advertisement

Avaliação e monitoramento de serviços de saúde

38 %
63 %
advertisement
Information about Avaliação e monitoramento de serviços de saúde
Education

Published on March 14, 2014

Author: ararecarvalhojunior

Source: slideshare.net

Description

Avaliação é um processo de reflexão e valoração crítica, contínua e sistemática, que se refere a momentos e fatores que intervêm no desenvolvimento de um programa, com fim de determinar quais podem ser, estão sendo ou tem sido seus efeitos, resultado s ou conquistas (Caride Gómez, 1989).
advertisement

Avaliação e Monitoramento de Serviços de Saúde Prof. Ms. Araré de Carvalho Júnior

1. Conceitos 2.Histórico 3.Avaliação em Saúde 4.Monitoramento e Avaliação 5.Perspectivas da Avaliação

1. Conceitos • Avaliar é fixar um valor de uma coisa, mediante o qual se compara aquilo que deve ser avaliado com um determinado critério ou padrão (E. Cohem & R. Franco, 1988). • Avaliação é um processo de reflexão e valoração crítica, contínua e sistemática, que se refere a momentos e fatores que intervêm no desenvolvimento de um programa, com fim de determinar quais podem ser, estão sendo ou tem sido seus efeitos, resultado s ou conquistas (Caride Gómez, 1989).

2. Histórico  1855: Guerra da Criméia, Florence Nightingale, Medir e avaliar fenômenos: Florence Nightingale (12 de Maio 1820 - 13 de Agosto 1910) foi uma enfermeira britânica que ficou famosa por ser pioneira no tratamento a feridos de guerra, durante a Guerra da Crimeia. Também contribuiu no campo da Estatística, nomeadamente na criação de sistemas de representação gráfica.

• 1910: Relatório Flexner, Avaliação da educação médica, Denuncia as precárias condições da prática profissional. O Relatório Flexner que pretendeu a reformulação do ensino médico no século 20 na Faculdade de Medicina de Johns Hopkins, e publicado em 1910, conjuntamente com a Fundação Carneger dos Estados Unidos (Mendes, 1985).

• O Relatório Flexner apresenta as seguintes sugestões: 1) definição de padrões de entrada e ampliação, para quatro anos, da duração dos cursos; 2) introdução ao ensino laboratorial; 3) estímulo à docência em tempo integral; 4) expansão do ensino clínico, especialmente hospital;

5) vinculação das escolas médicas às universidades; 6) ênfase na pesquisa biológica como forma de superar a era empírica do ensino médico; 7) estímulo à especialização médica; 8) vinculação da pesquisa ao ensino; e 9) controle do exercício profissional pela profissão organizada.

 1916: "A Study in Hospital Efficiency: the first five years“ – Ernest Codman, proposta de metodologia de avaliação rotineira do estado de saúde dos pacientes, para estabelecer os resultados finais das intervenções médicas intra-hospitalares

• 1918: American College of Surgeons – ACS, avaliação da qualidade da Prática Cirúrgica e dos Hospitais Americanos com mais de 100 leitos, 600 hospitais avaliados apenas 82, cumpriam os padrões mínimos – Hotel Waldorf Astoria, NY.

 1928: Hospital Standartization Program - embrião da Joint Comission of Accreditation of Hospitals (JCAH) criada em 1951.  National Health Service (NHS) – Inglaterra - preocupações com estudos da eficácia e eficiência dos procedimentos diagnósticos e terapêuticos;  Década de 60 EUA: Programas Sociais Federais de Atenção à Saúde (Medicare e Medicaid).

• 1966: Avedis Donabedian - a avaliação da qualidade da atenção médica por meio de um modelo que sistematiza os atributos que traduzem a qualidade nos serviços (eficácia, efetividade, eficiência, otimização, aceitabilidade, legitimidade e eqüidade).

