Aula3 - Os princípios da catalogação: a representação de recursos informacionais

40 %
60 %
Information about Aula3 - Os princípios da catalogação: a representação de recursos...
Technology

Published on February 27, 2014

Author: karusimionato

Source: slideshare.net

Description

UNIDADE 2 - Princípios da catalogação para descrever e organizar recursos informacionais
Semana 3 - Os princípios da catalogação: a representação de recursos informacionais

2BIB996 - Metadados e interoperabilidade
Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Aula 3 UNIDADE 2 - Princípios da catalogação para descrever e organizar recursos informacionais Semana 3 - Os princípios da catalogação: a representação de recursos informacionais PROFª ANA CAROLINA SIMIONATO anacarolina.simionato@uel.br

http://creativecommons.org.br/ SIMIONATO, Ana Carolina. Os princípios da catalogação: a representação de recursos informacionais. Material da disciplina 2BIB996 Metadados e interoperabilidade (Graduação em Biblioteconomia) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina/PR, 2014. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/karusimionato/>.

Introdução  Princípios de Catalogação em 1961;  Objetivo: servir de base para a padronização internacional em catalogação;  Conjunto comum de princípios internacionais de catalogação devido ao uso dos OPACS (Online Public Access Catalogues) em todo o mundo;  2009: uma nova declaração de princípios aplicáveis a catálogos online e outros;  Conveniência de usuários do catálogo.

Declaração dos Princípios Internacionais de Catalogação

Princípios para a construção de códigos de catalogação  Conveniência do usuário do catálogo;  Uso comum;  Representação;  Precisão;  Significância;  Economia;  Consistência e padronização;  Integração.

Entidades, Atributos e Relações  Um código de catalogação deve levar em consideração as entidades, atributos e relações  tal como definido em modelos conceituais do universo bibliográfico.

Entidades representadas por dados bibliográficos e de autoridade  Obra  Conceito  Expressão  Objeto  Manifestação  Evento  Item  Lugar.  Pessoa  Família  Entidade Coletiva

Atributos Relações identificam cada entidade devem ser usados como elemento de dados relações bibliograficamente significativas entre as entidades.

Exemplo com o Atributo RDA Entidade Relação (1 <-> n / n <-> n)

Wikimedia Commons, the free media repository Reconstrução dos catálogos...

Relembrando... Catálogos É um canal de comunicação estruturado, que mensagens contidas nos itens, e sobre os itens, veicula de um ou vários acervos, apresentando-as sob forma codificada e organizada, agrupadas por semelhanças, aos usuários desse(s) acervo(s). (MEY, 1995, p.9)

Objetivos do catálogo 1. Permitir que uma pessoa encontre um livro (recurso informacional) do qual (A) o autor (B) o título é conhecido (C) o assunto 2. Mostrar o que a biblioteca possui (D) de um dado autor (E) sobre um dado assunto (F) em um tipo de literatura. 3. Auxiliar na escolha de um livro (recurso informacional) (G) por sua edição (bibliograficamente) (H) por seu caráter (literário ou temático). (CUTTER, 1904, p. 12)

Qualidades que o catálogo deve possuir: Flexibilidade; inserção de representações de novos tipos de recursos e itens informacionais Facilidade de manuseio; além da facilidade de manuseio, possuir sinalização (local da biblioteca) [...] (MEY, 1995, p. 9-10)

Além de... Uniformidade; nas representações Economia na preparação; e economia de recursos e de tempo; Atualidade ;e deve estar sempre atualizado, refletindo o acervo. (MEY, 1995, p. 9-10)

A Catalogação

Definição É o estudo, preparação e organização de mensagens codificadas, com base em itens existentes ou passíveis de inclusão em um vários acervos, de forma a permitir interseção entre as mensagens contidas nos itens e as mensagens internas dos usuários. (MEY, 1995, p.5).

5 leis da Biblioteconomia (1931) RANGANATHAN, S. R. As cinco leis da Biblioteconomia. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 2009. 1. Os livros são escritos para serem lidos; 2. Todo leitor tem seu livro; 3. Todo livro tem seu leitor; 4. Poupe o tempo do leitor; 5. Uma biblioteca é um organismo em crescimento. (Substitua livro por item e leitor por usuário. As leis continuam atuais...)

