HIST�RIA DO CINEMA

67 %
33 %
Information about HIST�RIA DO CINEMA
Entertainment

Published on October 5, 2009

Author: formacaoisabel

Source: authorstream.com

HISTÓRIA DO CINEMA : HISTÓRIA DO CINEMA História do cinema : História do cinema A questão de saber quem inventou o cinema é problemática. Hoje em dia, o cinema baseia-se em projeções públicas de imagens animadas. O cinema nasceu de várias inovações que vão desde o domínio fotográfico até a síntese do movimento utilizando a persistência da visão com a invenção de jogos ópticos. Dentre os jogos ópticos inventados vale a pena destacar: taumatrópio (inventado entre 1820 e 1825 por William Fitton), fenacistoscópio (inventado em 1829 por Joseph-Antoine Ferdinand Plateau), zootropo (em 1834 por William George Horner) praxinoscópio (em 1877 por Émile Reynaud). Taumatrópio : Taumatrópio Um disco de papelão com uma imagem em cada lado é preso a dois pedaços de barbante. Quando as cordas são torcidas rapidamente entre os dedos as imagens dos dois lados parecem se combinar em uma graças aos princípios da persistencia da visão. Por exemplo, se for desenhado num lado do disco uma gaiola e no outro um passarinho, ao rodar o fio esticado as duas imagens fundem-se dando a impressão de que o pássaro está dentro da gaiola. http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/9f/Taumatropio_fiori_e_vaso%2C_1825.gif Fenaquistiscópio : Fenaquistiscópio Fenaquistiscópio, do grego espectador ilusório, dispositivo inventado por Joseph-Antoine Ferdinand Plateau para demostrar a sua teoria da persistência na retina em 1829. Consiste em vários desenhos de um mesmo objecto, em posições ligeiramente diferentes, distribuídos por uma placa circular lisa. Quando essa placa gira em frente a um espelho, cria-se a ilusão de uma imagem em movimento. Pouco depois da sua invenção, Plateau descobriu que o número de imagens para criar uma ilusão de movimento óptima era 16, o que posteriormente utilizariam os primeiros cineastas usando 16 fotogramas por segundo para as primeiras películas. http://www.youtube.com/watch?v=WhDBGFFrmUI&feature=related http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d3/Phenakistoscope_3g07690b.gif Zootropo : Zootropo Zootropo (também conhecido como Zootrópio), do grego zoe (vida) e trope (girar), também denominado zoetrope ou daedelum, máquina estroboscópica criada em 1834 por William George Horner, composta por um tambor circular com uns cortes, através dos quais o espectador olha para que os desenhos dispostos em tiras sobre o tambor, ao girar, pareçam em movimento. Foi um jogo muito popular na época e um dos avanços até a aparição do cinema criado na primeira metade do século XIX. zootropo http://www.youtube.com/user/LCDDband#play/all/uploads-all/1/yHms9qQzNBY Praxinoscópio : Praxinoscópio O Praxynoscópio é um aparelho que projecta na tela imagens desenhadas sobre fitas transparentes, inventado pelo francês Émile Reynaud (1877). A princípio era uma máquina primitiva, composta por uma caixa de biscoitos e um único espelho, o praxinoscópio é aperfeiçoado com um sistema complexo de espelhos que permite efeitos de relevo. A multiplicação das figuras desenhadas e a adaptação de uma lanterna de projecção possibilitam a realização de truques que dão a ilusão de movimento. Derivado do Zootropo, no local das fendas eram colocados espelhos que impossibilitavam a visualização directa e dando uma impressão cintilante nos desenhos. Através de um complicado sistema de lentes e espelhos a animação era projectada em uma tela. Centenas de desenhos eram feitos para gerar 15 minutos de um espectáculo óptico aberto ao público, o primeiro denominado “Pantominus Lumineuses” (algo como enganar com luzes na tradução) foi feito pelo próprio Émile Reynaud. A apresentações eram coloridas, com trilhas sonoras condizentes com o enredo ( musicado por Gaston Paulin), cenários da sala de apresentação bem elaborados e personagens rigorosamente adaptados geraram aproximadamente 1300 apresentações em Paris. O invento funcionou até 5 anos após a invenção do