BilingLatAm2009

50 %
50 %
Information about BilingLatAm2009
Education

Published on July 11, 2009

Author: DeboraKober

Source: slideshare.net

Description

"A educação bilíngue para surdos e a tecnologia da imagem"

BilingLatAm 2009 Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

A EDUCAÇÃO BILÍNGUE PARA SURDOS E A TECNOLOGIA DA IMAGEM Débora Caetano Kober Coord. Pedagógica da Escola para Crianças Surdas Rio Branco Professora da EMEE “Profª Vera Lúcia Ap. Ribeiro”

De onde partimosperspectiva bilíngue que concebe a Língua de Sinais como primeira língua e a Língua Portuguesa em sua modalidade escrita como a segunda Público envolvidoSurdos adultos de escola pública de São Paulo (16 a 35 anos) com escolarização tardia, provenientes de famílias ouvintes Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

De onde partimos

Público envolvido

A Língua É pela língua e na língua que damos sentido ao que somos e ao que nos acontece (LarrosaBondía, 2002) Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

“[...]a aquisição da língua precisa se dar diante do mundo e em meio a uma comunidade lingüística que ofereça um fundo estruturado que passe a ser estruturante.” (BICUDO e ESPOSITO, 1997) Fernando Pessoa (Livro do Desassossego - Bernardo Soares). [...] Minha pátria é a língua portuguesa[...] Caetano Veloso: [...] A língua é minha pátriaE eu não tenho pátria, tenho mátria[...] Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

“[...]a aquisição da língua precisa se dar diante do mundo e em meio a uma comunidade lingüística que ofereça um fundo estruturado que passe a ser estruturante.” (BICUDO e ESPOSITO, 1997) Fernando Pessoa (Livro do Desassossego - Bernardo Soares). [...] Minha pátria é a língua portuguesa[...] Caetano Veloso: [...] A língua é minha pátriaE eu não tenho pátria, tenho mátria[...] Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Para os Surdos, ler em língua portuguesa, é antes de mais nada, uma questão de tradução Tradução entre línguas de modalidades distintas: Língua de Sinais: visual/espacial Língua Portuguesa: oral/visual (escrita) Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

TRADUÇÃO “(...) a possibilidade da tradução é uma das poucas possibilidades, talvez a única praticável, de o intelecto superar os horizontes da língua. Durante esse processo, ele se aniquila provisoriamente. Evapora-se ao deixar o território da língua original, para condensar-se de novo ao alcançar a língua da tradução.” (FLUSSER, 2004) Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

TRADUÇÃO “(...) a possibilidade da tradução é uma das poucas possibilidades, talvez a única praticável, de o intelecto superar os horizontes da língua. Durante esse processo, ele se aniquila provisoriamente. Evapora-se ao deixar o território da língua original, para condensar-se de novo ao alcançar a língua da tradução.” (FLUSSER, 2004) Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

TECNOLOGIA Não uma panacéia de inovações e equipamentos sofisticados, mas a possibilidade de encontros com textos estáveis em librasA possibilidade de ler e reler em sua língua naturalA cada releitura uma nova possibilidade de apropriação da língua e significação do textoDébora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Não uma panacéia de inovações e equipamentos sofisticados, mas a possibilidade de encontros com textos estáveis em libras

A possibilidade de ler e reler em sua língua natural

A cada releitura uma nova possibilidade de apropriação da língua e significação do texto

Oportunidade de (re)leitura e significação do texto Crianças ouvintes dispõem de diversos encontros e reencontros com o mesmo texto ou mesmo com situações discursivas, apropriando-se da língua oral e/ou escrita.Para os surdos, tais oportunidades ocorrem com a tecnologia da imagem.Possibilidades de práticas metalinguísticas tanto na LS quanto na LPDébora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Crianças ouvintes dispõem de diversos encontros e reencontros com o mesmo texto ou mesmo com situações discursivas, apropriando-se da língua oral e/ou escrita.

Para os surdos, tais oportunidades ocorrem com a tecnologia da imagem.

Possibilidades de práticas metalinguísticas tanto na LS quanto na LP

A leitura do livro digital Os alunos solicitavam rever o livro, buscando apropriar-se da língua e do texto.Alguns alunos serviam de modelo para outros, nas situações de leitura compartilhada.Algumas das situações de leitura foram filmadas. Os alunos solicitavam rever as filmagens das situações de leitura, o que muito contribuiu para os ajustes.Possibilidades de reconhecer as regularidades da LS e da LP: perceberam a presença da “rima” em LS ao comparar à rima visual da LP.Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Os alunos solicitavam rever o livro, buscando apropriar-se da língua e do texto.

Alguns alunos serviam de modelo para outros, nas situações de leitura compartilhada.

Algumas das situações de leitura foram filmadas. Os alunos solicitavam rever as filmagens das situações de leitura, o que muito contribuiu para os ajustes.

Possibilidades de reconhecer as regularidades da LS e da LP: perceberam a presença da “rima” em LS ao comparar à rima visual da LP.

Nestes trechos do livro, é possível perceber as “rimas” da língua de sinais, e assim, relacioná-las às rimas da língua portuguesa Livro: “Guilherme Augusto Araujo Fernandes” – Mem Fox e Julie Vivas. Editora Brinque-Book Tradução para libras: Neiva de Aquino Albres e Sylvia Lia Grespan Neves

(trechos de situações de leituras individuais) Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

A significação do texto O uso da escrita pelos alunos, realizou-se a partir de exercícios de buscas no próprio texto, como forma de rever o texto e apropriar-se do vocabulário da segunda língua, bem como de seu sentido. Buscando também, a significação para além do texto, e valorizando as experiências dos alunos, questões de respostas pessoais foram levantadas. A temática da memória e a amizade entre as personagens é bastante marcante, por isso, exploramos as respostas pessoais de cada aluno, a partir dessa temática, conforme questões abaixo: O que significa memória para você?Com quem você troca segredos?Para nós, a valorização semântica na escrita dos alunos é a grande riqueza do trabalho, já que em suas respostas é possível notar a significação do texto lido aliada às suas experiências de vida. Veja os exemplos a seguir: Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

O que significa memória para você?

Com quem você troca segredos?

Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Débora Caetano Kober http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Débora Caetano Kober Coord. Pedagógica da Escola para Crianças Surdas Rio BrancoProfessora da EMEE “Profª Vera Lúcia Ap. Ribeiro”E-mail: dckober@gmail.com http://letramentosurdoetecnologia.blogspot.com/

Coord. Pedagógica da Escola para Crianças Surdas Rio Branco

Professora da EMEE “Profª Vera Lúcia Ap. Ribeiro”

Add a comment

Related presentations