Dissertação - Observações e Dicas finais (revisão)

67 %
33 %
Information about Dissertação - Observações e Dicas finais (revisão)

Published on October 29, 2016

Author: NatliaMoura5

Source: slideshare.net

1. DISSERTAÇÃO Dicas finais para uma dissertação-argumentativa

2. Crie tese, dê sua opinião TESE: define a posição do texto, por meio da opinião do autor, frente ao tema proposto e deve ser coerente com os argumentos. Pode estar presente tanto na introdução quanto no desenvolvimento e deve ser retomada na conclusão. Exemplo: •O que eu acho: a maioridade penal é uma atitude positiva, pois ela pode diminuir a violência. •Tese: A maioridade pena deve ser reduzida no Brasil. Outros exemplos: “Equacionar a problemática da educação no país é inadiável.” “Como toda polêmica, discutir a maioridade penal requer, pela gama de aspectos envolvidos, sensatez e muita responsabilidade dos legisladores.” “As pessoas são levadas a acreditar que só poderão ser plenamente felizes se consumirem cada vez mais. Não percebem que a felicidade e a realização pessoal nada têm a ver com a posse material e o ter mais e mais.” ATENÇÃO: •TESE ÓBVIA: “A mobilidade urbana é importante”. •TESE CRIATIVA: “A mobilidade urbana deve ser garantida por meio de investimentos em transporte público de qualidade.”

3. OPINIÃO e JUSTIFICATIVA DA OPINIÃO • Dar opinião envolve argumentar, ou seja, expressar o que se pensa de modo claro e preciso com o objetivo de persuadir, fazer crer. ATENÇÃO: Dar opinião envolve argumentar, ou seja, expressar o que se pensa de modo claro e preciso com o objetivo de persuadir, fazer crer. Não se esqueça de que os argumentos são afirmações acompanhadas de suas justificativas – ideias precisam ter sua veracidade comprovada, e, assim, convencer o leitor. • Os argumentos de um texto são facilmente localizados: identificada a tese, faz-se a pergunta por quê? (Ex.: “A pena de morte infringe direitos humanos, porque...” (argumento). Veja: Tese: A prática da sustentabilidade deve ser incentivada na sociedade. Argumento: Agir de modo sustentável garante uma boa relação entre homem e natureza.

4. Seja impessoal • No texto impessoal, o autor não se mostra, o que seria feito por meio do uso da primeira pessoa; no entanto, apensar da influência das ideias do autor existir durante a escolha de todos os elementos textuais, ela não deve ser dita de modo direto. “Não sou do tipo que se impressiona com boatos, mas não posso ficar indiferente aos últimos acontecimentos no cenário público do Brasil. (...) Não quero me convencer de que um valor moral tão importante esteja sendo banido da sociedade, substituído pelo direito de garantia de privilégios pessoais a qualquer custo.” (PESSOALIDADE) • Na prática, escrever na primeira pessoa (eu/nós) dá origem a frases do tipo: – “Precisamos estar conscientes da importância do cuidado ao meio ambiente” – “Sabemos que o Brasil precisa de mudanças” – “Tive bons professores, mas nem todo estudante tem esse privilégio”. • As mesmas frases acima escritas acima, na terceira pessoa, ficariam: – “É preciso estar consciente da importância do cuidado com o meio ambiente” – “Sabe-se que o Brasil precisa de mudanças” – “Alguns estudantes têm bons professores, mas nem todos são abarcados com esse privilégio”.

5. ANÁLISE DE TEXTOS

6. A POSIÇÃO DA MULHER NA SOCIEDADE PÓS MODERNA (Odete M. B. Boff) • Homens e mulheres desempenham atualmente diferentes papéis nas mais variadas instâncias sociais. No que se refere a essa questão, a sociedade vem reconhecendo a igualdade de condições entre homens e mulheres? A Declaração Universal dos Direitos Humanos defende a equiparação de direitos, bem como o princípio da não discriminação, proclamando que todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. No entanto, constata-se que inúmeros obstáculos e preconceitos ainda permanecem e prejudicam a igualdade entre homens e mulheres. • A primeira observação recai sobre o fato de que muitas mulheres, embora desempenhem as mesmas funções profissionais que o homem, recebem uma remuneração inferior. Além disso, ainda não existe credibilidade no mercado de trabalho, no sentido de as mulheres assumirem cargos de chefia; o exercício do poder geralmente está centrado na figura masculina. Sabe-se também que determinadas empresas preferem contratar homens a mulheres, pois elas poderão entrar em licença maternidade e ausentar-se para cuidar dos filhos, desarticulando a organização. Constata-se isso em uma empresa, quando uma mulher, ao candidatar-se à vaga ofertada, foi preterida a um rapaz, porque estava no início da gestação, embora o superasse em todos os quesitos. • Sem dúvida alguma, verifica-se que, nas últimas décadas, as mulheres têm obtido várias conquistas: o direito ao voto, a entrada no mercado de trabalho, o uso de contraceptivos e a possibilidade de adotar ou não o sobrenome do marido. Hoje, muitas mulheres marcam presença nos campos que eram restritos aos homens e ocupam até mesmo espaços de liderança. Desempenham suas atividades profissionais nas indústrias, no comércio e nos meios de comunicação, entre outros setores; têm atuação marcante nas ciências e na cultura, e predominam na educação. Superam atitudes discriminatórias e abrem mais espaços, inclusive na política e economia. • Diante disso, não existe motivo para considerar os homens superiores às mulheres, já que não se verificam diferenças de caráter intelectual ou de qualquer outro tipo, a não ser na força física. A igualdade de oportunidades, principalmente no mercado de trabalho, ainda não se concretizou em sua plenitude. Mas, considerando-se o aumento qualitativo da efetiva presença feminina nos diferentes âmbitos sociais, pode-se afirmar que a obtenção da verdadeira equiparação entre os membros de uma sociedade, sem distinção de sexo, é apenas uma questão de tempo. ANÁLISE DE TEXTOS