cinema. Praxinoscópio http://www.youtube.com/watch?v=6rmoAWgn7BI Eadweard James Muybridge : Eadweard James Muybridge Eadweard J. Muybridge (9 de abril de 1830 – 8 de maio de 1904) foi um fotógrafo inglês , conhecido por seus experimentos com o uso de múltiplas câmaras para captar o movimento ,além de inventor do zoopraxiscópio- dispositivo para projectar os retratos de movimento que seria o precursor da película de celulóide que é usada ainda hoje. Muybridge nasceu Edward James Muggeridge , em Kingston, Inglaterra. É possível que ele tenha mudado seu nome para combinar ao rei Eadweard.Embora não tenho mudado seu nome até meados de 1870, mudou seu sobrenome a Muygridge, seguido por Muybridge - no lançamento de sua carreira fotográfica. Em 1855 Muybridge chego a São Francisco, começando sua carreira como agente e livreiro de um editor. Saiu de São Francisco no fim dessa década, e após um acidente em que sofreu lesões na cabeça , acabou por voltar a Inglaterra por alguns anos. Reapareceu em São Francisco em 1866 já com o sobrenome Muybridge , e tornou-se rapidamente bem sucedido na profissão, centrando-se sobre paisagens e assuntos arquitectónicos. http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/dd/Muybridge_race_horse_animated.gif Eadweard James Muybridge : Eadweard James Muybridge Em 1876, Eadweard James Muybridge fez uma experiência: primeiro colocou 12 e depois 24 câmaras fotográficas ao longo de um hipódromo e tirou várias fotos da passagem de um cavalo. Ele obteve assim a decomposição do movimento em várias fotografias e através de um zoopraxinoscópio pode recompor o movimento. Em 1882, Étienne-Jules Marey melhorou o aparelho de Muybridge. Em 1888, Louis Aimée Augustin Le Prince filmou uma cena de cerca de 2 segundos mas a fragilidade do papel utilizado fez com que a projecção ficasse inadequada. William Kennedy Laurie Dickson, chefe engenheiro da Edison Laboratories, inventou uma tira de celulóide contendo uma sequência de imagens que seria a base para fotografia e projecção de imagens em movimento. Em 1891, Thomas Edison inventou o cinetógrafo e posteriormente o cinetoscópio. O último era uma caixa movida a electricidade que continha a película inventada por Dickson mas com funções limitadas. O cinetoscópio não projectava o filme. Auguste e Louis Lumière : Auguste e Louis Lumière Baseado na invenção de Edison, Auguste e Louis Lumière inventaram o cinematógrafo, um aparelho portátil que consistia num aparelho três em um (máquina de filmar, de revelar e projectar). Em 1895, o pai dos irmãos Lumière, Antoine, organizou uma exibição pública paga de filmes no dia 28 de dezembro no Salão do Grand Café de Paris. A exposição foi um sucesso. Este dia, data da primeira projecção pública paga, é geralmente conhecido como o nascimento do cinema mesmo que os irmãos Lumière não tenham reivindicado para si a invenção de tal feito. Porém, as histórias americanas atribuem um maior peso a Thomas Edison pela invenção do cinema, quando na verdade o que ele fez foi reunir pequenos vídeos e exibi-los em máquinas caça-níquel, e para não perder tal fonte lucrativa sempre foi contra a exibição dos filmes em grandes salas. Slide 12: O cinematógrafo era uma máquina de filmar e projector de cinema, invento que lhes tem sido atribuído mas que na verdade foi inventado por Léon Bouly, em 1892, que terá perdido a patente, de novo registada pelos Lumière a 13 de Fevereiro de 1895. Auguste e Louis Lumière : Auguste e Louis Lumière Os irmãos Lumière enviaram ao mundo, a fim de apresentar pequenos filmes, os primeiros documentários como um início do cinema amador. "Sortie de l'usine Lumière à Lyon" (ou "Empregados deixando a Fábrica Lumière") é tido como o primeiro documentário da história sendo dirigido e produzido por Louis Lumière. Do mesmo ano, ainda dos irmãos Lumiére o filme "The Sprinkler Sprinkled", uma pequena comédia. Menos de 6 meses depois, Edison projectaria seu primeiro filme, "Vitascope". The Lumiere Brothers' - First films http://www.youtube.com/watch?v=4nj0vEO4Q6s&NR=1 Auguste e Louis Lumière : Auguste