advertisement

CORREIO DA BEIRA SERRA – N.º 65 (II SÉRIE) – 14.10.2008

25 %
75 %
advertisement
Information about CORREIO DA BEIRA SERRA – N.º 65 (II SÉRIE) – 14.10.2008

Published on October 20, 2008

Author: manchete

Source: slideshare.net

Description

Versão integral da edição n.º 65 (ANO 2 – SÉRIE II) do quinzenário “Correio da Beira Serra”, que se publica em Oliveira do Hospital (distrito de Coimbra, Portugal). Director: Henrique Barreto. 14.10.2008.
Para consultar o jornal na web, visite http://www.correiodabeiraserra.com/

Site do Instituto Superior Miguel Torga: www.ismt.pt

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt , www.slideshare.net/dmpa,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html
advertisement

PUB Terça-feira, 14 de Outubro de 2008 QUINZENÁRIO Ano 2 - Série II - N.º 65 Director: Henrique Barreto Preço: € 0,50 (IVA incluído) www.correiodabeiraserra.com S. Paio de Gramaços Em consequência de alegados “maus tratos” Funcionárias camarárias Fonte desactivada por “causa” da EDP revoltam-se com presidente Duas queixas-crime apresentadas por duas empregados da autarquia oliveirense estão a do executivo, o autarca do PSD teve que ouvir A Junta de Freguesia de S. Paio de Gra- funcionárias contra o autarca que governa a ser tratados por Mário Alves. Há quem susten- várias acusações proferidas por uma trabalha- maços viu-se obrigada a desactivar uma câmara de Oliveira do Hospital, vieram lançar te que muitos funcionários se calam por teme- dora da CMOH, que se fez acompanhar por um fonte ornamental mandada construir a discussão sobre a alegada forma como alguns rem represálias, mas na última reunião pública dirigente sindical. Págs. 5 e 9 pelo antigo presidente , João Paulo Velo- Uma família à luz da vela... so, porque a factura da EDP é elevadís- sima. Aquela autarquia – nos acertos da eléctrica portuguesa –, já chegou a pagar um montante de 5 mil euros. Pág. 7 Na 2ª fase de acesso ao ensino superior ESTGOH volta a ter bons resultados Na 2ª fase de acesso ao ensino supe- rior, a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital re- gistou uma taxa de ocupação de 82 por cento. Ainda em instalações pro- visórias, aquele estabelecimento de ensino superior está a “rebentar pe- las costuras” e já teve que se socorrer do auditório da caixa de crédito local para colocar as turmas mais numero- sas. Págs. 3 e última Em Lagares da Beira Presidente da Câmara e vereadores abandonam reunião Intempestivamente, primeiro saiu Mário Alves, depois Paulo Rocha e, fi- nalmente, Fátima Antunes. Foi assim que aconteceu, a semana passada, no Agrupamento de Escolas de Lagares da O Correio da Beira Serra volta a e sem casa de banho. O casal, que conformou com a sua situação de lamenta Gracinda Sousa (na ima- Beira, local onde decorria uma reunião “tropeçar” num caso em que uma habita na Catraia de S. Paio, com pobreza. “A gente vê que no povo gem), ao passo que acende a velha do Conselho Geral Transitório daquele família conseguiu chegar aos dias um filho de 29 anos, numa casa eles vivem melhor, mas a renda candeia para iluminar a habita- agrupamento. Pág. 2 de hoje sem luz eléctrica, sem água sem o mínimo de condições, já se de um apartamento é muito cara, ção. Págs. centrais PUB