Funções da catalogação a) Permitir ao usuário: 1. localizar um item específico; 2. escolher entre várias manifestações de um item; 3. escolher entre vários itens semelhantes, sobre quais, inclusive, possa não ter conhecimento prévio algum; 4. expressar, organizar ou alterar sua mensagem interna. b) Permitir a um item encontrar seu usuário. c) Permitir a outra biblioteca: 1. localizar um item específico; 2. saber quais os itens existentes em acervos que não o seu próprio. (MEY, 1995, p.7)

Para cumprir essas funções... ... a Catalogação deve possuir as seguintes características:      Integridade - Londrina, PR : Editora X, [2013?]; Clareza - PÁSSAROS (e não ORNITOLOGIA); Precisão - Londrina, PR : Editora X, 2013; Lógica (mesma organização); e Consistência (mesma solução adotada para informações semelhantes). (MEY, 1995, p.7-8)

Catalogação Revisitada (SANTOS, 2010) A Catalogação e a construção de formas de representação de conteúdos em ambientes informacionais digitais. A forma escolhida para a representação deve ser a mais apropriada à tarefa do usuário que fará uso da representação.

Tarefas do usuário Encontrar ...os materiais correspondentes à sua busca. Identificar ...um item dentre vários com as mesmas características. Selecionar ...um item apropriado necessidades. Obter às suas ...o item (por compra, empréstimo, acesso online, etc.). (INTERNATIONAL..., 2009)

A representação do registro bibliográfico  Deve ser rica cognitivamente, de modo a permitir ao usuário inferir o conteúdo do recurso;  Deve implicar em uma significativa economia de energia em comparação com a obtenção e leitura do documento original.  Uma representação pode omitir sistematicamente uma informação irrelevante e pode enfatizar ou duplicar informações pertinentes ao seu propósito.  Ou seja, a apresentação ao usuário não precisa conter todas as informações pertinentes ao bibliotecário.

E o registro bibliográfico...  Não terá a mesma estrutura monolítica da ficha catalográfica;  Atuará entre o usuário e o recurso informacional;  Possuirá um conjunto de elementos de dados que descreve recursos informacionais e permite a localização e o acesso a eles. (SIMIONATO, 2012) ASSUMPÇÃO, F. MARC21. 2012.

... os Códigos de Catalogação...

ISBD  Publicada em 1969.  International Standard Bibliographic Description - Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada  International Federation of Library Associations (IFLA)  Utiliza de pontuações e abreviaturas padronizadas entre os elementos de descrição.  Os elementos devem estar redigidos seguindo a ordem preestabelecida pela norma.  2009: ISBD Consolidada

AACR  Anglo-American Cataloging Rules – Código de Catalogação Anglo-Americano  Publicado em 1967  Publicação conjunta: American Library Association (ALA) (EUA); Canadian Library Association (Canadá); Library Association (Inglaterra) e Library of Congress (LC) (EUA).  Houveram discordâncias entre americanos e ingleses -> consequência: dois códigos, cada um publicado em um país.

AACR Sua aplicação visa a todas as atividades biblioteconômicas, bibliográficas e livrescas, isto é, confecção de fichas catalográficas, bibliografias, citações bibliográficas, listas de livros e de outros materiais para qualquer finalidade, incluindo catálogos coletivos. (BARBOSA, 1978, p. 40)

AACR  Anglo-American Cataloging Rules – Código de Catalogação Anglo-Americano;  Publicado em 1967;  Publicação conjunta: American Library Association (ALA) (EUA); Canadian Library Association (Canadá); Library Association (Inglaterra) e Library of Congress (LC) (EUA);  Houveram discordâncias entre americanos e ingleses -> consequência: dois códigos, cada um publicado em um país.

AACR2  Segunda edição;  Publicado em 1978;  Unificou os dois conjuntos de regras (americanas e inglesas);  Utilizou a pontuação prescrita pela ISBD.

