advertisement

EFEITOS DA RECOMENDAÇÃO ONLINE NO *COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: *UM ESTUDO ENVOLVENDO CONFIANÇA, *SATISFAÇÃO, RECOMENDAÇÃO* E INTENÇÃO DE COMPRA.

0 %
100 %
advertisement
Information about EFEITOS DA RECOMENDAÇÃO ONLINE NO *COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: *UM...
Marketing

Published on February 26, 2014

Author: mcolivei

Source: slideshare.net

Description

Documento da Defesa da Dissertação de Mestrado que analisou através de um experimento na internet os efeitos da recomendação online em peer groups pessoais (ex. Facebook) e externos (ex. Trip Advisor) sobre o comportamento do consumidor na decisão de compra, satisfação, recomendação e confiança de serviços de alto e baixo valor monetário.
advertisement

Universidade de São Paulo - USP Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - FEA Departamento de Administração | Programa de Pós-Graduação Área de Concentração - Marketing EFEITOS DA RECOMENDAÇÃO ONLINE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: UM ESTUDO ENVOLVENDO CONFIANÇA, SATISFAÇÃO, RECOMENDAÇÃO E INTENÇÃO DE COMPRA. MARCELO CUSTODIO DE OLIVEIRA| n°1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon Luis Pilli | n° Dezembro 2013 EduardoProfessor 830181 José Afonso Mazzon orientador | Doutor 1

PROBLEMA E OBJETIVOS DA PESQUISA Marcelo Custodio de Oliveira| n° 1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 2

Tema PerguntaProblema Recomendação online e seus comportamento do consumidor. efeitos no Qual o impacto de recomendações online sobre o sentimento de confiança, a expectativa de satisfação, a intenção de recomendação e a intenção de compra do consumidor? Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 3 3

Definições Essenciais Recomendação Online Os participantes de comunidades na internet frequentemente citam marcas e produtos, associando sua experiência com estes com recomendações (SCARABOTO, ROSSI E COSTA, 2012). Sentimento de Confiança Confiança é um estado psicológico, em que o mesmo aceita e compreende a vulnerabilidade nas expectativas positivas sobre as intenções e comportamento do outro, baseado na crença de que ele agirá de maneira íntegra e responsável (ROUSSEAU et al, 1998) Expectativa de Satisfação A satisfação é o julgamento formado durante o uso ou consumo de produto ou serviço de determinado fornecedor, ou depois dele constituindo uma reação ou sentimento em relação a uma expectativa (SOLOMON, 2012). Intenção de Recomendação Intenção de Compra Brogan e Smith, 2010, ao discutirem a colaboração online, explicam que ela ocorre pois os humanos compreendem como favores funcionam. [...] Nós queremos recompensar as pessoas porque isto está na natureza de uma comunidade fazê-la; isto mantém comunidades fortes e protegidas contra o mundo externo. Intenção de compra é uma medida da possibilidade de que um consumidor vá comprar um produto: quanto maior a intenção de compra expressa, maior é a probabilidade de uma compra (SCHIFFMAN E KANUK, 2000). Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 4 4

Objetivos da Pesquisa Objetivo Geral Objetivos Específicos Compreender o impacto de recomendações online no sentimento de confiança, na expectativa de satisfação, na intenção de recomendação e na intenção de compra do consumidor. 1 Mensurar e diferenciar o impacto decorrente recomendações positivas ou negativas. de 2 Verificar se existem diferenças atitudinais dos consumidores decorrente de recomendações originárias de peer groups pertencentes ou não ao seu relacionamento social. 3 Verificar se existem diferenças atitudinais dos consumidores decorrente de recomendações de compra de serviços de alto ou baixo valor monetário. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 5 5

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Marcelo Custodio de Oliveira| n° 1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 6

Modelo Geral do Estudo A Web 2.0 e as Redes Sociais A Colaboração O Novo Funil de Compra Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomendação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra 7 7

