advertisement

2º LICENCIATURA: HISTÓRIA , UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO. DISCIPLINA DE BRASIL REPÚBLICA.

50 %
50 %
advertisement
Information about 2º LICENCIATURA: HISTÓRIA , UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO....
Education

Published on March 7, 2014

Author: AndreiaMatos3

Source: slideshare.net

Description

Objetivo aprofundar questões históricas acerca da Ditadura Militar no Brasil,ressaltar as forma de atuação do Estado em diferentes repressões tais como: censuras, restrições, perseguições, prisões arbitrárias, torturas, desaparecimentos e mortes e salientar o papel dos advogados de prisioneiros políticos enquanto importante foco de resistência.
advertisement

1 2º Licenciatura: curso de História RONDONONOPÓLIS - MT 2013

2 Disciplina: Brasil República Trabalho apresentado pela acadêmicas Andréia , Lucrécia e Marta, para fins de avaliação na disciplina de História, 3º Modulo sob a orientação da Prof.ª. Drª. Thaís Leão Vieira RONDONONOPÓLIS - MT 2013

3 Tortura Militar

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 4 Aqui vocês vão ver como essas pessoas que lutaram tanto por nós sofreram e tiveram sua liberdade tirada por pessoas que acreditavam que isso seria melhor para o Brasil. Mas aqueles que não se calaram diante das mentiras que o governo daquela época mostrava para as pessoas, Foram Brutalmente Torturados, Humilhados e muitos Assassinados.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 5 No Brasil do século XX, a tortura foi praxe nos dois maiores períodos ditatoriais que o país viveu, na época do Estado Novo (1937-1945) e do regime militar (19641985), sendo institucionalizada neste último período, banalizando-se e revelando-se como um método eficaz de garantir um Estado de ilegalidade.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 6

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 7 Foi durante a ditadura militar que as maiores atrocidades foram cometidas contra os que se opunham ao regime. Neste período os estudantes, os intelectuais, os engajados políticos, foram as principais vítimas do sistema que contestavam. Em plena Guerra Fria, a elite brasileira posicionou-se do lado dos Estados Unidos e da direita ideológica. Ser comunista passou a ser terrorista. Combatê-los era, segundo a visão do regime, defender a pátria de homens que comiam criancinhas, pregavam o ateísmo e destruíam as igrejas e os conceitos familiares.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 8 No engodo de proteger o Brasil da ameaça comunista, instalou-se uma ditadura, que para manter os princípios da caserna ortodoxa, calou, torturou e matou sem o menor constrangimento, centenas de brasileiros. A tortura durante o período do regime militar não livrou o Brasil dos militantes de esquerda, tão pouco destituiu da mente das pessoas o direito à liberdade de expressão que todos sonhavam.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) Se na sua propaganda o regime salvou o Brasil de terroristas comunistas, nos seus porões ela garantiu a sobrevivência de 20 anos de um Estado ilegítimo, feito sob a força bruta e o silêncio dos seus cidadãos. 9

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 10 Tipos: Pau-de-Arara – O preso era posto nu, abraçando os joelhos e com os pés e as mãos amarradas. Uma barra de ferro era atravessada entre os punhos e os joelhos. Nesta posição a vítima era pendurada entre dois cavaletes, ficando a alguns centímetros do chão. A posição causava dores e atrozes no corpo. O preso ainda sofria choques elétricos, pancadas e queimaduras com cigarro. Este método de tortura já existia na época da escravidão, sendo utilizado em várias fases sombrias da

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 11 Tipos: Cadeira do Dragão – Os presos eram sentados nus em uma cadeira elétrica, revestida de zinco, ligada a terminais elétricos. Uma vez ligado, o zinco do aparelho transmitia choques a todo o corpo do supliciado. Os torturadores complementavam o mecanismo sinistro enfiando um balde de metal na cabeça da vítima, aplicando-lhe choques mais intensos.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) Tipos: Pau- de- arara Cadeira do Dragão 12

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 13 Tipos: Choques Elétricos – O torturador usava um magneto de telefone, acionado por uma manivela, conforme a velocidade imprimida, a descarga elétrica podia ser de maior ou menor intensidade. Os choques elétricos eram deferidos na cabeça, nos membros superiores e inferiores e nos órgãos genitais, causando queimaduras e convulsões, fazendo muitas vezes, o preso morder a própria língua. As máquinas usadas nesse método de tortura eram chamadas de “Maricota” ou “pimentinha”.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) Tipos: Choques elétricos 14

