Etapas Do Crescimento Modulo 3

50 %
50 %
Information about Etapas Do Crescimento Modulo 3

Published on January 27, 2008

Author: fogotv

Source: slideshare.net

Description

Igreja Batista Ágape - EBD

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 CURSO: CRESCIMENTO ESPIRITUAL DISCIPLINA: ETAPAS DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL TEMA: Alimentar-se da Palavra de Deus diariamente AULA 1 OBJETIVO Reconhecer a necessidade pessoal de crescer diariamente na vida espiritual por meio da leitura e estudo da Palavra de Deus. INTRODUÇÃO Quando você recebeu a Jesus Cristo por meio da fé, algumas coisas aconteceram com você: • Jesus Cristo entrou em sua vida. “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” Apocalipse 3:20. “... a quem Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, a esperança da glória” Colossenses 1:27. • Seus pecados foram perdoados. “... em quem temos a redenção, a saber, a remissão dos pecados” Colossenses 1:14. “... e a vós, quando estáveis mortos nos vossos delitos e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os delitos” Colossenses 2:13. • Você se tornou Filho de Deus. “Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus” João 1:12. • Você começou a viver uma nova vida para a qual Deus o criou. “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” João 10:10. “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” 2 Coríntios 5:17. O seu crescimento espiritual é o resultado de você confiar em Jesus Cristo. “... o justo viverá pela fé”. Gálatas 3:11. Para tornar-se uma pessoa forte e espiritual, você precisa observar e seguir as normas de treinamento encontradas na Palavra de Deus. Iremos estudar algumas normas básicas para o seu crescimento espiritual. DESENVOLVIMENTO 1. Por que e como estudar a Bíblia 1.1. O leite da Palavra Como a criança precisa do leite para matar a fome, o salvo por Jesus Cristo deve sentir fome pela Palavra de Deus. Você deve alimentar-se da Palavra de Deus diariamente, pois a Palavra de Deus nutre o espírito do homem. Se estiver sendo regado e alimentado pela Palavra de Deus, você deve ter crescimento espiritual contínuo em sua vida. “Desejai como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual a fim de por ele crescerdes para a salvação”. I Pedro 2:2. 1.1.1. Você é filho de Deus Ousadia de usar o alimento para crianças, fornecido pela Palavra do SENHOR. “Tendo renascido, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela Palavra de DEUS, a qual vive e Alimentar-se da Palavra de Deus diariamente 1 AULA 1

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 permanece” I Pedro 1:23. “Porque éreis desgarrados, como ovelhas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas”. I Pedro 2:25. “O ESPÍRITO mesmo testifica com o nosso espírito que somos filhos de DEUS”. Rom. 8:16. 1.1.2. Você ainda é muito fraco A alegria e o amor que um recém-convertido experimenta, o faz pensar que é muito forte e corre o risco de exaltar-se. É necessário que aprenda como é preciso tornar-se vigoroso no SENHOR JESUS. “Portanto, assim como recebestes a CRISTO JESUS, o SENHOR, assim também nele andai”. Colos- sences 2:6. “Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus”. Mateus 5:3 “Com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor”. Efésios 4:2 “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á”. Mateus 7:7,8. Espere tudo da parte do SENHOR. 1.1.3. Você deve ficar forte Precisa crescer e desenvolver-se na graça. Fazer progresso. “SENHOR DEUS dos exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó DEUS de Jacó!” Salmo 84:8. “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito”. Provérbios 4:18. “Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças; subirão com asas como águias; cor- rerão e não se cansarão; andarão e não se fatigarão”. Isaías 40:31. “Antes crescei na graça e no conhecimento de nosso SENHOR e SALVADOR JESUS CRISTO”. II Pedro 3:18a. 1.1.4. Desenvolver-se através do leite da Palavra A nova vida depende muito de aprender e manusear bem e sabiamente, a Palavra de DEUS. “Os preceitos do SENHOR são retos, e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro, e alumia os olhos. Também por eles o teu servo é advertido; e em os guardar há grande recompensa”. Salmo 19:8,11. “Escondi a tua Palavra no meu coração, para não pecar contra ti”. Salmo 119:11. “Lâmpada para os meus pés é a tua Palavra, e luz para o meu caminho”. Salmo 119:105. Na Palavra de DEUS há a própria vida e a energia de DEUS. “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida”. João 6:63. Ninguém deve supor que a Palavra de DEUS é elevada demais ou difícil para ele. “Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei”. Salmo 119:18. “Mas o Consolador, o ESPÍRITO SANTO a quem o PAI enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito”. João 14:26. “Para que o DEUS de nosso SENHOR JESUS CRISTO, o PAI da glória, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele; sendo iluminados os olhos do vosso coração, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória de sua herança aos santos”. Efésios 1:17-18. 1.2. O poder da Palavra “Pelo que, despojando-vos de toda a sorte de imundícia e de todo o vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas”. Tiago 1:21. Corre-se o risco de pensar que a fé, que realiza tão grandes coisas, necessariamente deve ser algo Alimentar-se da Palavra de Deus diariamente 2 AULA 1