e Louis Lumière Auguste Marie Louis Nicholas Lumière (Besançon, 19 de outubro de 1862 — Lyon, 10 de abril de 1954) e Louis Jean Lumière (Besançon, 5 de outubro de 1864 — Bandol, 6 de junho de 1948), os irmãos Lumière, foram os inventores do cinematógrafo (cinématographe), sendo frequentemente referidos como os pais do cinema. Louis e Auguste eram filhos e colaboradores do industrial Antoine Lumière, fotógrafo e fabricante de películas fotográficas, proprietário da Fábrica Lumière (Usine Lumière), instalada na cidade francesa de Lyon. Antoine reformou-se em 1892, deixando a fábrica entregue aos filhos. Auguste e Louis Lumière : Auguste e Louis Lumière O cinematógrafo era uma máquina de filmar e projector de cinema, invento que lhes tem sido atribuído mas que na verdade foi inventado por Léon Bouly, em 1892, que terá perdido a patente, de novo registada pelos Lumière a 13 de Fevereiro de 1895. São considerados os fundadores da Sétima Arte junto com Georges Méliès, também francês, este tido como o pai do cinema de ficção. Louis e Auguste eram ambos engenheiros. Auguste ocupava-se da gerência da fábrica, fundada pelo pai. Dedicar-se-iam à actividade cinematográfica produzindo alguns documentários curtos, destinados à promoção do invento, embora acreditassem que o cinematógrafo fosse apenas um instrumento científico sem futuro comercial. Casaram-se com duas irmãs e moravam todos na mesma casa. Auguste e Louis Lumière : Auguste e Louis Lumière A primeira projecção pública de apresentação do invento ocorreu a 28 de Setembro de 1895 na primeira sala de cinema do mundo, o Eden, que ainda existe, situado em La Ciotat, no sudeste da França. Mas a verdadeira divulgação do cinematógrafo, com boa publicidade e entradas pagas, teve lugar no dia 28 de Dezembro do mesmo ano, em Paris, no Grand Café, situado no Boulevard des Capucines. O programa incluía dez filmes. A sessão foi inaugurada com a projecção de La Sortie de l'usine Lumière à Lyon (A Saída da Fábrica Lumière em Lyon). Méliès esteve presente e interessou-se logo pela exploração do aparelho. Os irmãos Lumière fizeram um digressão com o cinematógrafo, em 1896, visitando Bombaim, Londres e Nova Iorque. As imagens em movimento tiveram uma forte influência na cultura popular da época: L'Arrivée d'un train en gare de la Ciotat (Chegada de um Comboio à Estação da Ciotat), filmes de actualidades, Le Déjeuner de Bébé (O Almoço do Bebé) e outros, incluindo alguns dos primeiros esboços cómicos, como L'Arroseur arrosé (O "Regador" Regado). Cinematógrafo : Cinematógrafo Há quem considere o cinematógrafo como um aperfeiçoamento feito pelos irmãos Lumière do cinetoscópio de Thomas Edison. O cinematógrafo terá no entanto sido inventado pelo francês Léon Bouly em 1895. Bouly teria perdido a patente, de novo registada pelos Lumière, a 13 de Fevereiro de 1895. La Sortie de l'Usine Lumière à Lyon http://www.youtube.com/watch?v=t8h9fHVMLGA&feature=fvsr Cinematógrafo : Cinematógrafo A invenção do cinematógrafo constitui um marco na história do cinema. Na descrição dos próprios inventores, tal aparelho permite registar uma série de instantâneos fixos, em (fotogramas), criando a ilusão do movimento que durante um certo tempo ocorre diante de uma lente fotográfica e depois reproduzir esse movimento, projectando as imagens animadas sobre um anteparo (v.g.: tela, parede). Convencionalmente, a ilusão é produzida pelo fenómeno da retenção retiniana ou, num entendimento mais actual, pelo movimento beta. O cinematógrafo caracteriza-se por ser um aparelho híbrido, associando as funções de máquina de filmar, de revelação de película e de projecção, ao contrário de outros aparelhos que dele derivaram, como a câmara com funções exclusivas de captação de imagem e o projector de cinema, capaz de reproduzir essas imagens sobre uma superfície branca e lisa. Nele se utiliza o mesmo tipo de película usada por Thomas Edison nalgumas das suas criações. Cinematógrafo : Cinematógrafo Os irmãos Lumière aplicaram no seu aparelho um dispositivo de obturação em forma de cruz de malta, usando