A Web 2.0 e as Redes Sociais • A Colaboração O Novo Funil de Compra O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomen dação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra O’Reilly (2007) em seu estudo que definiu as bases da Web 2.0, discutiu o que chamou de os sete princípios essenciais das empresas da Web 2.0: 1. Serviços, não softwares empacotados, com relação custo-benefício e escalabilidade; 2. Controle sobre dados de forma única, com fontes de dados que ficam mais ricas quanto mais pessoas as usam; 3. Usuários de confiança como co-desenvolvedores; 4. Aproveitamento de inteligência coletiva; 5. Alavancagem da cauda longa através de auto-atendimento; 6. Software acima do nível de ser um único dispositivo e 7. Interfaces de usuários leves, modelos de desenvolvimento e modelos de negócios. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 8 8

A Web 2.0 e as Redes Sociais A Colaboração O Novo Funil de Compra O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomendação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra • O principal consumidor das mídias sociais é: • uma geração de novos consumidores, e esse novo consumidor não quer mais ser afetado por mensagens indesejadas, ele quer relevância de conteúdo e interatividade, quer fazer parte (PEREIRA, 2006). • Inúmeros e variados são os episódios que apontam como o público – outrora tomado como passivo e amorfo e com quase nenhum poder de influência sobre as produções culturais massivas – agora assume um papel decisivo nos modos de produção e de apropriação de bens culturais. Os produtos vão desde música, filmes, fotos até textos, softwares livres, sites colaborativos, blogs, etc. (PEREIRA, 2006). Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 9 9

A Web 2.0 e as Redes Sociais A Colaboração O Novo Funil de Compra O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomendação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra CONSUMIDOR Consideração Conhecimento Compra INFLUENCIADOR Usa Forma opinião Recomenda Figura 2.3.1 - O Ciclo do feedback social Adaptado de Evans (2010) Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 10 10

A Web 2.0 e as Redes Sociais A Colaboração O Novo Funil de Compra O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomendação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra • O impacto positivo ou negativo decorrente de recomendações foi estudado por Smith, Menon e Sivakumar (2005) em que: • Uma grande proporção de consumidores adotaram recomendações provenientes de peer groups. • Essas percepções são afetadas significativamente pelas características do recomendador e pelas características da compra. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 11 11

A Web 2.0 e as Redes Sociais A Colaboração O Novo Funil de Compra O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomendação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra • Huffaker (2010) encontraram resultados indicando que líderes online influenciam os outros através de alta atividade de comunicação, credibilidade, centralidade da rede e o uso da diversidade afetiva, assertiva e linguística em suas mensagens online. • Para McKnight e Chervany (2002) os efeitos dos peer groups na Web sobre o comportamento do consumidor são mediados pelas crenças de confiança do consumidor no recomendador. • Lin e Lu (2011), que conduziram um estudo com o objetivo de entender as razões pelas quais as pessoas utilizam as redes sociais, encontraram resultados que sugerem que as pessoas reforçam o caráter de utilidade e diversão das redes sociais e que amigos de um usuário e parentes influenciam o nível de satisfação percebido do usuário pelas redes sociais. • Estudos de Chung (2011) demonstram que atividades de buzz online influenciam a velocidade e o escopo da difusão de mensagens, acelerando a velocidade da difusão, mais do que o escopo da difusão Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 12 12

A Web 2.0 e as Redes Sociais A Colaboração O Novo Funil de Compra O Papel dos Peer Groups Confiança, Satisfação, Recomendação e o Papel dos Influenciadores A Intenção de Compra • Schiffman e Kanuk (2000) sugerem que a intenção de compra é uma medida da possibilidade de que um consumidor vá comprar um produto: quanto maior a intenção de compra expressa, maior é a probabilidade de uma compra. • Para Bickart e Schindler (2001) a participação em uma comunidade de consumidores online é susceptível a conduzir ao aumento das compras de produtos e facilitar a participação em atividades relacionadas com a comunidade • Bagozzi e Dholakia (2006) sugerem em seu estudo sobre comunidades de marcas que, formar relacionamento com outros consumidores que pensam e compartilham o interesse de uma marca será credível e impactante em persuadir e levar clientes para a marca, levando-os a ter mais comportamentos de compra e a serem mais fiéis. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 13 13

