livro didático e paradidático

89 %
11 %
Information about livro didático e paradidático

Published on October 2, 2014

Author: erikamelo75641

Source: slideshare.net

Alunas 3º semestre - Pedagogia Edneide Jesus de Souza Érika Batista de Melo Leticia Batista Mazzitello Lilian Pereira Lozano Jurema Ap.Tavares Francisco Maiara Oliveira Reis Márcia Carolina da Silva Disciplina : Metodologias e Fundamentos da História Profª Sheila

4- LIVRO DIDÁTICO E PARADIDÁTICO

Livro DIDÁTICO e PARADIDÁTICO são diferentes quanto aos seus objetivos e suas funções:  O objetivo do LIVRO DIDÁTICO é apresentar uma proposta pedagógica de um conteúdo selecionado no vasto campo de conhecimento em que se insere a disciplina a que se destina, organizado segundo uma progressão claramente definida e apresentado sob forma didática adequada aos processos cognitivos próprios a esse conteúdo e ainda própria à etapa de desenvolvimento e de aprendizagem em que se encontre o aluno. Sua função, é servir de suporte para o ensino, um instrumento de trabalho para o professor e aluno. View slide

 Já o livro paradidático tem por objetivo aprofundar ou ampliar um determinado tópico ou tema do conteúdo de uma ou mais disciplinas; sua função não é a de dar suporte ao ensino e à aprendizagem, como o livro didático, mas é a de auxiliar o ensino e a aprendizagem; uma outra diferença é que, enquanto o livro didático é concebido para um uso sobretudo coletivo e, de certa forma, obrigatório, o paradidático é concebido para uma leitura individual e freqüentemente facultativa View slide

LIVRO DIDÁTICO  O livro didático é um objeto cultural contraditório que gera intensas polêmicas e críticas de muitos setores, mas tem sido sempre considerado como um instrumento fundamental no processo de escolarização. O livro didático provoca debates no Brasil, as políticas públicas para o livro didático são representadas pelo PNLD (Programa Nacional do Livro Didático).  A obra vem abordar um assunto que tem sido muito discutido na atualidade a respeito do livro didático. Será que ele é realmente necessário na sala de aula, ou deve ser abolido?

1-CONHECENDO A TRAJETÓRIA DO LIVRO DIDÁTICO NO BRASIL  O Livro Didático é usado no Brasil desde a década de 1930, com o apoio do governo, e desde então se tornou item indispensável nas salas de aula brasileiras. É importante ressaltar que o Livro Didático é considerado o mais influente artifício no processo de aprendizagem de História, tanto no Ensino Fundamental, quanto no Médio. • 1938 - Instituída pelo Ministério da Educação, a Comissão Nacional do Livro Didático (CNLD) estabelece condições para a produção, importação e utilização do livro didático.  1966 - Criação da Comissão do Livro Técnico e do Livro Didático (Colted), com o objetivo de coordenar as ações referentes à produção, edição e distribuição do livro didático. • 1971 - O Instituto Nacional do Livro (INL) passa a desenvolver o Programa do Livro Didático para o Ensino Fundamental (Plidef), ao assumir as atribuições administrativas e de gerenciamento dos recursos financeiros, até então sob a responsabilidade da Colted.

 1976 - A Fundação Nacional do Material Escolar (Fename) torna-se responsável pela execução dos programas do livro didático.  1983 - Criação da Fundação de Assistência ao Estudante (FAE), que passa a incorporar o Plidef.  1985 - Instituição do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), em substituição ao Programa do Livro Didático para o Ensino Fundamental (Plidef,. tendo como objetivo a aquisição e distribuição universal e gratuita de livros didáticos para os alunos da rede pública do ensino fundamental, sendo que a política de planejamento, compra,avaliação e distribuição do livro escolar é centralizada no governo federal.  1993 – Instituição, pelo Ministério da Educação, de comissão de especialistas encarregada de avaliar a qualidade dos livros mais solicitados pelos professores e de estabelecer critérios gerais de avaliação.