2 14 de Outubro de 2008 D E S TA Q U E www.correiodabeiraserra.com No Agrupamento de Escolas de Lagares da Beira Presidente e vereadores abandonam reunião  Atitude dos autarcas do PSD foi alvo de críticas O presidente da câmara e tório (CGT). toca a representantes da comuni- bou também por sair depois de ter qualquer vereador ou, ainda, de- De acordo com a nova legisla- dade local, deveria ser integrado sido aconselhada por uma docen- legar a sua representação em pre- dois dos seus vereadores ção do Ministério da Educação, por representantes de instituições te a moderar a exaltação. sidentes de junta da área de cada abandonaram uma reunião a criação destes órgãos em todos locais. Sem os autarcas na sala, foi agrupamento. do Conselho Geral Tran- os agrupamentos escolares, que A celeuma instalou-se na entretanto realizada a votação da entre outras competências passa- reunião e, depois de terem sido proposta dos três representantes Como funcionam sitório do Agrupamento rão a ter a capacidade de eleger e colocadas em votação as duas da comunidade local que terão os conselhos gerais de Escolas de Lagares da destituir o director da escola, é propostas – Alves nunca chegou assento no CGT, e aprovada por Aos futuros conselhos gerais obrigatória. no entanto a especificar quem unanimidade. “cabe a aprovação das regras fun- Beira por discordarem da Os CGT são compostos por re- deveriam ser as instituições a ga- damentais de funcionamento da forma como aquele órgão presentantes do pessoal docente e nhar representatividade naquele Freixinho critica exclusão escola (regulamento interno), as não docente, dos pais e encarre- órgão –, o presidente da câmara dos vereadores do PS decisões estratégicas e de planea- procedeu à indicação dos gados de educação, alunos e, ain- não gostou de ter sido derrotado Esta questão da constituição dos mento (projecto educativo, plano três representantes da da, de três representantes do mu- – nove pessoas contra sete vota- conselhos gerais transitórios, que de actividades) e o acompanha- comunidade local. nicípio e da comunidade local. ram favoravelmente os represen- no próximo ano lectivo – por via mento da sua concretização. Ao De acordo com o que o Correio tantes designados pelo CGT – e, de uma eleição – têm que ser defi- CGT é ainda confiada “a capaci- da Beira Serra apurou, na escolha sem mais delongas, abandonou nitivos, vem provocando alguma dade de eleger e destituir o direc-  HENRIQUE BARRE T O dos representantes da comuni- abruptamente a reunião. O seu controvérsia. tor, que por conseguinte lhe tem dade local o CGT decidiu-se por vice-presidente, Paulo Rocha, Numa recente reunião do exe- de prestar contas””. O indicar três conhecidas figuras também não perdeu tempo e se- cutivo camarário, a vereadora do De acordo com o que refere o presidente da câ- locais: o empresário Amadeu Sea- guiu-lhe as pisadas. PS, Maria José Freixinho, lamen- Ministério da Educação no De- mara de Olivei- bra, que é o principal empregador Na sala – referiu ao CBS uma tou que os vereadores socialistas creto-Lei nº 75, publicado em 22 ra do Hospital e da freguesia de Lagares da Beira; a fonte ligada ao processo – “ins- tenham sido arredados de todo de Abril de 2008, a medida visa dois vereadores proprietária e directora técnica da talou-se uma grande confusão” e este processo, uma vez que em “reforçar a participação das famí- do PSD – Paulo farmácia local, Eunice Monteiro, a atitude tomada pelos dois au- todos os agrupamentos escolares lias e comunidades na direcção Rocha e Fátima Antunes – aban- e ainda o presidente da junta de tarcas deu azo a que muitos dos os três representantes do municí- estratégica dos estabelecimen- donaram de forma considerada freguesia governada pelo Partido presentes tivessem lamentado o pio nos CGT são exclusivamente tos de ensino” porque, conforme intempestiva uma reunião, re- Socialista, Raul Dinis, episódio. Mário Alves, Paulo Rocha e Fáti- sustenta o ministério de Maria de alizada na semana passada, no Depois de tomar conhecimento A vereadora da Educação, Fá- ma Antunes. Sublinhe-se que de Lurdes Rodrigues, “é indispensá- Agrupamento de Escola de Laga- da proposta, Mário Alves insur- tima Antunes, que ainda ficou na acordo com a legislação em vigor, vel promover a abertura das esco- res da Beira, no âmbito da consti- giu-se com alguma contundência reunião durante alguns instantes a Câmara Municipal pode estar las ao exterior e a sua integração tuição do Conselho Geral Transi- e defendeu que o CGT, no que após a saída do presidente, aca- representada nestes órgãos por nas comunidades locais”. PUB