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 grandioso, e que lhe compete exercer grande poder, a fim de possuir tão grande fé. E então, porque ele não sente este poder, pensa que é impossível crer como deveria. Não é você quem deve entrar com essa fé poderosa, para que a Palavra de DEUS se cumpra, mas é a Palavra de DEUS que entra e lhe traz essa fé. “Porque a Palavra de DEUS é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e as intenções do coração”. Hebreus 4:12. Você crê realmente que a Palavra de Deus é viva, eficaz e poderosa, e que sua vida pode ser transformada? O tempo que passou estudando a Palavra de Deus foi suficiente para ficar verdadeiramente satisfeito? Ou está se alimentando em outras fontes e apenas “beliscando” na Palavra de Deus? Exercite fé verdadeira ao ler a Palavra. Creia que Deus esteja falando especialmente com você. Reivindique as promessas feitas a você pessoalmente [quando você atender às condições]. Verifique as receitas de Deus para suas necessidades diárias, e depois as aplique na sua vida cotidiana. Uma alimenta- ção adequada na Palavra de Deus não somente o guardará da morte espiritual, como também o capacitará a suportar as dificuldades. Ao lutar contra a tentação, use “a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” Efésios 6:17. A Palavra é quem cria esta fé. “Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de CRISTO”. Romanos 10:17. Com sua fé natural (todo homem possui) você recebe a Palavra com atenção. Então você exerce fé para crer nela. “Por isso nós também, sem cessar, damos graças a DEUS, porquanto vós, havendo recebido a Palavra de DEUS que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na verdade) como Palavra de DEUS, a qual também opera em vós que credes”. I Tessalonissences 2:13. “Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido”. Josué 1:8. 1.3. Manuseando a palavra 1.3.1. Todo o texto sem o contexto é pretexto. - Gênesis 4:8b: “... Caim se levantou contra o seu irmão Abel e o matou”. - Lucas 10:37b: “...Vai, e faze tu o mesmo”. - João 13:27b: “... O que fazes, faze-o depressa”. Quando for ler um versículo da Palavra de DEUS, leia pelo menos 6 versículos anteriores e 6 ver- sículos posteriores, para verificar o contexto em que o versículo foi escrito. Você deve meditar (ruminar) na Palavra. “Escondi a tua Palavra no meu coração, para não pecar contra ti”. Salmo 119:11. 1.3.2. Referências “Respondeu-lhe ele: 26Amarás ao SENHOR teu DEUS de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e 27 ao teu próximo como a ti mesmo”. Lucas 10:27. 26) Deuteronômio 6:5: “Amarás, pois, ao SENHOR teu DEUS de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todas as tuas forças”. 27) Levítico 19:18: “Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos de teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR”. 1.3.3. Vocabulário “No dia seguinte tirou dois idenários, deu-os ao hospedeiro e disse-lhe: cuida dele; e tudo o que gastares a mais, eu to pagarei quando voltar”. Lucas 10:35. i) Um denário correspondia à diária de um trabalhador. Alimentar-se da Palavra de Deus diariamente 3 AULA 1

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 MINISTRAÇÃO E APLICAÇÃO PRÁTICA Um estudo pessoal da Palavra é essencial para ser “santificado e útil ao seu possuidor e preparado para toda boa obra”. II Timóteo 2:21. MINISTRAÇÃO E APLICAÇÃO PRÁTICA Um estudo pessoal da Palavra é essencial para ser “santificado e útil ao seu possuidor e preparado para toda boa obra”. II Timóteo 2:21. Teste-se a si mesmo - veja se você está andando de acordo com a palavra de Deus. Temos que nos perguntar constantemente: Estou mudando? Estou me tornando mais amoroso e de coração bom? Estou tratando minha família e amigos com respeito divino? Meu falar está se tornando mais reto? Ou ainda estou participando de piadas sujas? Ainda estou reclamando, ou estarei falando palavras edificantes de fé? Vamos agora observar alguns pontos práticos para auxiliá-lo na leitura, estudo e meditação da Bíblia. Ore a Deus para que o Espírito Santo ilumine você ao ler Sua Palavra. Escolha um horário e um local onde possa estar a sós com Deus, livre de interrupções. Fique mentalmente alerta e desligado de outras ocupações. Dê a prioridade certa para este seu compromisso com Deus. Sempre que tiver oportunidade, compartilhe com outros aquilo que você recebeu do Senhor. Verifique o contexto da parte que estiver lendo. Ao ler um versículo, leia também pelo menos os seis versículos anteriores e os seis posteriores, para se situar no contexto. Utilize as referências no rodapé da Bíblia e concordâncias bíblicas para aprofundar o estudo. Utilize dicionários bíblicos para um melhor entendimento das palavras. ESTUDE A BÍBLIA TODOS OS DIAS! “Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido” Josué 1:8. BIBLIOGRAFIA htpp://cnview.com htpp://www.espada.eti.br Alimentar-se da Palavra de Deus diariamente 4 AULA 1

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 Preencher sua vida com oração AULA 2 OBJETIVO Reconhecer a necessidade pessoal de orar diariamente a Deus. INTRODUÇÃO A oração é um diálogo do homem com Deus, no qual devemos estar atentos à resposta de Deus, que pode vir por meio do nosso espírito ou por circunstâncias exteriores. É pela oração que colocamos nossas ansiedades nas mãos de Deus, crendo que Ele é poderoso para nos trazer paz interior, e resolver nossos problemas da melhor maneira possível para nosso crescimento espiritual. Quando somos convencidos pelo Espírito Santo de nossos pecados, nós devemos imediatamente pedir perdão a Deus, através da oração, rogando para sermos lavados pelo sangue de Jesus, e nossos pecados serão perdoados. DESENVOLVIMENTO 1. Orar em todo o tempo “Em tudo, porém sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições pela oração e pela súplica com ações de graças”. Filipenses 4:6. Devemos estar sempre em oração, para sermos protegidos das tentativas de Satanás de nos levar ao pecado. Podemos dizer que a oração é o nosso termômetro espiritual, quando nós não conseguimos orar, indica que não estamos bem espiritualmente. Devemos aprender a observar a voz de Deus, em nosso espírito, enquanto estamos orando, pois Deus se comunica conosco através de nossa intuição, que é uma das partes do nosso espírito, mas cabe a nós, utilizando o nosso conhecimento bíblico, discernirmos se é ou não de Deus este falar, pois o inimigo pode também tentar nos enganar, lançando pensamentos em nossa mente que sutilmente nos induzirão ao pecado. A oração é, segundo a Bíblia, uma estrada de mão dupla pela qual o crente chega à presença de Deus e Este vem ao seu encontro com as respostas: “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes”. Jeremias 33:3. 2. Oração é relacionamento com Deus A oração é o resultado espontâneo de um relacionamento pessoal com Deus, onde não há monólogo, pois quem ora não apenas fala, mas também precisa saber e estar disposto a ouvir. É um diálogo onde o crente tem a sua comunhão com Deus aprofundada e ambos conversam numa linguagem que tem como intérprete o Espírito Santo: “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele in- tercede pelos santos”. Romanos 8:26-27. 3. A oração modelo A oração modelo, registrada em Mt 6:9-13, não é meramente uma fórmula para ser repetida. Se as- sim fosse, o Mestre não teria condenado as “vãs repetições” dos gentios. Seria uma incompatibilidade. O seu objetivo é revelar os pontos principais que dão forma ao conteúdo da oração cristã. Ela não é uma oração universal, mas se destina exclusivamente àqueles que podem reconhecer a Deus como Pai, por intermédio Preencher sua vida com oração 5 AULA 2