FRAMEWORK TEÓRICO E HIPÓTESES DE PESQUISA Marcelo Custodio de Oliveira| n° 1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 14

Framework Teórico Proposto RECOEMDAÇÕES (MENSAGENS) POSITIVAS EXPERIÊNCIA DE COMPRA DE TERCEIROS SERVIÇO B Baixo valor monetário RECOMENDAÇÕES (MENSAGENS) NEGATIVAS COLABORAÇÃO SERVIÇO A Alto valor monetário INTERNET, MÍDIAS/REDES SOCIAIS PEER GROUPS “Externos" FORMAÇÃO DE ATITUDES, INTENÇÃO DE COMPRA DE CONSUMIDORES E ANTECEDENTES SENTIMENTO DE CONFIANÇA PEER GROUPS “Pessoais" PEER GROUPS “Externos" ATITUDE POSITIVA/NEGATIVA INFLUENCIADORES EXPECTATIVA DE SATISFAÇÃO INTENÇÃO DE RECOMENDAÇÃO INTENÇÃO DE COMPRA PEER GROUPS “Pessoais" Luis Eduardo Pilli | n° 830181 Figura 3.2.1 - Framework teórico proposto orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 15 15

Hipóteses de Pesquisa Estudos de Smith, Menon e Sivakumar (2005) expressam resultados que confirmam que os participantes de seu experimento foram muito positivamente influenciados pela simples disponibilidade de uma recomendação. Estudos de Purnawirawan, Pelsmacker e Dens (2012) sugerem que revisões online desbalanceadas (positivas ou negativas) são consideradas mais proveitosas do que àquelas que são balanceadas (neutras). H1,j Recomendações positivas ou negativas de serviços, provenientes de peer groups pela internet, exercem, respectivamente, influência positiva ou negativa em relação aos sentimentos (j) de confiança, expectativa de satisfação, intenção de recomendação e intenção de compra em relação a esses serviços. Luis EduardoObs.: n° 830181 representam, respectivamente, Pilli | j=1,2,3,4, 16 orientador | Professor Doutorconfiança, satisfação, recomendação e intenção de compra sentimento de José Afonso Mazzon 16

Hipóteses de Pesquisa Para Albuquerque, Pereira e Bellini (2011) consumidores descontentes buscam justiça por meio de retaliação quando percebem que suas retaliações não surtem efeito na solução de problemas ou reestabelecimento de equidade em suas relações comerciais. Kim e Gupta (2012) realizaram um estudo do impacto das expressões positivas e negativas em recomendações online. De acordo com o estudo dos autores os resultados revelam que as expressões emocionais negativas em uma única crítica negativa tendem a diminuir o valor informativo e faz os comentários dos consumidores em avaliações de produtos menos negativo, porque os consumidores atribuem às emoções negativas disposições irracionais do revisor H2,j Recomendações positivas de serviços provenientes de peer groups pela internet exercem maior impacto no estabelecimento do sentimento de confiança (expectativa de satisfação, intenção de recomendação e intenção de compra) do consumidor em relação a este serviço do que recomendações negativas exercem em relação ao estabelecimento da desconfiança (expectativa de insatisfação, intenção de não recomendação e intenção de não comprar). Luis EduardoObs.: n° 830181 representam, respectivamente, Pilli | j=1,2,3,4, 17 orientador | Professor Doutorconfiança, satisfação, recomendação e intenção de compra sentimento de José Afonso Mazzon 17