película perfurada de 35mm com um processo de arrasto que permite que cada fotograma se imobilize por um instante para ser impressionado, como numa máquina fotográfica, por detrás da objectiva. A primeira demonstração pública do aparelho foi feita numa sala chamada Eden em La Ciotat, no sudeste da França, a 28 de Setembro de 1895. Mais tarde, a 28 de Dezembro do mesmo ano os irmãos organizaram em Paris, no Grand Café, avenida dos Capucines, a primeira exibição comercial do cinematógrafo. A máquina não foi comercializada pelos seus criadores e cedo surgiram, tanto na França como na Inglaterra, nos E.U.A. e noutros países, réplicas do invento. Os irmãos Lumière produziram entretanto inúmeros filmes documentários, formando para isso equipes de operadores que correram meio mundo. Georges Méliès, também francês, cobiçou-lhes o invento, que pretendia usar nas suas sessões públicas do Théatre Robert Houdin, em Paris, mas eles recusaram vender-lho, argumentando que o aparelho não se destinava a fins comerciais. Méliès deslocou-se então a Londres onde conseguiu adquirir a Robert William Paul, industrial e inventor, um aparelho cinematográfico que adaptou às suas necessidades, começando a filmar ao jeito dos Lumière. Mas, coisa inevitável, começou a servir-se dele para criar fantasias, inventando assim, com grande sucesso, o cinema de ficção. O Cinema Documental : O Cinema Documental Documentário é um género cinematográfico que se caracteriza pelo compromisso com a exploração da realidade. Mas dessa afirmação não se deve deduzir que ele represente a realidade «tal como ela é». O documentário, assim como o cinema de ficção, é uma representação parcial e subjectiva da realidade. Georges Méliès : Georges Méliès Georges Méliès (8 de dezembro de 1861 — 21 de janeiro de 1938) foi um ilusionista francês de sucesso e um dos precursores do cinema, que usava inventivos efeitos fotográficos para criar mundos fantásticos. Méliès, além de ser considerado o "pai dos efeitos especiais", fez mais de 500 filmes e construiu o primeiro estúdio cinematográfico da Europa. Também foi o primeiro cineasta a usar desenhos de produção e storyboards para projetar suas cenas. Era proprietário do Théatre Robert-Houdin em Paris, que havia pertencido ao famoso ilusionista francês Jean-Eugène Robert-Houdin. Georges Méliès : Georges Méliès Tudo começou quando o cineasta ganhou um protótipo criado pelo cinematógrafo inglês Robert W. Paul e ficou tão entusiasmado com o mesmo, que saía filmando cenas do quotidiano em Paris. Um dia a sua câmara parou de repente, mas as pessoas não paravam de se mexer e quando ele voltou a filmar, a ação feita na filmagem era diferente da ação que ele estava filmando. A esta trucagem ele deu o nome de stop-action; criou várias outras como perspectiva forçada, múltiplas exposições ou filmagens em alta e baixa velocidade. Um de seus filmes mais conhecidos foi Le voyage dans la Lune ("Viagem à Lua") de 1902, em que usou técnicas de dupla exposição do filme para obter efeitos especiais inovadores para a época. Le voyage dans la Lune FALTA IMAGEM : FALTA IMAGEM Georges Méliès : Georges Méliès Durante uma década, criando filmes fantasiosos e que divertiam crianças e adultos, Georges Méliès foi considerado o melhor cineasta do mundo. Chaplin o chamou de "o alquimista da luz". Méliès estava presenta na plateia que assistiu, em 28 de dezembro de 1895, os Irmãos Lumière fazerem a primeira projeção de um filme na história. D. W. Griffith, que viria a ser um dos grandes directores da história do cinema, disse "a ele tudo devo". Lançado em 1997, o filme Une Séance Méliès ("Uma Sessão Méliès") homenageou o cineasta compilando 15 filmes seus apresentados por sua neta Madeleine Malthete-Mélies. Com Le voyage dans la Lune, Méliès foi para a lista dos "1001 filmes para ver antes de morrer", de Steven Jay Schneider. Thomas Edison : Thomas Edison Thomas Alva Edison (Milan, 11 de Fevereiro de 1847 — West Orange, 18 de Outubro de 1931) foi um inventor e empresário dos Estados Unidos que desenvolveu muitos dispositivos importantes