 1996 - Início do processo de avaliação pedagógica dos livros didáticos (PNLD/1997).  1997 - Extinção da Fundação de Assistência ao Estudante (FAE) e transferência da execução do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).  1999 - Nomeação da Comissão Técnica por meio de Portaria Ministerial.  2001 – Primeira Avaliação dos dicionários distribuídos aos alunos do Ensino Fundamental.  2002 - O MEC realiza a avaliação dos livros didáticos em parceria com as universidades.  2003 - Alcança o objetivo de contemplar todos os estudantes do ensino fundamental com um material pedagógico que os acompanhará continuamente em todas as suas atividades escolares.  2006 - O PNLEM é estendido a todo o país, com a distribuição de livros das disciplinas do currículo

2- Refletindo sobre o Livro Didático de História O livro didático faz parte da cultura e da memória visual de muitas gerações e, ao longo de tantas transformações na sociedade, ele ainda possui uma função relevante para a criança,na missão de atuar como mediador na construção do conhecimento.O meio exige atenção intenção, pausa e concentração para refletir e compreender a mensagem, diferente do que acontece com outras mídias como a televisão e o rádio, que não necessariamente obrigam o sujeito a parar. O livro, por meio de seu conteúdo, mas também de sua forma, expressa em um projeto gráfico, tem justamente a função de chamar a atenção, provocar a intenção e promover a leitura.

Observando desta forma, o livro didático torna-se um utensílio de peso no tocante à educação entretanto novos estudos destacam os cuidados que o educador deve tomar para evitar o uso exagerado do livro em classe. A extrema dependência do Livro didático tem empobrecido os conteúdos das aulas de História em todo o país, já que os educadores se valem do uso de uma única fonte, no caso um só livro, que acaba tornando-se um manual da “verdade absoluta”. Como reflexo, os alunos não constroem uma visão crítica sobre a História, tornando-se meros copiadores dos conceitos abordados no livro didático adotado em sua classe. Esta situação ocorre não somente pela má formação dos professores brasileiros, mas também pela direção da escola ou coordenadores que preferem somente os livros didáticos por ser mais cômodo e fácil para estoque e distribuição a todos os alunos, deixando em segundo plano por algumas vezes a qualidade das aulas e um rendimento satisfatório de todo o grupo.

* PARA QUE VEIO O PARADIDÁTICO A autora coloca o livro como um material importante, contudo, ele deve ser acompanhado por vários saberes, por diferentes visões para criar no aluno uma visão crítica. Há, entretanto, professores que se preocupam com o a situação desta dependência do Livro Didático, aderindo ao uso de complementos paradidáticos, uma alternativa bastante interessante e que proporciona uma maior gama de conhecimento. A Nova História Cultural abriu um enorme leque para o mercado da História, revistas de História, filmes, canais de TV por assinatura dedicados à ciência histórica e inúmeros títulos de livros paradidáticos, que contemplam as especificidades históricas, e até mesmo, de uma forma divertida. O problema maior é a situação dos alunos carentes das escolas públicas, que não possuem condições para adquirir estes paradidáticos, e que geralmente não são distribuídos pelo governo. Por mais que sejam materiais existentes há algum tempo como aliados educacionais do livro didático de História, muitos professores não os vêem com esse papel para as aulas de História do Ensino Fundamental, atribuindo por falta de uma formação dinamizada ou por acomodamento, colocando para o livro didático de História o único meio sistemático e “correto” para a aprendizagem, trazendo alienação ao invés de trabalho diferenciado com outros meios de informação.

CONCLUSÃO  Entre o oficial e o real, há um mundo a ser pesquisado, no qual se encontram as diferentes maneiras de lidar com os livros didáticos no processo constante na disputa, entre “ estratégias e táticas” no cotidiano escolar. As formas de se trabalhar o livro didático de História são variadas e acreditamos que o embasamento teórico-metodológico do professor faz toda a diferença na “ condução” do processo escolha e de ensino- aprendizagem em sala de aula.

