Exame Neurologico Marcha

50 %
50 %
Information about Exame Neurologico Marcha

Published on January 14, 2008

Author: VaniaCaldeira

Source: slideshare.net

Description

Apresentacao de Fisiologia II sobre o exame neurologico da marcha com correlacoes clinicas

Exame Neurológico - Marcha Exame da Marcha e Tipos de Marcha Vânia Caldeira

Exame da Marcha Caminhar em linha recta ao longo de um amplo corredor ou de uma sala Reparar em eventuais desvios Andar na ponta dos pés e em calcanhares De olhos abertos De olhos fechados

Caminhar em linha recta ao longo de um amplo corredor ou de uma sala

Reparar em eventuais desvios

Andar na ponta dos pés e em calcanhares

De olhos abertos

De olhos fechados

Tipos de Marcha A observação da marcha do paciente faculta importantes dados para o diagnóstico médico. As doenças nervosas afectam a marcha de diferentes maneiras, podendo-se verificar alguns tipos de marcha característicos de determinadas patologias:

A observação da marcha do paciente faculta importantes dados para o diagnóstico médico.

As doenças nervosas afectam a marcha de diferentes maneiras, podendo-se verificar alguns tipos de marcha característicos de determinadas patologias:

Marcha Parética com Steppage Exagerado levantamento do joelho com excessiva flexão da coxa sobre a bacia Pés pendentes Marcha semelhante à do cavalo polinevrites, Poliomielite Lesões do II Neurónio

Exagerado levantamento do joelho com excessiva flexão da coxa sobre a bacia

Pés pendentes

Marcha semelhante à do cavalo

polinevrites,

Poliomielite

Lesões do II Neurónio

Marcha Parética Espástica Membros inferiores em extensão forçada (hipertonia muscular) Não consegue encurtar voluntariamente o pé para avançar, pelo que arrasta-o Lesões do I Neurónio Traumatismos cranianos Tumores cerebrais

Membros inferiores em extensão forçada (hipertonia muscular)

Não consegue encurtar voluntariamente o pé para avançar, pelo que arrasta-o

Lesões do I Neurónio

Traumatismos cranianos

Tumores cerebrais

Marcha Hemiplégica A perna paralisada por espasticidade dos músculos extensores faz movimentos de circundação com a ponta do pé apontada para o chão O paciente apoia-se na perna sã Avança primeiro a perna sã e depois a outra

A perna paralisada por espasticidade dos músculos extensores faz movimentos de circundação com a ponta do pé apontada para o chão

O paciente apoia-se na perna sã

Avança primeiro a perna sã e depois a outra

Marcha Atáxica Espinhal ou Tabética Perturbação da sensibilidade propioceptiva Ao tentar andar, o pé do paciente levanta-se demasiado, sendo atirado para o solo com força excessiva Descoordenação do movimento O tronco inclina-se para um lado e para o outro e os braços procuram compensar o desequilíbrio Situação semelhante à do indivíduo que tenta andar com os pés dormentes Lesões dos cordões posteriores da Medula

Perturbação da sensibilidade propioceptiva

Ao tentar andar, o pé do paciente levanta-se demasiado, sendo atirado para o solo com força excessiva

Descoordenação do movimento

O tronco inclina-se para um lado e para o outro e os braços procuram compensar o desequilíbrio

Situação semelhante à do indivíduo que tenta andar com os pés dormentes

Lesões dos cordões posteriores da Medula

Marcha Atáxica Cerebelosa Também denominada Marcha de ébrio Marcha insegura, oscilante, com frequentes hesitações, paragens e desvios laterais Apesar disso, as quedas não são frequentes O paciente caminha com as pernas afastadas Lesões do cerebelo Intoxicação etílica Doença de Friedreich (Marcha Atáxica Espino-Cerebelosa)

Também denominada Marcha de ébrio

Marcha insegura, oscilante, com frequentes hesitações, paragens e desvios laterais

Apesar disso, as quedas não são frequentes

O paciente caminha com as pernas afastadas

Lesões do cerebelo

Intoxicação etílica

Doença de Friedreich (Marcha Atáxica Espino-Cerebelosa)