3 14 de Outubro de 2008 www.correiodabeiraserra.com D E S TA Q U E Novas instalações precisam-se F R A S E S EDITORIAL ESTGOH com taxa “Os processos em tribunal têm custas para mim, mas para o senhor presidente não, porque do Assédio verbal! de ocupação de 82 por cento seu bolso não vai sair nada, sairá do meu…o município é que paga, mas quem tem o prazer é o senhor presidente” Henrique Barreto D Isilda Cordeiro, Funcionária da CMOH epois de uma primeira fase com e 104,1. Ao curso de Administração e Finanças In reunião pública do executivo ocupação de 100 por cento, a Esco- – com nove vagas sobrantes – concorreram 29 alu- Há uns anos atrás – não me la Superior de Tecnologia e Gestão nos, tendo o último candidato sido colocado com apetece agora ir apanhar de Oliveira do Hospital (ESTGOH) uma nota de 104,8. Sem nenhuma vaga sobrante, “As acusações à má gestão da pó para os arquivos, mas os registou, na segunda fase de aces- o curso de Engenharia Informática registou o do- Câmara são graves e obrigam a leitores do CBS certamente so ao ensino superior, uma ocupação de 82 por bro de candidaturas (28) tendo em conta o núme- esclarecimentos” que se recordam do episódio cento, vendo preenchidas 59 vagas, de um total ro de vagas colocadas a concurso (14). José Francisco Rolo, vereador do PS –, denunciei nas páginas deste de 72 colocadas a concurso. Os resultados estão Recorde-se que na primeira fase do concurso In reunião pública do executivo jornal um incidente gravíssimo disponíveis na internet em www.dges.mctes.pt/ de acesso ao ensino superior, a ESTGOH registou em que um quadro superior da coloc/2008, desde as 00h00 desta segunda feira, uma ocupação total do seu número de vagas, com “Percebi que o Empreender + Câmara de Oliveira do Hospital 13 de Outubro. a particularidade de o número de alunos candida- redundou num fracasso” – fundamentalmente governada Dos quatro cursos disponíveis na ESTGOH, tos (466) ter sido quase quatro vezes maior que a Idem pelo dueto social-democrata apenas os de Engenharia Informática e Adminis- totalidade de vagas a concurso (120). Na ocasião, Carlos Portugal/Mário Alves tração e Marketing viram preenchidas a totali- o director Nuno Fortes revelou-se satisfeito com –, deu-se ao luxo de pegar no “Não esteja a fazer de mim um dade das vagas, com 14 e 17 alunos colocados, os resultados e não deixou de se mostrar confian- livro de escrituras da câmara e demente. O senhor (José Francisco rasurar um documento públi- respectivamente. No curso de Engenharia Civil te quanto ao resultado da segunda fase. Rolo) é o rei da demagogia e um co. foram ocupadas 15 das 19 vagas a concurso, mas Com menos cursos e menor número de vagas político sem ética” Na altura, o Correio da Beira foi no curso de Administração e Finanças que se a concurso, a Escola Superior de Turismo e Te- verificou um maior número de vagas por ocupar, lecomunicações de Seia (ESTTS) superou a ES- Mário Alves, presidente da CMOH Serra – para que não restas- já que sobraram nove de um total de 22 colocadas TGOH no número de vagas sobrantes. A ESTTS In reunião pública do executivo sem dúvidas e não houvesse a concurso. apenas viu preenchidas 36 das 61 vagas colocadas a possibilidade de alguém vir Sublinhe-se, contudo, que em cada um dos ao concurso da segunda fase de acesso ao ensino “Temos a nossa forma de acção e dizer que tinha sido mais uma quatro cursos, as colocações