7. Estrutura básica 1o. Parágrafo: Tese e apresentação da ideia a ser defendida 2o. Parágrafo (1ºArgumento): Evidência¹ 1 + Análise desta 3o. Parágrafo (2º Argumento): Evidência¹ 2 + Análise desta Conclusão: reforço da tese mais outra estratégia (síntese, reflexão, proposta de solução, etc.) • ¹ ou tópico-frasal

8. Estrutura básica

9. Estrutura básica

10. Estrutura básica

11. DICAS

12. DICAS

13. • Estruture bem os parágrafos e a distribuição das ideias entre eles. • Crie argumentos consistentes, com dados suficientes para gerar o convencimento do leitor. • Procure dar sugestões concretas na conclusão, a fim de demonstrar capacidade integral de pensamento lógico, coerente e conclusivo/construtivo; • Construa períodos curtos e claros, evitando o uso excessivo de gerúndios e conectivos inadequados; procure fornecer em torno de duas informações por período; • Empregue pronomes, artigos, advérbios, expressões adverbiais, substantivos, elipses, dentre outros termos para criar referenciações coesas com elementos já mencionados e os que ainda serão. Articule fatos e conceitos com o auxilio de modo e tempo verbal, conjunções, preposições, advérbios, etc. DICAS

14. • Para que seu texto tenha progressão textual, cada parágrafo deve trazer ideias novas em relação ao próprio texto e aos textos motivadores da proposta. • Não use a 1a pessoa do singular e evite verbos de sentido pessoal, como achar, por exemplo; • Lembre-se de manter uma posição clara e coerente do início (tese) até o fim do texto (conclusão); • Quando errar, passe apenas um traço simples sobre o erro; • Siga as instruções fornecidas; • Faça sempre o rascunho ou esquema da redação; afinal, até os grandes escritores se dão ao trabalho de revisar seus textos várias vezes; • Não fuja ao tema, nem extrapole-o em seus argumentos. Escolha argumentos de acordo com a proposta de redação e construa sua redação de modo que o leitor não precise ter informações externas para entender o que será discutido. DICAS

15. Evite o lugar-comum e a falta de objetividade no seu texto. Veja o exemplo abaixo: •“Devagar se vai ao longe, porque a pressa é inimiga da perfeição e a esperança é a última que morre. É fato que o brasileiro é preguiçoso por natureza, mas graças a Deus aqui não há preconceito racial – somos um povo que tem horror à violência; nossa índole pacífica é proverbial no mundo inteiro. Se o homem tomasse consciência do valor da Paz, não haveria mais guerras no mundo – bastava que cada um parasse para pensar na beleza do sorriso de uma criança e descobrisse que mais vale um pássaro na mão do que dois voando.” •“A paciência é a mãe das virtudes, mas só com determinação e coragem haveremos de resolver nossos problemas. O que estraga o Brasil são os políticos; sem eles estaríamos bem melhor, cada um fazendo a sua parte.” •“Hoje em dia, felizmente, as mulheres estão entrando no mercado de trabalho porque, segundo pesquisadores americanos, elas são muito mais caprichosas do que os homens. Já os homens, conforme uma conclusão do conceituado Instituto de Psicologia da Filadélfia, são muito mais desconfiados e estão sempre querendo mais.” •“As pesquisas eleitorais nunca acertam porque são todas compradas. Mas a verdade é que o amor, quando autêntico, resolve tudo.”  DICAS

16. 1. Uso de linguagem informal: "o negócio é o seguinte..."; 2. O texto dissertativo tem caráter formal; portanto, não converse com o leitor como você faria na Crônica, Carta, entre outros; 3. Argumento subjetivo: "isso não é bom..."; 4. Falta de objetividade: "Mas, afinal, de quem é a culpa?"; (elimine rodeios); 5. Parágrafo argumentativo incompleto (ora falta a evidência, ora falta a análise); 6. Não fornecer fonte para as citações, não usar aspas quando reproduzi-las e não explicar por que as está usando; 7. Falta de concordância entre um elemento coletivo e os pronomes referentes a ele: governo ⇒ eles; 8. Não criar uma conclusão, ou um parágrafo conclusivo com novos argumentos; Principais problemas

17. 9. Citar na introdução aspectos que são necessários de serem desenvolvidos e não retomá-los depois. 10.Não invente dados e nem encerre seu texto com a seguinte frase ou derivadas: "As pessoas têm de se conscientizar"; 11.Falta de clareza – procure ser explícito o tempo todo; não deixe subentendidos; 12.Colocações pessoais: "Eu garanto que isso melhoraria a qualidade de vida no nosso país."; 13.Uso inadequado de ter como sinônimo de haver ou existir; 14.Uso de onde não se referindo a lugar; 15.Opção por palavra de sentido genérico, vago ou finalista/generalista: coisa, tudo, nada, ninguém, nunca, sempre; Principais problemas

Add a comment