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 de Jesus Cristo. A oração do crente, sincera e completa em seu objetivo, traz em si estes aspectos: · Reconhecimento da soberania divina (Pai nosso, que estás nos céus); · Reconhecimento da santidade divina (santificado seja o teu nome); · Reconhecimento da vinda do reino no presente e sua implantação no futuro (venha o teu reino); · Submissão sincera à vontade divina (faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu); · Reconhecimento que Deus supre as nossas necessidades pessoais (o pão nosso de cada dia dá- nos hoje); · Disposição de perdoar para receber perdão (e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores). · Proteção contra a tentação e as ações malignas (e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal); · Desprendimento para adorar a Deus em sua glória (pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!). Um dos requisitos para que uma oração seja eficaz é uma fé pura e verdadeira: “Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim con- vosco”. Marcos 11: 24. “Ao que lhe respondeu Jesus: Se podes! Tudo é possível ao que crê”. Marcos 9:23. “Aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado de má consciência e lavado o corpo com água pura”. Hebreus 10:22. “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança”. Tiago 1:17. “E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser- lhe-ão perdoados”. Tiago 5:15. 4. Em nome de Jesus Nossas orações devem ser feitas em nome de Jesus, ou seja, devem estar em harmonia com a pessoa, caráter e vontade de nosso Senhor: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei”. João 14:13-14. A nossa oração deve ser feita segundo a vontade de Deus que muitas vezes nos é revelada pela sua palavra, que por sua vez deve ser lida com oração: “Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”. Efésios 6:17-18. “E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve”. 1 João 5:14 “... venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”. Mateus 6:10. “Então, ele os ensinou: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino”. Lucas 11:2. “Tornando a retirar-se, orou de novo, dizendo: Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade”, Mateus 26:42. Devemos andar de acordo com a vontade de Deus, amá-lo e agradá-lo para que Ele atenda as nos- sas orações: “...buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acres- centadas”. Mateus 6:33. “...e aquilo que pedimos dele recebemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável”. 1 João 3:22. “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, Preencher sua vida com oração 6 AULA 2

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 e vos será feito”. João 15:7. “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo”. Tiago 5:16-18. “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido”. Salmo 66:18. “O sacrifício dos perversos é abominável ao SENHOR, mas a oração dos retos é o seu contenta- mento”. Provérbios 15:8. 5. Oração eficaz Finalmente, para uma oração eficaz, precisamos ser perseverantes: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á”. Mateus 7:7-8. “Perseverai na oração, vigiando com ações de graças”. Colossenses 4:2. “Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro” .Salmo 40:1. Em princípio, o crente deve orar em todo o tempo: “Orai sem cessar”. 1Tessalonicenses 5:17. “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perse- verança e súplica por todos os santos”. Efésios 6:18. É um estado permanente de comunhão com Deus, onde o seu pensar está ligado às coisas que são do alto: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra”. Colossenses 3:2. É uma condição que não dá lugar para ser atingido pelos dardos inflamados do inimigo, pois seu espírito está sempre alerta, através da oração. Ele deve, no entanto, ter momentos específicos de oração pela manhã, à tarde ou à noite, como fez o nosso Senhor Jesus. MINISTRAÇÃO E APLICAÇÃO PRÁTICA A oração é uma conversa com Deus. Conversa espontânea, sincera, leal, que declara seus temores, anseios, necessidades diárias, agradecimentos... Enfim, orar é ter comunhão com Deus. “Confiai nele, ó povo, em todos os tempos; derramai perante ele o vosso coração. Deus é o nosso refúgio”. Salmo 62:8. O tempo dedicado à oração nunca é perdido. A oração deve penetrar e vivificar todos as áreas da nossa vida. A oração não é um monólogo, mas um diálogo, nós conversamos com Deus e ele conversa conosco: “Disse-me mais: Filho do homem recebe no teu coração todas as minhas palavras que te hei de dizer, e ouve-as com os teus ouvidos”. Ezequiel 3:10. Devemos procurar a Deus pela manhã, se quisermos sentir Sua Presença durante o restante do dia. Que a oração seja a chave do dia e o cadeado da noite: “Pela manhã ouvirás a minha voz, ó SENHOR; pela manhã apresentarei a ti a minha oração, e vigiarei” Salmo 5:3. “De tarde e de manhã e ao meio dia orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz”. Salmo 55:17. “Ó Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei”. Salmo 63:1. Nenhum homem é maior que a sua vida de oração; ele nunca tropeçará se estiver ajoelhado. Deus aquece suas mãos no coração do homem quando ele ora: “Porque sete vezes cairá o justo, e se levantará; mas os ímpios tropeçarão no mal”. Provérbios 24:16. Ore como se tudo dependesse de Deus, trabalhe como se tudo dependesse de você. Quando tra- Preencher sua vida com oração 7 AULA 2