ultrapassaram o nú- superior, sendo que apenas o curso de Gestão Ho- não é o meu amigo que vai impor invenção do jornal – estampou mero de vagas inicialmente colocadas a concurso, teleira preencheu as 14 vagas disponíveis. O cur- o que quer que seja ao nível de nas suas páginas as provas do num total de 46. A este número acresceram as 26 so de Turismo e Lazer não atingiu uma ocupação qualquer projecto. Fomos eleitos crime: o documento original vagas libertadas por recolocação. Administração e de 50 por cento, já que apenas foram ocupadas 11 pelo povo, temos a maioria e e o rasurado. Nunca se soube Marketing e Engenharia Civil foram os cursos que das 28 vagas. Com um total de 11 alunos coloca- com que fins é que a artimanha somos nós que definimos quando registaram um maior número de alunos candida- dos, o curso de Restauração e Catering também foi feita, porque nunca existiu e como avançamos e os caminhos tos, 49 e 42 respectivamente, sendo que a nota não registou ocupação total, ficando com 9 vagas qualquer investigação. Ao au- que trilhamos” tor da falsificação – o director do último colocado em cada curso foi de 120,4 sobrantes. Idem de Departamento Administra- tivo e Financeiro da CMOH, “Nenhuma pessoa se fixará em Rui Rosa – o executivo deu-lhe Oliveira do Hospital se sentir ins- apenas uma admoestação. O tabilidade psicológica e social” caso ficou por aí porque a opo- Mário Alves, presidente da CMOH sição socialista e as instâncias In sessão solene feriado municipal, 7 de Outubro judiciais nada fizeram. Hoje, chegam-me notícias de “A minha dívida para com o meu funcionários autárquicos que, concelho aumentou extraordina- ao invés da protecção que foi dada ao personagem em causa, riamente” se queixam de perseguição e de José Reis, homenageado com Medalha de Ouro tratamento alegadamente anti- In sessão solene feriado municipal, 7 de Outubro democrático. Entre os funcionários, vive-se “Que os concelhos se virem uns um ambiente de cortar à faca, para os outros e cooperem e criem confidenciava-me há dias aqui um pólo que vai de Oliveira um funcionário autárquico, do Hospital a Gouveia” avisando-me sistematicamente Idem da necessidade do sigilo da conversa. “Há regiões onde muito se fala Se este desabafo fosse só de um na raça da população local … único funcionário, ainda daria Nogueira do Cravo tem gente com o benefício da dúvida, mas o problema é que há cada vez grande raça” mais trabalhadores do muni- Ribeiro de Almeida, vereador do PS cípio a queixarem-se do chefe Reunião Pública do Executivo do executivo e de uma espécie de assédio verbal, que obriga “O Pólo da Serra foi arranjado à as pessoas ao silêncio porque medida do senhor Jorge Patrão” “quem manda pode”. Mário Alves Eis que agora – e sem querer Assembleia Municipal, 26 de Setembro antecipar aqui qualquer tipo de julgamento –, duas funcio- “Isso é uma conversa indelicada nárias decidem mover uma que fica mal a um autarca” queixa-crime contra o presi- Jorge Patrão, dente da câmara, embora na Correio da Beira Serra qualidade de cidadão. Não sei o que dizer: primeiro são os colegas de partido, agora são as “infelizmente o senhor presidente trabalhadoras do município... da Câmara quer ir para o Cen- O que sei é que este clima de tro… que seja muito feliz” conflitualidade em nada presti-  ESTGOH é cada vez mais um motor de desenvolvimento do concelho de Oliveira do Hospital. Idem gia o poder local.