de grande interesse industrial. O Feiticeiro de Menlo Park (The Wizard of Menlo Park), como era conhecido, foi um dos primeiros inventores a aplicar os princípios da produção maciça ao processo da invenção. Thomas Edison : Thomas Edison Entre as suas contribuições mais universais para o desenvolvimento tecnológico e científico encontra-se a lâmpada elétrica incandescente, o gramofone, o cinescópio ou cinetoscópio, o ditafone e o microfone de grânulos de carvão para o telefone. Edison é um dos precursores da revolução tecnológica do século XX. Teve papel determinante na indústria do cinema. Muitos o consideram o maior inventor de todos os tempos. O seu QI seria estimado em cerca de 240. A ele são atribuídas mais de 1300 patentes, ainda que nem todas sejam de invenções de sua própria autoria. Thomas Edison : Thomas Edison Inventos cinematográficos Thomas Edison teve um papel determinante no surto da indústria do cinema. São estes os aparelhos que inventou ou lançou no mercado : Cinetógrafo (Kinetograph) : máquina de filmar Slide 29: Cinescópio ou Cinetoscópio (Kinetoscope) : caixa com imagens filmadas vistas no seu interior. Slide 30: Cinefone (Kinetophone) : versão do cinescópio com som síncrono gerado por um fonógrafo Vitascópio (Vitascope) : projector de filmes em tela Fonógrafo Slide 31: Frame from restored version of the Dickson Experimental Sound Film (1894/95) Slide 32: The Jazz Singer is a 1927 American musical film. The first feature-length motion picture with synchronized dialogue sequences, its release heralded the commercial ascendance of the "talkies" and the decline of the silent film era. Edison e o princípio do cinema sonoro : Edison e o princípio do cinema sonoro D. W. Griffith : D. W. Griffith David Llewelyn Wark Griffith, geralmente conhecido por D.W. Griffith (22 de Janeiro de 1875–23 de Julho de 1948) era um director de cinema. É mais conhecido pelo seu controverso filme O Nascimento de uma Nação. Griffith nasceu em La Grange, Oldham County, Kentucky, filho de Jacob "Roaring Jake" Griffith, um colono do Confederate Army e herói da Guerra Civil Americana. Começou sua carreira como um próspero dramaturgo mas não conseguiu sucesso. Depois tornou-se actor. Encontrou o seu caminho no cinema, em pouco tempo dirigia um grande corpo de trabalho. D. W. Griffith : D. W. Griffith Entre 1908 e 1913 (os anos que dirigiu para a American Mutoscope and Biograph Company), Griffith produziu 450 curtas, um número enorme mesmo para a época. Esse trabalho o possibilitou experimentar com montagem paralela, movimentos de câmara, planos detalhe, e outros métodos de manipulação espacial e temporal. Na primeira viagem de Griffith para a Califórnia, ele e sua empresa descobriram uma pequena vila para filmar. Esse lugar era conhecido como Hollywood. Com isso, American Mutoscope and Biograph Company foi a primeira empresa a filmar em Hollywood: In Old California (1910). The Birth Of A Nation http://www.youtube.com/watch?v=Pbba8fzLPf4 D. W. Griffith : D. W. Griffith Influenciado pelo longa italiano Cabiria, Griffith se convenceu de que longas poderiam ser viáveis financeiramente. Produziu e dirigiu o longa Judith of Bethulia da Biograph. Esse foi um dos, senão "O" primeiro longa produzido nos Estados Unidos. A Biograph achava que os longas não eram viáveis, e como actriz, Lillian Gish disse: "Eles (Biograph) acharam que um filme tão longo iria machucar os olhos deles (audiência)". Por causa disso, e do aumento no orçamento pelo filme que custou 30.000 dólares na produção, Griffith e a Biograph se separaram, sendo que Griffith levou todos os seus actores consigo. Sua nova empresa se tornou um parceiro autónomo de produção na Triangle Pictures Corporation com os Keystone Studios e Thomas Ince. Através da David W. Griffith Corp. ele produziu O Nascimento de Uma Nação (1915). Pelo lado americano, o director D. W. Griffith conseguia destaque. Seu filme, "The Birth of a Nation" (ou "O Nascimento de uma nação") de 1915, foi considerado um dos filmes mais populares da época do cinema mudo, causou polémica pela