Aula Jonatas 49: Em Jesus somos um

57 %
43 %
Information about Aula Jonatas 49: Em Jesus somos um

Published on December 27, 2016

Author: prandrefalcao

Source: slideshare.net

1. 49ª LIÇÃO – EM CRISTO SOMOS UM  Mc 9.38-41 MIM1: Interceda pela Congregação Batista XV de Novembro, fruto do Projeto Uma Igreja em Cada Bairro da nossa igreja. Peça ao Senhor que abençoe o Pr Ricardo Conceição na liderança daquela igreja. Interceda, também, pela construção do templo naquela localidade e, principalmente, pelas pessoas que ouvirão o evangelho através daquele trabalho. INTRODUÇÃO: No estudo anterior, falamos sobre o episódio em que os discípulos discutiam entre si sobre quem deveria ser o mais importante; já que alguém haveria de trair a Jesus (Lc 22.22), quem então seria o melhor? Naquela oportunidade, vimos que, no Reino de Deus, o melhor e o principal deve ser Jesus, a encarnação do único Deus existente. Quanto a nós, seus discípulos, se desejamos posição de honra, devemos buscá-la através do serviço. No presente estudo vamos continuar a desenvolver esta temática; Jesus aproveitou uma colocação feita por João e aproveitou para expandir o assunto antes tratado, deixando implícito a unidade do Reino de Deus. DESENVOLVIMENTO: a) V. 38 – Observe que João deixa bem claro pra Jesus: a) que era em nome de Jesus que aquele “estranho” exorcizava; b) E que o exorcismo era bem sucedido, tendo em vista que o “estranho” expelia os demônios.  Observe, ainda, que aquele “estranho” obtivera sucesso numa tarefa antes frustrada pelos discípulos de Jesus (Mc 9.18).  João deixa claro o porquê de ter proibido o “estranho”: ele não andava com Jesus e os demais discípulos.  Seja por preconceito quanto ao que estava de fora do grupo, seja, por que não, por inveja quanto ao sucesso do “estranho”, a verdade é que João foi repreendido por Jesus no verso seguinte.  Muitas das vezes agimos assim como igreja: já que eles não são batistas, não são nossos irmãos. já que não praticam a mesma liturgia que nós, não adoram ao Senhor.  Tal isolacionismo tem sido um desserviço ao Reino de Deus e tem sido utilizado por satanás para quebrar a unidade da igreja de Jesus e atrapalhar a expansão da obra missionária.

2.  Aquele “estranho” para João não era um estranho para Jesus: ele tinha fé em Jesus. Mesmo não pertencendo ao grupo dos apóstolos, ele era um discípulo de Jesus.  Não podemos olhar os outros, seja por ser um “estranho”, seja por seu sucesso, como pessoas que não são seguidoras de Jesus.  Precisamos ter bem claro em nossas mentes como discípulos de Jesus e pessoas que amam cumprir o IDE (Mt 28.19) que é a fé em Jesus (e nada mais!) que torna uma pessoa salva (Ef.2.8) b) V. 39 e 40 – A fé em Jesus por parte deste homem que não pertencia ao grupo dos apóstolos era notória.  Ninguém invocaria com sucesso o nome de Deus se não cresse nEle.  Observe que este homem, apenas por sua fé em Jesus, viveu os resultados prometidos pelo nosso Mestre em Mt 17.20.  No verso 39 o Mestre diz, ainda, que não há quem possa ser um instrumento para um milagre e fale mal Dele.  Pois bem, se essa pessoa utiliza o nome de Jesus, ou seja, se é por Jesus que o milagre foi realizado, este homem, mesmo não sendo apóstolo, é um com Cristo Jesus.  Assim, se eu, pela fé em Jesus, sou um com Ele, em última análise somos um eu e aquele homem repreendido por João no verso 38.  Me parece que é exatamente essa visão de unidade que faltava ao apóstolo do amor². Você se enxerga nesta mesma situação? c) v. 41 – Se com Cristo TODOS OS QUE CREEM NELE são um, tudo o que fizermos entre nós será imputado a Cristo.  Perceba que não será indiretamente para Cristo, mas diretamente para Ele, pois Ele é o cabeça (Ef 1.22).  Quando entendermos que tudo o que fizermos para um dos servos de Jesus é como se para Ele fizermos (Mt 25.31-40) necessariamente mudaremos o rumo da nossa adoração.  Não estou sugerindo que acabemos com a adoração (culto) pública. De jeito algum!  Mas se percebermos que o culto a Cristo passa pelo serviço ao próximo, sem dúvida experimentaremos um verdadeiro avivamento na igreja de Deus!

3. CONCLUSÃO: Assim como João (v. 38), precisamos nos despir da nossa visão isolada e nos enxergarmos como membros de um corpo e que temos uma função neste corpo. Tal função envolve o serviço: servir a Cristo através do próximo. E quanto aos que estão de fora do corpo? Não precisamos servi-los? Tenho certeza que você já sabe a resposta, mas o interessante é que ser ou não ser do corpo de Cristo é uma questão de tempo; essa deve ser a mentalidade do discípulo/missionário de Jesus! Algumas perguntas para discussão em grupo: a) O que você acha da grande quantidade de denominações existentes? b) Isso constituiria um fracionamento do corpo de Cristo, ou se trata de um artifício humano e não divino? Ou seja, é um fracionamento que visa ajuntar pessoas que comungam da mesma ordem? c) Você se relaciona com pessoas de outras denominações? Você os trata como membros do mesmo corpo? OBS: Agostinho de Hipona, vulgarmente conhecido como Santo Agostinho, certa vez disse o seguinte: “Nas coisas essenciais precisamos ter unidade; nas não essenciais precisamos ter liberdade; e em todas as questões a fraternidade (o amor)!” _________________ 1- Momento de Intercessão Missionária. Nossa ideia é criar em todas as reuniões este momento inicial de oração por missões nacionais. 2- O apóstolo João, pela forma como discorre sobre o amor de Deus no evangelho e em suas cartas, é considerado o apóstolo do amor.

Add a comment