Aula Jonatas 48: Jesus deve ser o principal!

50 %
50 %
Information about Aula Jonatas 48: Jesus deve ser o principal!

Published on December 19, 2016

Author: prandrefalcao

Source: slideshare.net

1. 48ª LIÇÃO – JESUS DEVE SER O PRINCIPAL  Mc 9.33-37 MIM1: Interceda pela Congregação Batista do Outeiro, fruto do Projeto Uma Igreja em Cada Bairro da nossa igreja. Peça ao Senhor que abençoe o Pr Luiz e a Ir Tânia na liderança daquela igreja. Interceda, também, pelas pessoas que ouvirão o evangelho através daquele trabalho. INTRODUÇÃO: No estudo anterior falamos sobre o episódio em que, mais uma vez, Jesus fala aos seus discípulos sobre sua morte e ressurreição; ali nos debruçamos sobre o marco do cristianismo, que é a ressurreição de Jesus e pontuamos que, com isso, a retribuição pelo pecado (a morte) foi vencida por Cristo Jesus. No presente estudo, falaremos sobre uma inócua discussão por parte dos discípulos; eles estavam a discutir sobre quem dos doze era o mais importante no Reino de Deus. Pode parecer absurdo, no entanto, vivenciarmos isso na igreja de Jesus. Muitos acreditam ter mais importância do que outros e por isso se acham superiores. No entanto, como veremos, a "pirâmide hierárquica" no Reino de Deus é invertida, segundo a Palavra de Deus. DESENVOLVIMENTO: a) V. 33 – Como vimos no estudo anterior, Jesus estava de volta de sua "viagem missionária" por toda a Judeia. Havia passado pela Galileia (Mc 9.30) e agora chega a Cafarnaum.  Jesus estava rumando aos seus últimos momentos e sua última estadia, enquanto homem, em Jerusalém (Mc 11.11).  Observe que a pergunta de Jesus foi retórica. No verso 35 vemos que, mesmo sem os discípulos responderem, Ele já sabia. A humanidade de Jesus não anulou sua divindade, sendo, pois, onisciente. b) V. 34 – Parece ser uma discussão arrogante e desconexa com a realidade em que viviam, tendo em vista que estavam a presenciar diversos acontecimentos sobrenaturais (p.e. Mc 9.25-27) e acabaram de amargar uma frustração contra o reino das trevas (Mc 9.18 e 19).  No entanto, quando observamos este evento na narrativa de Lucas (Lc 22.24-30) vemos que tal discussão sucedeu a Ceia celebrada pelo próprio Jesus em que Ele disse que o traidor estava ali no meio deles (Lc 22.21).

2.  Assim, ao tentarem saber quem era o traidor (Lc 24.23), acabaram "avançando" a discussão para saber quem seria o melhor dentre eles.  A grande verdade é que não importa a razão pela qual chegaram a tal discussão; o que importa é que erraram feio o alvo.  Se devemos olhar para Jesus, devemos resistir a provação de olhar, mesmo que de relance, para nós mesmos.  O discípulo de Jesus deve ter sempre bem clara a sua missão: refletir a verdade que, para nós, é uma pessoa (Jo 14.6).  Aquele que crê em Jesus precisa seguir o exemplo de João Batista, que mesmo sendo um líder religioso respeitado até por quem afrontava (Mc 11.32), deixou bem claro que seu ministério era enaltecer o Senhor Jesus (Jo 3.30) c) v. 35-37 – No Reino, o “organograma” é invertido.  Em primeiro vem Jesus Cristo, que precisa sobressair em nossas vidas (At 20.24).  Os Apóstolos estão em último lugar (1Co 4.9), seguidos dos demais líderes que estão abaixo de todos os outros discípulos de Jesus.  Isso porque a essência do cristianismo é o serviço em amor.  Por isso que Jesus encerra este ensinamento dizendo que quem receber (ou seja, servir) uma criança está servindo a Jesus e ao Pai, pois sem Jesus não há como chegar ao único e verdadeiro Deus (Jo 14.6).  Se tivermos isso bem claro em nossas cabeças, veremos que nosso ministério terreno é servir a Jesus evangelizando e servindo ao próximo.  Evangelizando porque precisamos mostrar que há um Deus que liberta da escravidão do pecado e nos dá vida eterna  Servindo o próximo porque todo o conhecimento produzido a partir de Jesus, ou seja, a Bíblia Sagrada, destina-se para o exercício do amor, senão é inócuo (1Co 8.1b).  Este “organograma invertido” é bem retratado na nossa celebração da Ceia: 1º os diáconos (gr. Diakonia, significa servo) servem a congregação, depois o pastor serve aos diáconos.  Assim, se o diácono é o servo dos servos de Jesus (congregação composta por discípulos de Jesus) o pastor é servo dos servos que servem os servos de Jesus...

3.  Matematicamente o Pastor seria a raiz cúbica de um Servo....  Enfim, para simplificar, na igreja local o pastor seria o último.  Interessante que James Hunter, em sua trilogia sobre liderança (O monge e o executivo, Como ser um líder servidor e De volta ao mosteiro) diz, em suma, que a essência da liderança é o serviço e a confiança. De onde será que ele extraiu tais ensinamentos? CONCLUSÃO: Se pretendo servir com excelência a Jesus, devo me sentir o menor de todos (Fl 2.3) e aquele que deve servir a todos. Assim agindo, permitirei que Jesus Cristo sobressaia em minha vida e esse deve ser o desejo de todo e qualquer discípulo de Jesus. Algumas perguntas para discussão em grupo: a) Nos dias atuais, o que mais atrapalha o serviço cristão? b) Você acredita que o desejo de auto-enaltecimento tem sido observado nos dias atuais nas atividades do Reino dos Céus? c) O que devemos fazer para que isso acabe? Tal(ais) atitude(s) devem ser coletivas ou individuais? _________________ 1- Momento de Intercessão Missionária. Nossa ideia é criar em todas as reuniões este momento inicial de oração por missões nacionais.

Add a comment