advertisement

Exercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus

100 %
0 %
advertisement
Information about Exercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus

Published on April 28, 2008

Author: ladufg

Source: slideshare.net

advertisement

EXERCÍCIO FÍSICO NO PACIENTE COM DIABETES MELLITUS Prof. Francisco Luiz de Marchi Netto Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Goiás Goiânia, 24 abril 2008

Exercícios físicos e diabetes Mellitus Por volta de 1.800, o médico francês Bouchard observou que nos indivíduos diabéticos a glicosúria diminuía com o trabalho muscular. Outros médicos também verificaram que o diabetes leve melhorava com o exercício físico, mas os casos graves pioravam sensivelmente.

Por volta de 1.800, o médico francês Bouchard observou que nos indivíduos diabéticos a glicosúria diminuía com o trabalho muscular.

Outros médicos também verificaram que o diabetes leve melhorava com o exercício físico, mas os casos graves pioravam sensivelmente.

Exercícios físicos e diabetes Mellitus Benefícios do exercícios ao diabético (LEON, 1999; COSTA NETO, 1992; CANCELLIÉRI, 1999): Aumento da capacitação de glicose pelos músculos; Aumenta a sensibilidade celular à insulina; Obtenção e manutenção do peso; corporal, melhora auto-imagem; Permite aos bem controlados, e com peso normal, maior ingestão calórica, correspondente ao gasto; Decréscimo no perfil lipídico e hipertensão arterial; Aumento a perfusão capilar e oxigenação tecidual; Acelera as adaptações metabólicas e hormonais; Redução dos níveis de colesterol e triglicérides sangüíneos; Proporciona melhora da aptidão física; Redução no consumo de insulina, nos bem controlados; Sensação de bem-estar e elevação da auto-estima. IMPORTANTE – “ Sujeitos com níveis glicêmicos não controlados, não obterão tais vantagens, pelo contrário; a probabilidade de riscos à saúde provocados pelos exercícios físicos aumentarão de forma mais contundente .

Benefícios do exercícios ao diabético (LEON, 1999; COSTA NETO, 1992; CANCELLIÉRI, 1999):

Aumento da capacitação de glicose pelos músculos;

Aumenta a sensibilidade celular à insulina;

Obtenção e manutenção do peso; corporal, melhora auto-imagem;

Permite aos bem controlados, e com peso normal, maior ingestão calórica, correspondente ao gasto;

Decréscimo no perfil lipídico e hipertensão arterial;

Aumento a perfusão capilar e oxigenação tecidual;

Acelera as adaptações metabólicas e hormonais;

Redução dos níveis de colesterol e triglicérides sangüíneos;

Proporciona melhora da aptidão física;

Redução no consumo de insulina, nos bem controlados;

Sensação de bem-estar e elevação da auto-estima.

IMPORTANTE – “ Sujeitos com níveis glicêmicos não controlados, não obterão tais vantagens, pelo contrário; a probabilidade de riscos à saúde provocados pelos exercícios físicos aumentarão de forma mais contundente .

Exercícios físicos e diabetes Mellitus Tratamento básico do Diabetes Mellitus (VALLE, 1994). DIETA CONTROLADA MEDICAMENTOS EDUCAÇÃO EXERCÍCIOS FÍSICOS

Tratamento básico do Diabetes Mellitus (VALLE, 1994).

Exercícios físicos e diabetes Mellitus O diabético (DM1) deve ajustar sua dose de insulina nos dias de exercícios físicos evitando uma possível hipoglicemia ou piorar uma hiperglicemia já existente (RAMALHO, 1999).  diminuir gradativamente as doses de 15 a 20% em casos dos exercícios leves ou moderados;  diminuir a insulina de ação rápida na refeição que antecede os exercícios físicos;  diminuir a insulina de ação intermediária que cobre o período posterior ao exercício; e  diminuir a insulina de ação intermediária noturna para uma pessoa não habituada à prática de exercícios.

O diabético (DM1) deve ajustar sua dose de insulina nos dias de exercícios físicos evitando uma possível hipoglicemia ou piorar uma hiperglicemia já existente (RAMALHO, 1999).

 diminuir gradativamente as doses de 15 a 20% em casos dos exercícios leves ou moderados;

 diminuir a insulina de ação rápida na refeição que antecede os exercícios físicos;

 diminuir a insulina de ação intermediária que cobre o período posterior ao exercício; e

 diminuir a insulina de ação intermediária noturna para uma pessoa não habituada à prática de exercícios.