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 balhamos, trabalhamos; quando oramos, Deus trabalha. Há um tremendo poder na oração, muito mais que o mundo imagina. Quando você não puder orar como deve, ore como você pode. Deus não ouve a voz, mas o cora- ção: “Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração”. 1 Samuel.16:7. A oração verdadeira é um caminho da vida. A vida verdadeira deve ser um meio de oração. Quando os homens deixam de olhar para cima perdem a direção da vida: “Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos”. Salmo 40:2. “Ele atenderá à oração do desamparado, e não desprezará a sua oração”. Salmo 102:17. Há três respostas para a oração: sim, não, espere. Nada está fora do alcance da oração, exceto aquilo que não está em conformidade com a vontade de Deus. Se ela não mudar o rumo das coisas, com certeza ela lhe transformará: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu”. Mateus 6:10. “E, tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis”. Mateus 21:22. Os melhores momentos de nossa vida são quando passamos em comunhão com o Pai. Aquele que é verdadeiramente filho não consegue passar um dia sem falar com o Pai: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”. João 15:5. Jesus nos deu o exemplo, quantas noites passou em vigília, conversando com seu Pai: “E, levantando-se de manhã, muito cedo, fazendo ainda escuro, saiu, e foi para um lugar deserto, e ali orava”. Marcos 1:35. Portanto, meu irmão, minha irmã, seja uma pessoa de oração! Orai sem cessar! BIBLIOGRAFIA http://www.estudobiblico.com.br Preencher sua vida com oração 8 AULA 2

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 Ter comunhão com os verdadeiros crentes AULA 3 OBJETIVO Reconhecer a necessidade pessoal de ter comunhão com outros irmãos, para que seu crescimento espiritual seja encorajado e tenha forças para enfrentar a oposição do Maligno. INTRODUÇÃO Uma brasa quando está no braseiro se mantém acesa por um longo tempo; quando a brasa é tirada do braseiro, logo se apaga. O mesmo acontece em nosso relacionamento com outros cristãos. O melhor lugar para encontrar o tipo certo de amizades é em uma igreja fundamentada na Bíblia, onde Cristo é honrado e a Bíblia pregada. Com o encorajamento de outros irmãos, você vencerá o desânimo e terá vitórias em nome de Je- sus. DESENVOLVIMENTO 1.1. A importância de uma boa igreja O salmista escreveu: “Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos”. Salmo 119:63. E Salomão diz: “Quem anda com os sábios será sábio; mas o companheiro dos tolos sofre aflição”. Provérbios 13:20. Essa Escritura diz que ficaremos iguais às companhias que tivermos. Encontramos advertências iguais no Novo Testamento. O apóstolo Paulo disse aos coríntios: “Não vos enganeis. As más companhias corrompem os bons costumes”. I Coríntios 15:33. “Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas?” II Coríntios 6:14. Isso nos mostra que um filho de Deus não faz parte da companhia dos ímpios. Isso pode significar que talvez você tenha que cortar alguns de seus relacionamentos e fazer novos amizades. Se você ainda não está em comunhão com uma igreja local assim, precisa encontrar uma. Não imagine que você não precisa se identificar com uma igreja organizada. Esse é um dos argumentos modernos que Satanás está usando. Um cristão sem uma igreja é como uma criança sem um lar. Algo muito importante está faltando. As bênçãos espirituais do relacionamento com um corpo de outros irmãos não pode ser comparado aos valores do mundo. Compartilhar as ordenanças; as expressões de amor fraternal; uma perfeita confi- ança um no outro; uma disposição de participar e ajudar nos tempos de dificuldade; o aconselhamento e a admoestação fraternal - tudo isso é parte de uma comunidade cristã enérgica e espiritual. Como cristão você com certeza precisa dessa comunhão para o seu crescimento espiritual. 1.2. Abandone os prazeres pecaminosos deste mudo Para fazer isso, você precisa entender claramente o relacionamento do cristão com este mundo pecaminoso. O apóstolo João escreveu: “Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está Ter comunhão com os verdadeiros crentes 9 AULA 3

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”. I João 2:15-17. A Palavra de Deus diz-nos que o mundo está cheio do mal e da impiedade. Satanás é quem está no governo deste mundo. Ele é o espírito que trabalha contra Deus, produzindo as impiedades e o pecado que nos rodeia: “...nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência,” Efésios 2:2. Alguns dos prazeres deste mundo podem parecer inocentes e inofensivos, mas um exame mais detalhado revelará que segui-los é o início de uma caminhada que leva o homem para longe de Deus. Servir aos prazeres do mundo é tentar satisfazer a carne. Entretanto, nossa natureza pecaminosa nunca se satisfaz; ela simplesmente quererá mais e mais e isso acaba afundando a pessoa em pecados cada vez maiores. A resposta da Bíblia é: Crucifique a carne. “E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências”. Gálatas 5:24. “...porque se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”. Romanos 8:13. Precisamos dizer não a todos os desejos pecaminosos. Qualquer envolvimento com os prazeres sensuais deste mundo certamente trará morte espiritual. Como um filho de Deus, você é chamado para uma vida de pureza e santidade. 1.3. Enfrente toda oposição do Maligno com o escudo da fé Estamos em guerra contra o inimigo de nossas almas. Você deve se preparar para a batalha. Satanás tem muitas ciladas, esquemas e estratégias. Uma das suas armas mais eficientes é o desânimo. O Diabo sabe que se conseguir nos levar ao desânimo, provavelmente tiraremos nossa armadura. Assim, seremos um alvo fácil para ele. Alguns de seus ardis para nos levar ao desânimo são a dúvida, a preocupação e o medo. Outro esquema de Satanás é enviar a zombaria. Ele sabe que todos queremos ser aceitos em um grupo social, de forma que envia escarnecedores para zombar de nós. Ele pode até mesmo usar seus fa- miliares, colegas de trabalho ou qualquer outra pessoa. E eles terão muitas coisas para zombar, pois somos novas criaturas em Cristo Jesus: “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. II Coríntios 5:17. Uma das artimanhas mais antigas de Satanás e que ele ainda usa muito é a sedução; ele faz o pecado parecer atraente e apelativo; procura despertar as paixões carnais que estão dentro de nós; esconde as conseqüências do pecado dos nossos olhos e diz, “Vá em frente, aproveite. Todo mundo faz isso”. Mas essa é uma das muitas mentiras do Diabo. O final é remorso e vergonha. A sedução nada mais é que o engano do pecado. Essa é uma tentação muito comum para a qual você deve estar vigilante. Mas, graças a Deus, que nos dá as condições de sermos vitoriosos nessa batalha. “Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo”; Efésios 6:10-11. “Tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno”. Efésios 6:16. Quando a oposição vier, não vire as costas; enfrente o inimigo na força do Senhor e abraçando o escudo da fé. Deus lhe dará a vitória. MINISTRAÇÃO E APLICAÇÃO PRÁTICA Quando você encontrar uma igreja corretamente fundamentada na Bíblia, dê-lhe seu total apoio. Compareça regularmente aos serviços e envolva-se nas atividades espirituais da congregação. Submeta-se Ter comunhão com os verdadeiros crentes 10 AULA 3