glorificação da escravatura, segregação racial e promoção do aparecimento da Ku Klux Klan e Intolerance (1916) já "Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages" (ou "Intolerância") é considerado uma das grandes obras do cinema mudo. D. W. Griffith : D. W. Griffith O Nascimento de Uma Nação foi extremamente popular mas expressava a visão racista da época. Há uma cena no filme na qual a Ku Klux Klan galopa para salvar uma heroína. A parceria terminou em 1917, então Griffith foi para a ArtCraft (parte da Paramount Pictures), depois para a First National (1919-1920). Ao mesmo tempo fundou a United Artists, junto com Charles Chaplin, Mary Pickford e Douglas Fairbanks. Apesar da United Artists ter sobrevivido como empresa, a ligação de Griffith com ela foi curta, e apesar de alguns de seus filmes posteriores serem bons, ele nunca mais conseguiu sucesso comercial. Entre os longas dessa época estão Broken Blossoms or The Yellow Man and the Girl (1919), Way Down East (1920), Orphans of the Storm (1921) e America (1924). Griffith fez apenas dois filmes com som, Abraham Lincoln (1930) e The Struggle (1931). Nenhum foi bem sucedido e ele nunca mais fez filmes. Slide 38: A primeira Ku Klux Klan na verdade foi fundada por amigos da cidade de Pulaski, Tennessee, em 1865 após o final da Guerra civil americana. O seu objectivo era impedir a integração social dos negros recém-libertados, como por exemplo, adquirir terras, ter direitos concedidos aos outros cidadãos, como votar. O nome, cujo registro mais antigo é de 1867, parece derivar da palavra grega kuklos, que significa "círculo", "anel", e da palavra inglesa clan (clã) escrita com k. Em 1872 o grupo foi reconhecido como uma entidade terrorista e foi banida dos Estados Unidos. Edwin Stanton Porter : Edwin Stanton Porter Edwin Stanton Porter (Connellsville, Pennsylvania, 21 de abril de 1870 – 30 de abril de 1941) foi um cineasta norte-americano. Fundindo o estilo documentalista dos Irmãos Lumiére e as fantasias teatrais de Méliès, Edwin Porter desenvolve, em 1902, os princípios da narrativa e da montagem com o filme "A Vida do Bombeiro Americano", e consolidados um ano mais tarde com "O Grande Roubo do Comboio", um filme de 8 minutos, com inovações como a montagem de planos realizados em diferentes momentos e lugares para compor uma narrativa, que foram decisivas para o desenvolvimento do cinema. Foi o primeiro grande clássico do cinema americano que inaugura o género western e marca o início da Indústria Cinematográfica. The Great Train Robbery http://www.youtube.com/watch?v=CsgG85hPt_Q Slide 40: O grande assalto ao comboio O Star System e o sonho americano : O Star System e o sonho americano ASCENSÃO DE HOLLYWOOD Com o recesso do cinema europeu durante a 1a Guerra Mundial, a produção de filmes concentra-se em Hollywood, na Califórnia, onde surgem os primeiros grandes estúdios. Em 1912, Mack Sennett, o maior produtor de comédias do cinema mudo, que descobriu Charles Chaplin e Buster Keaton, instala a sua Keystone Company. No mesmo ano, surge a Famous Players (futura Paramount) e, em 1915, a Fox Films Corporation. Para enfrentar os altos salários e custos de produção, exibidores e distribuidores reúnem-se em conglomerados autônomos, como a United Artists, fundada em 1919. A década de 20 consolida a indústria cinematográfica americana e os grandes géneros – western, policial, musical e, principalmente, a comédia –, todos ligados directamente ao estrelismo. O Star System e o sonho americano : O Star System e o sonho americano Star system – O desenvolvimento dos grandes estúdios proporciona o surgimento do star system, o sistema de "fabricação" de estrelas que encantam as platéias. Mary Pickford, a "noivinha da América", Theda Bara, Tom Mix, Douglas Fairbanks e Rodolfo Valentino são alguns dos nomes mais expressivos. Com o êxito alcançado, os filmes passam dos 20 minutos iniciais a, pelo menos, 90 minutos de projeção. O ídolo é chamado a encarnar papéis fixos e repetir actuações que o tenham consagrado, como Rosita, de 1923, com Mary Pickford.

