Introdução aos Processos

30 %
70 %
Information about Introdução aos Processos
Education

Published on February 20, 2014

Author: _IsabelVitoria

Source: slideshare.net

Agendamento de processos

 A multiprogramação é uma técnica utilizada em sistemas operacionais para maximizar o uso da CPU. Nessa técnica, a memória é dividida em várias partes que contem um job cada. Enquanto um job está fazendo uma operação de entrada e saída, a CPU passa a executar outro job que esteja em outra parte da memória, evitando a ociosidade da CPU.

 Todos os computadores modernos podem fazer várias coisas ao mesmo tempo.  Em um sistema de multiprogramação , a CPU também alterna de um para o outro, executando cada um por dezenas ou centenas de milissegundos.  Essa alternância entre programas da CPU pode ser chamada de PSEUDOPARALELISMO.

 Ser justo: Todos os processos devem ser tratados igualmente, tendo possibilidades idênticas de uso do processador, devendo ser evitado o adiamento indefinido.  Maximizar a produtividade (troughput): Procurar maximizar o número de tarefas processadas por unidade de tempo.  Ser previsível: Uma tarefa deveria ser sempre executada com aproximadamente o mesmo tempo e custo computacional. Minimizar o tempo de resposta para usuários interativos. 

 O monitoramento de vários processos é uma atividade complexa e por esta razão foram sendo criados alguns modelos que tornam essa alternância entre processos, mais fácil de ser tratado. Trataremos em nosso trabalho do modelo de quatro modelos de agendamento: O agendamento garantido, agendamento por sorteio, agendamento de tempo real e agendamento de dois níveis.

Busca cumprir promessas de alocação de CPU o mais preciso possível.

 O SO faz promessas e deve mantê-las.  O agendador sabe exatamente o tempo necessário para realizar cada operação do sistema operacional.  Cada operação deve ter um tempo máximo de execução garantido.  O agendador garantido altera a prioridade dinamicamente, garantindo o mesmo tempo de execução.  A Fórmula que a CPU usa para determinar o tempo de cada programa é: ( 1/n CPU).

 Supondo que se tenha x usuários conectados quando você estiver trabalhando, você receberá apenas 1/x do desempenho da CPU.  Para o cumprimento dessa promessa, o sistema deve monitorar quanto da CPU cada processo teve.  Ele garante aos processos sua execução, dando a todos eles a mesma quantidade de tempo de execução utilizando a CPU .  O sistema calcula quanto da CPU é atribuído a cada processo, ou seja, o tempo desde sua criação dividido por x.  A proporção entre o tempo real da CPU e o tempo da CPU atribuído é simples, levando-se em conta que a quantidade de tempo da CPU é conhecida.

 Exemplo: Se 3 processos querem executar, o agendador fornece a cada um deles 3 segundos de execução para utilizar CPU. O 1º processo executa 3 segundos e pára, então entra o 2º executa 3 segundos e pára, o 3º executa em 3 segundos pára e o 1º executa novamente 3 segundos e assim por diante até eles terminarem sua execução.

O Sistema Operacional distribui tokens (fichas), numerados entre os processos, para o escalonamento é sorteado um numero aleatório para que o processo ganhe a vez na CPU, processos com mais tokens têm mais chance de receber antes a CPU.

   O agendamento por sorteio, tem como base a distribuição de bilhetes de loteria de processos, há um sorteio 50 vezes por segundo assim o ganhador deste sorteio recebe uma pequena porcentagem do tempo da CPU, ou seja, recebe 20ms da mesma. Processos mais importantes recebem bilhetes extra para que haja uma maior chance dos mesmo serem ganhadores. Uma grande desvantagem desse agendamento é que ele pode demorar para executar um processo que merece prioridade, mesmo que esse tenha bilhetes extras.

 Quando se tem a necessidade de tomar uma decisão, o agendador faz um sorteio aleatório dessa forma a tarefa que estiver com esse bilhete irá receber o recurso.

Nesse sistema, o tempo realiza uma função essencial, o computador deve interagir dentro de uma quantidade fixa de tempo.

 Um sistema de tempo real é um sistema em que o tempo desempenha um papel essencial. Em geral, um ou mais dispositivos físicos externos para o computador geram estímulos, e o computador deve interagir apropriadamente a eles dentro de uma quantidade fixa de tempo.

Hard real time: significa que há prazos finais a serem cumpridos.  Soft real time: É a toleração de perda de prazo final .  O agendador tem como função fazer com que em ambos os casos o prazo seja cumprido.  Os algoritmos de agendamento de tempo real podem ser dinâmicos ou estáticos. 

No caso de a memória principal for insuficiente, alguns processos temporários terão que permanecer em disco, inteiros ou em partes. Isso implica em comutações entre disco e Memória e uma maneira prática para lidar com essa comutação de processos é utilizar um agendador de dois níveis;

Um “agendador” de dois níveis deve mover processos entre disco e memória e também eleger processos para executar na memória.  Critérios para execução de processos: 1. Tempo em que o processo ficou no disco e memória. 2. Tempo de CPU no processo. 3. Tamanho do processo. 4. Prioridade do processo. 

Andria Martins;  Ana Beatriz;  Isabel Vitória;  Haifa Franco;  Thaís Souza;  Thalia Gonçalves; 

Add a comment

Related presentations

Related pages

Introdução aos Processos de Fabricação by GEN | Grupo ...

INTRODUÇÃO AOS PROCESSOS de FABRICAÇÃO Mikell P. Groover Professor Emérito da Industrial and Systems Engineering Lehigh University. Coordenação de ...
Read more

Introdução Aos Processos Metalúrgicos - 1ª Aula

Introdução Aos Processos Metalúrgicos by j1nior1ramos in Types > School Work
Read more

Introdução aos Processos de Fabricação - Introdução ...

Baixe grátis o arquivo Introdução aos Processos de Fabricação - Introdução enviado para a disciplina de introducao-aos-processos-de-fabricacao ...
Read more

Introdução aos Processos da Engenharia Química - Wikilivros

Capítulo 0: Introdução [editar | editar código-fonte] Introdução. Objetivo do livro; Capítulo 1: Pré-requisitos [editar | editar código-fonte]
Read more

Introdução aos Processos de Fabricação de Produtos ...

12 Introdução aos processos de fabricação de produtos metálicos. 3 CONFORMAÇÃO PLÁSTICA ...
Read more

Introducao aos Processos de Soldagem - scribd.com

Introducao aos Processos de Soldagem - Free download as PDF File (.pdf), Text File (.txt) or read online for free.
Read more

Introdução aos Simuladores de Processos by on Prezi

Introdução aos Simuladores de Processos Universidade Federal de Uberlândia Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Tópicos Especiais em ...
Read more

Introdução aos Processos da Engenharia Química/Unidades ...

Para utilizá-los, basta juntar o prefixo aportuguesado e o nome da unidade, como em nanometro, micrometro, miliampère (miliampere) e deciwatt.
Read more

10 Introducao aos processos PRINCE2 - YouTube

Introducao aos processos PRINCE2 - www.athem.net.br
Read more

10 - Introdução aos processos PRINCE2® - YouTube

Os processos de um Projeto conduzido com PRINCE2. São 7 os processos de um projeto conduzido com a Metodologia PRINCE2 - Starting up a Project ...
Read more