 Nós diríamos que não; o livro didático tem objetivos e funções indissoluvelmente ligados à própria essência e natureza da escola e do ensino, e como comentamos anteriormente, não pode ser substituído por um material que tem objetivos e funções diferentes; o paradidático certamente contribui na busca dos objetivos e no desempenho das funções que tem o livro didático, mas não tem condições de substituí-lo. Mas convém lembrar que os paradidáticos, que se multiplicaram nas últimas nas últimas décadas, vêm oferecer aos professores uma valiosa alternativa, entre as muitas e várias outras de que eles dispõem, para que não se limitem ao livro didático, exerçam sua autonomia e liberdade para ir além dele, enriquecê-lo e ampliá-lo.  Por isso, lembramos neste momento que, se nossos alunos desejam um futuro brilhante e promissor diante das transformações sociais e nossos professores almejam aperfeiçoamento de sua profissão docente dentro do meio educacional necessitam agregar outros materiais que não sejam só os livros didáticos de História, mas outras fontes que proporcionem um preparo diante da “revolução informacional”, que é uma vertente para os próximos anos.

 REFERENCIAS:  Qual a diferença entre livro didático e paradidático< Disponível em:< https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20071119135435AAhTXIr> Acesso em : 01 de set.2014  MELO , A.V. DA S.. O livro Didático e o professor de História: Divergências e Convergências na Educação. Disponível em : < http://www.historiahistoria.com.br/materia.cfm?tb=alunos&id=369> Acesso em: 01 de set.2014.  FRANÇA, C.S. Livro Didático. Disponível em :< http://www.manoel.pro.br/livrodidatico.pdf>. Acesso em: 05 de set.2014.  PELETTI, A.B . Livro Didático e o Ensino de História. Disponível em: < http://pt.slideshare.net/amiltonp/livro-didtico-e-o-ensino-de-histria> Acesso em: 08 de set.2014.  FONSECA, S.G. Livro: Didática e Pratica de ensino de História [2006]. 5ª edição. Editora: Papirus

Add a comment

Related pages

Qual a diferença entre livro didático e livro paradidático ...

Livro didático e paradidático são diferentes quanto a seus objetivos e suas funções. O objetivo do livro didático é apresentar uma ...
Read more

Projeto Didático do Livro Paradidático | blogensinofupedagogia

“Projeto Didático do Livro Paradidático” “Felpo Filva”3° Ano ValinhosMarço/ Abril/ 2014Projeto Didático do Livro Paradidático ...
Read more

O livro paradidático em sala de aula: do planejamento ao ...

O livro paradidático em sala de aula: do planejamento ao uso Bernardo Mançano Fernandes ... A questão do livro didático no ensino de geografia
Read more

o que é um livro paradidático? | Yahoo Respostas

Melhor resposta: Livro paradidático são livros para a 5ª até a 8ª série são livros pequenos, que falam sobre o cotidiano atual ou antigo.
Read more

rostodellaart | Livros

Didático; Diversos; Contato; Ilustração para livro infatil paradidático, cartilhas e revistas. Livros. ILUSTRAÇÃO. Apresentação; Livros; ...
Read more

Sistema PeC de Ensino - Ensino Infantil, Ensino ...

Ensino Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Preparatórios, EJA, Livros paradidático. ... Livro Didático digital; Simulados e Banco de Questões;
Read more

paradidáticos | Educabrasil

... (Programa Nacional do Livro Didático) e a decisão de alguns Estados, como São Paulo, de investir nesse tipo de livro. ...
Read more

Livros Didáticos e Paradidáticos (1 de 1)

Livros Didáticos e Paradidáticos (1 de 1) O livro didático, normalmente, é o material mais freqüente no cotidiano escolar do aluno. Esse tipo de livro
Read more

Livros - Os melhores Livros estão aqui - Submarino.com.br

Livro - Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais (20) DeR$ 241,82. R$ 75,90. Em outras lojas a partir de R$ 75,90. Economize 68% ...
Read more