Tipos de Marcha

Marcha Vestibular Falta de equilíbrio Prova da Marcha em estrela: pede-se ao paciente que dê 10 passos para a frente e 10 para trás  para a frente um desvio ocorre para um lado, para trás o desvio ocorre para o lado oposto Quedas frequentes Tumores do IV ventrículo, cerebelo (Marcha cerebelo-vestibular) Esclerose em placas

Falta de equilíbrio

Prova da Marcha em estrela: pede-se ao paciente que dê 10 passos para a frente e 10 para trás  para a frente um desvio ocorre para um lado, para trás o desvio ocorre para o lado oposto

Quedas frequentes

Tumores do IV ventrículo, cerebelo (Marcha cerebelo-vestibular)

Esclerose em placas

Marcha Miopática Grande lordose lombar Para fazerem a propulsão do tronco, os pacientes levantam a bacia, ora de um lado, ora de outro (“Marcha de Pato”) Omoplatas afastadas do tronco Levantam-se devagar e de uma forma muito característica Miopatia progressiva

Grande lordose lombar

Para fazerem a propulsão do tronco, os pacientes levantam a bacia, ora de um lado, ora de outro (“Marcha de Pato”)

Omoplatas afastadas do tronco

Levantam-se devagar e de uma forma muito característica

Miopatia progressiva

Marcha Parkinsónica Movimentos presos pela rigidez Andar vagaroso com passos pequenos Pés arrastados no chão O doente anda curvado Cabeça, tronco e braços imóveis Numa fase mais avançada, o paciente parece uma estátua Doença de Parkinson

Movimentos presos pela rigidez

Andar vagaroso com passos pequenos

Pés arrastados no chão

O doente anda curvado

Cabeça, tronco e braços imóveis

Numa fase mais avançada, o paciente parece uma estátua

Doença de Parkinson

Marcha de Pequenos Passos Andar vagaroso Reduzido levantamento dos pés Passos pequenos e rápidos As pernas parecem “travadas” Em contraste com a dificuldade de andar, os movimentos são possíveis no leito, a perturbação reside principalmente no automatismo da marcha Aterosclerose cerebral

Andar vagaroso

Reduzido levantamento dos pés

Passos pequenos e rápidos

As pernas parecem “travadas”

Em contraste com a dificuldade de andar, os movimentos são possíveis no leito, a perturbação reside principalmente no automatismo da marcha

Aterosclerose cerebral

FISIOLOGIA II 2.º ano Medicina 2007/08 “ Por mais longa que seja a caminhada, o mais importante é dar o primeiro passo.”

Add a comment

Related presentations

Related pages

Neurologia (Marchas) - YouTube

Neurologia (Marchas) by Canal de Osteoavancado; ... Exame de marcha normal by semiologiauff. Marcha Normal. 0:28. Play next; Play now; Marcha ...
Read more

15 Semiologia Rocco - Exame Neurológico - YouTube

15 Semiologia Rocco - Exame Neurológico ... Exame Neurologico - Duration: ... Marchas Patológicas - Duration: ...
Read more

Exame neurologico - Scribd - Read Unlimited Books

Estudo completo para auxiliar no exame neurologico de pacientes by andrecharll in Types > School Work and exame neurologico
Read more

Exame Neurológico - Marcha - Milton Marchioli

Exame Neurológico - Marcha Exame da Marcha e Tipos de Marcha Vânia Caldeira Exame da Marcha Caminhar em linha recta ao longo de um amplo corredor ou de ...
Read more

ROTEIRO DO EXAME NEUROLÓGICO - Gerardo Cristino

ROTEIRO DO EXAME NEUROLÓGICO Instrumentos e materiais necessários Oftalmoscópio Estetoscópio Lanterna Café/Tabaco Trena Martelo
Read more

EXAME NEUROLÓGICO EXAME DA MARCHA ANAMNESE

EXAME DA MARCHA O pcte. deve estar descalço e semidespido. Sempre que possível, solicitar ao pcte. realizar alguns passos s/ controle visual.
Read more

PPT - Exame Neurológico - Marcha PowerPoint Presentation

Exame Neurológico - Marcha. Exame da Marcha e Tipos de Marcha Vânia Caldeira. Exame da Marcha. Caminhar em linha recta ao longo de um amplo ...
Read more