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 Testemunho cristão AULA 4 OBJETIVO Reconhecer a necessidade pessoal de dar um bom testemunho cristão. INTRODUÇÃO O testemunho cristão é indispensável na vida da comunidade e no mundo. Jesus Cristo delegou esta tarefa a seus discípulos dizendo: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura...” Marcos 16.15. Somos, portanto anunciadores da Boa Nova de salvação, a chegada do reino de justiça, amor e paz. O testemunho cristão vai além da pregação. É preciso vivê-lo dia a dia. Desde pequenas atitudes como não jogar papel no chão até grandes deveres éticos que recomendam a honestidade e a promoção de justiça. O testemunho cristão está presente no nosso comportamento em todas atividades: igreja, escola, trabalho, esporte, família, lazer, etc. E inclusive em nossas relações envolvendo política: eleição, assembléias, discussões, debates, passeatas, manifestações. O apóstolo Paulo recomenda: “Somente portai-vos dum modo digno do evangelho de Cristo”. Filipenses, 1.27. Somos chamadas a buscar justiça, praticar misericórdia, pacificar, viver em humildade, apoiar o pequeno e o fraco. “... porque o reino de Deus não consiste no comer e no beber, mas na justiça, na paz, e na alegria no Espírito Santo”. Romanos 14:17. DESENVOLVIMENTO 1. Palavra e vida Nosso testemunho é composto por palavra e vida. É a palavra de Deus na nossa boca e valores espirituais em nossa vida, manifestados através do fruto do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio”; Gálatas 5:22-23. A palavra “Testemunha” é usada nos tribunais, e significa a declaração que uma pessoa presta às autoridades a fim de esclarecer fatos do seu conhecimento. Jesus incumbiu os seus discípulos de serem suas testemunhas até os confins da terra: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra”. Atos 1:8 Você, que também é um discípulo de Jesus, precisa testemunhar. Quando você testemunha a respeito de Jesus, você é edificado e cresce um pouco mais na vida sua espiritual. O primeiro lugar onde devemos testemunhar é a nossa própria casa: “André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que ouviram João falar, e que seguiram a Jesus. Ele achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Havemos achado o Messias (que, traduzido, quer dizer Cristo). E o levou a Jesus. Jesus, fixando nele o olhar, disse: Tu és Simão, filho de João, tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro)”. João 1:40-42. Devemos estar preparados para testemunhar nossa fé: “... antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para re- sponder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós” 1 Pedro 3:15. Testemunho cristão 11 AULA 4

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 2. Passos para dar um bom testemunho 2.1. Peça a Deus direção e sabedoria para falar e agir. “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento”. Tiago 1:5-6. “Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia”. Tiago 3:17. 2.2. Seja diligente, honesto. Tenha uma conduta moral digna, demonstrando cordialidade para com as pessoas. “Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo o bem, façais emudecer a ignorância dos homens insensatos, como livres, e não tendo a liberdade como capa da malícia, mas como servos de Deus”. I Pedro 2:15-17. 2.3. Evite contendas (brigas, discussões). “Lembra-lhes estas coisas, conjurando-os diante de Deus que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam, senão para subverter os ouvintes. Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. II Timóteo 2:14- 15. 2.4. Esteja sempre preparado para expor claramente o plano de salvação. “Ora, eu vos lembro, irmãos, o evangelho que já vos anunciei; o qual também recebestes, e no qual perseverais, pelo qual também sois salvos, se é que o conservais tal como vo-lo anunciei; se não é que crestes em vão. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras; que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escritu- ras”; I Corintios 15:1-4. 2.5. Fale sempre com clareza da condição para a Salvação: Fé e arrependimento. “Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo”; Romanos 10:9. “Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”. Lucas 15:7. 2.6. Mostre para as pessoas que elas precisam tomar uma decisão urgente com Cristo. “E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais após- tolos: Que faremos, irmãos? Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”. Atos 2:37-38. 2.7. Manifeste sua segurança em Cristo, sua alegria na certeza da vida eterna. “Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê, mentiroso o faz, porque não crê no testemunho que Deus de seu Filho dá. E o testemunho é este: Que Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida”. I João 5:10-12. 2.8. Não seja tímido. Aproveite todas as oportunidades para falar de Jesus. “Prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimi- dade e ensino”. II Tim. 4:2. Uma atitude vale mais do que muitas palavras. Antes de falar é necessário demonstrar que Jesus realmente faz diferença em sua vida. 3. Nossas palavras 3.1. O falar Nossas palavras traduzem o que está em nosso coração: “O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro Testemunho cristão 12 AULA 4