Hipóteses de Pesquisa Conforme Hernandez (2003) em novos relacionamentos não existem interações prévias que possam suportar a formação de confiança baseada na visão de processos. Portanto, o interesse passa a ser a confiança inicial. Nos estudos de Smith, Menon e Sivakumar (2005) enquanto os participantes de seu experimento foram muito positivamente influenciados pela simples disponibilidade de uma recomendação, foram, também, mais exigentes em avaliar a confiança que depositaram no recomendador e no nível de influência do recomendador. H3,j Recomendações positivas ou negativas de serviços provenientes de peer groups pessoais pela internet, em que os indivíduos têm maior confiança entre eles, tem maior influência positiva ou negativa sobre o sentimento de confiança (expectativa de satisfação, intenção de recomendação e intenção de compra) do consumidor em comprar estes serviços do que de peer groups externos em que as pessoas não se conhecem. Luis EduardoObs.: n° 830181 representam, respectivamente, Pilli | j=1,2,3,4, 18 orientador | Professor Doutorconfiança, satisfação, recomendação e intenção de compra sentimento de José Afonso Mazzon 18

Hipóteses de Pesquisa Para Monte (1997) os seres humanos sentem-se rodeados por riscos tanto no trabalho como na vida pessoal diária. Esses riscos nascem da falta de informação e conhecimento adequado [...] e o risco econômico é citado como um deles. Para Lewicki e Bunker (1995) os indivíduos fazem suas escolhas de confiança com base na racionalidade derivada dos custos e benefícios a serem obtidos. H4,j Recomendações de serviços de alto valor monetário provenientes de peer groups pela internet tendem a impactar mais o sentimento de confiança (expectativa de satisfação, intenção de recomendação e intenção de compra) do consumidor em comprá-los do que serviços de baixo valor monetário. Luis EduardoObs.: n° 830181 representam, respectivamente, Pilli | j=1,2,3,4, 19 orientador | Professor Doutorconfiança, satisfação, recomendação e intenção de compra sentimento de José Afonso Mazzon 19

MÉTODO Marcelo Custodio de Oliveira| n° 1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 20

Método Escolhido • Dentre os três métodos de pesquisa – survey, observação e experimento – aquele que se revela mais adequado, sob o prisma de validade e confiabilidade dos resultados face à natureza do problema de pesquisa apresentado, é o do experimento. Isso porque a natureza do estudo demanda a manipulação de diferentes cenários contendo estímulos a diferentes sub-amostras a serem pesquisadas. • Nesse sentido, a decisão recaiu na utilização do critério experimental between subject, onde cada cenário construído terá uma amostra independente de usuários de redes sociais, evitando assim o contágio das respostas – efeito halo – de um cenário para outro (Tabachnick & Fidell, 2009). • Desse modo, a pesquisa empírica deste estudo propõe o seguinte design experimental: a) - Variáveis experimentais a serem manipuladas em cenários construídos: Recomendação feita: 2 níveis [positivas (R+) e negativas (R-)]; Grupo influenciador: 2 níveis [peer group pessoal (Gp) e peer group externo (Ge)]; Preço dos serviços: 2 níveis [baixo valor (M-) e alto valor (M+)]. b) Variáveis efeito: avaliação da confiança, satisfação, recomendação futura e intenção de compra em relação aos serviços a serem prestados. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 21 21

Cenários • O planejamento experimental requereu a construção de oito cenários (2x2x2), cujo detalhamento encontra-se apresentado no anexo deste estudo (documento da dissertação). Grupos do Experimento Recomendação Positiva (R+) de Serviço de Baixo Valor Monetário (M-) Recomendação Negativa (R-) de Serviço de Baixo Valor Monetário (M-) Recomendação Positiva (R+) de Serviço de Alto Valor Monetário (M+) Recomendação Negativa (R-) de Serviço de Alto Valor Monetário (M+) Peer Grupo Externo (Ge) Grupo 1 (Ge R+ M-) Grupo 2 (Ge R- M-) Grupo 3 (Ge R+ M+) Grupo 4 (Ge R- M+) Peer Grupo Pessoal (Gp) Grupo 5 (Gp R+ M-) Grupo 6 ( Gp R- M-) Grupo 7 (Gp R+ M+) Grupo 8 (Gp R-M+) Figura 4.1.1 – Grupos do experimento Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 22 22