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 15 Tipos: Telefone – Entre as várias formas de agressões que eram usadas, uma das mais cruéis era o vulgarmente conhecido como “telefone”. Com as duas mãos em posição côncava, o torturador, a um só tempo, aplicava um golpe violento nos ouvidos da vítima. O impacto era tão violento, que rompia os tímpanos do torturado, fazendo-o perder a audição.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 16 Tipos: Balé no Pedregulho – O preso era posto nu e descalço em local com temperatura abaixo de zero, sob um chuveiro gelado, tendo no piso pedregulhos com pontas agudas, que perfuravam os pés da vítima. A tendência do torturado era pular sobre os pedregulhos, como se dançasse, tentando aliviar a dor. Quando ele “bailava”, os torturadores usavam da palmatória para ferir as partes mais sensíveis do seu corpo.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 17 Tipos: Mamadeira de Subversivo – Era introduzido na boca do preso um gargalo de garrafa, cheia de urina quente, normalmente quando o preso estava pendurado no pau-de-arara. Usando uma estopa, os torturadores comprimiam a boca do preso, obrigando-o a engolir a urina.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) Tipos: 18

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 19 Tipos: Afogamento na Calda da Verdade – A cabeça do torturado era mergulhada em um tambor, balde ou tanque cheio de água, urina, fezes e outros detritos. A nuca do preso era forçada para baixo, até o limite do afogamento na “calda da verdade”. Após o mergulho, a vítima ficava sem tomar banho vários dias, até que o seu cheiro ficasse insuportável. O método consistia em destruir toda a autoestima do torturado.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 20 Tipos: Afogamento com Capuz – A cabeça do preso era encapuzada e afundada em córregos ou tambores de águas paradas e apodrecidas. O prisioneiro ao tentar respirar, tinha o capuz molhado a introduzir-se nas suas narinas, levando-o a perder o fôlego, produzindo um terrível mal-estar. Outra forma de afogamento consistia nos torturadores fecharem as narinas do preso, pondo-lhe, ao mesmo tempo, uma mangueira ou um tubo de borracha dentro da boca, obrigando-o a engolir água..

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 21 Tipos: Soro da Verdade – Era injetado no preso pentotal sódico, uma droga que produz sonolência e reduz as inibições. Sob os efeitos do “soro da verdade”, o preso contava coisas que sóbrio não falaria. De efeito duvidoso, a droga pode matar. Massagem – O preso era encapuzado e algemado, o torturador fazia-lhe uma violenta massagem nos nervos mais sensíveis do corpo, deixando-o totalmente paralisado por alguns minutos. Violentas dores levavam o preso ao desespero.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 22 Tipos: Geladeira – O preso era posto nu em cela pequena e baixa, sendo impedidos de ficar de pé. Os torturadores alternavam o sistema de refrigeração, que ia do frio extremo ao calor exacerbado, enquanto alto-falantes emitiam sons irritantes. A tortura na “geladeira” prolongava-se por vários dias, ficando ali o preso sem água ou comida. As mulheres, além de sofrer as mesmas torturas, eram estupradas e submetidas a realizar as fantasias sexuais dos torturadores. Poucos relatos apontaram para os estupros em homens, se houveram, muitos por vergonha, esconderam esta terrível verdade.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 23

