advertisement

Comentário: 7° Domingo do Tempo Comum - Ano A

50 %
50 %
advertisement
Information about Comentário: 7° Domingo do Tempo Comum - Ano A
Spiritual

Published on February 21, 2014

Author: josejlima3

Source: slideshare.net

Description

Comentário bíblico: 7° Domingo do Tempo Comum - Ano A
- TEMA: "PERFEITOS COMO O PAI PARA CUMPRIR A JUSTIÇA"
- LEITURAS BÍBLICAS (PERÍCOPES):
http://pt.slideshare.net/josejlima3/7-domingo-do-tempo-comum-ano-a-2014
- TEMAS E COMENTÁRIOS: AUTORIA: Pe. José; Bortolini, Roteiros Homiléticos, Anos A, B, C Festas e Solenidades, Editora Paulus, 3ª edição, 2007
- OUTROS:
http://www.dehonianos.org/portal/liturgia_dominical_ver.asp?liturgiaid=687
SOBRE LECIONÁRIOS:
- LUTERANOS: http://www.luteranos.com.br/conteudo/o-lecionario-ecumenico
- LECIONÁRIO PARA CRIANÇAS (Inglês/Espanhol): http://sermons4kids.com
- LECIONÁRIO COMUM REVISADO (Inglês):
http://www.lectionary.org/
http://www.commontexts.org/history/members.html ;
http://lectionary.library.vanderbilt.edu/
- ESPANHOL: http://www.isedet.edu.ar/publicaciones/eeh.htm (Less)
advertisement

PERFEITOS COMO O PAI PARA CUMPRIR A JUSTIÇA BORTOLINE, Pe. José – Roteiros Homiléticos Anos A, B, C Festas e Solenidades – Paulus, 2007 * LIÇÃO DA SÉRIE: LECIONÁRIO DOMINICAL * ANO: A – TEMPO LITÚRGICO: 7° DOMINGO TEMPO COMUM – COR: VERDE I. INTRODUÇÃO GERAL Pertencemos a Cristo, e Cristo pertence a Deus. Reunimo-nos na casa de Deus, mas o verdadeiro templo onde ele habita somos todos e cada um em particular, à medida que criamos, entre nós e ao redor de nós, relações de fraternidade, de paz e de amor. 1. Vivemos numa sociedade marcada pela violência e injustiça. O que celebramos é o memorial de alguém que foi morto pela sociedade injusta. Com ele, nesta celebração, aprendemos a vencer a violência, para sermos perfeitos como o Pai do céu, que não faz distinção entre pessoas. A celebração é também um dos lugares próprios para o perdão e a partilha. É lugar onde nos damos o abraço da paz, desejando a todos, amigos e inimigos, o shalom do Deus que quer liberdade e vida para todos. 2. II. COMENTÁRIO DOS TEXTOS BÍBLICOS 1ª leitura (Lv 19,1-2.17-18): Santidade é uma relação de amor O capitulo 19 é o coração do Levítico e do próprio Código da Santidade (caps. 17–26), ao qual pertence. Nesse capitulo encontramos este refrão, que serve de fio condutor: "Eu sou Javé, o Deus de vocês". O que se pretende, portanto, é mostrar de que forma as pessoas poderão relacionar-se com Javé, o Deus que libertou seu povo da escravidão egípcia; em outras palavras, como ser santo, à semelhança da santidade de Javé: "Sejam santos, porque eu, Javé seu Deus, sou santo" (em Almeida RA: “Santos sereis, porque eu, o SENHOR, vosso Deus, sou santo.”) v. 2. 3. A santidade consiste num comportamento responsável em relação ao próximo, que começa por libertar o coração do ódio, se traduz em coresponsabilidade no bem a fim de evitar o mal (a correção/repreensão, v. 17), para culminar na relação que é doação aos outros daquilo que mais desejamos a nós próprios: o amor (v. 18). Ponto de referencia para esse comportamento responsável é Javé. Ele libertou seu povo do ódio do Faraó, educou-o no deserto e lhe demonstrou amor, conduzindo-o à liberdade e à vida. Por isso ele é santo, podendo exigir de seus aliados relações de amor. 4. Evangelho (Mt 5,38-48): Justiça do Reino é amor aos inimigos Montanha. Hoje continuamos a serie de antíteses, iniciadas no domingo passado, que tem no vv. 20.33 seu ponto de partida e de chegada, respectivamente: "Se a justiça de vocês não for maior que a justiça dos doutores da Lei e dos fariseus, vocês não entrarão no Reino do Céu" (v. 20); "busquem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça”. a. Como acabar com a violência? (vv.38-42) A quinta antítese do Sermão da Montanha (para as quatro anteriores, cf. evangelho do domingo passado) diz respeito à justiça do Reino que supera a lei do talião: "Olho por olho e dente por dente" (Ex 21,24; Lv 24,20; Dt 19,21). No passado, a função dessa lei era evitar a violência, ainda que sob a forma de intimidação: "Não faça o mal aos outros, para que não aconteça o mesmo para você", ou como tentativa de evitar os abusos do vingador de sangue, pois desde os primórdios da humanidade aprendemos que violência gera violência (leia Gn 4,23-24). 6. Como superar a "justiça" do olho por olho, dente por dente? Não respondendo com a mesma violência empregada pelo violento, mas desarmando-o com uma força maior. Isso é muito serio, porque Jesus esta dizendo isso aos "pobres em espírito e perseguidos por causa da justiça" (cf. 5,3.10), aos quais confiou o Reino. as vv. 39b-42 apresentam três casos típicos, que ilustram a prática dos que se comprometeram com Jesus e com a justiça do Reino. O primeiro caso é o da violência física: "Se alguém lhe da um tapa na face direita, ofereça também a esquerda”. Para os antigos, o tapa na face direita tinha uma conotação especial, pois é dado com as costas da mão. Machuca da mesma forma, mas confere maior agressão à violência física. O segundo caso diz respeito aos processos judiciais, onde os pobres em espírito e perseguidos por causa da justiça dificilmente vêem seus direitos atendidos. Mais ainda: são obrigados a penhorar a túnica como garantia. Jesus aconselha que deixem também o manto. O terceiro caso diz respeito ao abuso dos soldados da ocupação: obrigavam pessoas a transportar cargas, ou a servir-lhes de guia. Jesus da este conselho: "Se alguém o força a andar um quilometro, caminhe dois com ele!" O ultimo caso se refere aos empréstimos (cf. Ex 22,24), nos quais era proibido cobrar juros, símbolo da ganância que gera lucro e exploração: "Dê a quem lhe pedir e não vire as costas a quem pede emprestado”. 7. Os versículos que compõem o evangelho deste 8. À primeira vista tem-se a impressão de que os domingo pertencem ao desenvolvimento das bempobres em espírito e perseguidos por causa da justiaventuranças, que marcam o inicio do Sermão da ça nunca terão vez. Lidos sob a ótica da burguesia, 5.