Caracterização dos Cenários na Pesquisa M+ Serviço de alto valor monetário, caracterizado no experimento por um hotel que proporciona bastante conforto e uma experiência única em férias. M- Serviço de baixo valor monetário, caracterizado no experimento por um serviço de internet banda larga de preço baixo, compatível com os praticados no mercado. Ge Peer grupo externo, caracterizado no experimento por grupos presentes na internet em que não há relacionamento social próximo entre seus integrantes, onde as recomendações são dadas por pessoas que ele não conhece, como o site especializado em publicar opiniões de consumidores de produtos de tecnologia, o HT Fórum ou o site especializado em publicar opiniões de consumidores em férias, como por exemplo o Trip Advisor, dependendo do tipo de serviço testado. Gp Peer grupo pessoal, caracterizado no experimento por grupos presentes na internet em que há pessoas que ele conhece, de relacionamento social considerado próximo entre seus integrantes, como a mídia/rede social Facebook, Orkut ou Linked In. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 23 23

Coleta de Dados • Coleta realizada com amostragem não probabilística (resultados válidos para as amostras pesquisadas - não generalizáveis) pela internet, utilizando a ferramenta Qualtrics, possibilitando a aleatorização dos respondentes nas respectivas células amostrais e na ordem das variáveis dependentes, de forma que o pesquisado não teve contato e conhecimento da existência dos demais grupos. • Utilizou-se um banco de dados de empresa de pesquisa especializada em coleta de dados pela internet A população da pesquisa foi definida por pessoas com idade mínima de 18 anos e usuárias de redes sociais, localizadas na região metropolitana de São Paulo, com uma distribuição equilibrada de cotas entre o gênero e faixa etária dos respondentes • A coleta demandou um período de cerca de 30 dias após seu início, respeitando-se as cotas solicitadas para a amostra. Foi efetuada uma crítica das respostas dadas, tendo-se eliminado casos incoerentes e com respostas uniformes. A amostra final da pesquisa correspondeu a 274 casos válidos. Tabela 4.4.1. – Distribuição amostral por grupos do experimento Grupos % (n=274) G1 = Ge R+M- 10,9 G2 = Ge R-M- 10,6 G3 = Ge R+M+ 12,8 G4 = Ge R-M+ 10,9 G5 = Gp R+M- 13,9 G6 = Gp R-M- 15,0 G7 = Gp R+M+ 12,8 G8 = Gp R-M+ 13,1 Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon Total 100,0 24 24

ANÁLISE DOS RESULTADOS Marcelo Custodio de Oliveira| n° 1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 25

Processamento e Análise dos Dados • Utilizado o software SPSS • Análise de Variância (ANOVA) - técnica GLMM – Generalized Linear Multivariate Model ou Modelo Multivariado Geral • • Design: Grupo Experimental (P77) + Gênero (P1) + Idade (P2) + P77*P1 + P77*P2 + P77*P1*P2 Testes realizados: • Teste de aleatorização da amostra nos 8 grupos experimentais: Qui-quadrado • Avaliação da normalidade dos dados: assimetria e curtose • Testes multivariados da significância do efeito dos grupos experimentais: Pillai’s trace, Wilks’ lambda, Hotelling's trace, Roy's largest root. • Teste univariado da significância do efeito da manipulação dos grupos experimentais: teste F de Snedecor. • Teste multivariado de variância considerando o efeito principal das manipulações realizadas e das variáveis demográficas, assim como das interações entre essas variáveis. • Estimativas das médias marginais de cada grupo experimental corrigidas pelo gênero e faixa etária. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 26 26