4 14 de Outubro de 2008 OPINIÃO www.correiodabeiraserra.com zes com uma tira adesiva que ia libertando um suave aroma a maracujá. Recentemente a marca Dove também deu os primeiros pas- sos nesta tendência. No lançamento da nova gama de produtos go fresh, enquanto o seu anúncio passava nos cinemas, estavam es- S palhados pelas salas difusores que lançavam META ente-se no ar um leve aroma a Estados Unidos, Brasil e Japão, esta preocu- o aroma da variedade Energise mudança. Talvez para compen- pação já não é algo recente. Já lá vão muitos com toranja e erva limão. Esta sar algumas das frustrações e anos desde que a Disney, para tornar os fil- nova estratégia também che- desilusões do dia-a-dia, chega- mes mais reais e estimular os apaixonados gou à nossa imprensa nacional. se à conclusão que o consumi- dor actual busca, através da criação de laços emocionais com empresas, marcas ou produ- por cinema, colocou nas suas salas difusores com cheiro a pólvora e a borracha queima- da que libertavam pequenas fragrâncias nos O NARIZ Pela primeira vez, surgiu nas bancas uma edição impressa num papel especial com aroma tos, ser estimulado e obter sensações únicas e verdadeiramente agradáveis. Até ao momento actual, sempre houve por maiores momentos de acção, elevando assim os níveis de recordação dos espectadores. Nos países adeptos desta tendência, vários ONDE É a pinho para divulgar um novo empreendimento imobiliário localizado numa zona rodeada parte dos responsáveis do Marketing grandes preocupações em saber qual seria a imagem, a música, o paladar e a forma ideal para obter aromas pairam no ar. Começa assim a não ser por acaso que as padarias tenham o for- no ligado às condutas de ar geral para espa- CHAMADO de espaços verdes. Baseando-nos em dados que comprovam que a nossa me- os resultados desejados com as várias estra- lhar ao longo de toda a superfície um cheiro mória pode reter até 10.000 aromas distintos tégias. A verdade é que estes nunca se pre- mais intenso a pão quente, que, em lojas de e apenas 200 cores, facilmente concluímos ocuparam, realmente, com qual poderia ser jardinagem, cheire sempre a terra húmida, que o olfacto consegue ser sem dúvida um o impacto dos aromas no momento de aqui- que, em parques de diversão, cheire sempre dos sentidos mais poderosos. Talvez porque sição. Estudos americanos recentes revelam, a pipocas caramelizadas e que as marcas de Vencer as a percepção dos cheiros sempre desempe- no entanto, que o olfacto, por atingir mais ra- automóvel intensifiquem o cheiro a couro no imposições dos nhou um papel fundamental na evolução do pidamente as zonas do cérebro ligadas à me- interior dos veículos novos. ser humano, o marketing aromático veio en- mória e às emoções, deverá ser um dos cinco Felizmente em Portugal já começamos a ter sentidos é a sinar-nos que todas as acções de marketing sentidos a privilegiar, pelas empresas, em fu- algumas histórias para contar. Para desper- que estimulam o nosso olfacto sempre terão turas acções. tar a curiosidade do seu novo sabor, a Frize mais gloriosa resultados com um aroma agradável. Apesar de, em Portugal, ainda serem pou- decidiu recorrer ao tradicional carrinho de das vitórias. sugestão.fordoc@gmail.com cas as empresas a ter em atenção a questão compras dos hipermercados e, no momento Associação Nacional de Jovens Formadores e Do- dos aromas, na realidade, em países como do seu lançamento, colocou diversos carta- (Axel Oxentiern) centes (FORDOC) Caminho-de-ferro…com futuro ! O to na sua falta de discernimento estratégico. PCP e a CDU são as únicas do Planeta, o que, por sua vez, já está a deter- Bem, muito, muito caro mesmo nos fica já forças políticas que têm pro- minar uma série de dramas e até de tragédias mas é o que por aqui temos e nos deixa mal posto e reclamado a constru- à escala global também. Por isso, é em princí- servidos somado com a ausência daquilo que ção de um ramal ferroviário pio estrategicamente bem-vindo tudo aquilo não temos e tanta falta nos faz. desde (Coimbra)Lousã até que, hoje, com racionalidade e bom senso, Mas a verdadeira razão, que a nível dos Celorico da Beira a entroncar, aí, na Linha ajude a civilização – ou seja todos nós - a fu- principais decisores políticos e outros (na- (internacional) da Beira Alta. gir da “ditadura” envenenadora dos combus- cionais e regionais) não faz avançar este tipo Aliás, a construção dessa linha de cami- tíveis fósseis (petróleo/gás)… de projectos regionais, é porque ou eles es- nho-de-ferro será, desde há cem anos pelo 2 – Para evitar a “especulação” reinante João Dinis* tão “cegos” ou principalmente lhes interes- menos, o mais velho sonho de desenvol- com a construção de vias auto, entre nós um sa garantir o lucro dos grandes consórcios vimento regional