Apei Slides Final

50 %
50 %
Information about Apei Slides Final

Published on April 13, 2008

Author: cerita

Source: slideshare.net

Um estudo sobre as práticas de Promoção de Saúde e Resiliência dos Educadores de Infância 31 de Março 2005 As crianças em risco educativo no Jardim de Infância Glicéria Gil

As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... JUSTIFICAÇÃO ☻ PS deve ser iniciada precocemente (OMS,1998). ☻ Práticas de PS na E.P. – estudos insuficientes (Hayden e Mcdonald, 2002). ☻ O.C. sugerem práticas de prevenção , protecção e promoção da saúde (O.C, 1997). ☻ A actual filosofia de uma “ escola para todos ” (Correia e Martins, 2002). ☻ Promoção da resiliência na E.P. (Benard & Marshall, 2001). ☻ A potenciação dos factores protectores e a minimização dos factores de risco contribuem para o desenvolvimento resiliente das crianças em situação de risco (Henderson & Milstein, 1996).

As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Promoção da Saúde e Resiliência Práticas educativas de EpS e aspectos relacionados com a potenciação dos mecanismos de protecção e a minimização dos mecanismos de risco desenvolvidos pelos educadores no contexto educativo (Gil, 2003). XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... CONCEITOS Crianças em situação de risco educativo Prevê-se que venham a apresentar dificuldades no seu percurso pessoal, nomeadamente dificuldades relacionadas com o seu desenvolvimento físico, social, emocional e cognitivo (Gil, 2003).

OBJECTIVOS As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... ☻ Analisar as Expectativas dos Educadores face às Crianças em Risco ☻ Identificar o Perfil do Educador Promotor de Saúde e Resiliência

AMOSTRA E INSTRUMENTO As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... 164 (60%) no Alentejo 274 educadores 62 (23%) IPSS 195 (71%) com crianças em risco educativo 199 (73%) oficial 13 (5%) particular 110 (40%) no Algarve INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO

CRIANÇAS EM RISCO EDUCATIVO As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... NEE NSE ABANDONO NEGLIGÊNCIA MAUS TRATOS CARÊNCIA DE AFECTO COMPORTAMENTOS RISCO Crianças com uma maior predisposição para o insucesso educativo (Correia, 1997; Hidxon & Tinzmann, 1990; Donnely, 1987). Crianças sujeitas a ambientes de risco mais propensos a afectar a sua saúde e o bem-estar (Garbarino, 1992).

RESULTADOS As expectativas dos educadores face às crianças em risco As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Gráfico 2 : Percentagem de educadores por categoria de aceitação incondicional de todas as crianças Será que as crianças em risco despertam sentimentos de antipatia? 47% - nem todas as crianças em risco conseguem despertar o interesse , a simpatia e a atenção dos adultos.

Será que as crianças em risco despertam sentimentos de antipatia?

RESULTADOS As expectativas dos educadores face às crianças em risco (cont.) As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Gráfico 3 : Percentagem de educadores por categoria de baixas expectativas de sucesso para as crianças em risco Baixas expectativas de sucesso para as crianças em risco? 44% - terão menos oportunidades de alcançarem o sucesso educativo .

Baixas expectativas de sucesso para as crianças em risco?

RESULTADOS As expectativas dos educadores face às crianças em risco (cont.) As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Gráfico 4 : Percentagem de educadores por categoria de Comportamentos perturbadores das crianças em risco As crianças em risco apresentam mais comportamentos perturbadores do que as outras crianças? Tendência para a neutralidade (35%) neste mecanismo de risco.

As crianças em risco apresentam mais comportamentos

perturbadores do que as outras crianças?

RESULTADOS As expectativas dos educadores face às crianças em risco (cont.) As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Gráfico 5 : Percentagem de educadores por categoria de atribuição de sucesso das crianças em risco Quais os factores que mais contribuem para o sucesso educativo das crianças em risco? Factores pessoais ↓ os mais importantes para o sucesso das crianças em risco.

Quais os factores que mais contribuem para o sucesso

educativo das crianças em risco?

RESULTADOS As expectativas dos educadores face às crianças em risco (cont.) As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Gráfico 6 : percentagem de educadores por categoria da atenção prestada como factor perturbador da dinâmica do grupo A atenção requerida pelas crianças em risco irá prejudicar o trabalho a desenvolver com as outras crianças? A maioria dos educadores (65%) discorda da questão.

A atenção requerida pelas crianças em risco irá prejudicar o trabalho a desenvolver

com as outras crianças?