Exercícios físicos e diabetes Mellitus Nos casos em que a prática de exercícios são intensos ou extenuantes é recomendado diminuir a insulina diária total em 30% a 50%, sob a orientação médica (Americam Diabetes Association, 1998b).

Nos casos em que a prática de exercícios são intensos ou extenuantes é recomendado diminuir a insulina diária total em 30% a 50%, sob a orientação médica (Americam Diabetes Association, 1998b).

Dose de insulina e horários dos exercícios físicos Horário dos exercícios Insulina a ajustar 6 h às 11 h (manhã) Insulina matutina 11 h às 16 h NPH matutina 17 h às 20 h Regular noturna 20 h às 23 h NPH noturna Tabela adaptada do Boletim Médico do Centro B-D Educação em Diabetes, 1994). Exercícios físicos e diabetes Mellitus

Dose de insulina e horários dos exercícios físicos

Horário dos exercícios Insulina a ajustar

6 h às 11 h (manhã) Insulina matutina

11 h às 16 h NPH matutina

17 h às 20 h Regular noturna

20 h às 23 h NPH noturna

Tabela adaptada do Boletim Médico do Centro B-D Educação em Diabetes, 1994).

Exercícios físicos e diabetes Mellitus Variáveis que influenciam a Resposta metabólica ao exercícios (ZINMAN & VRANIC,1985). Tipo de insulina – “ insulina regular ” aplicada 30 min. antes do exercício pode causar hipoglicemia durante o período de exercícios. Locais de aplicação – subcutânea, abdominal e/ou membros que não serão envolvidos diretamente nos exercícios . Tempo entre as injeções – não pode exercitar sem insulina (aumenta acidose e hiperglicemia). Intensidade dos exercícios – leve a moderada (50% a 70% da FCM). Duração – (DM1 – 20 a 40 min) (DM2 40 a 60 min). Tipo de exercício – adequado à idade e condições físicas (preferencialmente aeróbios). A dosagem de insulina diária deve ser ajustada à dieta, exercício físico e peso corporal (LUNDSTRON, et al. 1991).

Variáveis que influenciam a Resposta metabólica ao exercícios (ZINMAN & VRANIC,1985).

Tipo de insulina – “ insulina regular ” aplicada 30 min. antes do exercício pode causar hipoglicemia durante o período de exercícios.

Locais de aplicação – subcutânea, abdominal e/ou membros que não serão envolvidos diretamente nos exercícios .

Tempo entre as injeções – não pode exercitar sem insulina (aumenta acidose e hiperglicemia).

Intensidade dos exercícios – leve a moderada (50% a 70% da FCM).

Duração – (DM1 – 20 a 40 min) (DM2 40 a 60 min).

Tipo de exercício – adequado à idade e condições físicas (preferencialmente aeróbios).

A dosagem de insulina diária deve ser ajustada à dieta, exercício físico e peso corporal (LUNDSTRON, et al. 1991).

Recomendações de Exercícios físicos para complicações específicas do Diabetes Mellitus (ACSM, 1995 e ADA, 1996) Neuropatia Periférica – - Limitar o peso no exercício com poucas repetições. - Evitar exercícios que possam causar traumas nos pés; (caminhadas prolongadas, corridas, saltos, etc.) Exercícios recomendados – natação, ciclismo, exercícios em cadeiras envolvendo somente os m.m.s. Cuidados – revisão freqüente dos pés, extrema limpeza e manutenção dos pés secos e lubrificados, calçados apropriados.

Neuropatia Periférica –

- Limitar o peso no exercício com poucas repetições.

- Evitar exercícios que possam causar traumas nos pés; (caminhadas prolongadas, corridas, saltos, etc.)

Exercícios recomendados – natação, ciclismo, exercícios em cadeiras envolvendo somente os m.m.s.

Cuidados – revisão freqüente dos pés, extrema limpeza e manutenção dos pés secos e lubrificados, calçados apropriados.