dos beirões de gema, por verdadeiro problema pois a péssima constru- (…) É tempo, pois, privados que vão construir e concessionar aqui, por esta nossa terra-chã deste nosso pe- ção das mesmas é mais do que evidente… (auto)estradas à custa da iniciativa pública daço do Planalto Beirão. Depois, com camiões pesadíssimos a passa- de reafirmar que do Estado. Esta justa aspiração tem ultimamente sido ram por lá aos milhares, essas estradas mal construir caminhos- Para além disso, a eles só lhes interessa, recebida, por alguns, com cepticismo e até construídas ficam estragadas num instante e para já, construir o TGV, uma megalomania com alguns sorrisos de comiseração como toca a repor pavimentos e a (re)pagá-los com de-ferro, porventura, de facto mas capaz de gerar lucros fabulosos se de alguma piada triste afinal se tratasse. o nosso dinheirinho… é hoje mais estraté- a dois ou três desses grandes consórcios pri- Uma vez, no calor de um debate público so- 3 – Para fazer baixar o custo dos transpor- vados. Acresce que, entre nós, não há inte- bre o assunto, tivemos oportunidade para di- tes (públicos) quer de Pessoas quer de mer- gico do que o foi há resse económico privado em concessionar zer que ter visão estratégica é ser capaz de cadorias. cem anos atrás. E caminhos-de-ferro de menor escala por parte ver muito para além do próprio umbigo ou 4 – Tendo também em conta que algumas desses grandes consórcios chamem-se BRI- nariz … das principais matérias-primas do Concelho porquê? Por várias, SA ou outra coisa qualquer… É tempo, pois, de reafirmar que construir e da nossa Região, são matérias-primas, logo ponderosas e estraté- Em síntese e em última análise, a “razão” caminhos-de-ferro, porventura, é hoje mais mercadorias, de peso e volume concentra- - a falta de razão – dos principais governan- estratégico do que o foi há cem anos atrás. E dos; considerando que as vias de comunica- gias razões. (…) tes e outros decisores que os leva a não que- porquê? Por várias, ponderosas e estratégias ção automóvel e os transportes públicos que rer construir ramais de caminho-de-ferro razões. A saber : por aqui temos são manifestamente insufi- disseminados pelo País, essa “razão” radi- 1 – Por causas de natureza ambiental e cientes. ca na sua completa submissão aos grandes energética. Para retirar das estradas milhares grupos económicos que mais ganham com e milhares de veículos auto, quer de trans- Portanto, por todas estas macro e micro ra- as auto-estradas e com os combustíveis fós- portes de mercadorias quer de transportes de zões, é hoje de enorme interesse estratégico a seis. passageiros. construção de um ramal de caminho-de-ferro Nós, por cá, nós que temos outros e mais Como hoje bem se sabe, os motores nor- desde (Coimbra)Lousã, passando pelo nosso consentâneos interesses sociais a defender, a mais a combustão emitem doses venenosas Concelho, até ligar à linha da Beira Alta na nós interessa-nos pensar e agir melhor, com de CO2 - as emissões de carbonos para a zona de Celorico, por exemplo. outra, melhor e mais social visão estratégica. atmosfera - as quais, entre outras más con- Dizem alguns “economicistas” (para se Aqui, entram o PCP e a CDU a fazer a sequências “pequenas”, estão a contribuir desculparem…) que ficaria muito cara uma diferença ! bastante para acelerar o aquecimento global tal construção. Concedamos até certo pon- * Autarca da CDU – Oliveira do Hospital Ficha Técnica Administração: António dos Santos Lopes Direcção Editorial: Henrique Barreto - henriquebarreto@correiodabeiraserra.com Jornalista Principal: Liliana Lopes - lilianalopes@correiodabeiraserra.com Desporto: Editor: José Carlos Alexandrino, João Jorge Colaboradores Permanentes: Adelaide Freixinho, António Campos, Carlos Portugal, Carlos Alberto, Carlos Carvalheira, João Dinis, José Augusto Tavares, Luís Lagos, Luís Torgal, Paulo Ribeiro (caricaturista), Rui Santos. Deptº. Comercial: Isabel Mascarenhas Projecto Gráfico: Jorge Lemos Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis – Telef.: 256 600 580 - Fax: 256 600 589 - E-mail: grafica@coraze.com Sede, Redacção e Publicidade: Praceta Manuel Cid Teles, Lote 12 – 1º Esqº - 3400-075 Oliveira do Hospital, Telef.:2380865476 Fax 238086547 Correio Electrónico geral@correiodabeiraserra.com Edição Internet: www.correiodabeiraserra.com Entidade Proprietária: Temactual, Lda, Matric. na Conservatória do Registo Comercial de Oliveira do Hospital sob o número 507601750, Contribuinte: 507601750, Capital Social: www.correiodabeiraserra.com 25,000 Euros Nº de Registo no ICS: 112130 Depósito Legal N.º 54475/92 Tiragem Média Mensal: 6.000 exemplares Detentores de mais de 10% do capital da empresa: AHL -Investimentos e Participações, SGPS, SA.; Henrique Manuel Barreto Pereira de Almeida