RESULTADOS As crianças em risco e as práticas de EpS As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Gráfico 7 : Percentagem de educadores por categorias da intervenção na área da EpS A intervenção na área da EpS junto das crianças em risco. Como educador para mim é muito importante .... Grau de importância : 1º - Direitos das crianças 2º - Atitude do educador 3º - Objectivos educativos 4º - Diagnóstico de necessid. 5º - Parcerias 6º - Trabalho com as famílias

A intervenção na área da EpS junto das crianças em risco.

Como educador para mim é muito importante ....

O Perfil do Educador Promotor de Saúde e Resiliência As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Identificar o Perfil do Educador Promotor de Saúde e Resiliência 1. Formação em EpS 2. Contexto do exercício profissional 3. Intervenção na área da EpS 4. Percepção sobre a EpS e a Resiliência

O Perfil do Educador Promotor de Saúde e Resiliência As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Risco Resiliência Vulnerabilidade Factores de risco Estratégias de coping Factores de protecção Promoção da Saúde - processo que visa, através do desenvolvimento de práticas de EpS tornar as pessoas, as escolas e as comunidades mais saudáveis (Gil, 2003). Resiliência - resposta individual a uma situação de adversidade e que pode ser promovida através de um processo de interdependência entre os mecanismos de risco e protecção (Gil, 2003).

RESULTADOS A Intervenção na área da EpS XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Dimensão Intervenção Temáticas Curriculares Temática mais trabalhada – EpS Temática menos trabalhada – Educação do Consumidor As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Gráfico 9: Nível de frequência da abordagem das temáticas curriculares

Dimensão Intervenção

Temáticas Curriculares

RESULTADOS A Intervenção na área da EpS (cont.) XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Dimensão Intervenção Planificação de actividades/estratégias facilitadoras de EpS Planificação de actividades que visem a EpS ↓ intervenção moderada As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Gráfico 10: Nível de frequência da sub-dimensão planificação

Dimensão Intervenção

Planificação de actividades/estratégias facilitadoras de EpS

RESULTADOS A Intervenção na área da EpS (cont.) XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Dimensão Intervenção Atitudes/estratégias Promotoras de Saúde Os educadores de infância demonstram uma atitude promotora de saúde elevada . As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Gráfico 11: Nível de frequência da sub-dimensão atitudes

Dimensão Intervenção

Atitudes/estratégias Promotoras de Saúde

RESULTADOS A Percepção da EpS e da Resiliência XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Dimensão Percepção Mecanismos de protecção Potenciação dos mecanismos de protecção ↓ Atitude mais promotora de resiliência As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Gráfico 12: Nível de percepção da sub-dimensão mecanismos de protecção

Dimensão Percepção

Mecanismos de protecção

RESULTADOS A Percepção da EpS e da Resiliência (cont.) XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... Dimensão Percepção Mecanismos de risco Concordância com os mecanismos de risco ↓ Atitude “menos” promotora de resiliência . As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Gráfico 13: Nível de percepção da sub-dimensão mecanismos de risco

Dimensão Percepção

Mecanismos de risco

RESULTADOS Perfis de Promoção de Saúde e Resiliência Classe A (60%) Alentejo; Vinculados; Rede oficial; J.Inf. pertence à RNEPS; EpS no PE; Formação em Saúde no complemento de Formação; Apoio da Saúde Escolar; Não integram crianças com NSE ou outra situação de risco. Classe B (40%) Algarve; Efectivos e contratados; Rede particular e IPSS; J.Inf. não pertence à RNEPS; EpS não está integrada no PE; Sem formação em saúde no Complemento de Formação; Não tiveram apoio de Saúde Escolar; Integram crianças com NSE ou outra situação de risco . XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Mais Promotora

Classe A (60%)

Alentejo;

Vinculados;

Rede oficial;

J.Inf. pertence à RNEPS;

EpS no PE;

Formação em Saúde no complemento de Formação;

Apoio da Saúde Escolar;

Não integram crianças com

NSE ou outra situação de risco.

Classe B (40%)

Algarve;

Efectivos e contratados;

Rede particular e IPSS;

J.Inf. não pertence à RNEPS;

EpS não está integrada no PE;

Sem formação em saúde no Complemento de Formação;

Não tiveram apoio

de Saúde Escolar;

Integram crianças

com NSE ou outra

situação de risco .

RESULTADOS Perfis de Promoção de Saúde e Resiliência (cont.) Classe A São os educadores que sempre/muitas vezes: reuniões com as famílias; aquisição do equip. e material pedagógico; reuniões com colegas; trabalho com a comunidade. algumas vezes : - reuniões com outros profissionais; vídeo como meio de divulgação e sensibilização da EpS; práticas de EpS através de jornal escolar. Classe B São os educadores que raramente/nunca : reuniões com as famílias; aquisição do equip. e material pedagógico; reuniões com colegas; reuniões com outros profissionais; trabalho com a comunidade; vídeo como meio de divulgação e sensibilização da EpS; práticas de EpS através de jornal escolar. XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005

Classe A

São os educadores que sempre/muitas vezes:

reuniões com as famílias;

aquisição do equip. e material pedagógico;

reuniões com colegas;

trabalho com a comunidade.

algumas vezes :

- reuniões com outros profissionais;

vídeo como meio de divulgação e sensibilização da EpS;

práticas de EpS através de jornal escolar.