Recomendações de Exercícios físicos para complicações específicas do diabetes Mellitus (ACSM, 1995 e ADA, 1996) Neuropatia autonômica – (ex. variações: dores nas pernas ou nas mãos). Risco elevadíssimo de agravo . Recomendações - teste de esforço submáximo; exercícios que não modifiquem a PA (atividades aquáticas, ergometria, exercícios sentado); evitar prática de exercícios em ambientes quentes ou frios; fazer hidratação adequada .

Neuropatia autonômica – (ex. variações: dores nas pernas ou nas mãos).

Risco elevadíssimo de agravo .

Recomendações - teste de esforço submáximo; exercícios que não modifiquem a PA (atividades aquáticas, ergometria, exercícios sentado); evitar prática de exercícios em ambientes quentes ou frios; fazer hidratação adequada .

Recomendações de Exercícios físicos para complicações específicas do diabetes Mellitus (ACSM, 1995 e ADA, 1996) Retinopatia – (não proliferativa severa e proliverativa) Evitar – Exercícios que aumentem a pressão arterial;movimentos de abaixar a cabeça e de contato físico. Recomendações – exercícios aeróbios de baixa intensidade e manter a PA < 170 mmHg. Nefropatia – (risco elevado) Diabéticos com nefropatia tem uma capacidade muito reduzida para se exercitar. Evitar exercícios moderados ou pesados e intensos. Controlar a PA, albumina e proteinúria.

Retinopatia – (não proliferativa severa e proliverativa)

Evitar – Exercícios que aumentem a pressão arterial;movimentos de abaixar a cabeça e de contato físico.

Recomendações – exercícios aeróbios de baixa intensidade e manter a PA < 170 mmHg.

Nefropatia – (risco elevado)

Diabéticos com nefropatia tem uma capacidade muito reduzida para se exercitar.

Evitar exercícios moderados ou pesados e intensos. Controlar a PA, albumina e proteinúria.

Recomendações especiais em relação aos Exercícios físicos para diabéticos (ACSM, 1995; ADA, 1996; Carvalho, 1998. Costa Neto, 1992; Gordon, 1996) Exame médico prévio; Iniciar o programa com cargas leves; aumentando-as de forma lenta e progressiva; Automonitoração a glicemia: antes, durante e após os exercícios; Nunca se exercitar no pico da ação da insulina; Se possível, exercitar-se 30 min. após as principais refeições; Os exercícios são orientados e acompanhados de forma individualizada; Preferir a prática de exercícios aeróbios, regulares, 4 a 6 dias por semana de 20 a 30 min.; Evitar a prática de exercícios nos finais de tarde (risco de hipoglicemia durante o sono);

Exame médico prévio;

Iniciar o programa com cargas leves;

aumentando-as de forma lenta e progressiva;

Automonitoração a glicemia: antes, durante e após os exercícios;

Nunca se exercitar no pico da ação da insulina;

Se possível, exercitar-se 30 min. após as principais refeições;

Os exercícios são orientados e acompanhados de forma individualizada;

Preferir a prática de exercícios aeróbios, regulares, 4 a 6 dias por semana de 20 a 30 min.;

Evitar a prática de exercícios nos finais de tarde (risco de hipoglicemia durante o sono);

Continuação..... Não aplicar insulina muscular, evitando grande entrada na circulação; Se a glicemia estiver entre 130-200 mg/dl não há necessidade de suplementação, somente se tiver abaixo de 130 ml/dl complementar com 20g de carboidrato. Ingerir uma porção de 20 a 30g de carboidratos para cada hora de exercícios leves e 30 a 60g para cada hora de exercícios rigorosos. Hidratar continuamente às sessões de exercícios com líquidos livres de açúcar. Checar os pés antes e depois de cada exercício. O exercícios não substitui a insulina e deve ser encarado como uma medida de apoio e não como um objetivo terapêutico por si só.

Não aplicar insulina muscular, evitando grande entrada na circulação;

Se a glicemia estiver entre 130-200 mg/dl não há necessidade de suplementação, somente se tiver abaixo de 130 ml/dl complementar com 20g de carboidrato.

Ingerir uma porção de 20 a 30g de carboidratos para cada hora de exercícios leves e 30 a 60g para cada hora de exercícios rigorosos.

Hidratar continuamente às sessões de exercícios com líquidos livres de açúcar.

Checar os pés antes e depois de cada exercício.

O exercícios não substitui a insulina e deve ser encarado como uma medida de apoio e não como um objetivo terapêutico por si só.