Caracterização Demográfica da Amostra • A amostra pesquisada caracteriza-se como equilibrada entre os gêneros feminino e masculino, de faixas etárias diversificadas, na sua maioria casados, com renda até R$ 5.000,00, detentores de ensino médio ou superior incompleto e moradores de residências com 2 a 4 pessoas. Hábitos de Uso e Percepções em Relação à Internet, Mídias e Redes Sociais • Em relação aos hábitos de uso e percepções em relação à internet, mídias e redes sociais da amostra coletada destaca-se um público altamente conectado, com 83,9% acessando-as pelo menos uma vez ao dia e 60,2% utilizando mais de uma vez ao dia, gastando entre 1 hora e menos de 4 horas no acesso diário às mídias/redes sociais, com 94,2% dos entrevistados declarando acesso de casa, seguido pelo trabalho, com 39,1% e com 80,9% dos acessos ocorrendo por dispositivos fixos. • O Facebook é de longe a rede social de maior penetração na base amostral pesquisada com 95,3% dos respondentes declarando tê-la utilizado nos últimos 3 meses e também a rede social em que 81,8% dos respondentes declaram ter o maior número de contatos considerados próximos, sendo que a maioria não possui mais do que 399 contatos em sua rede, considerados pela maioria (acima de 50% dos respondentes) como muito importantes, próximos e de contato frequente. • Em relação a utilização de peer grupos externos, 35,4% responderam acessá-los às vezes e 21,5% frequentemente principalmente para buscar recomendações de produtos complexos em sua funcionalidade e de alto valor monetário como Informática, Eletro e Eletrônicos e Telefonia, em que as recomendações têm relativa repercussão na sua intenção de compra, com médias ponderadas de influência das recomendações na faixa dos 7 pontos em uma escala de zero a dez. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 27 27

Confiança Confiança (R+M+) e (R-M+): Ge X GP Confiança (R+M-) e (R-M-): Ge X GP 10,00 9,00 P=.524 8,00 7,00 6,50 6,00 P=.002 R+M-, 7,05 P=.000 5,00 4,00 3,00 3,69 R-M-, 3,29 P=.841 2,00 Médias Marginais Estimadas Médias Marginais Estimadas 10,00 9,00 8,00 R+M+, 7,46 7,00 6,00 P=.001 P=.000 5,00 4,00 4,03 3,00 R-M+, 2,61 P=.116 2,00 1,00 1,00 0,00 0,00 Ge Ge Gp Confiança (GeR+) e (GeR-): M- X M+ Gp Confiança (GpR+) e (GpR-): M- X M+ 10,00 9,00 9,00 8,00 7,00 P=.534 GeR+, 7,17 6,50 6,00 5,00 4,00 3,00 P=.001 P=.002 3,69 P=.556 GeR-, 4,03 2,00 Médias Marginais Estimadas 10,00 Médias Marginais Estimadas P=.924 7,17 8,00 7,00 6,00 7,05 P=.918 GpR+, 7,46 P=.000 P=.000 5,00 4,00 3,00 3,29 2,00 1,00 GpR-, 2,61 1,00 0,00 P=.416 0,00 M- M+ Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon M- M+ 28 28

Satisfação Satisfação (R+M+) e (R-M+): Ge X GP Satisfação (R+M-) e (R-M-): Ge X GP 10,00 9,00 8,00 P=.734 6,83 R+M-, 7,11 7,00 6,00 P=.000 P=.001 5,00 4,00 3,00 4,00 R-M-, 3,17 P=.606 2,00 Médias Marginais Estimadas Médias Marginais Estimadas 10,00 1,00 9,00 8,00 7,00 4,00 4,27 R-M+, 3,06 3,00 P=.192 2,00 Gp Ge Gp Satisfação (GpR+) e (GpR-): M- X M+ 10,00 9,00 P=.522 8,00 7,00 6,83 6,00 GeR+, 7,34 P=.000 P=.001 5,00 GeR-, 4,27 4,00 P=.518 2,00 1,00 Médias Marginais Estimadas 10,00 Médias Marginais Estimadas P=.000 5,00 Satisfação (GeR+) e (GeR-): M- X M+ 0,00 P=.000 6,00 0,00 Ge 3,00 R+M+, 7,89 1,00 0,00 4,00 P=.532 7,34 9,00 P=.336 8,00 7,00 GpR+, 7,89 7,11 6,00 5,00 P=.000 P=.000 4,00 3,00 GpR-, 3,06 3,17 P=.918 2,00 1,00 Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon MM+ 0,00 29 M- M+ 29