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca”. Lucas 6:45. Que disposição de coração as nossas palavras revelam nas reuniões da igreja? Todo aquele que está contente em meio das circunstâncias nas quais Deus o colocou, feliz com o gozo que experimenta junto com os irmãos na presença do Senhor, será de grande ajuda para a igreja. Se, por outro lado, se comprazer em “falar mal de um irmão”, quantas dificuldades não estará criando! “Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz. Há um só legislador e juiz, aquele que pode salvar e destruir; tu, porém, quem és, que julgas ao próximo?” Tiago 4:11-12. “Não vos queixeis, irmãos, uns dos outros, para que não sejais julgados”. Tiago 5:9. 3.2. Murmuração As murmurações inquietam inicialmente nosso interior: nosso espírito faz oposição contra determi- nado irmão ou irmã, ou contra algum ponto de vista coletivo que foi tomado; e então argumentamos para nos assegurar que temos razão. As queixas mantidas em silêncio vão se acumulando até que, finalmente, são colocadas em palavras. Quanto empecilho uma atitude como essa pode surgir numa igreja! “... tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados; sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmuração”; I Pedro 4:8-9. “E não murmureis, como alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor”. I Coríntios 10:10. “sabei que aquele que fizer converter um pecador do erro do seu caminho salvará da morte uma alma, e cobrirá uma multidão de pecados”. Tiago 5:20. 3.3. Maledicência Maldizer não é inventar o mal, mas divulgá-lo. Caluniar é dizer mentiras ou exagerar. Em ambos os casos, o propósito por detrás é muitas vezes colocar-se a si mesmo numa situação favorável! “As palavras do difamador são como bocados doces, que penetram até o íntimo das entranhas”. Provérbios 18:8. A maledicência e a calúnia podem desacreditar ou desanimar um irmão e causar prejuízo no seu serviço aos olhos dos demais. Temos então de deixar toda a maledicência: “Deixando, pois, toda a malícia, todo o engano, e fingimentos, e invejas, e toda a maledicência”, I Pedro 2:1. “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Provérbios 15:1. Mas vamos considerar o aspecto positivo de nossas palavras: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas ó a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem”. Efésios 4:29. “Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” Salmo 19:14. Temos muita necessidade de pedir ao Senhor que nos capacite a dizer palavras que sejam de ajuda, não de empecilho, tanto para os nossos irmãos como para o evangelho: “E muitos samaritanos daquela cidade creram nele, por causa da palavra da mulher, que testificava: Ele me disse tudo quanto tenho feito”. João 4:39. “Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo”. (Mt.12:36). 4. Nossas atitudes “alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram”; Romanos 12:15. Que ajuda esse gesto pode trazer! É mais fácil chorar com os que choram, com os que sofrem de uma doença grave ou com os que estão de luto, do que se alegrar com os que se alegram, pois isto requer total ausência de egoísmo ou inveja. Devemos também reconhecer os que trabalham entre nós: “Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor Testemunho cristão 13 AULA 4

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obras”. I Tessalonicenses 5:12-13. Examinemo-nos, então, se estamos sendo um auxílio aos nossos irmãos conforme ao “limite da esfera de ação que Deus nos demarcou”. “Nós, porém, não nos gloriaremos além da medida, mas conforme o padrão da medida que Deus nos designou para chegarmos mesmo até vós”; II Coríntios 10:13. O servo é chamado primeiramente a apresentar-se a si mesmo como padrão de boas obras: “Em tudo te dá, por exemplo, de boas obras; na doutrina mostra integridade, sobriedade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se confunda, não tendo nenhum mal que dizer de nós”. Tito 2:7- 8. Desse modo será verdadeiro auxílio para seus irmãos. MINISTRAÇÃO E APLICAÇÃO PRÁTICA Faça um propósito com Deus para dar um bom testemunho aos seus familiares. Demonstre para eles seu amor fazendo alguma coisa para os ajudar. No seu trabalho ou escola, fuja da rodinha de piadas. Proclame que você é crente no Senhor Jesus Cristo. Na igreja tenha uma palavra de ânimo para quem estiver ministrando (pastor, músicos, professores da EBD, introdutores, etc.). BIBLIOGRAFIA Artigos de: Testemunho cristão 14 AULA 4

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 Ações de graças, louvor e adoração AULA 5 OBJETIVO Reconhecer a necessidade pessoal de agradecer, louvar e adorar a Deus. INTRODUÇÃO “... Apresentemo-nos diante dele com ações de graças, e celebremo-lo com salmos de louvor”. Salmo 95:2. “Louvai ao Senhor. Ó minha alma, louva ao Senhor. Louvarei ao Senhor durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto viver”. Salmo 146:1-2 “Adorai ao Senhor vestidos de trajes santos; tremei diante dele, todos os habitantes da terra”. Salmo 96:9 Quando falamos em ações de graças, louvor e adoração, a primeira idéia que surge é de estarmos cantando um cântico na igreja. Isso é normal, pois cantar é a maneira mais comum para expressarmos o nosso louvor e a nossa adoração a Deus. Mas ações de graças, louvor e adoração são muito mais do que isto: as ações de graças, o louvor e a adoração devem ser vistos e praticados como um estilo de vida: “Em ti me tenho apoiado desde que nasci; tu és aquele que me tiraste das entranhas de minha mãe. O meu louvor será teu constantemente”. Salmo 71:06. “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus”. I Coríntios 10:31. Com base nessa passagem, cada ato da vida do cristão deve ser um ato de ações de graças, louvor e de adoração a Deus. Devem ser manifestados no falar, pensar, vestir, trabalhar, estudar, orar, cantar... Vamos ver então o que a Bíblia nos ensina sobre ações de graças, louvor e adoração. DESENVOLVIMENTO 1. Ações de graças Ações de graças geralmente é referenciado em Grego, e tem o sentido de ser particular. Ações de graças expressam a gratidão que nós temos por Deus por todas as bênçãos que Ele fez, faz e fará por nós: “Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem”. Salmo 13:6 É uma confissão das bênçãos recebidas quando vamos ao encontro de Deus: “... Apresentemo-nos diante dele com ações de graças, e celebremo-lo com salmos de louvor”. Salmo 95:2. No Velho Testamento a palavra usada para “obrigado” era “louvor”. No Novo Testamento a palavra “obrigado” é CHARIS, que está relacionada com graça. 1.1. Devemos dar graças Porque esta é a vontade de Deus para nós: “Em tudo dai graças; porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. I Tessaloni- censes 5:18. Note que é dar graças EM todas as coisas e não POR todas as coisas. Devemos dar graças pela palavra de Deus. As ações de graças movem a nossa fé e nos preparam para o milagre. Ações de graças, louvor e adoração 15 AULA 5