AACR2r  Traduzido para vários idiomas;  Significativamente revisado em 1988 e 2002;  Atualizado anualmente entre 2003 e 2005.

Estrutura da descrição no AACR2r: capítulos e áreas 8 ÁREAS DE DESCRIÇÃO: 1 Área do título e indicação de responsabilidade 2 Área da edição 3 Área dos detalhes específico do material (Ou do tipo de publicação) 4 Área da publicação, distribuição etc. 5 Área da descrição física 6 Área da série 7 Área das notas 8 Área do número normalizado e das modalidades de aquisição 9 Itens suplementares 10 Itens constituídos de vários tipos de material 11 Fac-símiles, fotocópias e outras reproduções Ordem dos elementos dentro das áreas: do geral para o específico.

AARCR2r - Parte I:  Níveis de descrição:  Depende da política de catalogação estabelecida pela Biblioteca;  A política de catalogação determina a escolha dos níveis de descrição:  Um único nível para todos os itens OU estabelece diretrizes para o uso de níveis diferentes dependendo do tipo de item a ser descrito.

Parte II – Pontos de Acesso, Títulos Uniformes, Remissivas Introdução - Parte II Capítulo 21 – Escolha dos Pontos de Acesso Capítulo 22 – Cabeçalhos para Pessoas Capítulo 23 – Nomes Geográficos Capítulo 24 – Cabeçalhos para Entidades Capítulo 25 – Títulos Uniformes Capítulo 26 – Remissivas

“[...] o nível de detalhe em que um objeto de informação ou recurso é visto ou descrito.” (WOODLEY; CLEMENT; WINN, 2005, ALVES; SIMIONATO; SANTOS, 2012, p. 3). ... Granularidade ...

Níveis de granularidade  A granularidade grossa pode ser definida como uma menor quantidade de informações utilizada na descrição de um recurso informacional, ou melhor, um “[...] baixo nível de detalhamento.” (ALVES; SIMIONATO; SANTOS, 2012, p. 3).  A granularidade fina, está relacionada a maior quantidade de informações na descrição de um recurso informacional, ou “[...] alto nível de detalhamento [...]” (ALVES; SIMIONATO; SANTOS, 2012, p. 3).

Granularidade no AACR2r

Níveis de detalhamento da descrição: 1º nível Título principal / primeira indicação de responsabilidade, se diferir do cabeçalho de entrada principal em forma ou número, ou se não houver cabeçalho de entrada principal. – Indicação de edição. – Primeiro editor etc., data de publicação etc. – Extensão do item. – Nota(s). – Número normalizado.

Níveis de detalhamento da descrição: 2º nível Título principal [designação geral do material] = Título equivalente : outras informações sobre o título / primeira indicação de responsabilidade ; cada uma das indicações subsequente de responsabilidade. – Indicação de edição / primeira indicação de responsabilidade relativa a edição. – Detalhes específicos do material (ou do tipo de publicação). – Primeiro lugar de publicação etc. : primeiro editor etc., data de publicação etc. – Extensão do item : outros detalhes físicos : dimensões. – (Título principal da série / indicação de responsabilidade relativa à série, ISSN da série ; numeração dentro da série. Título da subsérie, ISSN da subsérie ; numeração dentro da subsérie). – Nota(s). – Número normalizado.

(Relembrando as áreas) Título principal [designação geral do material] = Título equivalente : outras informações sobre o título / primeira indicação de responsabilidade ; cada uma das indicações subsequente de responsabilidade. – Indicação de edição / primeira indicação de responsabilidade relativa a edição. – Detalhes específicos do material (ou do tipo de publicação). – Primeiro lugar de publicação etc. : primeiro editor etc., data de publicação etc. físicos : dimensões. – – Extensão do item : outros detalhes (Título principal da série / indicação de responsabilidade relativa à série, ISSN da série ; numeração dentro da série. Título da subsérie, ISSN da subsérie ; numeração dentro da subsérie). – Nota(s). – Número normalizado.

Níveis de detalhamento da descrição: 3º nível Todos os elementos especificados nas regras seguintes, aplicáveis ao item que está sendo descrito.