Procedimentos de avaliação antes dos exercícios físicos Histórico e exame físico – revisão de todos os sistemas; identificação de problemas médicos. Evolução clínica do Diabetes – Hemoglobina glicosada; exames oftalmológico, nefrológico e neurológico; ganho de peso corporal. Evolução Cardiovascular – Pressão Arterial; Freqüência Cardíaca e Lipídios sangüíneos

Histórico e exame físico – revisão de todos os sistemas; identificação de problemas médicos.

Evolução clínica do Diabetes – Hemoglobina glicosada; exames oftalmológico, nefrológico e neurológico; ganho de peso corporal.

Evolução Cardiovascular – Pressão Arterial; Freqüência Cardíaca e Lipídios sangüíneos

Prescrição de Exercícios para Diabetes Mellitus Tipo 1 Tipo: aeróbicos – caminhadas, jogging, natação, ginástica de baixo impacto, step, dança de salão e tênis (Vívolo et al. 1996). Intensidade: 40% a 65% do VO2 máx. ( ACSM, 1996). Duração: 20 – 30 min (ACSM, 1996). 30 – 60 min. (Ramires e Bartholomeu,1995). Freqüência – todos os dias da semana (ACSM, 1996). 3 – 5 vezes semana (Ramires Bartholomeu, 1995).

Tipo: aeróbicos – caminhadas, jogging, natação, ginástica de baixo impacto, step, dança de salão e tênis (Vívolo et al. 1996).

Intensidade: 40% a 65% do VO2 máx. ( ACSM, 1996).

Duração: 20 – 30 min (ACSM, 1996).

30 – 60 min. (Ramires e Bartholomeu,1995).

Freqüência – todos os dias da semana (ACSM, 1996). 3 – 5 vezes semana (Ramires Bartholomeu, 1995).

Prescrição de Exercícios para Diabetes Mellitus Tipo 2 Tipo: aeróbicos – caminhadas, jogging, ciclismo. Treinamento de força (moderado, quando não apresentar complicações tardias e fase aguda): programas de circuito com pesos leves e 10 – 15 repetições (Campaigne e Lampman, 1994). Intensidade: 40% a 65% do VO2 máx. (ACSM, 1996). Duração: 20 – 30 min (ACSM, 1996). 30 – 60 min. (Ramires e Bartholomeu, 1995). Freqüência – todos os dias da semana (ACSM, 1996). 3 – 5 vezes semana (Ramires e Bartholomeu, 1995).

Tipo: aeróbicos – caminhadas, jogging, ciclismo.

Treinamento de força (moderado, quando não apresentar complicações tardias e fase aguda): programas de circuito com pesos leves e 10 – 15 repetições (Campaigne e Lampman, 1994).

Intensidade: 40% a 65% do VO2 máx. (ACSM, 1996).

Duração: 20 – 30 min (ACSM, 1996).

30 – 60 min. (Ramires e Bartholomeu, 1995).

Freqüência – todos os dias da semana (ACSM, 1996).

3 – 5 vezes semana (Ramires e Bartholomeu, 1995).

A prática regular de atividades físicas na prevenção do Diabetes Mellitus 6 mil alunos da Stanford University School Medicine acompanhados por 14 anos mensurado a quatidade calórica semanal gasta em atividades físicas esportivas e recreativas. 202 casos de diabtes 2. Para cada 500 cal. semanais gastas em atividades físicas uma redução de 6% de risco para DM2 (PAFFENBARGER,1991). 87.252 enfermeiras acompanhadas durante 8 anos. As que faziam exercícios vigorosos 1 x semanal reduziam 33% risco para DM2 (Dra. JOANN MANSON, Harvard Medical School). Dr. Manson, 21.271 estudo de 5 anos com médicos do sexo masculino. Os que se exercitavam regularmente apresentavam uma redução de 33% para DM2. Nieman (2001) estudo na Grã-Bretanha com 7.735 homens acompanhados por 13 anos com redução de 50% de risco para DM2. Finlândia, estudo com homens que se exercitavam em intensidade moderada mais de 40 min semanal reduziram 64% o risco de DM2. No Havaí, um estudo de 6 anos com 6.815 norte americanos de ascendência japonesa com conclusão similar (NIEMAN, 2001).