esses conselhos de Jesus podem sugerir que não vale a pena resistir. Acontece que esses conselhos não são passividade, mas estratégias de minar a injustiça por dentro. Os pobres nunca vencerão ao empregar as mesmas armas dos violentos. Urge, portanto, encontrar estratégias certas para as situações que se apresentam, a fim de desarmar a violência. total, à semelhança do Pai e de Jesus: "Sejam perfeitos como é perfeito o Pai que está no céu" (v. 48). 2ª leitura (1Cor 3,16-23): A quem pertencemos? Continuamos lendo a primeira carta aos Coríntios. Até agora Paulo falou de dois conflitos comunitários: as panelinhas em torno dos lideres e a busca de uma sabedoria que não está de acordo com o projeto de Deus (cf. a segunda leitura dos domingos b. Justiça do Reino é amor aos inimigos (vv.43-48) anteriores), porque Deus, escolhendo os pobres des9. A ultima antítese fala do amor aos inimigos. O sa cidade, arrebentou os esquemas elitistas e burAntigo Testamento mandava amar o próximo (cf. 1ª gueses, que faziam de Deus um ídolo à imagem e leitura), entendendo o amor como algo circunscrito semelhança de quem o inventou. à religião e à raça. A partir dai nasceu uma dedução 12. A comunidade é o lugar onde se encontra Deus errônea do amor: aos amigos, a amizade; aos inimi- e se presta culto a ele. Paulo afirma ousadamente: gos, o desprezo. Se levarmos isso a serio, sempre "Vocês não sabem que são um templo de Deus e teremos inimigos perto de nós, e sempre seremos que o Espírito de Deus habita em vocês?" (v. 16). inimigos de alguém. Para acabar com esse círculo Os conflitos comunitários são superados pelo disvicioso de inimizade e ódio, Jesus apresenta aos cernimento da função dos lideres. Os evangelizadopobres em espírito e perseguidos por causa da justi- res pertencem à comunidade, pois estão a serviço ça o modo perfeito de ser seu discípulo: o amor aos dela, a fim de que a comunidade deixe ressaltar inimigos e a oração por eles. O Mestre da Justiça foi quem é seu único dono: Cristo, que pertence a Deus odiado e morto por seus adversários. Mesmo assim, (vv. 21-23). pediu que o Pai os perdoasse. A resposta madura à perseguição, portanto, é o amor e a oração (v. 14), e 13. Os versículos deste domingo, portanto, querem a razão disso está no próprio ser de Deus, que é bom projetar luz sobre os conflitos surgidos nas comunipara com todos. Jesus propõe, pois, que sejamos dades de Corinto: as lideranças (neste caso: Paulo, aquilo que ainda não somos, isto é, capazes de uma Apolo, Cefas e os que tomavam partido deles) não entrega total, como o Pai celeste, que não faz distin- são donas da comunidade. Querer esse direito é desção de pessoas. E sugere que aprendamos daqueles truir o templo de Deus, que é a comunidade. E a que se consideram nossos inimigos (cobradores de "sabedoria do mundo”, que coloca uns no topo da impostos e pagãos), pois são capazes de conservar pirâmide e outros na base, cria nas comunidades o relações de fraternidade entre eles. Quanto mais os mesmo esquema desigual e injusto da sociedade que "pobres em espírito e perseguidos por causa da jus- marginalizou muitos em beneficio de poucos. Jesus tiça”, aos quais é confiado o Reino. Se pretendem havia anunciado a destruirão do Templo de Jerusaser chamados filhos de Deus (cf. 5,9), precisam ter lém, porque ai se instalara uma religião e um modo atenção constante em criar relações de paz com to- de entender a sociedade contrastantes com o projeto de Deus. dos. 10. Os antigos valorizavam muito a saudação (cf. v. 14. Paulo procura mostrar, citando a Bíblia, que o 47). O povo da Bíblia se cumprimentava com um projeto de Deus desmonta a sabedoria humana. E shalom, que é o desejo da plenitude dos bens e da para isso cita Jó 5,13 ("Ele apanha o sábio na sua vida. Ora, Deus quer shalom para todos. Por que não própria astúcia") e o Salmo 94,11 ("O Senhor coseriam assim os discípulos de Jesus? Fica, portanto, nhece o raciocínio dos sábios; sabe que são vazium desafio para todos: ser capazes de uma entrega os"). 11. III. PISTAS PARA REFLEXÃO Santidade é uma relarão de amor. A vocação do cristão é vocação à santidade. Mas santidade é criar relações de amor com todos, à semelhança de Deus. 15. Justiça do Reino é amor aos inimigos. Nosso país vive imerso na violência. Como acabar com esse circulo vicioso? Quando foi que nossa comunidade venceu a violência? O que significa ser perfeitos como o Pai do céu? 16. 17. A quem pertencemos? Esta e uma pergunta inquietante para a comunidade inteira, mas sobretudo para as lideranças. Nossa comunidade é cópia da sociedade que esta ai, ou é lugar onde Deus mora e da a conhecer sua sabedoria?