5 POLÍTICA 14 de Outubro de 2008 www.correiodabeiraserra.com Na queixa-crime apresentada por duas funcionárias da CMOH Mário Alves tenta evitar julgamento Foto Arquivo mente recorriam à baixa médica. Mário Américo Franco Alves, A Procuradora do Ministério acusado de dois crimes de Público decidiu entretanto acom- difamação agravada por duas panhar a acusação, mas o presi- funcionárias da autarquia dente da CMOH acaba de requerer a abertura de instrução. Uma das oliveirense, já requereu a suas testemunhas – há alguns fun- abertura de instrução, com cionários da autarquia oliveirense vista a tentar contrariar a que também foram arrolados pela defesa do autarca – é a vereadora tese da acusação. A decisão Fátima Antunes. sobre o processo, cuja acusa- Ainda de acordo com o que este ção é acompanhada pelo Mi- jornal também apurou, outra das testemunhas arroladas pela acusa- nistério Público, está agora ção e que esteve presente naquela nas mãos do Juiz. polémica reunião – o director do departamento administrativo e fi- nanceiro da CMOH, João Mendes  HENRIQUE BARRE T O – não confirmou entretanto a ver- são dos factos apresentada pelas O queixosas. presidente da Câ- Apesar de Mário Alves ser acu- mara Municipal de sado de ter proferido aquela po- Oliveira do Hospi- lémica afirmação, quando estava tal (CMOH) já veio no exercício das suas funções, a requerer a abertura acusação decidiu apresentar uma de instrução no processo judicial queixa-crime contra o cidadão e onde é acusado pelo Ministério não contra o autarca. Contudo, o Público pela prática de dois cri- edil oliveirense nomeou como seu mes de difamação agravada, em defensor oficioso Armando Pinto consequência de duas queixas Correia, um advogado avençado apresentadas por duas funcioná- do município. rias da autarquia oliveirense, Ma- Esta situação tem vindo a gerar ria do Rosário e Ana Isabel. alguma controvérsia e, na última Conforme o Correio da Beira assembleia municipal, dia 26 de Serra noticiou na sua última edi- Setembro, o autarca foi desafiado ção (ver CBS impresso de 30 de  Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital novamente a braços com a justiça... por um deputado municipal do Setembro), os factos remontam a PS, Francisco Garcia, a esclarecer Setembro de 2007, quando numa mado, durante a sua intervenção, o que o Correio da Beira Serra uma doença do foro oncológico e se era o município a pagar as des- reunião realizado no salão nobre o seguinte: “Não podemos contar conseguiu apurar, as funcionárias outra tem problemas ortopédicos pesas judiciais inerentes ao pro- dos Paços do Concelho com vista com duas funcionárias daqui do alegadamente visadas na aludida que lhe dificultam a locomoção –, cesso ou o cidadão Mário Alves. vista à preparação do arranque do ATL de Oliveira do Hospital por- afirmação do autarca social-demo- decidiram apresentar uma queixa- “A questões judiciais respondo no ano lectivo 2007/08 entre o autar- que são duas inválidas. E não que- crata, que recorrem com alguma crime contra Mário Alves, já que local próprio e aqui não lhe vou ca, as funcionárias do ATL e do rem fazer nada…” frequência a baixas médicas por segundo o CBS apurou eram essas dar resposta nenhuma”, argumen- pré-escolar, Mário Alves terá afir- Acontece que de acordo com razões de saúde – uma sofre de mesmas funcionárias que regular- tou o autarca. Aldeia das Dez Festa da Castanha realiza-se a 25 e 26 de Outubro J á está definido o programa da sétima edição da Fes- ta da Castanha, com data marcada para 25 e 26 de Outubro, em Aldeia das Dez, no Santuário de Nossa Senho- ra das Preces. À semelhança do que tem aconte- cido em edições anteriores, a Festa da Castanha 2008 reúne no espaço envolvente ao santuário vários ex- positores de produtos tradicionais e artesanato, o concurso da maior abóbora exposta, a actuação dos A já tradicional Mostra Gastro- grupos etnográficos e a oferta do nómica e Etnográfica da Beira Serra tradicional magusto. tem início pelas 21h00 de sábado, Os visitantes são ainda convi- 25 de Outubro, no Adro da Igreja dados a apreciar a exposição de Matriz de Aldeia das Dez, para escultura de Joban Traxel e a ex- onde está prevista a actuação do posição de fotografia “Recordar é Grupo de Concertinas da Amadora Viver” da Associação Recreativa e a participação da Companhia de do Goulinho. A Filarmónica Fide- Teatro Viv’Arte. Na ocasião tam- lidade de Aldeia das Dez também bém não vão faltar o Teatro de Rua, fará eco da sua música durante o nem o espectáculo de pirotecnia. certame. No domingo, 26 de Outubro, as A Festa da Castanha é organi- atenções centram-se no Santuário zada pela Junta de Freguesia de de Nossa Senhora das Preces, sen- Aldeia das Dez, com o apoio da do que a abertura dos expositores e Câmara Municipal de Oliveira do tasquinhas acontece pelas 10h00.  A Festa da Castanha é já um dos principais cartazes turísticos do concelho... Hospital.