 1988/1990: Avedis Donabedian, sistematização da avaliação qualitativa de atenção médica em três aspectos: estrutura, processo e resultado .  Os serviços de saúde passaram a ser pensados também como produtos e, portanto, passíveis de uma padronização na qualidade.

No Brasil  1952: Primeira Classificação Hospitalar por padrões Lei 1.982/52 – Estado de São Paulo  Década 60: os IAPC, IAPI estabelecem classificações  1968: INPS cria a Tabela de Classificação de Hospitais  1974: RECLAR – Relatório de Classificação Hospitalar Portaria nº. 8/74 e Manuais em 1982

Avaliação em Saúde  Área ainda em construção conceitual e metodológica, podem ser encontradas na literatura de forma muito diversificada.  Principais variáveis que orientam as decisões conceituais e metodológicas: (1) objetivo da avaliação, (2) posição do avaliador, (3) enfoque priorizado, (4) metodologia predominante, (5) forma de utilização da informação produzida, (6) contexto da avaliação, (7) temporalidade da avaliação e (8) tipo de juízo formulado  Tipos de avaliação: investigação avaliativa, avaliação para decisão e avaliação para gestão

Avaliação em Saúde: Brasil  As condições econômicas e sociais, as práticas políticas, a organização profissional, as culturas organizacionais são muito diferentes : incorporação muito distinta dos diversos tipos de avaliação;  Processo de avaliação ainda muito incipiente e marginal nos processos de decisão;

 No setor público há maior interesse pela avaliação de programas, avaliação de qualidade e tecnológica é incipiente;  No setor privado, maior interesse pelas propostas de gestão e garantia da qualidade e sistemas de acreditação e monitoramento de hospitais em atividade.

• o Ministério da Saúde, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems) firmaram, em 2006, o Pacto pela Saúde (PT GM n°. 399, de 22 de fevereiro de 2006), em três dimensões – Pacto pela Vida, Pacto em Defesa do SUS e Pacto de Gestão, a partir do que se espera a reforma de aspectos institucionais vigentes, com inovações dos processos de gestão, visando a maior efetividade, eficiência, qualidade e melhores resultadoS.

• O Pacto pela Vida representa o compromisso das três esferas de gestão do SUS em torno de prioridades que promovam impacto sobre a situação de saúde da população brasileira. Dentre as prioridades estabelecidas está o fortalecimento da Atenção Básica à saúde (BRASIL, 2006b). • Conforme define a Política Nacional de Atenção Básica- PNAB, aprovada por meio da Portaria GM n°. 648, de 28 de março de 2006, a Atenção Básica caracteriza-se por um conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, abrangendo a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico e o tratamento dos problemas de saúde de maior frequência e relevância da população, a reabilitação e a manutenção da saúde (BRASIL, 2007).

• A avaliação e o acompanhamento sistemático dos resultados alcançados, como parte do processo de planejamento e programação constituem-se em fundamentos da atenção básica. Nesse sentido, a PNAB estabelece como responsabilidade das três esferas de gestão, em seus âmbitos de atuação, monitorar e avaliar a atenção básica, elaborando metodologias e instrumentos para tal, qualificando profissionais e definindo estratégias para a institucionalização da avaliação.

Dimensões Avaliativas  Desempenho técnico - aplicação do conhecimento e da tecnologia médica de modo a maximizar os benefícios e minimizar os riscos, de acordo com as preferências de cada paciente.  Relacionamento pessoal com o paciente, de modo a satisfazer os preceitos éticos, as normas sociais e as legítimas expectativas e necessidades dos pacientes.

Avaliação da Estrutura  Características dos recursos que se empregam na atenção à saúde.  Componentes: ▫ organização administrativa da atenção médica; ▫ descrição das características das instalações; ▫ fundamentalmente em relação à sua adequação com as normas vigentes; ▫ perfil dos profissionais empregados, seu tipo, preparação e experiência.