Add a comment

Related presentations

Related pages

História do cinema – Wikipédia, a enciclopédia livre

Assim nasceu a chamada "Meca do Cinema", e Hollywood se transformou no mais importante centro da indústria cinematográfica do planeta.
Read more

Cinema E Hist Ria Do Brasil - catechisti.com

Title: Cinema E Hist Ria Do Brasil Subject: Cinema E Hist Ria Do Brasil Keywords: Download or Read Online cinema e hist ria do brasil PDF Created Date
Read more

Hist?ria Do Cinema, Portuguese, 1999 - Canções trilha ...

Com Hist?ria Do Cinema, Portuguese, 1999 finalmente disponível em Blu-ray, hoje, estamos arredondando os mais insanos, cenas mais memoráveis â ...
Read more

ZORRO WIKIP DIA A ENCICLOP DIA LIVRE || AS DUAS FACES DE ...

http://digestebooks.onlinereadingbooks.site/MEMORIA/MEMORIA-DA-TV-E-DO-CINEMA.pdf. ... site/HIST/HIST-RIA-VIVA-MITOS-BRASILEIROS-LOIRA-DO ...
Read more

HIST RIA DO CINEMA Ppt Presentation | Ev...

Evolução do Cinema Equipamentos: Câmara Escura. Lanterna Mágica. Fenacistoscópio. Praxinoscópio. Cinetoscópio. | Evolução do cinema
Read more

Hist?ria Do Cinema, Portuguese, 1999 - Jogue Em HD

Rent Hist?ria Do Cinema, Portuguese, 1999 e outros filmes e programas de TV em Blu-ray e DVD. 1 mês de teste gratuito! , Entrega gratuita rápido. Nà ...
Read more

HISTÓRIA DO CINEMA | Viennale

Zwei Frauen sitzen auf ihrer Wohnzimmercouch. Sie schauen auf einen Monitor und kommentieren, was sie sehen: Es ist einer der großen Alten seines Fachs ...
Read more

Cinema E Historia Do Brasil - tlumaczeniacv.com

Cinema E Historia Do Brasil The Cinema E História Do Brasil reliable web as this needed idea of the new personal work is where to look seller's tremendous ...
Read more

Blu-ray: Movies & TV: Filmes, TV e muito mais Hist?ria Do ...

Hist?ria Do Cinema, Portuguese, 1999, Leia resenha do filme da Common Sense Media para ajudá-lo a tomar decisões informadas.. Hist?ria Do Cinema ...
Read more