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 1.2. Ações de graças são frutos do Espírito “Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, sempre dando graças por tudo a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo”. Efésios 5:17-20. Devemos entender que a vontade de Deus para nós é estarmos cheio do Espírito; e quem está cheio do Espírito sempre dá graças a Deus. Se o nosso coração está cheio de ações de graças, isto virá à nossa boca. “... pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca”. Mateus 12:34b. 1.3 Devemos nos preparar para o que Deus faz no Espírito Entramos na presença do Senhor com súplicas e ações de graças: “Entrai pelas suas portas com ação de graças, e em seus átrios com louvor; dai-lhe graças e bendizei o seu nome”. Salmo 100:4. “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças”; Filipenses 4:6. Ações de graças devem preceder tudo o que fazemos. 1.4. Ações de graças fortalecem a fé Quando somos gratos, e começamos verificar o que Deus tem feito, a nossa fé é fortalecida pelo que Ele pode fazer agora. “Primeiramente dou graças ao meu Deus, mediante Jesus Cristo, por todos vós, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé”. Romanos 1:8. 1.5 Ações de graças são prelúdio de milagres Ações de graças acionavam a habilidade do Espírito em Jesus para fazer milagres: “Tiraram então a pedra. E Jesus, levantando os olhos ao céu, disse: Pai, graças te dou, porque me ouviste. Eu sabia que sempre me ouves; mas por causa da multidão que está em redor é que assim falei, para que eles creiam que tu me enviaste. E, tendo dito isso, clamou em alta voz: Lázaro vem para fora! Saiu o que estivera morto, ligados os pés e as mãos com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o e deixai-o ir”. João 11:41-44. O milagre da salvação veio através da gratidão do leproso: “Um deles, vendo que fora curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, dando-lhe graças; e este era samaritano. Perguntou, pois, Jesus: Não foram limpos os dez? E os nove, onde estão? Não se achou quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou”. Lucas 17:15-19. Se estamos dispostos a dar graças a Deus em todas as circunstâncias de nossa vida, não impor- tando quão mal possamos estar, iremos mover fé em nosso espírito e nos prepararemos para os milagres de Deus. 2. Louvor “1 Louvai ao Senhor! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder! 2 Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza! 3 Louvai-o ao som de trombeta; louvai-o com saltério e com harpa! 4 Louvai-o com adufe e com danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta! 5 Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes! 6 Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor “! Salmo 150. Louvor geralmente é referenciado em Hebraico, e tem o sentido de ser público. Louvar é exaltar, enaltecer, glorificar, aplaudir, bendizer... Exaltar é tornar alto, elevar, erguer, celebrar, Ações de graças, louvor e adoração 16 AULA 5

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 engrandecer... Louvor é festa, júbilo, alegria, regozijo, exaltação. É demonstração de gratidão a Deus pelas grandes coisas que ele fez, faz e ainda fará. Louvor é a expressão com palavras em atitude de exaltação e glorificação a Deus pelos seus fei- tos. Nós louvamos a Deus por Suas obras, bênçãos, curas, livramentos, perdão, graça, misericórdia, cuidado. “Ó Senhor, tu és o meu Deus; exaltar-te-ei a ti, e louvarei o teu nome; porque fizeste maravilhas, os teus conselhos antigos, em fidelidade e em verdade”. Isaías 25:1. “Quando já ia chegando à descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, regozi- jando-se, começou a louvar a Deus em alta voz, por todos os milagres que tinha visto”. Lucas 19:37. O motivo principal do louvor é a salvação em Cristo. “Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confes- sam o seu nome”. Hebreus 13:15. “Então anunciarei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação. Vós, que temeis ao Senhor, louvai-o; todos vós, filhos de Jacó, glorificai-o; temei-o todos vós, descendência de Israel”. Salmo 22:22-23. Louvor vem de um relacionamento intimo com Deus. Louvor deve sempre ser vocal. Não é em silêncio. 2.2. Palavras de louvor Vamos examinar algumas palavras usadas para o louvor: 2.2.1. HALAL (aleluia) Significa louve ao Senhor, ou “Louve Yah”. Yah é a forma abreviada da palavra do Velho Testamento Yahweh, traduzido como Jeová. Jubilosamente a Jeová. Significa ser vangloriado, estar feliz e alegre. A palavra traduz uma tremenda explosão de entusiasmo no ato de louvor. 2.2.2. YADAH Admitir em publico: “Graças te dou de todo o meu coração; diante dos deuses a ti canto louvores”. Salmo 138:1. Esta palavra expressa o verdadeiro significado de louvor: falar aos outros o que Deus tem feito. Tem uma significado mais profundo que é de “mão estendida”, ou, “lançar a mão”. Isto implica em louvar com as mãos levantadas: “Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos”. Salmo 63:4. 2.2.3. BARAK Abençoar. Ele tem nos abençoado; mas como podemos abençoar Deus? “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios”. Salmo 103:1-2. Nós bendizemos ao Senhor não esquecendo dEle, e não esquecendo de suas bênçãos. Existe um sentimento de ajoelhar-se e bendizer ao Senhor em um ato de adoração na palavra barak. Existe uma reação reflexa em nós que desejamos nos prostrar na presença do Senhor. 2.2.4. ZAMAR Significa tocar instrumentos de cordas, e refere-se ao louvor que envolve adoração instrumental como está escrito no salmo 150. 2.2.5. SHABACH Significa barulho, falar alto e de forma convincente. Esta palavra é encontrada na passagem abaixo: Ações de graças, louvor e adoração 17 AULA 5

