuidado: folhas de amora e hortelãpimenta podem estimular contrações. Álcool: Evitar o uso, pois não há nível considerado seguro. · 17

Vegetal: Tenha cuidado redobrado na higienização. Lavar bem em água corrente, deixar de molho em solução de hipoclorito e enxaguar em água corrente. Para folhas, deixar de molho em solução de vinagre e enxaguar (tempo de molho de 15 minutos). Não comer frutas sem lavar. Lembrete O meio ácido do estômago é barreira de proteção contra bactérias e parasitas. A acidez também é fundamental para a absorção de Cálcio e Ferro. SÓ USE ANTIÁCIDOS SOB ORIENTAÇÃO MÉDICA. Coma pequenas porções, mastigue bem, procure reclinar pelo menos por 15 minutos após as refeições. Estas dicas poderão ajudar a evitar azia (queimação), mais frequente nos meses finais da gestação. · 18

Atividade física na gestação Muitas mulheres mudam os seus hábitos de vida, praticando exercícios durante a gestação, e esses hábitos mais saudáveis são mantidos após o nascimento do bebê. O sedentarismo deve ser combatido em qualquer estágio da vida e a gestação pode ser um momento no qual a mulher encontra motivos realmente fortes para se preocupar com a sua saúde e do seu bebê. O exercício será seguro se for orientado e acompanhado por profissionais especializados que conheçam profundamente a fisiologia da gestante e do exercício. Eles facilitam o trabalho de parto, conservam o corpo da mulher, evitam dores nas , lotes, lacidez, trabalham a consciência corporal, melhoram a percepção postural e melhoram a circulação. E ainda mais: será mais fácil recuperar o peso após o parto. Abaixo alguns movimentos/exercícios utilizados durante a gestação. 1. Exercício de bíceps e tríceps A) Sentada, dobre os cotovelos com as mãos voltadas para cima até a altura dos seios. Em seguida, estenda-os lentamente para baixo. Mantenha os cotovelos juntos ao tronco. Faça séries de dez repetições. Gestante na fase inicial da gestação. · 19

B) Sentada, com os cotovelos dobrados acima dos ombros e apontados para frente, erga os braços acima da cabeça e volte à posição inicial. Faça séries de dez repetições. Gestante na fase inicial da gestação. 2. Exercício de ponte Deitada de costas, contraia o bumbum, eleve-o da cama enquanto inspira. Volte lentamente à posição inicial, colocando as costas de cima para baixo, enquanto expira. · 20

3. Alongamento de isquiotibiais Deite-se de costas e segure uma perna com o joelho quase estendido puxando o pé em sua direção. Segure por 30 segundos e troque de perna. Este exercício é ótimo para dor lombar. 4. Alongamento de glúteos Deitada de costas, traga um joelho no peito e segure por 30 segundos. Troque de perna. Este exercício também é ótimo para dor lombar. 5. Alongamento de trapézio Sentada de pernas cruzadas, incline a cabeça para o lado, mantendo por 30 segundos. Cuidado para não elevar os ombros. Troque de lado. · 21

6. Exercício de períneo - Kegel Deitada de costas, contraia o assoalho pélvico por 3 segundos e relaxe. Comece com cinco repetições. Pode fazer várias séries por dia. · 22

1. Posições de repouso A) Deite-se de costas, com a cabeça apoiada em um travesseiro. Coloque almofadas sob a perna até que se forme um ângulo de quase 90 graus. B) Deite-se de lado, com a cabeça apoiada sobre o braço e coloque um travesseiro entre as pernas. 2. Exercício de períneo Deitada de costas, contraia o assoalho pélvico por 3 segundos e relaxe. Comece com 5 repetições. Pode fazer várias séries por dia. · 23

3. Exercício para pernas Deite-se de costas, f exione uma das pernas e coloque uma almofada sob o joelho da outra. Empurre a almofada para baixo e segure por 5 segundos. Relaxe. Pode fazer várias vezes por dia. 4. Exercício respiratório Deitada de lado, inspire profundamente enquanto eleva o braço. Deixe o ar sair naturalmente enquanto abaixa. 5. Alongamento de peitorais Deitada de costas e com as pernas f exionadas, mantenha os braços nesta posição por 30 segundos e relaxe. Faça várias vezes ao dia. · 24

6. Exercício para pés Sente-se na beira da cama, com as mãos apoiadas no colchão. Movimente os pés em todas as direções: f exão, extensão e rotação; isso previne edemas e mantém o tônus muscular. · 25