Recomendação Recomendação (R+M-) e (R-M-): Ge X GP Recomendação (R+M+) e (R-M+): Ge X GP 10,00 9,00 9,00 8,00 7,00 6,00 5,00 P=.327 R+M-, 7,47 6,53 P=.000 P=.000 4,00 3,00 R-M-, 3,54 3,00 P=.181 2,00 Médias Marginais Estimadas Médias Marginais Estimadas 10,00 1,00 7,00 R+M+, 7,69 7,26 6,00 5,00 4,00 P=.000 P=.000 3,67 3,00 R-M+, 2,97 2,00 P=.406 1,00 0,00 0,00 Ge Gp Ge Gp Recomendação (GpR+) e (GpR-): M- X M+ Recomendação (GeR+) e (GeR-): M- X M+ 10,00 9,00 9,00 P=.491 8,00 GeR+, 7,26 7,00 6,00 6,53 5,00 4,00 3,00 P=.000 P=.000 GeR-, 3,67 3,00 P=.150 2,00 1,00 0,00 Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon M- M+ Médias Marginais Estimadas 10,00 Médias Marginais Estimadas P=.636 8,00 P=.847 8,00 7,00 GpR+, 7,69 7,47 6,00 5,00 4,00 P=.000 P=.000 3,54 3,00 GpR-, 2,97 2,00 P=.507 1,00 30 0,00 M- M+ 30

Intenção de Compra Contratação (Intenção de Compra) (R+M+) e (R-M+): Ge X GP Contratação (Intenção de Compra) (R+M-) e (R-M-): Ge X GP 10,00 9,00 9,00 P=.261 8,00 7,00 R+M-, 7,42 6,60 6,00 5,00 4,00 3,00 P=.000 P=.001 3,55 R-M-, 3,20 P=.902 2,00 1,00 Médias Marginais Estimadas Médias Marginais Estimadas 10,00 R+M+, 7,91 8,00 7,00 6,00 7,23 P=.000 P=.000 5,00 4,00 4,13 3,00 R-M+, 3,17 P=.359 2,00 1,00 0,00 0,00 Ge Ge Gp Gp Contratação (Intenção de Compra) (GpR+) e (GpR-): M- X M+ Contratação (Intenção de Compra) (GeR+) e (GeR-): M- X M+ 10,00 9,00 9,00 P=.405 8,00 7,00 6,00 5,00 4,00 3,00 GeR+, 7,23 6,60 P=.000 P=.001 GeR-, 4,13 3,55 P=.393 2,00 1,00 0,00 Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon M- M+ Médias Marginais Estimadas 10,00 Médias Marginais Estimadas P=.474 P=.657 GpR+, 7,91 8,00 7,00 6,00 7,42 P=.000 P=.000 3,20 GpR-, 3,17 5,00 4,00 3,00 P=.899 2,00 1,00 31 0,00 M- M+ 31

Avaliação das Mensagens Positivas e Negativas Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 32 32

Média Geral da Mensagem Positiva/Negativa Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 33 33

CONCLUSÕES, IMPLICAÇÕES, LIMITAÇÕES E RECOMENDAÇÕES PARA PESQUISAS FUTURAS Marcelo Custodio de Oliveira| n° 1462679 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 34

Conclusões • A variável tipo de recomendação demonstra ser o único fator que apresentou diferença significativa entre suas médias marginais estimadas quando comparam-se concomitantemente recomendações positivas e negativas para todas as dimensões avaliadas e em quaisquer aplicações de cenários envolvendo as demais variáveis, valor monetário e peer group. • As recomendações positivas, demonstraram, em uma escala de médias marginais estimadas de zero a dez, trazerem maior impacto do que as recomendações negativas sobre quaisquer das dimensões avaliadas. • Apesar de serviços de valor monetário alto e peer groups pessoais terem apresentado médias marginais estimadas levemente superiores que de valor monetário baixo e peer groups externos, não se pode considerar que são significativas. • Portanto, para as quatro hipóteses propostas para cada dimensão, consideraramse aceitas as Hipóteses (H1,j e H2,j) , tendo sido rejeitadas as demais relacionadas a peer groups (H3j) e valor monetário (H4j). Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 35 35