981.04 autor tombo Lima, Manuel de Oliveira, 1867-1928 Dom João VI no Brasil / Manuel de Oliveira Lima ; ilustração de Luis Jardim. -- 3. ed.-- Rio de Janeiro, RJ: José Olympio, 1945. 22x14cm; 382 p. : il. (Documentos brasileiros, v.1). Prefácio de Octavio Tarquino de Souza. Tiragem de 30 exemplares em papel Bouffant branco tirados fora de comércio; para bibliófilos 500 exemplares em papel Bouffant extra, creme, em formato grande, é o exemplar 49. Idioma Português. 1. História do Brasil. 2. Dom João VI. I. Título Ficha catalográfica

981.04 autor tombo Lima, Manuel de Oliveira, 1867-1928 Dom João VI no Brasil / Manuel de Oliveira Lima ; ilustração de Luis Jardim. -- 3. ed.-- Rio de Janeiro, RJ: José Olympio, 1945. 22x14cm; 382 p. : il. (Documentos brasileiros, v.1). Prefácio de Octavio Tarquino de Souza. Tiragem de 30 exemplares em papel Bouffant branco tirados fora de comércio; para bibliófilos 500 exemplares em papel Bouffant extra, creme, em formato grande, é o exemplar 49. Idioma Português. 1. História do Brasil. 2. Dom João VI. I. Título Registro Bibliográfico – Componentes

981.04 autor tombo Lima, Manuel de Oliveira, 1867-1928 Dom João VI no Brasil / Manuel de Oliveira Lima ; ilustração de Luis Jardim. -- 3. ed.-- Rio de Janeiro, RJ: José Olympio, 1945. 22x14cm; 382 p. : il. (Documentos brasileiros, v.1). Prefácio de Octavio Tarquino de Souza. Tiragem de 30 exemplares em papel Bouffant branco tirados fora de comércio; para bibliófilos 500 exemplares em papel Bouffant extra, creme, em formato grande, é o exemplar 49. Idioma Português. 1. História do Brasil. 2. Dom João VI. I. Título Registro Bibliográfico – Componentes

Referências  ALVES, R. C. V.; SIMIONATO, A. C.; SANTOS, P. L. V. A. C. Aspectos de granularidade na representação da informação no universo bibliográfico. In: I ENACAT - Encontro Nacional de Catalogadores e III EEPC Encontro de Estudos e Pesquisas em Catalogação, 2012, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: GEPCAT, 2012. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/109274547/Aspectos-de-granularidade-na-representacao-da-informacaonouniverso-bibliografico>.  MEY, Eliane Serrão Alves. Introdução à catalogação. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1995.  SIMIONATO, Ana Carolina. Representação, acesso, uso e reuso da imagem digital. 141f. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília/SP, 2012. Disponível em: <http://www.marilia.unesp.br/Home/PosGraduacao/CienciadaInformacao/Dissertacoes/Simionato%20A.C._mestrado_C.I._2012.pdf>.  WOODLEY, M. S.; CLEMENT, G.; WINN, P. DCMI Glossary . [S. l.: S. n.], 2005. Disponível em: <http://dublincore.org/documents/usageguide/glossary.shtml>.

Objetivo da atividade: Entender como é realizada a organização e tratamento de recursos informacionais; E desenvolver alternativas e formas para otimizar a organização e tratamento de recursos informacionais. Parte II AULA 4 - ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DOS RECURSOS INFORMACIONAIS

Orientações iniciais  Formatação: Layout: Mín.: 5 laudas (folhas) e Max.: 10 (ou mais) laudas.   Além dos elementos pré e pós textuais. (Ou seja, 7 laudas + Capa + Referências + etc.) Normalização: O trabalho deve estar adequado às normas da ABNT: NBR 14724:2011 (Trabalhos acadêmicos); NBR 6023:2002 (Referências) e NBR 10520:2002 (Citações).  Composição dos grupos: Os grupos deverão ter ao máximo 3 integrantes, mas também o trabalho poderá ser realizado em duplas e individualmente.  Prazo: Entrega até o dia 13/03/2014. (Obs.: A entrega posterior será descontado 10% semanalmente do valor total).  Poderá ser entregue digitalmente, no endereço: anacarolina.simionato@uel.br. Ou no scaninho até a data de entrega.  Peso da atividade: 10 pontos.