Pós-Parto 1. Exercício de períneo - Kegel Deitada de costas, contraia o assoalho pélvico por 3 segundos e relaxe. Comece com cinco repetições. Pode fazer várias séries por dia. 2. Exercício de abdome A) Deitada de costas, inspire e, em seguida, empurre as costas na cama enquanto sopra todo o ar para fora. B) Deitada de costas, inspire e eleve a cabeça da cama enquanto sopra o ar, “fechando” a barriga. · 26

3. Flexão de joelhos (“agachadinhas”) Encostada em uma parede, inspire e, ao expirar, desça agachando, lexionando os joelhos enquanto contrai o assoalho pélvico e os músculos abdominais. Faça cinco vezes. · 27

4. Exercício para pernas Sentada com a coluna ereta e os pés para baixo, estique e dobre um joelho com o pé puxado em sua direção. Faça séries de dez repetições. · 28

5. Exercício de bíceps e tríceps A) Sentada, dobre os cotovelos com as mãos voltadas para cima até a altura dos seios. Em seguida, estenda-os lentamente para baixo. Mantenha os cotovelos junto ao tronco. Faça séries de dez repetições. B) Sentada, com os cotovelos dobrados acima dos ombros e apontados para frente, estenda os braços acima da cabeça e volte à posição inicial. Faça séries de dez repetições. · 29

Situações especiais Pré-eclampsia: Também conhecida como pressão alta na gravidez é uma complicação causada por um defeito na placenta devido ao grande aumento da pressão sangüínea. A gestante passa a reter líquidos e eliminar proteínas pela urina. Já o feto cresce com lentidão, porque não recebe alimento e oxigênio suficientes através da placenta. É composta pela tríade: edema, proteinúria e pressão alta. Eclampsia: Aparecimento de convulsões em gestantes hipertensas. Hipertensão arterial severa: Identificada na 20ª semana de gestação e persiste até a 42ª. Sua saúde é muito importante para nós e para seu bebê, então se cuide! Fatores de Risco: Ocorre mais na primeira gestação, mulheres com mais de 35 anos, fumantes, mulheres com doenças renais, Diabetes Melittus; Gemiparidade e que tenham antecedentes familiares. Sinais de alerta: Dor de cabeça forte, problemas de visão - luzes piscando diante dos olhos, dor aguda abaixo das costelas, vômitos e suores repentinos no rosto, mãos e pés. · 30

O bebê nasceu É hora de se alegrar, confraternizar, encantar e parabenizar pela vitória, que é da mulher, do homem, do bebê, dos familiares e profissionais. Mas atenção: • A chegada do bebê desperta muitas ansiedades e os sintomas depressivos podem ser comuns. Fragilidade, hiperemotividade, alterações de humor, falta de confiança em si própria podem ser comuns. Em alguns casos, é preciso uma ajuda especializada, como nos casos de depressão pós-parto; • O bebê passa a ser vivenciado como um ser real e, muitas vezes, diferente do que foi idealizado; • A mulher continua a precisar de amparo e proteção, assim como ao longo da gravidez; • Para o companheiro, ele pode se sentir participante ativo ou completamente excluído, cabe à nova mamãe incluir o papai nos cuidados com o bebê; • Se o casal já tem outros filhos, é bem possível que apareça o ciúme, por isso é importante prever os rearranjos familiares e preparar os outros filhos; • Novos desafios surgirão nesta fase, é importante ter tranqüilidade, apoio da família e certeza de que os filhos nos foram dados para aprendermos muitas coisas em nossas vidas. Aleitamento materno Vantagens do aleitamento materno para o bebê: • Maior contato mãe-filho; • Contém endorfina, substância química que ajuda a suprimir a dor; • Contém todos os nutrientes de que a criança precisa (água, proteína, gorduras, pequena porcentagem de lactose, vitaminas, ferro, sais, sódio, cálcio, fósforo, uma enzima especiallactose que digere as gorduras); • Desenvolvem menos quadros infecciosos (células brancas, anticorpos, fator bífido, lactoferrina); · 31

• Desenvolvimento das mandíbulas; • Praticidade; • Bebês prematuros são especialmente beneficiados pela amamentação; • Apresentam menores risco de desenvolver enterocolite necrotizante; • Protege o bebê contra problemas de visão; • Incidência menor de cólicas no bebê; • Maior troca de afeto com a mãe. Vantagens do aleitamento materno para a mãe: • Se sente mais segura e menos ansiosa; • Proporciona maior rapidez na diminuição do volume do útero e evita hemorragia pósparto; • Tem menor risco de desenvolver câncer de mama; • Amamentação exclusiva protege contra anemia; • Diminui o risco de osteoporose e câncer de mama na vida madura; • Ajuda a mulher a voltar ao peso normal mais rapidamente; • Amamentar é prático; • Está sempre na temperatura ideal. · 32