Implicações Gerenciais • O estudo traz evidências de que há impacto significativo sobre o comportamento do consumidor que justificam o seu monitoramento pela internet, para quaisquer produtos, seja de recomendações positivas ou recomendações negativas e que este monitoramento deve ocorrer em mídias/redes sociais e comunidades com interesse específico de forma indiscriminada, já que para ambas ocorre um efeito sobre a confiança, a satisfação, a recomendação e a atitude de compra. Limitações do Estudo • Mídias/Redes Sociais podem de uma hora para outra desaparecerem ou mudarem de importância. • Não há como generalizar que o resultado vale para quaisquers tipos de serviços e bens físicos. • Cenário projetivo pode trazer viés. • Amostra apesar de equilibrada não pode ser considerada como um extrato fiel da população brasileira e o tamanho não permite generalizar o seu resultado para toda e qualquer população de indivíduos. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 36 36

Direcionamento para Futuros Estudos • Aplicação em fases: 1- Que tipos de serviços/ bens físicos tem interesse 2 - Redes sociais/ mídias utilizadas para recomendações 3 – Aplicar cenários customizados • Regiões distintas e diversos países • Avaliar além de recomendações desbalanceadas, neutras e mistas. Luis Eduardo Pilli | n° 830181 orientador | Professor Doutor José Afonso Mazzon 37 37

OBRIGADO Marcelo Custodio de Oliveira Luis Pilli | n° Dezembro 2013 EduardoProfessor 830181 José Afonso Mazzon orientador | Doutor 38

Add a comment

Related presentations

Brands are more invested today than ever before on curating and distributing paid,...

Marketers need to be creating and publishing original content across many differen...

As content marketing continues to increase in popularity in every industry, more m...

Il Direct Email Marketing (DEM) è una tipologia di marketing diretto che usa la po...

This presentation contains all 120 rules from Part 1 of the 2nd edition of "Email ...

Olá, somos o Paulo Bernardes e o Pedro Silvestre, temos uma ambição em comum de me...

Related pages

Efeitos da recomendação online no comportamento do ...

Efeitos da recomendação online no comportamento do consumidor: um estudo envolvendo confiança, satisfação, recomendação e intenção de compra
Read more

Defesas de Teses - Home | FEA - USP

“Efeitos da recomendação online no comportamento do consumidor: ... estudo envolvendo confiança, satisfação, recomendação e intenção de compra ...
Read more

Revista de Administração Contemporânea - Os efeitos da ...

Os efeitos da participação ... virtuais de marca no comportamento do consumidor. Para o estudo utilizaram ... satisfação, recomendação, ...
Read more

Envolvimento, satisfação e lealdade do consumidor : um ...

Envolvimento, satisfação e lealdade do consumidor : ... Envolvimento, satisfação e lealdade do consumidor : um estudo no varejo de vestuário em Curitiba /
Read more

Efeitos da Responsabilidade Social Corporativa na ...

... nos efeitos da RSC no comportamento do ... da RSC na intenção de compra do consumidor se ... no Comportamento do Consumidor: Estudo de ...
Read more

rea Temática: Marketing Comportamento e atitude do ...

... comportamento do consumidor, ... da escolha, intenção de compra e ... perceptuais do consumidor: Um estudo exploratório no setor de ...
Read more

contribuição da antropologia para o estudo do ...

Scribd is the world's largest social reading and publishing site.
Read more

Economia – Wikipédia, a enciclopédia livre

A área de estudo da economia do ... e o impacto do setor agrícola no resto da ... e comportamento do consumidor, ...
Read more