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 24 Alguns Relatos de Torturados “Muitos deles vinham assistir para aprender a torturar. E lá estava eu, uma mulher franzina no meio daqueles homens alucinados, que quase babavam. Hoje, eu ainda vejo a cara dessas pessoas, são lembranças muito fortes. Eu vejo a cara do estuprador. Era uma cara redonda. Era um homem gordo, que me dava choques na vagina e dizia: ‘Você vai parir eletricidade’. Depois disso, me estuprou ali mesmo. Levei muitos murros, pontapés, passei por um corredor polonês. Fiquei um tempão amarrada num banco, com a cabeça solta e levando choques nos dedos dos pés e das mãos. Para aumentar a carga dos choques, eles usavam uma televisão, mudando de canal, ‘telefone’, velas acesas, agulhas e pingos de água no nariz, que é o único trauma que permaneceu até hoje.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 25 Alguns Relatos de Torturados Em todas as vezes em que eu era pendurada, eu fi cava nua, amarrada pelos pés, de cabeça para baixo, enquanto davam choques na minha vagina, boca, língua, olhos, narinas. Tinha um bastão com dois pontinhos que eles punham muito nos seios. E jogavam água para o choque ficar mais forte, além de muita porrada. O estupro foi nos primeiros dias, o que foi terrível para mim. Eu tinha de lutar muito para continuar resistindo. Felizmente, eu consegui. Só que eu não perco a imagem do homem. É uma cena ainda muito presente. Depois do estupro, houve uma pequena trégua, porque eu estava desfalecida. Eles tinham aplicado uma injeção de pentotal, que chamavam de ‘soro da verdade’, e eu estava muito zonza. Eles tiveram muito ódio de mim porque diziam que eu era macho de aguentar. Perguntavam quem era meu professor de ioga, porque, como eu estava aguentando muito a tortura, na cabeça deles eu devia fazer ioga. Me tratavam de ‘puta’, ‘ordinária’.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 26 Alguns Relatos de Torturados Me tratavam como uma pessoa completamente desumana. Eu também os enfrentei muito. Com certa tranquilidade, eu dizia que eles eram seres anormais, que faziam parte de uma engrenagem podre. Eu me sentia fortalecida com isso, me achava com a moral mais alta.” MARIA LUIZA FLORES DA CUNHA BIERRENBACH era advogada de presos políticos quando foi presa em 8 de novembro de 1971, em São Paulo (SP). Hoje, vive na mesma cidade, onde é procuradora do Estado aposentada.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 27 Alguns Relatos de Torturados “Quando fui presa, minha barriga de cinco meses de gravidez já estava bem visível. Fui levada à delegacia da Polícia Federal, onde, diante da minha recusa em dar informações a respeito de meu marido, Paulo Fontelles, comecei a ouvir, sob socos e pontapés: ‘Filho dessa raça não deve nascer’. Depois, fui levada ao Pelotão de Investigação Criminal (PIC), onde houve ameaças de tortura no pau de arara e choques. Dias depois, soube que Paulo também estava lá. Sofremos a tortura dos ‘refl etores’. Eles nos mantinham acordados a noite inteira com uma luz forte no rosto. Fomos levados para o Batalhão de Polícia do Exército do Rio de Janeiro, onde, além de me colocarem na cadeira do dragão, bateram em meu rosto, pescoço, pernas, e fui submetida à ‘tortura cientifica’, numa sala profusamente iluminada. A pessoa que interrogava ficava num lugar mais alto, parecido com um púlpito.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 28 Alguns Relatos de Torturados Da cadeira em que sentávamos saíam uns fios, que subiam pelas pernas e eram amarrados nos seios. As sensações que aquilo provocava eram indescritíveis: calor, frio, asfi xia. De lá, fui levada para o Hospital do Exército e, depois, de volta à Brasília, onde fui colocada numa cela cheia de baratas. Eu estava muito fraca e não conseguia fi car nem em pé nem sentada. Como não tinha colchão, deitei-me no chão. As baratas, de todos os tamanhos, começaram a me roer. Eu só pude tirar o sutiã e tapar a boca e os ouvidos. Aí, levaram-me ao hospital da Guarnição em Brasília, onde fiquei até o nascimento do Paulo. Nesse dia, para apressar as coisas, o médico, irritadíssimo, induziu o parto e fez o corte sem anestesia. Foi uma experiência muito difícil, mas fiquei firme e não chorei.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 29 Alguns Relatos de Torturados Depois disso, ficavam dizendo que eu era fria, sem emoção, sem sentimentos. Todos queriam ver quem era a ‘fera’ que estava ali” DULCE MAIA, ex-militante da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), era produtora cultural quando foi presa na madrugada de 26 de janeiro de 1969, em São Paulo (SP).Hoje, vive em Cunha (SP), é ambientalista, dirige a ONG Ecosenso e é cogestora do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) OS MILITARES FAZIAM QUESTÃO DE FOTOGRAFAR O RESULTADO DE SEUS TRABALHOS 30