Vantagens do aleitamento materno para a família: • A amamentação é mais econômica para a família; • Praticidade; • Os bebês amamentados adoecem menos; • Melhora a qualidade de vida das crianças e de toda família; Composição do Leite Materno Tipos de leite COLOSTRO • É amarelo e mais grosso que o leite maduro e é secretado apenas em pequenas quantidades e por cerca de sete dias; • É o 1º leite secretado; • Dá a primeira “imunização” para o bebê (Atenção: não substitui o esquema de vacinação básico); • Rico em fatores de crescimento que estimulam o intestino imaturo da criança a se desenvolver; • É laxativo e auxilia a eliminação de mecônio. · 33

LEITE MADURO O colostro é exatamente o que o bebê precisa nos primeiros dias!!!!! • Começa a ser secretado em torno de 7 a 10 dias; • Contém todos os nutrientes que a criança precisa para crescer; • Parece mais ralo que o leite de vaca; • O leite maduro divide-se em leite do começo e do fim: Leite do começo • Surge no início da mamada, parece acinzentado e aguado; • Rico em proteína, lactose, vitaminas, minerais e água; • Secretado até ± 10 minutos; • Mata a sede do bebê. Leite do fim • Mais branco que o leite do começo, porque contém mais gordura; • Mata a fome do bebê, fazendo o bebê engordar. · 34 O bebê precisa tanto do leite do começo como do fim para crescer e se desenvolver. Assim ele toma o leite do começo para matar a sede e o leite do final para matar a fome. É importante que ele pare espontaneamente de mamar.

Segredos da amamentação PEGA CORRETA Lembrete: o leite excedente poderá ser doado ao Banco de Leite do HU. Você ajudará a salvar uma vida. Telefone: (43) 3371 23 90 • Todo o corpo do bebê está junto da mãe; • A boca e a mandíbula estão juntas do peito da mãe; • A boca do bebê está bem aberta; • Não se consegue ver quase nada da auréola; • O bebê dá chupadas grandes e espaçadas; • O bebê está relaxado e tranqüilo; • O bebê mama sem fazer barulho; • A mãe não sente dor nos mamilos (só umas Não use compressas quentes na mama. Se tiver algum problema com a amamentação converse com seu médico. fisgadas no começo); • Quanto mais o bebê mamar mais leite a mãe produz. AMAMENTAÇÃO Não passar sabonete no peito durante o banho. Pode deixar a espuma passar, mas o contato direto com o sabonete propicia o ressecamento da pele; Evitar o uso de cremes ou óleos hidratantes, principalmente no mamilo e na auréola do peito, pois pode deixar a pele muito sensível facilitando a formação de machucados na região; Se o peito já estiver machucado, não usar compressas quentes sobre ele para aliviar a dor. NUNCA UTILIZE COMPRESSAS QUENTES. Em caso de mamas muito “ingurgitadas”, cheias, como medida para aliviar a dor, fazer · compressa fria e esvaziar a mama. 35

Passe seu próprio leite sobre os mamilos, para hidratá-los e como forma de higienizar antes e após cada mamada; Se houver ambiente favorável, tomar banho de sol nos mamilos, todos os dias no início da manhã, por 10 a 15 minutos, pode fazer com que o mamilo fique mais forte. Alimentação na amamentação NUTRIZ: Durante o período de amamentação ocorre um aumento de 4 a 5% na taxa de metabolismo basal da nutriz, devido ao gasto adicional para a síntese de leite. Portanto, nos primeiros 6 meses deve haver um acréscimo de aproximadamente 500 calorias/dia em CURIOSIDADE: Para cada litro de leite que a mãe produz há um dispêndio de 900 calorias. sua dieta. ALIMENTAÇÃO DA NUTRIZ A dieta da lactante deve ter variedade, com todos os grupos de alimentos. Cuidado! Mãe que toma pouco líquido corre o risco de se desidratar e diminuir a produção de leite. · 36 Lembre-se: quanto mais colorida for a sua alimentação, mais nutrientes diferentes você estará ingerindo!