6 mil alunos da Stanford University School Medicine acompanhados por 14 anos mensurado a quatidade calórica semanal gasta em atividades físicas esportivas e recreativas. 202 casos de diabtes 2. Para cada 500 cal. semanais gastas em atividades físicas uma redução de 6% de risco para DM2 (PAFFENBARGER,1991).

87.252 enfermeiras acompanhadas durante 8 anos. As que faziam exercícios vigorosos 1 x semanal reduziam 33% risco para DM2 (Dra. JOANN MANSON, Harvard Medical School).

Dr. Manson, 21.271 estudo de 5 anos com médicos do sexo masculino. Os que se exercitavam regularmente apresentavam uma redução de 33% para DM2.

Nieman (2001) estudo na Grã-Bretanha com 7.735 homens acompanhados por 13 anos com redução de 50% de risco para DM2.

Finlândia, estudo com homens que se exercitavam em intensidade moderada mais de 40 min semanal reduziram 64% o risco de DM2.

No Havaí, um estudo de 6 anos com 6.815 norte americanos de ascendência japonesa com conclusão similar (NIEMAN, 2001).

O que os exercícios acarretam às pessoas com diabetes mellitus não insulino-dependente? Controle da glicemia; redução de fatores de risco cardiovascular; melhora do bem-estar; controle e redução do peso corporal. O principal objetivo de uma terapia para pacientes com diabetes não insulino-dependentes é a melhora da sensibilidade à insulina pela utilização adequada da dieta, exercícios e redução do peso (Dr. Goya Wannamethee, Royal Free Hospital School of Medicine , Londres).

Controle da glicemia;

redução de fatores de risco cardiovascular;

melhora do bem-estar;

controle e redução do peso corporal.

O principal objetivo de uma terapia para pacientes com diabetes não insulino-dependentes é a melhora da sensibilidade à insulina pela utilização adequada da dieta, exercícios e redução do peso

(Dr. Goya Wannamethee, Royal Free Hospital School of Medicine , Londres).

MUITO OBRIGADO! Prof. Francisco Luiz de Marchi Netto [email_address]

MUITO OBRIGADO!

Prof. Francisco Luiz de Marchi Netto

[email_address]

Add a comment

Related pages

Beneficial Effect of Short Time Physical Exercise on the ...

Martins DM. Exercício físico no controle do diabetes mellitus. 1 ...
Read more

Exercício físico no controle do Diabetes Mellitus

Exercício físico no controle do Diabetes Mellitus. Leonardo Coelho Pertence, Leandro Otávio Apolinário Cantaruti, Mauro Lúcio Mazini Filho, André ...
Read more

Efeito Benéfico do Exercício Físico no Controle ...

Efeito Benéfico do Exercício Físico no Controle Metabólico do Diabetes Mellitus ... dência do diabetes mellitus (DM) na população mundial, ...
Read more

Exercício Físico no Controle do Diabetes Mellitus ...

Exercício Físico no Controle do Diabetes Mellitus. ... a eficácia dos exercícios no controle do Diabetes e as possibilidades das crianças e ...
Read more

A PRÁTICA DO EXERCÍCIO FÍSICO NO CONTROLE DA DIABETES ...

# exercicio # Diabetes # Treino # fisico. ... title">A Prática do Exercício Físico no Controle da Diabetes Mellitus do Tipo I de Read more

Diabetes Mellitus e exercício físico - Lecturas ...

Diabetes Mellitus e exercício físico. ... uma contribuição significativa no controle do diabetes, ... do exercício físico no diabetes Tipo ...
Read more

IMPLICAÇÕES DO EXERCÍCIO FÍSICO AERÓBICO NO CONTROLE ...

IMPLICAÇÕES DO EXERCÍCIO FÍSICO AERÓBICO NO CONTROLE DO DIABETES MELLITUS TIPO 1 ... Exercício Aeróbico no Tratamento do Diabetes Mellitus Tipo 1
Read more

Atividade Física, Saúde e Bem Estar: A IMPORTÂNCIA DOS ...

A IMPORTÂNCIA DOS EXERCÍCIOS FÍSICOS NA PREVENÇÃO E NO CONTROLE DO DIABETES MELLITUS Nesta semana, ... CARVALHO, T. Exercício Físico e Diabetes.
Read more