6 14 de Outubro de 2008 ECONOMIA www.correiodabeiraserra.com Arrendamento supera a compra em Oliveira do Hospital Compra de habitação regista maior quebra dos últimos 8 anos A compra de casa regista o pior momento dos últimos oito anos no concelho de Oli- veira do Hospital. O arrenda- mento é cada vez mais uma opção para os jovens casais e na cidade são sobretudo os estudantes da ESTGOH que asseguram o mercado.  LILIANA LOPES À semelhança do que está a acon- tecer a nível na- cional, a compra de casa registou quedas acentuadas no concelho de Oliveira do Hospital. A procu- ra de habitação mantém-se, mas a subida dos juros e o aperto na concessão de crédito tem vindo a dificultar a concretização dos negócios. As placas de venda de imóveis multiplicam-se por todo o con- celho, mas o até agora habitual recur

Add a comment

Related pages

Sociedade | Correio da Beira Serra

Correio da Beira Serra O seu Jornal de referência ... A queda de neve na Serra da Estrela levou hoje às ... outras ao casamento da Rainha D. Maria II.
Read more

Últimas | Correio da Beira Serra

Correio da Beira Serra O seu Jornal de referência do Concelho de Oliveira do ... outras ao casamento da Rainha D. Maria II. ... na Serra da Estrela, ...
Read more

CORREIO | O QUE A BAHIA QUER SABER: - Home

Família da vítima diz que ela foi morta por ... Morre aos 65 anos a cantora norte ... Jornalista do Dicas de Moda e da coluna Vixe no CORREIO.
Read more

3022 Diário da República, 1.ª série — N.º 106 — 1 ...

3022 Diário da República, 1.ª série — N.º 106 — 1 de Junho de 2011 ... II — Diárias de ambulatório ... Celorico da Beira, Fi-gueira de Castelo ...
Read more

Mangualde – Wikipédia, a enciclopédia livre

N.º de freguesias: 12: Presidente da Câmara ... (ou foral) 1102: Região (NUTS II) Centro: Sub ... com maçã assada e requeijão/queijo da serra com ...
Read more

Códigos Postais - CTT

Acompanhe a performance da Ação CTT na Euronext Lisboa. A Empresa. ... Envie o seu correio devidamente endereçado e com código postal correto.
Read more

Monte Frio | Facebook

... Comissão Melhoramentos Maladão, Associação dos Amigos da Serra do ... Ventura 2013, Correio Da Beira Serra ... Fernando II & Glória, LORIGA, ...
Read more

Produtos Tradicionais de Qualidade na Região Centro

BORREGO DA BEIRA - IGP ; BORREGO SERRA DA ESTRELA - DOP ; BORREGO TERRINCHO - DOP ; ... II série, n.º 200 e n.º 246 de 30 de Agosto e 24 de Outubro ...
Read more

Fundão (Castelo Branco) – Wikipédia, a enciclopédia livre

N.º de freguesias: 23: Presidente da Câmara Municipal: ... provavelmente o mais antigo da Beira interior, ... EB 2/3 Serra da Gardunha;
Read more

Diário da República, 2.ª série — N.º 19 — 28 de ...

Diário da República, 2.ª série — N.º 19 — 28 ... 510364470 — Academia de Música de Vilar do Paraíso II, L.da ... 503310557 — BEIRA SERRA ...
Read more