Avaliação do Processo  Descreve as atividades do serviço de atenção à saúde;  Análise da competência médica no tratamento dos problemas de saúde, isto é, o que é feito para o paciente com respeito à sua doença ou complicação particular;  Os critérios são estabelecidos pelo estudo da eficácia de práticas médicas rotineiras;  A metodologia dos estudos de processo pode ser dividida de duas maneiras: observação direta da prática, estudos baseados nos registros médicos.

Avaliação do Resultado  Descreve o estado de saúde do indivíduo ou da população como resultado da interação ou não com os serviços de saúde;  Sua medida e avaliação constituem o que existe de mais próximo em termos de avaliação do cuidado total;  Metodologias que utilizam medidas de resultado: ▫ medidas de capacidade física e estado funcional, ▫ inventários de saúde mental, ▫ medida do impacto das doenças sobre o comportamento dos indivíduos, ▫ medida de percepção pessoal da saúde geral.

Monitoramento e Avaliação • Objetivo Geral: Instrumentalizar o SUS e os serviços de saúde para a tomada de decisão, melhoria da qualidade da atenção à saúde e redução de riscos e eventos adversos associados a assistência à saúde. • Objetivos Específicos: • Desenvolver instrumentos que permitissem o monitoramento e a avaliação; • Harmonizar os critérios de avaliação de serviços de saúde; • Estimular o desenvolvimento de uma cultura de avaliação de serviços de saúde; • Estimular a utilização de indicadores para avaliação de serviços.

Perspectiva da Avaliação  Fortalecimento dos Sistemas de Informação para tomada de decisão;  Ampliação dos Processos de Avaliação;  Estímulo à Melhoria Contínua da Qualidade dos serviços de saúde por meio da disseminação de conhecimento e experiências exitosas e Política de Qualidade em Serviços de Saúde

Add a comment

Related presentations

Related pages

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO NA POLÍTICA NACIONAL DE ...

Monitoramento, Avaliação e a implementação de indicadores no âmbito da Política Nacional de Humanização/PNH. ... serviços/sistemas de saúde.
Read more

SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO SUS A PARTIR DA ...

avaliação 2. serviços de saúde 3. ... 10 sistema de monitoramento e avaliaÇÃo do sus a partir da atenÇÃo bÁsica no estado de sÃo paulo
Read more

O Sistema de Avaliação e Monitoramento das Políticas e ...

O Sistema de Avaliação e Monitoramento das Políticas e Programas de Desenvolvimento Social no Brasil 11 O Sistema de Avaliação e Monitoramento das
Read more

Monitoramento em saúde, Avaliação em sáude, Gestão em saúde

... programação pactuada e integrada da atenção à saúde, monitoramento e avaliação; ... Programa de Avaliação e Monitoramento dos Serviços de ...
Read more

Monitoramento da Qualidade dos Prestadores de Serviços de ...

Monitoramento da Qualidade dos Prestadores de Serviços de Saúde. ... Avaliação controlada ...
Read more

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO - QUALIAB

AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DOS SERVIÇOS DE ATENÇÃO BÁSICA DO ESTADO DE SÃO ... No processo de regionalização deflagrado pelo Pacto pela Saúde, ...
Read more

Monitoramento e Avaliação | Departamento de DST, Aids e ...

Serviços de Saúde; Notícias e mídias; Dados e ... os técnicos em monitoramento e avaliação estudam e recebem suporte de instituições brasileiras e ...
Read more

PLANO DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DE SUBSÍDIO GLOBAL ...

Plano de Monitoramento e Avaliação de Subsídio Global ... no nível de conhecimento ou na saúde dos participantes. ... fornecimento de serviços,
Read more

MINISTÉRIO DA SAÚDE - Biblioteca Virtual em Saúde

13 No SUS, a avaliação de políticas, programas e serviços de saúde vem obtendo crescente interesse e reconhecimento. Esse interesse é justificado
Read more