Cuidados com a saúde do bebê Cólicas, o que fazer? VERIFIQUE: 1º passo: se o bebê não está engolindo ar na Dicas: mamada; Fazer massagens circulares na barriga do bebê no sentido horário ou deitálo com as costas para baixo e f exionar as perninhas ou ainda colocá-lo sobre uma almofada com a barriga para baixo, deixando as perninhas mais baixas e fazer massagens nas costas pode ajudar a melhorar as cólicas. Outra dica é a mãe ouvir música suave e/ou fazer pequenas caminhadas para relaxar. 2º passo: se o bebê não está mamando apenas o leite do início da mamada (maior teor de lactose favorece formação de gases); 3º passo: os alimentos consumidos: faça um recordatório escrito; 4º passo: excesso de ansiedade e nervosismo da mãe. CURIOSIDADE: O pico de bebida alcoólica no sangue é de cerca de 30min a 1 hora após o consumo. Não esqueça: evite sempre o álcool, principalmente próximo ao horário da mamada. · 37

RESTRINJA O CONSUMO: Mais de três xícaras de café, chás que contenham cafeína e refrigerantes, chocolate, alimentos com corante. Lembre-se de não fumar nem fazer uso LEMBRE-SE: uma mãe saudável, bem nutrida, tem mais chances de amamentar plenamente com SUCESSO! de bebidas alcoólicas. Conheça os padrões de sono de seu bebê Nada como ver um bebê dormindo tranqüilamente. Mas, como conseguir que o bebê durma bem à noite? Não se preocupe, pouco a pouco uma rotina será criada e passada a primeira fase, suas noites serão momentos especiais de gostosos banhos mornos e interessantes sessões de leitura! Enquanto isso, os pais têm muitos perguntas a respeito do sono de seus filhos. A primeira e mais importante é: quantas horas meu bebê precisa dormir? Apresentamos algumas orientações gerais a seguir. · 38

Devido a facilidade da digestão do leite materno, seu bebê irá mamar aproximadamente a cada 2h30min ou 3h. Sendo assim nesses intervalos o bebê dorme. Após no mínimo 6 meses seu bebê poderá ter um período de sono mais prolongado em virtude da introdução de outros alimentos, não dependendo somente de leite materno. As cólicas Em relação à presença de cólica deve-se: Movimento: balanço, embalo nos braços da mãe ou do pai. Os movimentos parecem vencer a inquietação. Experimente diversas formas de movimento, pois cada bebê tem seu jeito; Sons: músicas - não muito estridentes, cantigas, zumbido de um ventilador ou outro aparelho; Contato: pesquisas revelam que carregar o bebê aconchegado ao peito numa “porta-bebê” durante as primeiras horas do dia, quando ele não está chorando, reduz a duração das crises de choro ao anoitecer, mas não a freqüência. Depois que o choro começa, o que pode ajudar é fazer uma massagem nas costas do bebê, uma leve pressão na barriga ou enrolá-lo em um cobertor ou manta; Se o ar ingerido durante a mamada não sair, poderá causar mal estar (cólicas). “Estou sentindo dor.” O choro de dor é um grito agudo seguido de um pequeno intervalo, quando o bebê pára de respirar (chamado apnéia) e de gritos angustiados, seguidos de outro grito agudo. O choro de dor continua quando você pega o bebê no colo. · 39

Soluços • Os soluços também são comuns e costumam aparecer em duas situações. A primeira é após as mamadas, quando o bebê está de barriga cheia. Neste caso, basta só esperar o esvaziamento do estômago e o problema estará resolvido; • A segunda é quando o bebê está com frio (por fralda molhada ou por estar com pouca roupa). Neste caso, basta trocá-lo ou agasalhá-lo melhor e os soluços passam. Cuidados com o coto umbilical • Deixe o maior tempo possível o coto em contato com o ar. Certifique-se que o local esteja sempre seco e limpo; • Limpar o coto durante o banho com água e sabão; • Para limpar o coto, utilize um algodão limpo e umedecido em produto recomendado pelo pediatra; • Após a queda do coto, a região deve ser limpa e seca diariamente para que o processo de cicatrização seja concluído. Cuidados com o banho • Deixe tudo pronto antecipadamente: o sabonete do bebê, a toalha, as fraldas, roupinhas limpas, etc. • Utilize de preferência banheiras antideslizantes e bem apoiadas. Verifique se a água não está quente demais. (utilizando as dobras do cotovelo); • Comece o banho pela cabeça e depois os braços e pernas e por último as genitálias. · 40