Recursos:  Pinturas  Fotografia  Gravura  Ilustração  Litografia  Pintura  Satélite  Imagens digitais (Observação: Os recursos serão todos imagéticos, portanto nessa atividade não incluirão mapas e outros audiovisuais não mencionados)

Estrutura 1. Introdução à organização e representação de recursos informacionais Introdução geral e informações sobre a atividade, utilizar autores - levantamento bibliográfico 2. Metodologia 2,1 Recurso (s) imagético(s) escolhido (s) - qual foi o recurso escolhido, se possível insira-lo no trabalho; 2.2 Critérios para a escolha do recurso- quais os critérios para a escolha; 2.3 Primeiro contato com o material - elucidar as características, pontos em destaque do recurso, entre outros pontos que julga ser importante. 3. A organização e representação física do recurso: a catalogação 3,1 Elementos (metadados) necessários à identificação dos recurso 3.2 Fontes de informação para a recolha dos elementos (metadados) de identificação 3. 3 As áreas, pontuação e a ordem de apresentação dos elementos (metadados), segundo o AACR2r 3.4 Determinação dos pontos de acesso principais e secundários 3.5 Determinação da forma dos pontos de acesso dos responsáveis e do título 4. A organização e representação do conteúdo do recurso: catalogação de assunto (indexação e classificação) 4.1 Identificação dos conceitos principais e análise de conteúdo 4.2 Elementos (metadados) necessários à identificação do conteúdo do recurso 5. Considerações finais - o que julga ser importante para a organização e representação do físico e do conteúdo de um recurso imagético? 5.1 Elementos (metadados) físicos e de conteúdo que poderiam ser inseridos na construção do registro representacional

Add a comment

Related presentations

Presentación que realice en el Evento Nacional de Gobierno Abierto, realizado los ...

In this presentation we will describe our experience developing with a highly dyna...

Presentation to the LITA Forum 7th November 2014 Albuquerque, NM

Un recorrido por los cambios que nos generará el wearabletech en el futuro

Um paralelo entre as novidades & mercado em Wearable Computing e Tecnologias Assis...

Microsoft finally joins the smartwatch and fitness tracker game by introducing the...

Related pages

Princípios para representação de recursos informacionais

Transcript of Princípios para representação de recursos ... Princípios para representação de recursos informacionais ... Processo de catalogação
Read more

Princípios para representação de recursos ...

... Catalogação, Biblioteconomia, Ciência da Informação. ... Pesquisar o site. ... Princípios para representação de recursos informacionais
Read more

Catalogação - InfoBCI | Divulgando informações ...

... de recursos informacionais, foi proposto o ... representação dos recursos informacionais. ... princípios da Catalogação ...
Read more

BRASIL PORTUGAL DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS INTERNACIONAIS ...

aprovada pela Conferência Internacional sobre Princípios de Catalogação em 1961.1 O ... de acordo com o da maioria ... todos os recursos associados ...
Read more

Tecnologias Semânticas: Novas Perspectivas para a ...

... novas perspectivas para a representação de recursos informacionais da ... a representação de recursos informacionais O ... princípios e técnicas ...
Read more

Uso das tecnologias na representação descritiva: o ...

... na representação descritiva: o padrão de descrição bibliográfica semântica MarcOnt Initiative nos ambientes informacionais ... da Informação ...
Read more

REPRESENTAÇÃO E DESCRIÇÃO DE RECURSOS INFORMACIONAIS ...

... digitais para os diversos ramos da ciência tem ... da catalogação descritiva, as formas de representação dos recursos informacionais.
Read more

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À REPRESENTAÇÃO DESCRITIVA DE ...

Identifica-se os elementos de representação descritiva ... Elegeu-se analisar o modelo de registro bibliográfico da ... e recursos informacionais.
Read more