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 31

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 32

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) Visão dos torturadores: Memórias: agente da repressão – Programa Conexão reporte, Roberto Cabrini 33

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) Relatos dos exilados http://www.youtube.com/watch?v=CCmA80YgwDY 34

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) A Mancha Sinopse Preso durante o regime militar, Rogério parte para o exílio. Ao voltar, enriquece no ramo imobiliário. Visitando um prédio que pretende comprar, vê uma mancha que lhe impõe uma tarefa paradoxal: lembrar e ao mesmo tempo livrar-se da memória dos anos da ditadura. 35

BRASIL REPUBLICADitadura Militar : Tortura(1964-1985) 36 Visão geral: relatos de mortes, pessoas desaparecidas sem explicações: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/11/aulas-sobreditadura-militar.html Dicas para livros: http://uranohistoria.blogspot.com.br/2011/11/livros-sobre-ditaduramilitar-para.html

37 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Fontes: GOULART,Michel. 10 Torturas da Ditadura Militar. Disponível <http://www.historiadigital.org/curiosidades/10-torturas-da-ditaduramilitar/.>Acesso em 27 de julho de 2013. Imagens da Ditadura militar. Disponível em em < https://www.google.com.br/search?q=imagens+de+pessoas+desaparecidas+na+ditadura+militar&sa=X&espv=210&es_sm=93&tb m=isch&imgil=iu3mqbgkkXhEGM%253A%253Bhttps%253A%252F%252Fencryptedtbn2.gstatic.com%252Fimages%253Fq%253Dtbn%253AANd9GcSmHq6rcdBbXI46I4dgBHyMZmnUkik3KEwfkn2Nxlkih3nSTHM7Q%253B1101%253B483%253BgN_78MPNkLspWM%253Bhttp%25253A%25252F%25252Fblogdovladimir.wordpr ess.com%25252F2012%25252F03%25252F11%25252Fcrimes-e-dorespermanentes%25252F&source=iu&usg=__Ujuo9HyyW65focOAby9HdIDheJM%3D&ei=v88ZU3GLJLrkQf51IHYAQ&ved=0CDUQ9QEwBQ&biw=1137&bih=693&dpr=0.9#q=ditadura+militar&tbm=isch&imgdii=_. Acesso em 27 de julho de 2013. Relatos de uma tortura. Disponível em http://www.youtube.com/watch?v=CCmA80YgwDY . Acesso em 27 de julho de 2013. Documentos Revelados .Disponível em < http://www.documentosrevelados.com.br/> Acesso em 27 de julho de 2013..

Add a comment

Related presentations

Related pages

2º LICENCIATURA: HISTÓRIA , UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO ...

×close share 2º licenciatura: histÓria , universidade federal de mato grosso. disciplina de brasil repÚblica.
Read more

República Federativa do Brasil Ministério da Educação ...

Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul ... Mariana Guimarães Vidal Deferida Aprovado 2º Disciplina: ... República Federativa do Brasil
Read more

Departamento de Geografia - UFMT - Inicial

... ICHS da Universidade Federal de Mato Grosso - - UFMT. ... Licenciatura Plena e Bacharelado e 1 curso de Pós-Graduação: Mestrado em Geografia ...
Read more

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE ...

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO ... oferecidas no 2º semestre ... identidade nacional no Brasil. Apresenta um
Read more

Pedagogia - Licenciatura - CCHS - UFMS

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Sistemas ... História – Licenciatura; ... em cada disciplina do Curso, ...
Read more

MINUTA DE RESOLUÇÃO CONSEPE - sistemas.ufmt.br

... do Curso de História, 2ª licenciatura, ... na Universidade Federal de Mato Grosso. ... e XX 70 h História do Brasil Contemporâneo 70 h ...
Read more

O Ensino Religioso na Rede Estadual e Privada de Educação ...

... da Universidade Federal de Mato Grosso ... do grau de licenciatura em História pela Universidade ... de sua história no Brasil, ...
Read more

República Federativa do Brasil Ministério da Educação ...

República Federativa do Brasil Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul ... Licenciatura; e Psicologia ...
Read more

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE ...

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO ... DOCENTE DISCIPLINA CH DIA HORÁRIO ... história e cultura: França e Brasil.
Read more