Evacuação • A partir do 2º ou 3º mês, o bebê em aleitamento materno exclusivo pode ficar sem evacuar até 4 – 5 dias. Essa situação é normal, pois o leite materno deixa pouco resíduo para produzir fezes que são o estímulo para a evacuação; • Caso os sintomas persistam por um tempo prolongado, consulte o pediatra. Teste do pezinho O teste do pezinho é um exame laboratorial simples que tem o objetivo de detectar precocemente doenças metabólicas, genéticas e/ou infecciosas, que poderão causar lesões irreversíveis no bebê, como, por exemplo, retardo mental. A maioria das doenças pesquisadas pode ser tratada com sucesso desde que identificada antes mesmo de manifestar seus sintomas claramente para os pais e médicos. O exame ficou popularmente conhecido como “Teste do Pezinho” por ser realizado através da análise de amostras de sangue coletadas do calcanhar do bebê. É um procedimento simples e que não traz riscos para a criança. Basta apenas uma picada no calcanhar do bebê para retirar algumas gotinhas de sangue que serão colhidas num papel filtro e levadas para serem analisadas. O teste deve ser realizado entre as primeiras 48 horas de vida do bebê (após a primeira mamada) e antes da 3º semana (preferencialmente). Esta atitude possibilita melhor resposta ao tratamento em caso de detecção de alguma doença. · 41

Teste da orelhinha A triagem auditiva neonatal (Teste da Orelhinha) é um programa de avaliação da audição em recém-nascidos, indicada para diagnóstico precoce de perda auditiva. A técnica mais utilizada para a triagem auditiva neonatal é o exame de Emissões Otoacústicas Evocadas que é um exame objetivo, indolor, de rápida execução, feito em sono natural. O exame deverá ser realizado a partir do nascimento, preferencialmente nos primeiros 3 meses de vida do bebê. O diagnóstico precoce da surdez possibilita o início da reabilitação no máximo aos 6 meses de vida, proporcionando maior chance de que a criança tenha o desenvolvimento normal da fala e da linguagem. IMPORTANTE: • Os testes do pezinho e da orelhinha só são realizados mediante agendamento prévio. • Informações sobre cobertura contratual, liberação e agendamento pelo telefone: 3375-5050 • Local de realização: Rua Souza Naves, 1000 – Serviço de Medicina Preventiva. · 42 Cartilha elaborada pelo Serviço de Medicina Preventiva – Unimed de Londrina.

3375-5050 Material impresso em papel 100% reciclado. A Unimed Londrina utiliza produtos ecologicamente corretos para preservar o meio ambiente e garantir a sustentabilidade do planeta.

Add a comment

Related presentations

Related pages

MATERNO FETAL - MANUAL DA GESTANTE 1

MANUAL DA GESTANTE - PRIMEIRO MÊS : GRAVIDEZ MÊS A MÊS Como é a evolução do bebê ao longo dos nove meses dentro do seu ventre? O que posso ou não ...
Read more

Manual da Gestante | Facebook

Manual da Gestante. 3,933 likes · 24 talking about this. A magia de gerar uma nova Vida! ♥
Read more

Hospital Ernesto Dornelles - Página Inicial

ASPECTOS PSICOLÓGICOS DA GESTAÇÃO, PARTO E PUERPÉRIO. Enquanto estiver ocorrendo este desenvolvimento na vida do bebê, alterações físicas estarão ...
Read more

Manual da Gestante - Timeline | Facebook

Manual da Gestante. 3,941 likes · 17 talking about this. A magia de gerar uma nova Vida! ♥
Read more

Manual da Mamãe

Novidades mil sobre as transformações da gestante e o desenvolvimento mês a mês do bebê. Quarto e enxovais estarão prontos, ... Manual da Mamãe.
Read more

Manual Da Gestante - scribd.com

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas PRÉ-NATAL E PUERPÉRIO ATENÇÃO QUALIFICADA ...
Read more

Manual da Gestante - Unimed Londrina

8 A gestação é um evento complexo, com mudanças em diversas esferas da vida da gestante. Primeiro Trimestre: Nesta fase, uma das alterações mais ...
Read more

My Room: Manual da Gestante

My Room: Manual da Gestante
Read more

Manual Da Gestante. Orientacoes Especiais Para Mulheres ...

Arnaldo Schizzi Cambiaghi - Manual Da Gestante. Orientacoes Especiais Para Mulheres Gravidas (Em jetzt kaufen. Kundrezensionen und 0.0 Sterne. …
Read more

Manual Técnico do Pré-Natal e Puerpério

Manual Técnico do Pré-Natal e Puerpério Atenção a Gestante e a Puérpera no SUS-SP Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo 2010
Read more