Classe B

São os educadores que

raramente/nunca :

reuniões com as famílias;

aquisição do equip. e material pedagógico;

reuniões com colegas;

reuniões com outros profissionais;

trabalho com a comunidade;

vídeo como meio de

divulgação e

sensibilização da EpS;

práticas de EpS através

de jornal escolar.

RESULTADOS Perfis (outros aspectos diferenciadores das classes A e B) Classe A Estratégias de coping Baixas expectativas de sucesso Eliminar hábitos perigosos para a saúde Crenças EpS Trabalho com famílias Valor da EpS XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 Classe B Mecanismos protecção comportamentos participativos Mecanismos de risco Comportamentos perturbadores Modelo Atitudes significativo Percepção da EpS e Resiliência

Classe A

Estratégias

de coping

Baixas expectativas

de sucesso

Eliminar hábitos perigosos

para a saúde Crenças EpS

Trabalho com famílias Valor da EpS

CONCLUSÕES XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 ☻ As características pessoais das crianças não se revelaram como um mecanismo de risco para as práticas educativas dos educadores. ☻ As baixas expectactivas dos educadores face à criança e à sua família revelaram-se como mecanismos de risco para o desenvolvimento saudável das mesmas. ☻ Não se verificou a hipótese que a integração de crianças em situação de risco estaria relacionada com um perfil mais promotor de saúde e resiliência .

CONCLUSÕES XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 ☻ As quatro dimensões do conceito de promoção da saúde e resiliência -> 2 classes de educadores (A e B), sendo a primeira mais promotora do que a segunda. ☻ O conceito de promoção de saúde dos educadores -> conjunto de intenções e não um conjunto de intervenções . ☻ A formação inicial -> não distinguiu os inquiridos quanto a uma prática mais promotora de saúde e resiliência. A formação Complementar -> elemento diferenciador.

CONCLUSÕES XI ENCONTRO NACIONAL DA APEI Infância e Educação: Que Caminho(s)?!... As crianças em risco educativo no J.I. 31 Março 2005 ☻ O papel do educador como potenciador da capacidade das crianças lidarem e resistirem aos efeitos das adversidades demonstrou ser favorável para a classe B e ambivalente para a classe A . ☻ O estudo do pensamento e da acção do educador na área da promoção da saúde e resiliência não deve ser descurado. “ Não podemos educar uma criança que não seja saudável, assim como não podemos manter saudável uma criança que não foi educada”. Toch, 1995

MUITO OBRIGADA PELA VOSSA ATENÇÃO Flying Paula Rego

Add a comment

Related presentations

Related pages

I-ApeI: a novel intron-encoded LAGLIDADG homing ...

I-ApeI: a novel intron-encoded LAGLIDADG homing endonuclease from the archaeon, Aeropyrum pernix K1
Read more

DIRECTIVA 98/83/CEE CALITATEA APEI POTABILE PowerPoint PPT ...

DIRECTIVA 98/83/CEE CALITATEA APEI POTABILE. SCOPUL : Măsuri legislative pentru protejarea sănătăţii publice prin : - stabilire parametrii de calitate ...
Read more

American Public Education Inc., APEI Quick Chart - (NASDAQ ...

APEI - American Public Education Inc. Basic Chart, Quote and financial news from the leading provider and award-winning BigCharts.com.
Read more

APEI Headlines | American Public Education, Inc. Stock ...

Find out the latest news headlines for American Public Education, Inc. (APEI).
Read more

2. Procese de Tratare a Apei - Documents

Procedee de Tratare a Apei Potabile 2 Procedee de tratare a apei potabile- 2 Decantarea, filtrarea si dezinfectarea apei Prof.ing. Popa Mariana 2.
Read more

Resursele naturale ale Terrei

ENERGIA EOLIANĂ Utilizată la pomparea apei, ... Microsoft Excel Chart RESURSELE NATURALE Slide 2 Slide 3 Slide 4 DUPĂ CRITERIUL REPARTIŢIEI ...
Read more

American Public Education's (APEI) CEO Dr. Wallace Boston ...

American Public Education, Inc. (NASDAQ:APEI) Q1 2014 Results Earnings Conference Call May 8, 2014 5:00 PM ET Executives Christopher Symanoskie - Vice ...
Read more

Edited Transcript of APEI earnings conference call or ...

From Yahoo Finance: Q2 2015 American Public Education Inc Earnings Call
Read more