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 “Louvai ao Senhor todas as nações, exaltai-o todos os povos”. Salmo 117:1. SHABACH também significa ordenar triunfo, glória e gritos. Davi diz: “Porquanto a tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios te louvarão. (shabach). Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos”. Salmo 63:3. Este é o tipo de louvor que faz o diabo fugir. 2.2.6. TOWDAH Está relacionada com a palavra yadah. É usado no livro dos Salmos para dar graças a Deus pelas coisas que ainda não aconteceram, assim como para aquelas que já foram realizadas. É o sacrifício de louvor, alegrando-se em alguma coisa que está prometida na palavra, mas ainda não se realizou. Há um grande poder espiritual no uso da Palavra desta maneira. O sacrifício de louvor é um ato de fé é implícito na palavra towdah. “Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus”. Salmo 50:23. TEHILLAH: Cantar alto. “Contudo tu és santo, entronizado sobre os louvores de Israel”. Salmo 22:3. Deus se manifesta em meio a um cântico exuberante. Isto é um cântico especial. É o que nós conhecemos hoje como “cantando no espírito”. Essa expressão de louvor traz uma grande unidade no corpo de Cristo. “Bendirei ao Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca”. Salmo 34:1. “Pôs na minha boca um cântico novo, um hino ao nosso Deus; muitos verão isso e temerão, e con- fiarão no Senhor”. Salmo 40:3. O importante a ser observado nessas palavras de louvor é que elas são palavras de sons. Louvor é sempre acompanhado de sons. Isto é vocal, isto é público e isto é alegre. 3. A prática do louvor “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes; a ordenar acerca dos que choram em Sião que se lhes dê uma grinalda em vez de cinzas, óleo de gozo em vez de pranto, vestidos de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que ele seja glorificado”. Isaías 61:1-3. Veja a frase em negrito acima: “vestidos de louvor em vez de espírito angustiado”. Esta é a providência de Deus para você na hora da angústia. Ele lhe deu vestido de louvor, e cabe a você usá-lo. Quando vem a tentação, Satanás pressiona você de todos os lados e você não sabe o que fazer. Entre na vitória vestindo-se dos vestidos de louvor. Quando você louva a Deus, Ele se faz presente na sua circunstância e tudo tem de se submeter a Ele. Se a circunstância não mudar, com certeza você mudará. 3.1. O louvor direciona nosso coração a Deus O louvor concentra todo o nosso ser em Deus. Quando damos ações de graças, nossos pensamentos ainda giram em torno de nós mesmos, mas quando louvamos esquecemos de nós mesmos e vemos e louvamos apenas a majestade e o poder de Deus, Sua graça e redenção. 3.2. O louvor livra o nosso coração de cuidados, temores e pensamentos centrados na terra Ações de graças, louvor e adoração 18 AULA 5

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL | CRESCIMENTO ESPIRITUAL 1 O louvor fecha a porta sobre as coisas estranhas, idéias intrusas, nossos pensamentos cotidianos e as sugestões satânicas. Ele nos “tranca” com Deus e com os seus anjos. 3.3. O louvor produz e aumenta a fé Quanto mais louvamos a Deus, tanto mais nos tornamos conscientes de Deus e absorvidos na Sua grandeza, sabedoria, fidelidade e amor. O louvor lembra-nos de tudo o que Deus pode fazer e das grandes coisas que Ele já fez. A fé vem pela Palavra de Deus e por meio do louvor. A fé cresce à medida que louvamos o Senhor. 3.4. O louvor invoca a presença, o poder e as forças de Deus Deus manifesta a Sua presença em meio ao Seu louvor. Deus está entronizado em meio às cria- turas que O louvam. O louvor de Deus parece chamá-Lo de maneira especial para atuar entre o seu povo, invocando a manifestação e o uso do Seu enorme poder. Nada nos une mais com os anjos de Deus do que nos ajuntar em louvor a Deus, e talvez o nosso louvor e adoração os unam a nosso favor e na resposta às nossas orações. 3.5. O louvor confunde, restringe, aterroriza e destrói satanás O louvor afasta os poderes das trevas, espalha os oponentes demoníacos e frustra as estratégias de Satanás. O louvor tira a iniciativa das mãos de Satanás. Ele é um meio eficaz de resistir a Satanás e fazê-lo fugir. Um crente cheio do Espírito, ungido e capacitado, pode atacar as fortalezas de Satanás mediante o louvor. 4. Louvor sincero Existem três atitudes que vão determinar se o louvor é sincero: 4.1. Consagração “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”. Romanos 12:1. Em uma vida consagrada a Deus, não existe o espírito religioso. A consagração é um compromisso com a vontade de Deus enquanto que a religiosidade cuida dos interesses da religião. 4.2. Santidade “Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom; ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore”. Mateus 12:33. Pelo fruto se conhece a árvore. Isso significa ter uma vida cujos valores morais e éticos são totalmente coerentes com a palavra de Deus. Não se trata de legalismos, usos e costumes, mas da evidência do fruto do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”. Gálatas 5:22. 4.3. Obediência “Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor? Eis qu

Add a comment

Related presentations

Related pages

Módulo 2. Etapas do Desenvolvimento Cognitivo ...

Do módulo 1 ao 4, o ... etapas de crescimento e especificidades, ... Módulo 3. O sistema relacional e familiar da criança.
Read more

Módulo 3 Crescimento Saudável - FAO Login

Módulo 3 Crescimento Saudável. 0 . 1 . 2 ... Reveja as etapas do processo de tomada de decisão. ... Resumo e Avaliação do Módulo 3
Read more

Processamento de Materiais II

Descreva as principais etapas do crescimento de filmes finos em vácuo. 3. ... determinante do crescimento analise ... lista_Etapas_do_Crescimento ...
Read more

Desenvolvimento do bebê - módulo 5 - Crescimento físico ...

Desenvolvimento do bebê - módulo 5 - Crescimento físico ... Desenvolvimento do bebê ... Qual é o sentido da vida? - Duration: 3:06. Laitos ...
Read more

NOTAS SOBRE AS ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: uma ...

NOTAS SOBRE AS ETAPAS DE ... modelo, através do KMO (Equação 3) ... determinar o potencial de crescimento econômico em uma região do ...
Read more

MÓDULO 3 A ANÁLISE DE MERCADO - Materiais de Aula - UTP

encontram nas etapas iniciais do desenvolvimento, ... a taxa de crescimento da demanda é de 3,8 % ao ano, ou seja: d = 1,4 + 0,4 (6) = 3,8 % ao ano.
Read more

3 Etapas do Crescimento e como minimizar este Processo ...

3 Etapas do Crescimento e como minimizar este Processo. Joaquim Marciano. Subscribe Subscribed Unsubscribe 18 18. Loading... Loading... Working
Read more

Crescimento, desenvolvimento e maturação; 2013

3.1. Crescimento do nascimento até a fase adulta ... participantes, negligencia etapas importantes do desenvolvimento de crianças e
Read more