Add a comment

Related presentations

How to do Voodoo

How to do Voodoo

November 11, 2014

How to do Voodoo Are you working too hard and not getting the results?? Well,...

LA VERDAD SOBRE LA MUERTE

LA VERDAD SOBRE LA MUERTE

October 24, 2014

Donde van las personas despues de muerto?

Son simples cuestiones que, aunque puedan resultar a priori inocentes, albergan in...

"The souls of the just are in the hand of God, and no torment shall touch them. " ...

Boletín de 02/11/2014

Boletín de 02/11/2014

November 1, 2014

Boletín de 02/11/2014

Omms News 10-07-2014

Omms News 10-07-2014

November 4, 2014

Omms News 10-07-2014

Related pages

23º Domingo do Tempo Comum - Ano C

Vigésimo Terceiro Domingo do Tempo Comum. ... Comentário do dia: ... 23º Domingo do Tempo Comum - Ano C; 7 de setembro;
Read more

Comentário: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano B by ...

... (PERÍCOPES): http://pt.slideshare.net/josejlima3/2-domingo-do-tempo-comum-ano-b-2015 ... Comentário: 2° Domingo do Tempo Comum - Ano B, Author: ...
Read more

Comentário: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano B by ...

... (PERÍCOPES): http://pt.slideshare.net/josejlima3/3-domingo-do-tempo-comum-ano-b-2015 ... Comentário: 3° Domingo do Tempo Comum - Ano B, Author: ...
Read more

Comentário: 7° Domingo do Tempo Comum - Ano A - Spiritual

Comentário: 7° Domingo do Tempo Comum - Ano A ... on Jul 25, 2015. Report Category: Spiritual
Read more

14º Domingo do Tempo Comum - Ano C - 07/07/2013

14º Domingo do Tempo Comum - Ano C - 07/07/2013 Entrada. ... Postar um comentário. ... (7) Setembro (9) Maio (1)
Read more

Comentário Exegético – X Domingo do Tempo Comum (Ano C)

X DOMINGO DO TEMPO COMUM (Lc 7, 11-17) RESSURREIÇÃO DO FILHO DA VIÚVA DE NAIM (Pe Ignácio, dos padres escolápios) INTRODUÇÃO: Nos livros sagrados ...
Read more

Homilia do 5º. Domingo do Tempo Comum – Ano A

... (Is 58,7-8.10 ). Nossas atitudes ... escolha a opção anônimo e deixe seu nome no final do comentário. ... do 5º. Domingo do Tempo Comum – Ano A ...
Read more

15.º Domingo do Tempo Comum - Ano B - YouTube

... 15º Domingo do Tempo Comum - Mc 6,7-13 ... Julio Lancellotti no 15º Domingo do Tempo Comum ... 10º Domingo do tempo Comum – ANO C ...
Read more

16.º Domingo do tempo comum - ano C - YouTube

Comentário do padre Manuel Barbosa, scj ... Homilia da Missa do 17.° Domingo do Tempo Comum / Noite - Dia 26/07 - Ano B - P. N. S. Auxiliadora ...
Read more

15º DOMINGO DO TEMPO COMUM (ano B) - LITURGIA DA PALAVRA

Todas as quartas-feiras podem encontrar neste blog as leituras da missa dominical e também um breve comentário ... DOMINGO DO TEMPO COMUM (ano ... 7 ,12 ...
Read more