Kypho X Vertebroplasty Ricardo Ferreia

50 %
50 %
Information about Kypho X Vertebroplasty Ricardo Ferreia
Health & Medicine

Published on July 1, 2009

Author: ricardoferreira

Source: slideshare.net

Description

Kyphoplasty versus vertebroplasty

Cifoplastia Vs Vertebroplastia Ricardo Ferreira Ra fa e l Mo ra e s R ic a r d o F e r r e ir a

Fraturas Vertebrais Estado da Arte e Conhecimento

Princípios Gerais do Tratamento • Alívio da Dor • Restaurar a função de antes da fratura • Evitar repouso prolongado • Mobilidade Precoce • Evitar Complicações

Fisiologia do Envelhecimento Reserva Funcional Orgânica Comorbidades Osteoporose 50-60 anos 20% em < 45 anos 20 % Homens 65% em > 70 anos 36 % Mulheres

Fatores de Risco Fatores de risco mais comuns 1 Corticoterapia 34% 36% Menopausa Precoce 10% 20% Desnutrição Outros fatores • Tannenbaum C et al. J Clin Endocrin Metab. 2002;87:4431–4437.

Risco de fraturas em corticoterapia • Risco 2,6 x Maior fraturas vertebrais Risco de Usuários de Grupo Controle (n=244,235) corticóides (n=244,235) van Staa TP et al. J Bone Miner Res. 2000;15:993–1000.

Osteoporose no Brasil • 10 milhões de brasileiros – 2/3 sem diagnóstico – 1/5 em Tratamento • 2,4 milhões de frat / ano – Risco de Fratura de Quadril • Homem 11 % • Mulher 22 % – 200.000 Morrerão em Conseqüência IOF - International Osteoporosis Foundation MS-INTO

Números Alarmantes ( EUA ) • 1.5 milhões de Fraturas osteoporóticas / ano 700.000 Coluna 700 600 300.000 Quadril 500 400 250.000 Punho 300 200 300.000 Outras 100 0 • Custo direto com tratamento de fraturas osteoporóticas Coluna Quadril Punho Outros $18 Bilhões / ano • Prognóstico : 20% dos idosos com fraturas no quadril morrem até 1 ano 20% dos idosos com fraturas no quadril perderão a independência National Osteoporosis Foundation.

Conseqüências Psicosociais Frat Vertebral Dependência Depressão Qualidade de Vida Auto-estima

Diferenças de Suporte

A Espiral Descendente Dorsalgia Problemas Cifose Cardio - Pulmonares Risco de Fraturas Capacidade Pulmonar Mortalidade Massa Óssea Prostração Sedentarismo Apetite Insônia

Dificuldades de Diagnóstico  Frequentemente Negligenciada 1,2,3  Algumas vezes Oligossintomática  Após atividades do dia-a-dia ou Trauma Leve  Dificuldade de visualização ao Rx  Dorsalgia Crônica  Inúmeras outras causas de Dorsalgia • Cooper C et al. J Bone Min Res. 1992;7:221–227. • Frost HM. Orthop Clin North Am. 1981;12:671–681. • Parfitt AM, Duncan H. In: Rothman RH, Simeone FA, eds. The Spine. 2nd Edition. Philadelphia: WM Saunders;1982:775–905.

Identificando Fraturas Vertebrais Sinais de Alerta Cifose Torácica Mulher após 55 anos Perda de massa óssea Perda de 5 cm ou + Corticoterapia (≥7.5 mg prednisolona) Diagnóstico de Osteoporose • Ismail AA et al. Osteoporos Int. 1999;9:206–213.

Identificando Fraturas Vertebrais Locais mais freqüentes • Região médio-torácica ( T7 – T8 ) • Junção toraco-lombar ( T12 – L1 )1 – Correspondem as regiões mais flexíveis da coluna • Nevitt MC et al. Bone. 1999;25:613–619. • Cooper C et al. J Bone Min Res. 1992;7:221–227.

Diagnóstico • História – Dorsalgia Aguda ou Sub aguda – Trauma de Baixa energia – Faixa Etária • TC • RM • Cintilografia • Investigar outras Causas

RX

TC

RM ( STIR )

Cintilografia Óssea

PET/CT

Red Flags • Características •Fratura em < 50 anos sem trauma •Fratura (acima T4) sem trauma •Febre •Perda de Peso •Histórico de neoplasia prévia •Tabagismo / Etilismo •Alterações neurológicas • Descartar •Metástases •Mieloma •Infecções

Tratamentos • Essencialmente CONSERVADOR – Uso de Órteses Semi - Rígidas ( OTLS, TAYLOR ) – Analgesia ( Opióides, AINH, Calcitonina ) – Tratamento da Osteoporose • Tratamentos Cirúrgicos – Na Falha dos Tratamentos Conservadores

Indicação de Cirurgia FALHA DO TRATAMENTO CONSERVADOR

Definição Vertebroplastia Restabelecimento da Resistência à carga axial sobre um corpo vertebral, através da aplicação de PMM no seu interior.

Definição : Cifoplastia Redução da Deformidade Cifótica e Criação de Cavidade para receber PMM no Interior do Corpo Vertebral, para Restabelecimento da Resistência à carga axial e Biomecânica da Coluna.

Mecanismos de Alívio da Dor Estabilização Mecânica Alívio da Carga Facetária Efeitos Químicos, Vasculares e Térmicos

Técnica Cirúrgica VERTEBROPLASTIA

Vertebroplastia

Técnica Cirúrgica CIFOPLASTIA

Cifoplast ia

Críticas à Vertebroplastia • Quanto a Cifose : – Não Reduz a Deformidade – Fraturas Adjacentes • Quanto a Entrada do Cimento : – Entrada do Cimento sob Pressão – Menor Controle do Local – Menor Controle da Distribuição – Menor Volume – Maior Extravasamento

Difusão do PMM

Resultados Clínicos Estado do Conhecimento – Gangi, Radiology 1999 • 289 Vertebroplastias em 105 Pcts Bons e Ótimos resultados 90 % dos casos de Osteoporose 83% dos casos de Tumores – Lieberman, Spine 2001 • 70 Cifoplastias em 30 Pcts Virtualmente TODOS melhoraram 47% Restauração da Altura do Corpo 8% Extravasamento contra até 67% da Vertebroplastia – Steven Garfin, , Spine 2006 • 115 Pcts em 19 Centros • Conclusão: Pacientes idosos, com dor lombar por fraturas de corpos vertebrais, quando submetidos a cifoplastia por balão tiveram rápida, importante e duradoura melhora na dor lombar, função e qualidade de vida

Caso Típico

Tratamento

Cifoplastia

Estado da Prática

Punção

Colocação da Cânula

Biópsia e Drillagem

Balão

Pré e Pós Balão

Cimentação

TEMPO 30 min

OBRIGADO RICARDO FERREIRA ricardoferreira@lombar.com.br www.lombar.com.br

Add a comment

Related presentations